Páginas

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Túnel do tempo:Vinte anos do Argentina 0 x 5 Colômbia

Semana passada, mais precisamente na quinta-feira dia 05 completaram-se vinte anos de um dos jogos mais inesquecíveis entre seleções sul-americanas. Não valia título nem era final de Copa do Mundo ou outro torneio,o jogo em questão valia uma vaga para a Copa de 1994. Era a última rodada das eliminatórias sul-americanas onde Argentina e Colômbia iriam se enfrentar em Buenos Aires naquela noite de 05 de setembro de 1993. Horas antes Brasil e Bolívia já haviam carimbado seus passaportes pelo grupo A. Faltava a definição do grupo B onde a seleção colombiana era líder e dependia de um empate contra os donos da casa para classificar,enquanto que quem ficasse em segundo ainda tinha uma chance na repescagem contra o vencedor da Oceania.

antes do jogo

Os argentinos vinham de uma enorme invencibilidade de 31 partidas desde a derrota na final da Copa de 90 para a Alemanha até o jogo de ida contra os colombianos em Barranquilla quando perderam por 2 a 1. Nesse período conquistaram duas Copas Américas,de 91 e 93 e eram favoritíssimos para conquistar a Copa do ano seguinte. Mesmo com três vitórias,um empate e uma derrota os hermanos estavam um ponto atrás dos colombianos no grupo e por isso precisavam de uma vitória simples no Monumental de Nuñes, o que todos achavam que não teria problema. Já a Colômbia vinha de um bom momento com o Nacional de Medellín campeão da Libertadores de 1989 e a seleção nacional que havia feito boas campanahs nas duas Copas Américas ganhas pelos argentinos e que reunia jogadores talentosos como Rincón, Valderrama, Asprilla, Cordoba, todos com fama internacional.



o jogo

Apesar do placar elástico não é exagero dizer que o jogo foi parelho já que os argentinos perderam várias de gol. O problema é que os colombianos transformaram suas chances em gol, o que faltou aos argentinos. Mas voltando a partida o primeiro gol dos colombianos saíram aos 41 minutos quando Rincón recebeu passe de Valderrama, invadiu a área na corrida limpando o goleiro argentino Goycoechea. Logo no início do segundo tempo saiu o segundo: Rincón lança Asprilla que dentro da área toca por entre as pernas do goleiro. E o terceiro veio aos 28 minutos quando Alvarez Veio pela esquerda e na linha de fundo cruzou para a área, Valência furou e Rincón que vinha na corrida chutou torto,o suficiente para a bola entrar no contrapé de Goyco. Nem deu tempo de respirar direito quando o zagueiro Borelli saiu errado dando a bola nos pés de Asprilla. Com calma o clombiano invadiu a área sozinho e deu um leve toque encobrindo o goleiro: 4 a 0. Nessas horas já se ouviam no Monumental gritos de "olé" a favor dos colombianos. No outro jogo paraguaios e peruanos empatavam. se o Paraguai vencesse ultrapassaria os argentinos no saldo de gols e pegariam sua vaga da repescagem. E o golpe de misericórdia veio aos 40 quando Valderrama lançou Asprilla que enxergou Valência entrando livre e com um pequeno toque o colocou cara a cara com Goycoechea, e aí foi só cutucar e correr pro abraço: Colômbia 5 a 0 e a classificação direta ao Mundial.

após o jogo

Os argentinos foram para a repescagem e conseguiram a classificação frente a Austrália. Na Copa dos Estados Unidos vinham bem até que um caso de doping de Maradona desestabilizou o time e acabaram eliminados nas oitavas pela Romênia. Já a Colômbia apontada como favorita até por Pelé sequer passou da primeira fase e ainda teve o drama de ver um de seus jogadores (Escobar, zagueiro autor de um gol-contra que eliminou a seleção) assassinado na volta ao país e o título da Copa do Mundo, como todos sabem, foi conquistado pelo Brasil!

Argentina 0 x 5 Colômbia

data 05/09/1993
estádio Monumental de Nuñes, Buenos Aires-Argentina
arbitro Esnesto Filippi, Uruguai
gols Rincón aos 41 do primeiro tempo; Asprilla aos 5, Rincón aos 28, Asprilla aos 30 e Valência aos 39 do segundo tempo

Argentina
Goycoechea; Saldanha, Borelli, Ruggeri e Altamirano; Zapata, Redondo (Acosta), Simeone e Léo Rodriguez (Claudio Garcia); Medina Bello e Batistuta. Técnico: Alfio Basile

Colômbia
Cordoba; Herrera, Perea, Mendoza e Perez; Alvarez, Gomez, Rincón e Valderrama; Asprilla e Valência. Técnico: Francisco Maturana

dia 20/09  Há dez anos um clube peruano fazia história

Nenhum comentário:

Postar um comentário