MEDELLÍN X NACIONAL
o mais popular x o mais vitorioso da Colômbia

A Colômbia é tão apaixonada por futebol que uma das discussões mais calorosas entre os habitantes gira em torno de qual seria o clássico mais importante do país. Embora não sejam poucas as rivalidades que arrogam o título para si, ninguém duvida que o dérbi de Medellín está entre elas.
Segunda cidade mais importante da Colômbia, atrás de Bogotá, em termos populacionais e econômicos, Medellín é a capital do departamento de Antioquia. Localizada no noroeste do país, a região é montanhosa e habitada majoritariamente pelos paisas, forma reduzida de paisanos (camponeses). Vem daí a explicação para o confronto entre Atlético Nacional e Independiente Medellín ter ficado conhecido, desde os primeiros duelos, como o Clássico Paisa ou o Clássico da Montanha.

As origens

O Deportivo Independiente Medellín é o clube profissional mais antigo da Colômbia tendo sido fundado com o nome de Medellín Football Club em 15 de abril de 1913, apenas três anos após trabalhadores ferroviários britânicos terem introduzido a primeira bola de futebol no país. Tal longevidade explica por que o time é conhecido como Decano, embora a sua camisa colorada também tenha inspirado os apelidos Rojo de la Montaña e Rey de Corazones.
O clube, no entanto, já havia se tornado Independiente Medellín em 30 de abril de 1947, data da fundação do Atlético Municipal. De fato, essa era a denominação oficial do Club Atlético Nacional, em 30 de setembro de 1948, os dois vizinhos se enfrentaram pela primeira vez, em partida válida pelo primeiro campeonato profissional da Colômbia. Naquele dia, o Independiente não deixou dúvidas quanto à sua superioridade, vencendo pelo contundente placar de 3 a 0.

 números e títulos

Aquela  goleada marcou a tônica dos primeiros anos, durante os quais o Independiente dominou as estatísticas, ainda que não tenha jogado os campeonatos de 1952 e 1953 devido a uma crise econômica. O quadro começou a mudar no final da década e hoje mostra uma clara superioridade do Atlético Nacional, que, em 284 clássicos disputados registra 114 vitórias e 81 derrotas, além de 364 gols a favor e 314 contra.
Outros números enchem de orgulho os torcedores alviverdes, como os 11 títulos colombianos do Nacional, contra os cinco do Independiente, e os cinco troféus continentais, contra nenhum do adversário. O mais importante de todos eles foi o da Copa Libertadores de 1989, até então inédito no futebol colombiano. A conquista marcou o primeiro de uma série de títulos que valeriam ao Nacional o apelido de Rey de Copas.
Como se não bastasse, é dele também o maior artilheiro do clássico, o inesquecível Víctor Hugo Aristizábal, ex-Santos,São Paulo entre outros clubes brasileiros que fez 19 gols, sete deles em partidas consecutivas. "Marcar contra o Independiente era como ganhar um título", disse o atacante quando se aposentou em 2008.

Lembranças do passado

O primeiro confronto com sabor de final ocorreu em 1954, durante a era de ouro do futebol colombiano, em que diversos jogadores estrangeiros atuavam no país. Com um gol de Humberto Turrón Álvarez, um dos melhores jogadores colombianos de todos os tempos, o Atlético Nacional bateu o Independiente por 1 a 0 na última rodada e deu a volta olímpica diante do rival, que, com dois jogos a menos, precisava ganhar para manter as chances de ser campeão.
A revanche do Independiente veio na temporada seguinte. Liderado pelo argentino José María Charro Moreno, o time venceu dois dos três clássicos disputados durante a campanha do seu primeiro título colombiano, superando por cinco pontos o Atlético Nacional, que terminou em segundo.
Após ser campeão em 1957, o Independiente não apresentou equipe para o torneio de 1958. No seu retorno à elite do futebol colombiano na temporada seguinte, o time sofreu uma das derrotas mais humilhantes da história do clássico: 7 a 2 para o Atlético Nacional em julho de 1959. A goleada mais elástica do clube alviverde sobre o rival, porém, continua sendo os 6 a 0 aplicados em novembro de 1976, ano do seu tricampeonato nacional. O Independiente teve de esperar até 1979 para retribuir a "gentileza", com um 5 a 1 que só voltaria a se repetir em 2011.
Na década de 1990, dois feitos inesquecíveis do Nacional marcaram a história do dérbi. Em 1994, pela última rodada do quadrangular final, Juan Pablo Ángel anotou um gol nos minutos finais da partida contra o Independiente e deu aos alviverdes mais um título colombiano, o único do goleiro René Higuita pelo clube. Já em 1999, os dois rivais decidiram o Torneio Clausura e a consequente vaga para a Grande Final, que acabaria sendo vencida pelo Nacional. Desta vez, o herói foi Wilmer Ortegón, autor do único gol do confronto, na partida de volta.
Na década seguinte, porém, a vingança do Independiente veio em dobro. Primeiro, a equipe finalmente conseguiu dar a volta olímpica diante do Nacional, ao vencer a final do Torneio Apertura de 2004 por 2 a 1 na soma dos placares, graças aos gols de Jorge Serna e Rafael Castillo no jogo de ida. Depois, o Decano se classificou para a Grande Final do campeonato de 2008 às custas do rival, com um empate em 0 a 0 na penúltima rodada do quadrangular final.
Outros clássicos marcantes da última década ocorreram em 2002, quando os dois times empataram em 1 a 1 com portões fechados, e em 2005, ano em que Mauricio Mao Molina marcou um dos únicos gols olímpicos da história do dérbi. "Esse foi, junto com o gol do título contra o Deportivo Pasto em 2002, um dos momentos mais lindos da minha carreira no Independiente, pelo significado que teve para a torcida", contou Molina. O outro gol olímpico havia sido anotado por Uriel Cadavid, também para o Independiente, em 1967.

números do confronto

jogos 284
vitórias do Medellín 81
vitórias do Nacional 114
empates 89
gols do Medellín 314
gols do Nacional 364

títulos do Medellín
Campeonato Colombiano 1955,1957, 2002 (Finalización),2004 (Apertura) e 2009 (Finalización)

títulos do Nacional
Copa Libertadores 1989
Copa Merconorte 1998 e 2000
Copa Interamericana 1990 e 1997
Campeonato Colombiano 1954,1973,1976,1981,1991,1994,1999, 2005 (Apertura),2007 (Apertura), 2007 (Finalización) e 2011 (Apertura)