Páginas

sábado, 26 de outubro de 2013

O futebol paulista na Libertadores

Terminando os especiais dos Estados brasileiros na Copa Libertadores hoje posto sobre o Estado de São Paulo. O futebol paulista não é só o mais vitorioso nacionalmente como em competições internacionais também. Em Copas Libertadores foram os que mais venceram e os que tiveram o maior número de participantes. São paulistas os recordistas brasileiros de títulos (São Paulo e Santos com três conquistas cada) e de participações (São Paulo com 15 e Palmeiras com 14).
Tudo começou em 1961 com o Palmeiras, primeiro representante paulista e que de cara terminou vice, repetindo o feito em 68. Logo a seguir veio o Santos, bi em 62/63 e semifinalistas nas duas competições seguintes. Nos anos 70 tivemos as participações do São Paulo (72,74 e 78), Corinthians (77) e Guarani (79), sendo que o São Paulo seria vice em 74 e o Guarani semifinalista em 79. Nos anos 80 foram poucas as participações paulistas: São Paulo em 82 e 87; Guarani em 87 e 88 e o Santos retornando em 84. Apenas o Guarani passaria de fase, caindo nas oitavas em 88. Já a partir dos anos 90 o futebol paulista tornaria soberano. São Paulo (92,93 e 94), Palmeiras (94,95 e 99) e Corinthians (91,96 e 99) seriam os representantes, com destaque para o bi são paulino em 92/93 e o vice de 94, além do título palmeirense em 99. Nos anos 2000 com o aumento do número de vagas e a campanha dos clubes paulistas em competições nacionais faria com que desde 99 até hoje sempre tenhamos no mínimo um clube do Estado na competição. O São Paulo participaria de sete edições seguidas sendo campeão em 2005 e vice um ano depois. O Verdão emendaria junto com o título de 99 um vice em 2000 e uma semifinal em 2001,além de mais cinco participações. Já os santistas retornariam a Libertadores com o vice em 2003. Participariam ainda de mais quatro edições antes de conquistar novamente o título em 2011. O Corinthians passou por eliminações traumáticas em cinco oportunidades antes do título invicto de 2012. São Caetano, Santo André e o Paulista de Jundiaí também participaram, melhor para o Azulão que nas três edições sempre passou da primeira fase, chegando a ser vice em 2002. Os outros participaram respectivamente em 2005 e 2006. Nesses dois anos inclusive tivemos quatro paulistas entre os brasileiros, um recorde.

Os campeões
São Paulo 1992,1993 e 2005
Santos 1962,1963 e 2011
Palmeiras 1999
Corinthians 2012

Confrontos entre paulistas
1974 São Paulo x Palmeiras 2x0 e 2x1
1979 Guarani x Palmeiras 4x1 e 1x0
1987 São Paulo x Guarani 1x3 e 2x2
1994 São Paulo x Palmeiras 0x0 e 2x1
1999 Palmeiras x Corinthians 1x0, 1x2 (primeira fase) 2x0 e 0x2 nos pênaltis 4x2
2000 Palmeiras x Corinthians 3x4 e 3x2 nos pênaltis 5x4
2001 Palmeiras x São Caetano 0x1 e 1x0 nos pênaltis 5x3
2005 Santo André x Palmeiras 1x1 e 2x1
         São Paulo x Palmeiras 1x0 e 2x0
2006 São Paulo x Palmeiras 1x1 e 2x1
2012 Corinthians x Santos 1x0 e 1x1

Participações ano a ano
1961 Palmeiras
1962 Santos
1963 Santos
1964 Santos
1965 Santos
1968 Palmeiras
1971 Palmeiras
1972 São Paulo
1973 Palmeiras
1974 Palmeiras e São Paulo
1977 Corinthians
1978 São Paulo
1979 Guarani e Palmeiras
1982 São Paulo
1984 Santos
1987 São Paulo e Guarani
1988 Guarani
1991 Corinthians
1992 São Paulo
1993 São Paulo
1994 São Paulo e Palmeiras
1995 Palmeiras
1996 Corinthians
1999 Corinthians e Palmeiras
2000 Palmeiras e Corinthians
2001 Palmeiras e São Caetano
2002 São Caetano
2003 Santos e Corinthians
2004 Santos, São Paulo e São Caetano
2005 São Paulo, Santos,Palmeiras e Santo André
2006 São Paulo, Corinthians, Palmeiras e Paulista
2007 São Paulo e Santos
2008 São Paulo e Santos
2009 São Paulo e Palmeiras
2010 São Paulo e Corinthians
2011 Santos e Corinthians
2012 Santos e Corinthians
2013 Corinthians, São Paulo e Palmeiras

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Vinte anos da última conquista da seleção Argentina principal



Dia 04 de julho completaram-se vinte anos da última conquista da seleção argentina principal: a Copa América de 1993 disputada no Equador. E o blog lembra como foi aquela conquista pra você.

Primeira edição com convidados

A edição de número 36 da Copa América reuniu pela primeira vez duas equipes não sul-americanas: México e Estados Unidos. Ambos da Concacaf foram convidados e desde então passaram a disputar a competição com freqüência. Essa seria a primeira edição em com doze participantes que divididos em três grupos de quatro se enfrentavam dentro de seus grupos classificando os dois primeiros e os dois melhores terceiros colocados para as quartas de final, os vencedores faziam as semifinais e depois quem vencesse disputava o título. Lembrando que vitória ainda valia dois pontos.

Primeira fase

No Grupo A jogaram Equador,Uruguai, Venezuela e Estados Unidos,com os dois primeiros avançando,inclusive os donos da casa com três vitórias nos três jogos. No B equilíbrio total: a liderança terminou com o Peru seguido do Brasil e Paraguai. Já o Chile mesmo vencendo o Brasil terminou na lanterna, já que perdeu as outras duas partidas. E por fim no Grupo C Colômbia e Argentina terminaram empatados em pontos na liderança (uma vitória e dois empates de ambos) mas o saldo jogou os hermanos em segundo. Mesma situação de México e Bolívia que em três jogos tiveram dois empates e uma derrota. Novo empate no saldo de gols e como fez um gol a mais os mexicanos seguiram adiante.

No mata-mata

O regulamento previa que os segundos colocados dos grupos B e C fariam uma das quartas. E advinha quais as seleções que terminaram nessas colocações? Brasil e Argentina, que acabaram por se enfrentar já de cara. E depois de um empate por um gol ( o terceiro 1 a 1 seguido dos argentinos) os pênaltis definiriam o semifinalista. E após 4 a 4 nas cobranças Boiadeiro erra a sua cobrança e Borelli coloca a Argentina nas semi. Era a terceira eliminação seguida dos brasileiros para os argentinos (Copa do Mundo de 90 e Copa América de 91).
Nas outras partidas os donos da casa vencem a quarta partida seguida (3 a 0 no Paraguai). México vence pela primeira vez na competição ao bater o Peru por 4 a 2 e nos pênaltis a Colômbia elimina o Uruguai após empate por um gol no tempo normal.
Nas semifinais a surpresa da competição,o Equador que pela primeira vez chegava a uma semifinal de Copa América sucumbiria frente ao México (2 a 0) enquanto que os argentinos caminhavam rumo ao bi ao derrotarem os colombianos também nos pênaltis após empate sem gols.

A final

Não foi uma final de seleções que brilharam na primeira fase. Ambos já haviam se enfrentado e empatado por 1 a 1. Os argentinos chegaram a final com apenas uma vitória em cinco jogos. Depois de vencer na estréia foram dois empates ainda na primeira fase e mais dois no mata-mata seguindo adiante nos pênaltis. Já seu adversário da final fez ao contrário: só venceu a partir do mata-mata. E com esses adjetivos Argentina e México fizeram a final no estádio Monumental Isidro Romero, em Guayaquil, casa do Barcelona local. Gols, só no segundo tempo: Batistuta recebeu lançamento da defesa e mesmo trombando com o zagueiro achou espaço e colocou a bola entre o goleiro e a trave. Nem deu tempo de comemorar, pois quatro minutos depois Galindo converte um pênalti sofrido por Zaguinho. E o gol do título veio aos 29, novamente com Batistuta, o Batigol fuzilando na cara de Jorge Campos. Era o gol do título, do bicampeonato e da manutenção da invencibilidade de 32 jogos que seria perdida dias depois nas eliminatórias diante da Colômbia.

Os craques argentinos e o tabu que segue até hoje

Realmente a seleção argentina era muito forte,na época uma das maiores do mundo. Reuniu gente do calibre de Batistuta, Goycoechea no gol, Basualdo, Redondo, Ruggeri, Simeone, Léo Rodriguez enfim um timaço.
Mas mal sabiam eles que aquela conquista seria a última da seleção principal. Embora tenham conquistado o bi olímpico e mundiais sub-20 o tabu ainda continua, mesmo com uma infinidade de craques que surgiram nos últimos vinte anos: Messi, Verón, Riquelme, Ortega, Sorín, Crespo, Saviola, Aimar, Tévez, Aguero pra citar só alguns. E um dos responsáveis desse tabu é a Seleção Brasileira. De freguês no começo da década ao maior carrasco foram várias as eliminações para os brasileiros. Na Copa América seguinte, em 95 novo confronto nas quartas (aquele jogo da mão do Túlio) e vitória brasileira nos pênaltis.  Depois veio as quartas em 99 e nova eliminação, de virada com gols de Rivaldo e Ronaldo. Mais o pior ainda tava por vir. Primeiro derrota nos pênaltis na final de 2004 com o gol de empate dos brasileiros nos acréscimos quando os argentinos cientes do título passavam o pé por cima da bola. E depois mais duas goleadas em finais: 4 a 1 para o Brasil na Copa das Confederações de 2005 e três a zero na Copa América de 2007. Já em Copas do Mundo a coisa é ainda mais feia: desde o vice em 90 que a seleção não consegue chegar sequer as semifinais. Oitavas de final em 94, quartas em 98, primeira fase em 2002 e duas eliminações nas quartas de final para a Alemanha em 2006 e 2010.

O jogo do título

Argentina 2 x 1 México

data 04/07/1993
estádio Monumental Isidro Romero, Guayaquil- Equador
público 40000 pessoas
arbitro Marcio Resende de Freitas, Brasil
gols Batistuta aos 18, Galindo aos 22 e Batistuta aos 29 minutos do segundo tempo

Argentina
Goycoechea;  Basualdo, Ruggeri (Cáceres), Borelli e Altamirano; Zapata, Simeone, Redondo e Gorosito (Léo Rodriguez); Batistuta e Acosta. Técnico: Alfio Basile

México
Jorge Campos; R. Ramírez, Suárez, J. Ramírez e Gutierrez (Flores); Patiño (Luis Garcia), Ambriz, Garcia Aspe e Galindo; Hugo Sanchez e Alvez. Técnico: Miguel Mejía Baron


Dia 01/11  o tri do Brasil Sub-17 em 2003

Copa Sul-Americana: os classificados as quartas de final



Finalmente foram jogadas as partidas restantes das oitavas de final da Copa Sul-Americana 2013. Entre os classificados para as quartas de final temos três argentinos, dois brasileiros, dois colombianos e um paraguaio. Confira o resultado dos jogos de volta das oitavas de final e como ficaram os confrontos das quartas de final:

22/10 terça feira
Dep. Pasto-COL 1 x 0 Ponte Preta

23/10 quarta-feira
Universidad Catolica-CHI 3 x 4 São Paulo
Sport 1 x 2 Libertad-PAR

24/10 quinta-feira
Bahia 1 x 0 Nacional-COL ( nos pênaltis 3 x 4)
Itagui-COL 2 x 1 Coritiba

quartas de final - jogos de ida

29/10 terça-feira
Lanús-ARG x River Plate-ARG

30/10 quarta-feira
São Paulo x Nacional-COL

31/10 quinta-feira
Libertad-PAR x Itagui-COL
Ponte Preta x Velez Sarsfield-ARG





Centenário do mês: Bonsucesso/RJ, Talleres-ARG e Barracas-ARG



Bonsucesso Futebol Clube foi fundado no dia 12 de outubro de 1913. Com sede na cidade do Rio de Janeiro tem como cores o azul e o vermelho. Tradicional clube da capital carrega o nome do bairro de origem e teve como maior revelação Leônidas da Silva, o Diamante Negro que depois jogaria por Flamengo, São Paulo e seleção. O inventor da bicicleta fez o primeiro gol desse tipo de jogada pelo clube. Foram 57 participações na primeira divisão carioca e tem como melhor colocação o vice campeonato do longínquo ano de 1924. Frequentador assíduo da divisão de elite até meados dos anos 80 o clube começou a entrar em decadência e nos últimos trinta anos participou apenas de três edições (1985,1993 e 2012). Na segunda divisão estadual foi campeão por sete vezes. Em competições nacionais participou de apenas duas edições da segunda divisão do Campeonato Brasileiro, em 81 e 83 quando o torneio era chamado de Taça de Prata.

Bonsucesso Futebol Clube
fundado 12/10/1913
sede Rio de Janeiro, Brasil
estádio Leônidas da Silva, 13000 pessoas
uniforme camisas com listras verticais azuis e vermelhas, calções azuis e meiões vermelhos



Completou cem anos no último dia 12 de outubro o Club Atlético Talleres. Situado em Córdoba, segunda maior cidade da Argentina tem como cores o azul e o branco. Recebeu este nome devido ao fato de ter sido fundado por trabalhadores das oficinas da estação ferroviária local ( talleres = oficinas em espanhol). Faz uma das maiores rivalidades do interior argentino com o Belgrano, chamado de El Clásico Cordobês. Rivaliza ainda com o Instituto, da mesma cidade e com o San Martín da vizinha Tucumã. Jamais conquistou o Campeonato Argentino, torneio que disputou por 41 vezes e que não participa desde 2004. O máximo que conseguiu foi um vice em 77. Atualmente disputa a segunda divisão. Fora do país foram apenas três aparições em competições internacionais: Copa Conmebol de 1999, Mercosul de 2001 e a Copa Libertadores de 2002. A Copa Conmebol inclusive é a maior conquista dos cem anos do clube. Na final da última edição da competição vitória sobre o brasileiro CSA, do Estado de Alagoas por 3 a 0 depois de perder a ida por 4 a 2. Nessa conquista o Talleres foi treinado por Ricardo Gareca, famoso técnico argentino e dois jogadores conhecidos dos brasileiros também estavam lá: Maidana, ex-Grêmio e autor do gol do título e Dario Gigena, que jogando pela Ponte Preta faria três gols no Guarani em pleno Brinco de Ouro em 2003.

Club Atlético Talleres
fundado 12/10/1913
sede Córdoba, Argentina
estádio La Boutique, 18000 pessoas
uniforme camisas com listars verticais azuis e brancas, calões azuis e meiões brancos

títulos
Copa Conmebol 1999
Campeonato Argentino Série B 1996 e 1998
Campeonato Argentino Série C 2013



Club Sportivo Barracas irá completar cem anos agora no dia 30. Situado na capital Buenos Aires, mais precisamente no bairro de Barracas tem como cores o azul e o branco. Foi um dos principais clubes na era amadora, onde jogou vinte vezes na primeira divisão, mas que não a disputa desde 1936. Desde então joga somente pelas divisões inferiores. Seu estádio na época era um dos maiores da Argentina inclusive recebendo partidas internacionais da seleção. Num desses jogos, mais precisamente um Argentina x Uruguai em 1924 sairia o primeiro gol olímpico da história do futebol.

Club Sportivo Barracas
fundado 30/10/1913
sede Buenos Aires, Argentina
estádio não possui
uniforme camisas com listras verticais azuis e brancas, calções e meiões azuis

títulos 
Campeonato Argentino Série D 2004

Mundial Sub-17 2013: Os classificados as oitavas de final



Terminou hoje a primeira fase do Campeonato Mundial Sub-17 2013 que está sendo jogado nos Emirados Árabes. E dentre os sul-americanos apenas a Venezuela não passou adiante já que ficou na lanterna de seu grupo após perder todos os jogos. Brasil, Argentina e Uruguai terminaram a primeira fase líderes de seus respectivos grupos e continuam na competição, com os brasileiros sendo ao lado dos japoneses as únicas seleções com 100% de aproveitamento, além de ter o melhor ataque da competição. Segue abaixo os resultados dos jogos dos países sul-americanos com os confrontos das oitavas de final:

19/10 sábado
Irã 1 x 1 Argentina

segunda rodada

20/10 domingo
Emirados Árabes 1 x 6 Brasil
Uruguai 1 x 1 Costa do Marfim

21/10 segunda-feira
Japão 3 x 1 Venezuela

22/10 terça-feira
Argentina 3 x 2 Áustria

terceira rodada

23/10 quarta-feira
Honduras 0 x 3 Brasil
Itália 1 x 2 Uruguai

24/10 quinta-feira
Venezuela 0 x 4 Rússia

25/10 sexta-feira
Argentina 3 x 0 Canadá

oitavas de final

28/10 segunda-feira
Brasil x Rússia

29/10 terça-feira
Uruguai x Eslováquia
Argentina x Tunísia

Completam as oitavas de final: Itália x México, Japão x Suécia, Honduras x Uzbequistão, Marrocos x Costa do Marfim e Nigéria x Tunísia. As quartas de final serão jogadas entre os dias 01 e 02 de novembro.

sábado, 19 de outubro de 2013

Quem nunca foi rebaixado na América do Sul

Dia 04 postei uma matéria que falava da Segunda Divisão dos países sul-americanos. Fórmula de disputa desses campeonatos,classificação,equipes tradicionais na disputa etc. Hoje posto sobre as equipes que jamais foram rebaixadas em seus respectivos campeonatos nacionais com o ano em que subiram ou disputaram pela primeira vez:

Argentina
Boca Jr 1913 e Arsenal 2002

Com os rebaixamentos do River Plate em 2011 e do Independiente nesse ano o Boca tornou-se a única equipe a participar de todas as edições da primeira divisão a partir de 1931, ano do profisionalismo. E o Arsenal depois que estreou em 2002 não retornou mais a segunda divisão.

Bolívia
The Strongest 1914 e Oriente Petrolero 1958

O outro grande do país, o Bolívar caiu em 1964 quando o campeonato ainda era amador. Na era profissional que começou em 1977 apenas os três clubes citados acima participaram de todas as edições.

Brasil
Santos, Flamengo, Cruzeiro, São Paulo e Internacional  1987

Alguns meios de comunicação postam a partir de 1971, que é quando começou o Campeonato Brasileiro nos moldes atuais. Mas como até 1986 houve várias fórmulas de disputa, inclusive com clubes convidados ou classificados a partir de campanhas dos campeonatos estaduais (como a Taça Brasil entre 1959 a 1968 e o Roberto Gomes Pedrosa entre 1967 a 1970) o correto seria a partir de 1987 com a criação da Copa União pelos 13 maiores clubes do país,quando realmente começou a ser respeitada a regra de acesso e descenso.

Chile
Colo Colo 1933 e Cobreloa 1978

Os outros dois grandes do país já caíram: Universidad Catolica em 1955 e 1974 e Universidad de Chile em 1988. Até 1997 apenas o Colo Colo e Unión Española haviam disputados todas as edições do campeonato chileno que começou em 1933. Com o rebaixamento do segundo somente o Colo Colo tem esse recorde. E o Cobreloa vem se mantendo na primeira divisão há 36 anos.

Colômbia
Nacional, Deportivo Cali, Medellín, Júnior, Santa Fé, Millonarios e Once Caldas 1948  Boyacá Chicó 2004 La Equidad 2007 e Patriotas Boyacá 2012

Apenas Nacional Santa Fé e Millonarios jogaram todas as edições. As outras equipes se ausentaram por alguns anos devido a vários motivos (econômicos, desfiliações,suspensões etc).

Equador
Barcelona 1957 e Independiente José Teran em 2010

O El Nacional caiu em 1979. O Emelec em 1980. E por fim a LDU caiu três vezes: 1973,1977 e em 2000.

Paraguai
Olímpia e Guarany 1906 e Cerro Porteño 1913

O Libertad participou de 1906 a 1998 quando foi rebaixado.


Peru
Universitário 1928  Sporting Cristal  1956 Universidad San Martín 2004  Sport Huancayo e Inti Gas 2009 Unión Comercio 2011 e Real Garcilaso 2012

O outro grande do futebol peruano,o Alianza Lima caiu em 1938

Uruguai
Peñarol 1900 e Nacional  1901

Venezuela
Dep. Táchira 1974  Mineros 1983  Caracas 1985  Aragua 2005  Zamora 2006  Dep. Anzoategui e Lara 2007  Zulia 2008  Yaracuyanos e Real Espor  2009

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Eliminatórias Sul-Americanas: Chile e Equador na Copa; Uruguai na repescagem



Foi jogada na última terça a rodada final das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa 2014. E como todos já esperavam Chile e Equador se garantiram enquanto que aos uruguaios restaram a repescagem contra a Jordânia, quinta colocada da Ásia. Os confrontos ocorrerão em novembro. Segue abaixo os resultados da última rodada com a classificação final:

15/10 terça-feira
Paraguai 1 x 2 Colômbia
Chile 2 x 1 Equador
Uruguai 3 x 2 Argentina
Peru 1 x 1 Bolívia

classificação final

Argentina 32, Colômbia 29, Chile 28, Equador e Uruguai 25, Venezuela 20, Peru 15, Paraguai 12 e Bolívia 12

Há dez anos o Brasil era tetra do Mundial Sub-20



Hoje o blog Futebol da América do Sul relembra o tetracampeonato mundial sub-20 do Brasil em 2003. A competição foi jogada nos Emirados Árabes Unidos,coincidentemente onde hoje está sendo jogado o Mundial Sub-17. Foi realizado entre os dias 27 de novembro e 19 de dezembro.

os participantes

Participaram 24 seleções divididas em seis grupos de quatro. Os dois primeiros colocados mais os quatro melhores terceiros classificaram para as oitavas de final. A partir daí o torneio passou a ser eliminatório até a final. No grupo A classificaram-se Burkina Fasso, Eslováquia e os Emirados Árabes. O Panamá ficou na lanterna. No B apenas Argentina e Espanha seguiram adiante enquanto que Uzbequistão e Mali ficaram no meio do caminho. No grupo C a Austrália terminou líder deixando o Brasil com a segunda vaga e o Canadá entre os melhores terceiros. A lanterna do grupo ficou com a República Tcheca. Já no grupo D Japão e Colômbia se garantiram com o Egito em terceiro. A Inglaterra ficou de fora. Irlanda e Costa do Marfim deixaram México e Arábia Saudita pra trás no grupo E e por fim no grupo F Estados Unidos, Paraguai e Coréia do Sul passaram de fase deixando a Alemanha fora.

a campanha brasileira na primeira fase

O Brasil fez uma campanha abaixo do esperado na primeira fase. Terminou na segunda colocação,atrás da Austrália com apenas quatro pontos. Na estréia,vitória sobre o Canadá por 2 a 0 com gols de Nilmar e Daniel Carvalho,ambos do Internacional. O zagueiro Adaílton faria o gol de empate contra os tchecos na segunda rodada (1 a 1) e na decisão do primeiro lugar derrota para a Austrália por 3 a 2 com gols de Juninho e Dudu Cearense.

no mata-mata

Foi a partir das oitavas que a seleção conseguiu mostrar um futebol melhor do que aquele jogado na fase anterior. Primeiro foi a Eslováquia. Após empate por 1 a 1 no tempo normal com gol de Dudu Cearense o jogador voltou a balançar as redes na prorrogação e vaga garantida as quartas. O adversário da seleção seria o Japão que eliminaria a Coréia do Sul no clássico asiático. Nos outros jogos Canadá que eliminara Burkina Fasso enfrentaria a Espanha que deixou o Paraguai pra trás. Os argentinos passaram pelo Egito e jogaria as quartas contra os americanos que venceram a Costa do Marfim. Os anfitriões eliminariam a Austrália e nas quartas pegaria a Colômbia,que havia passado pela Irlanda.
Nas quartas de final o Brasil golearia os japoneses por 5 a 1 com três gols de Nilmar, dois de Daniel carvalho e um do Kléber,o Gladiador. Aos trinta minutos os brasileiros já venciam por três a zero. Seu adversário nas semifinais seria a Argentina que passaria pelos Estados Unidos de forma dramática: primeiro levaria a partida para a prorrogação com gols nos acréscimos e depois venceria graças a um gol de pênalti. A Colômbia venceria os donos da casa pelo placar mínimo enquanto que a Espanha venceria a zebra canadense na prorrogação.
As semifinais reuniria três seleções da América do Sul e uma da Europa. No clássico Brasil e Argentina vitória magra dos brasileiros com gol de Dudu Cearense enquanto que do outro lado os espanhóis bateriam os colombianos também por 1 a 0 com gol de pênalti de Iniesta (ele mesmo) a quatro minutos do fim e carimbava a vaga na decisão contra os brasileiros.

a final

A grande decisão reuniria de um lado o Brasil,dono do melhor ataque da competição contra a Espanha,defesa menos vazada. Dia 19 de dezembro em Abu Dhabi com um público de 55 mil pessoas a seleção lutava pelo seu quarto título enquanto que os espanhóis brigavam pelo bi. Logo aos quatro minutos o zagueiro Melli,que era o último homem da defesa seria expulso ao fazer falta em Nilmar que tava na cara do gol. Com um homem a mais os brasileiros dominavam a partida,mas errava nas finalizações,ora com Kléber, ora com Nilmar. Aos 28 o zagueiro Adaílton chegou a carimbar a trave com uma cabeçada na pequena área após escanteio cobrado por Daniel Alves.Os espanhóis acabaram equilibrando a partida e chegaram a perder um gol incrível quando Iniesta chutou cara a cara contra o goleiro Jéfferson. No segundo tempo veio a melhor chance da partida com Kléber Gladiador que driblou o goleiro mas perdeu o ângulo na hora de finalizar.e por fim quando a prorrogação se aproximava Daniel Alves cobrou escanteio na medida para Fernandinho, ex- Atlético PR hoje no Manchester City fuzilar de cabeça no ângulo do goleiro espanhol. Aí foi só esperar o tempo passar e comemorar o tetracampeonato mundial sub-20 e igualar-se na época a Argentina como maiores vencedores do torneio.

as revelações

Pelo Brasil foram várias as revelações. Jéfferson e Daniel Alves são nomes certos para a Copa 2014.Outros tiveram algumas passagens pela seleção como Nilmar, Daniel Carvalho, Dudu Cearense e Adriano (lateral esquerdo do Barcelona). Andrezinho (até pouco tempo no Botafogo), Dagoberto, Kléber (Gladiador), Fernandinho e o goleiro Fernando Henrique (ex-Flu) também se destacaram depois da conquista. Pela Espanha o maior nome sem dúvida foi Iniesta, multicampeão por Barcelona e pela seleção. Os argentinos não ficam atrás e revelaram Cavenaghi, Mascherano, Montillo (hoje no Santos) e Carlitos Tevez, este último o mais famoso dessa geração.

curiosidades

Apesar de volante Dudu Cearense, então no Vitória, terminou como um dos artilheiros do torneio com quatro gols ao lado do americano Eddie Johnson, do japonês Sakata e do argentino Cavenaghi. Ismail Matar, dos Emirados Árabes foi eleito o melhor jogador da competição. Depois vieram os brasileiros Dudu Cearense e Daniel Alves respectivamente segundo e terceiro melhores jogadores do Mundial.
Com a conquista a seleção na época se tornaria campeã mundial das três categorias (principal em 2002 e sub 17 e sub-20 em 2003) além de Macos Paquetá tornar-se o primeiro treinador campeão mundial duas vezes no mesmo ano, já que meses antes havia vencido o Mundial Sub-17 jogado na Finlândia.
E pra encerrar uma grande coincidência: as quatro seleções semifinalitas foram as mesmas do Mundial Sub-17 onde Brasil e Espanha também haviam decidido o título.

o jogo do título

Brasil 1 x 0 Espanha

data 19/12/2003
estádio Zayed, Abu Dhabi- Emirados Árabes
público 55000 pessoas
árbitro Roberto Rosetti, Itália
gol Fernandinho aos 42 minutos do segundo tempo
expulsões Melli aos 4 minutos do primeiro tempo e Fernandinho aos 45 do segundo tempo

Brasil
Jefferson; Daniel Alves, Alcides, Adaílton e Adriano; Jardel, Dudu Cearense, Juninho (Fernandinho) e Daniel Carvalho (Andrezinho); Kléber e Nilmar (Dagoberto). Técnico: Marcos Paquetá

Espanha
Riesgo; Bouzón, Melli, Carlos Garcia e Peña; Vitolo, Gabi (Manu), Juanfran e Iniesta; Pina (Gavilán) e Sérgio Garcia. Técnico: Armando Ufarte

dia 25/10 Vinte anos da última conquista da seleção Argentina principal

Mundial Sub-17 2013 Jogos da primeira fase



Começou ontem mais um Campeonato Mundial Sub-17. O torneio desse ano está sendo jogado nos Emirados Árabes Unidos e o blog traz pra você a participação das seleções sul-americanas. Hoje posto os resultados da primeira rodada e os próximos jogos da semana válidos pela segunda e terceira rodadas. Semana que vem posto os classificados as oitavas de final.

Grupo A Emirados Árabes, Brasil, Honduras e Eslováquia
Grupo B Nova Zelãndia, Costa do Marfim, Uruguai e Itália
Grupo C Croácia, Marrocos, Panamá e Uzbequistão
Grupo D Venezuela, Rússia, Japão e Tunísia
Grupo E Canadá, Austria, Irã e Argentina
Grupo F México, Nigéria, Iraque e Suécia

17/10 quinta-feira
Brasil 6 x 1 Eslováquia
Uruguai 7 x 0 Nova Zelândia

18/10 sexta-feira
Tunísia 2 x 1 Venezuela

próximos jogos

19/10 sábado
Irã x Argentina

segunda rodada

20/10 domingo
Emirados Árabes x Brasil
Uruguai x Costa do Marfim

21/10 segunda-feira
Japão x Venezuela

22/10 terça-feira
Argentina x Áustria

terceira rodada

23/10 quarta-feira
Honduras x Brasil
Itália x Uruguai

24/10 quinta-feira
Venezuela x Rússia

25/10 sexta-feira
Argentina x Canadá


sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Eliminatórias Sul-Americanas: Colômbia de volta a uma Copa do Mundo



Hoje foi jogada a penúltima rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa 2014. E a Colômbia confirmou a sua vaga ao empatar com o Chile por 3 a 3 depois de estar perdendo por 3 a 0 em apenas trinta minutos de jogo. Já os chilenos adiaram a vaga para a última rodada quando enfrentam em casa o Equador que venceu o Uruguai por 1 a 0. Tanto chilenos quanto equatorianos têm 25 pontos contra 22 dos uruguaios e por isso um empate entre si garantem ambos na Copa. Situação difícil está o Uruguai: precisa vencer a já classificada Argentina e torcer para que não há empate entre Chile e Equador e tentar superar um dos dois times no saldo, que no momento é de menos um do Uruguai contra saldo positivo de cinco do Equador e três do Chile. Ao empatar em casa na sua partida de despedida com o Paraguai os venezuelanos disseram adeus a Copa,já que terminaram sua participação nas eliminatórias com 20 pontos.

11/10 sexta-feira
Colômbia 3 x 3 Chile
Equador 1 x 0 Uruguai
Venezuela 1 x 1 Paraguai
Argentina 3 x 1 Peru

Argentina 32 (classificada), Colômbia 26(classificada), Equador e Chile 25, Uruguai 22, Venezuela 20, Peru 14, Paraguai 12 e Bolívia 11

15/10 terça-feira
Paraguai x Colômbia
Chile x Equador
Uruguai x Argentina
Peru x Bolívia

Participações dos clubes brasileiros na Libertadores por década

A Copa Libertadores já acabou mas aqui no blog você fica sabendo tudo sobre o principal campeonato interclubes das Américas. E hoje posto sobre as participações dos clubes brasileiros na Libertadores por década. Só lembrando que nosso sistema é diferente do habitual,contamos década do ano terminado em zero ao terminado em nove ( 1960 a 1969,1970 a 1979 etc).

Década de 60
4 Santos 62,63,64 e 65
2 Bahia 60 e 64
   Palmeiras 61 e 68
1 Botafogo 63
   Cruzeiro 67
   Náutico 68

Década de 70
4 Palmeiras 71,73,74 e 79
3 São Paulo 72,74 e 78
   Cruzeiro 75,76 e 77
2 Internacional 76 e 77
   Atlético MG 72 e 78
1 Fluminense 71
   Botafogo 73
   Vasco 75
   Corinthians 77
   Guarani 79

Década de 80
4 Flamengo 81,82,83 e 84
3 Grêmio 82,83 e 84
2 São Paulo 82 e 87
   Guarani 87 e 88
   Internacional 80 e 89
   Vasco 80 e 85
1 Atlético MG 81
   Santos 84
   Fluminense 85
   Coritiba 86
   Bangu 86
   Sport  88
   Bahia 89  

Década de 90
5 Grêmio 90,95,96,97 e 98
3 São Paulo 92,93 e 94
   Palmeiras 94,95 e 99
   Corinthians 91,96 e 99
   Cruzeiro 94,97 e 98
   Vasco 90,98 e 99
2 Flamengo 91 e 93
1 Criciúma 92
   Internacional 93
   Botafogo 96

Década de 2000
6 São Paulo 04,05,06,07,08 e 09
5 Palmeiras 00,01,05,06 e 09
   Santos 03,04,05,07 e 08
4 Grêmio 02,03,07 e 09
   Cruzeiro 01,04,08 e 09
3 Corinthians 00,03 e 06
   Flamengo 02,07 e 08
   Atlético PR 00,02 e 05
   São Caetano 01,02 e 04
2 Internacional 06 e 07
1 Juventude 00
   Atlético MG 00
   Vasco 01
   Paysandu 03
   Coritiba 04
   Santo André 05
   Paulista 06
   Goiás 06
   Paraná Clube 07
   Fluminense 08
   Sport 09

De 2010 em diante
4 Corinthians 10,11,12 e 13
3 Fluminense 11,12 e 13
   Internacional 10,11 e 12
2 São Paulo 10 e 13
   Grêmio 11 e 13
   Cruzeiro 10 e 11
   Santos 11 e 12
   Flamengo 10 e 12
1 Vasco 12
   Atlético MG 13
   Palmeiras 13

Mundial Sub-17 2013



Começa quinta que vem, dia 17 mais uma edição do Campeonato Mundial Sub-17. O torneio será jogado nos Emirados Árabes Unidos até o dia 8 de novembro. Participam 24 seleções divididas em seis grupos de quatro. Os dois primeiros colocados mais quatro por índice técnico avançam para as oitavas de final, onde a partir daí o torneio passa a ser eliminatório até a grande final. Seis cidades sediarão a competição: Dubai, Abu Dhabi, Al Ain, Sharjah, Al Fujayrah e Ras al-Khaimah. Argentina, Venezuela, Brasil e Uruguai são os representantes da América do Sul. Brasil e Nigéria são os maiores vencedores com três títulos cada e o México é o atual campeão após ter derrotado na final os uruguaios em casa.

Grupo A Emirados Árabes, Brasil, Honduras e Eslováquia
Grupo B Nova Zelãndia, Costa do Marfim, Uruguai e Itália
Grupo C Croácia, Marrocos, Panamá e Uzbequistão
Grupo D Venezuela, Rússia, Japão e Tunísia
Grupo E Canadá, Austria, Irã e Argentina
Grupo F México, Nigéria, Iraque e Suécia

17/10 quinta-feira
Brasil x Eslováquia
Uruguai x Nova Zelândia

18/10 sexta-feira
Tunísia x Venezuela

Só lembrando que assim como no Campeonato Mundial Sub-20 o blog irá fazer apenas a cobertura dos jogos dos países sul-americanos.

os campeões

3 Brasil 1997,1999 e 2003
   Nigéria 1985,1993 e 2007
2 Gana 1991 e 1995
   México 2005 e 2011
1 União Soviética 1987
   Arabia Saudita 1989
   França 2001
   Suíça 2009



Quarenta anos do primeiro Mundial do Independiente



Hoje o blog Futebol da América do Sul traz uma conquista que completa 40 anos: o primeiro Mundial Interclubes do Independiente.

Três derrotas em três finais

O clube de Avellaneda havia disputado e perdido as três finais de Mundial Interclubes até então. Em 1964 e 1965 as derrotas foram para a Internazionale de Milão. Na primeira decisão, vitória no jogo de ida por 1 a 0, mas com duas derrotas na segunda e terceira partidas o título ficou com os italianos. Em 65 o vice veio com um empate em casa depois de perder fora. Anos depois em 1972 com a conquista do terceiro título da Libertadores e igualando-se a Peñarol e Estudiantes como maiores vencedores do torneio nova derrota,dessa vez para o Ájax, da Holanda. Empate em casa e derrota por 3 a 0 em Amsterdã para o time que viria a ser a base da seleção holandesa na Copa de 74.

O segundo bi da Libertadores

Como campeões de 1972 o clube argentino entrou direto na fase semifinal,onde formou um grupo com Millonarios-COL e um de seus rivais domésticos, o San Lorenzo. Com duas vitórias,um empate e uma derrota o clube classificou-se para a sua quarta final de Libertadores para enfrentar os chilenos do Colo Colo.
Primeiro jogo da final na Argentina empate por 1 a 1. No jogo da volta em Santiago novo empate,dessa vez sem gols e a decisão ficou para a terceira partida em Montevidéu. Na capital uruguaia novo empate por 1 a 1 o que forçou uma prorrogação e nela Giachello fez o gol que deu ao Independiente a quarta Libertadores e se isolando como o maior campeão do torneio até hoje.

A quarta tentativa de conquistar o mundo

Vice nas três vezes anteriores o Rey de Copas foi mais uma vez disputar o Mundial. Seu adversário seria o Aajx,clube que o derrotou no ano anterior,mas devido ao antijogo dos sul-americanos o clube holandês mandou o vice europeu no seu lugar. Com isso o Independiente passaria a enfrentar a Juventus, da Itália. Mesmo não sendo o campeão europeu o clube italiano tinha um excelente time com jogadores como Dino Zoff, Gentile, Mazolla e Bettega.


O jogo de ida foi na Itália, na capital Roma. O jogo foi bem disputado com chances de ambos os lados. Faltando dez minutos para o fim da partida Bochini, um dos maiores jogadores da história do Independiente faz o gol da vitória. Era a vantagem que o clube precisava para a partida de volta. Precisava, pois os italianos recusaram a jogar em solo sul-americano e com isso a taça foi entregue aos argentinos que pela primeira vez sagravam-se campeões do Mundo igualando o feito de outros dois clubes argentinos,o arquirrival Racing e Estudiantes. Depois de conquistar a América por quatro vezes finalmente o Rey de Copas ganhava o mundo!

O jogo do título

Juventus-ITA 0 x 1 Independiente-ARG

data 28/11/1973
estádio Olímpico,Roma-Itália
público 23000 pessoas
arbitro Alfred Deucort, Bélgica
gol Bochini aos 35 minutos do segundo tempo

Juventus
Zoff; Spinosi (Longobucco), Salvadore, Gentile e Morini; Cuccureddu, Marchetti e Causio; Anastasi, Mazolla e Bettega (Viola). Técnico: CestmirVycpálek

Independiente

Santoro; Commisso, Lopez, Sá e Pavoni; Bochini, Galván e Raimondo; Balbuena, Magglioni e Bertoni (Semenewick). Técnico: Roberto Oscar Ferrero

dia 18/10  Há dez anos o Brasil era tetra do Mundial Sub-20

Centenário do mês: Internacional/SP, Própria/SE e Rio Branco/PR



A Associação Atlética Internacional, mais conhecida como Inter de Limeira, em alusão a cidade que foi fundada no dia 05 de outubro de 1913, é um dos clubes mais vitoriosos do interior de São Paulo. Tem como cores o branco e o preto. Foi o primeiro clube fora do eixo São Paulo-Santos a ganhar um título paulista,em 1986. Dois anos depois veio o primeiro título nacional, a Série B do Campeonato Brasileiro. Na divisão principal foram apenas duas participações, em 89 e 90. No Campeonato Paulista foram algumas edições entre as décadas de 80 e 90, sendo que a última participação foi em 2005. Nos últimos anos tem oscilando entre as divisões menores. Possui também títulos nas divisões de acesso. Tem como maior rival a Independente,da mesma cidade. Como situa em uma região repleta de clubes próximos uns dos outros possui vários rivais regionais como Guarani, Ponte Preta, XV de Piracicaba, União São João entre outros.

Associação Atlética Internacional
fundado 05/10/1913
sede Limeira, Brasil
estádio Major Levi Sobrinho, 18000 pessoas
uniforme camisa com listras verticais brancas e pretas,calções e meiões pretos

Títulos
Campeonato Brasileiro Série B 1988
Campeonato Paulista 1986



Esporte Clube Própria foi fundado na cidade de mesmo nome no dia 12 de outubro de 1913,no Estado de Sergipe. Suas cores são o azul e o branco. Não possui títulos oficiais e participou apenas de dez edições do Campeonato Sergipano.

Esporte Clube Própria
fundado 12/10/1913
sede Própria, brasil
estádio Constantino Tavares,5000 pessoas
uniforme camisa com listras verticais azuis e brancas,calções e meiões brancos



Rio Branco Sport Club

No dia 13 de outubro de 1913 era fundado em Paranaguá,no litoral paranaense o Rio Branco Sport Club. Alvirrubro (vermelho e branco), é o terceiro mais clube mais antigo do Estado do Paraná atrás apenas de Coritiba e Operário de Ponta Grossa. Foi uma das equipes ainda em atividade que participou da primeira edição do Campeonato Paranaense em 1915. No profissionalismo a estréia foi em 1956. Possui apenas títulos do interior e em competições nacionais participou de quatro edições da Série C entre 1996 e 2000 além de uma única Copa do Brasil, em 2007.

Rio Branco Sport Club
fundado 13/10/1913
sede Paranaguá, Brasil
estádio Gigante do Itiberê, 20000 pessoas
uniforme camisas, calções e meiões vermelhos


sábado, 5 de outubro de 2013

Um pulinho pela Segunda Divisão dos campeonatos nacionais

Três grandes clubes sul-americanos atualmente estão disputando a segunda divisão de seus respectivos países: Independiente, Palmeiras e América de Cali. E o blog Futebol da América do Sul conta um pouco da temida Segundona dos campeonatos nacionais:

Argentina
Participam vinte e duas equipes que se enfrentam em turno e returno. Após 42 rodadas os três primeiros sobem. A liderança pertence ao Defensa y Justicia (25 pontos) seguido do Banfield (23) e do Crucero del Norte (18). O Independiente, maior campeão da Libertadores aparece apenas na nona colocação com 14 pontos em dez rodadas jogadas até aqui. Além do Rey de Copas e do Banfield,vice-líder temos ainda várias equipes conhecidas internacionalmente como o Talleres,campeão da Copa Conmebol de 1999, Huracán e Ferro Carril Oeste.

Bolívia
O campeonato começa amanhã e vai até abril de 2014. São 15 equipes divididas em três grupos regionalizados. Os dois primeiros avançam formando um hexagonal final onde somente o campeão sobe para a divisão principal. Não há nenhuma equipe tradicional nesse ano.

Brasil
São vinte equipes que se enfrentam em turno e returno onde após 38 rodadas os quatro primeiros sobem. O Palmeiras, maior campeão nacional junto com o Santos lidera com muita folga: 59 pontos,dez a mais que o segundo colocado,a Chapecoense. Completam o G-4 Sport e Paraná Clube. Restam doze rodadas para o fim do campeonato e o campeão da Libertadores de 99 praticamente já garantiu o retorno a Série A. De conhecidos na América do Sul além do Verdão e do Sport temos o São Caetano,vice da Libertadores de 2002 e o Paysandu, que deu um susto no Boca há dez anos atrás.

Chile
O campeonato segue o calendário europeu e vai até 2014. São 14 equipes no sistema todos contra todos em turno e returno. O campeão sobe automaticamente enquanto que os quatro seguintes da classificação farão um mini-torneio onde o vencedor também sobe para a primeira divisão. Coquimbo e Concepción são as únicas equipes do torneio que já jogaram a Libertadores.

Colômbia
Participam dezoito clubes em dois turnos (Apertura e Finalización). Depois de 17 jogos os oito primeiros se classificam para a fase seguinte onde são divididos em dois grupos de quatro. Os campeões fazem a final do Apertura e o vencedor garante vaga na final da Segunda Divisão. No Finalización ocorre a mesma coisa, só com o mando de campo invertido. Os vencedores dos dois torneios decidem o titulo. O campeão sobe e o vice disputa uma repescagem contra o penúltimo da Primeira Divisão. O Uniautómona já está na final por ter vencido o Apertura enquanto que no Finalización a liderança pertence ao Real Cartagena. O tradicionalíssimo América, que disputa pelo segundo ano seguido está na vice liderança e já garantido na segunda fase do Finalización, onde faltam apenas duas rodadas para o fim.

Equador
São doze equipes que se enfrentam em quatro turnos. Onze jogos por turno, 44 jogos depois campeão e vice sobem. Faltando nove rodadas para o fim da competição a liderança pertence ao Olmedo, com 76 pontos seguido de perto do Mushuc Runa com dois pontos a menos. Ambos estão muito próximos da divisão de elite já que o terceiro colocado está a quinze pontos atrás faltando 27 pontos para disputar. O nome mais conhecido desse campeonato é o Espoli, que já esteve na Libertadores e o Aucas, clube bastante popular da capital Quito.

Paraguai
Dezesseis equipes jogam em turno e returno onde os dois primeiros sobem. Faltando apenas quatro rodadas para o fim seis equipes ainda brigam pelas duas vagas do acesso. A diferença do líder 3 de Febrero para o sexto colocado que é o Independiente é de apenas cinco pontos. Sportivo Trinidense, Sport Colombia, 12 de Octubre e Tacuary também estão no páreo.

Peru
Faltam apenas três rodadas para o fim do campeonato e a liderança pertence ao Los Caimanes,com 45 pontos seguido do Alfonso Ugarte com 43 e Atlético Torino com 40. Apenas essas três equipes ainda brigam pelo acesso já que somente o campeão se garante na primeira divisão. Entre os 14 participantes que estão se enfrentando em turno e returno está o tradicional Sport Boys que é apenas o nono colocado e passará mais um ano na divisão de acesso.

Uruguai
As 14 equipes se enfrentaram por 26 rodadas e Sud America e Rentistas, respectivamente campeão e vice garantiram na primeira divisão. A terceira vaga foi decidida através de play-off entre os clubes que terminaram entre a terceira e décima posições que apontou o Miramar Misiones como vencedor e que também subiu.

Venezuela
São vinte times divididos em dois grupos de dez. Após se enfrentarem em turno e returno (18 jogos) os cinco primeiros garantem vaga na segunda fase que será jogada no primeiro semestre do próximo ano. Nessa fase as dez equipes voltam a se enfrentar em todos contra todos e depois de 18 rodadas os dois primeiros sobem. Até agora foram jogadas apenas oito rodadas, ULA Mérida e Portuguesa, que jogaram a Libertadores entre os anos 70 e 80 são os clubes mais tradicionais do país que estão na divisão de acesso.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Venezuela campeã Sul-Americana Feminina Sub-17 2013



Terminou no último domingo a quarta edição do Campeonato Sul-Americano Feminino Sub-17 2013 que foi realizado no Paraguai e teve como sede as cidades de Assunção e Luque. E a seleção da Venezuela acabou conquistando o título ao massacrar as donas da casa por 7 a 1 na última rodada do quadrangular final. Ambas as equipes já estavam classificadas para o Mundial e decidiram o título entre si. Na preliminar as colombianas derrotaram as chilenas e também carimbaram o passaporte e de quebra roubou o vice-campeonato das paraguaias no saldo de gols. Lanterna da fase final o Chile ficou de fora do Mundial. Segue abaixo os resultados da última rodada com a classificação final:

29/09 domingo
Colômbia 2 x 0 Chile
Paraguai 1 x 7 Venezuela

classificação final
Venezuela 9, Colômbia e Paraguai 4, Chile 1

O Campeonato Mundial Feminino Sub-17 será jogado na Costa Rica entre os dias 15 de março e 05 de abril de 2014.

Vinte anos da Copa Conmebol do Botafogo



Domingo último,dia 29 de setembro completaram-se vinte anos da única conquista internacional do Botafogo: a Copa Conmebol de 1993. E o blog Futebol da América do Sul relembra aquela conquista pra você.

Como era a fórmula de disputa

A Copa Conmebol havia sido criada um ano antes nos mesmos moldes da Copa da Uefa: participavam as equipes que terminavam abaixo das classificadas para a Libertadores em seus respectivos campeonatos nacionais. Eram 16 equipes sendo quatro do Brasil, três da Argentina e o restante dos países com dois ou apenas uma representante. Além disso o torneio era disputado no sistema mata-mata do começo ao fim.

Os brasileiros na competição

O Brasil foi representado por cinco equipes: Atlético Mineiro como campeão da edição anterior mais Botafogo, Vasco e Bragantino respectivamente vice, terceiro e quarto colocados do Campeonato Brasileiro de 1992 e o Fluminense,vice da Copa do Brasil. Naquela época participavam da Libertadores apenas duas equipes de cada país e no caso do Brasil os representantes eram os campeões do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil.

A campanha botafoguense

Nas oitavas de final o adversário seria o Bragantino. Com duas vitórias (3 a 1 em casa e 3 a 2 fora) a classificação foi até fácil demais. Nas quartas o confronto foi contra o Caracas,da Venezuela. A vaga para as semifinais também veio com duas vitórias (1 a 0 fora e 3 a 0 em casa). Páreo duríssimo na fase seguinte: Atlético,o atual campeão seria seu adversário nas semi. E com esse confronto de brasileiros pelo segundo ano seguido teríamos um clube do país na final. E o galo ficou próximo dela ao vencer em Belo Horizonte por 3 a 1. Só uma vitória por três gols colocaria os cariocas na final. E ela veio, 3 a 0 com o gol salvador a dez minutos do fim. E o clube da estrela solitária chegaria a sua primeira final internacional e de quebra adiaria o bi atleticano.

A finalíssima

Do outro lado da chave os uruguaios do Peñarol eliminariam nos penais os argentinos do San Lorenzo e com isso fariam a final contra o Botafogo. Primeiro jogo no Centenário em Montevidéu empate por 1 a 1 com Perivaldo abrindo o placar para os cariocas logo aos quatro minutos de jogo e Otero igualando aos 36 ainda na etapa inicial. Tudo igual para o jogo da volta no Maracanã.
Uma semana depois no Maior do Mundo ambos voltariam a se enfrentar. E os uruguaios trataram logo de faze 1 a 0 com Perdomo aproveitando um erro da zaga do Botafogo na área após cobrança de lateral pelo lado esquerdo do ataque. Os cariocas conseguiram empatar aos sete do segundo tempo numa cobrança de falta de Eliel que contou com a colaboração do goleiro Rabadja. Aos 22 minutos veio a virada: Sinval, artilheiro da competição numa nova cobrança de falta que encobriu o goleiro. Festa no Maracanã e o título cada vez mais próximo. Mas como do outro lado estava o pentacampeão da Libertadores todo cuidado é pouco e no último minuto Otero deixa tudo igual e leva a partida para os pênaltis. O Maracanã foi da festa ao silêncio em segundos.
Nos pênaltis os botafoguenses perderam a primeira cobrança com Sinval, logo ele artilheiro da competição. Mas com duas cobranças desperdiçadas seguidas dos uruguaios o Botafogo colocou a mão na taça com a ultima cobrança certeira de André Santos e com o erro final de De Los Santos a Copa Conmebol de 1993 continuava no Brasil, só mudava de sede, de BH para o Rio, para a sala de troféus do Botafogo que assim terminava campeão com apenas uma derrota e com Sinval artilheiro com oito gols.


O jogo do título

Botafogo-BRA 2 x 2 Peñarol-URU

data 29/09/1993
estádio Maracanã, Rio de Janeiro-Brasil
público 45000 pessoas
arbitro Francisco Lamolina, Argentina
gols Perdomo aos 35 do primeiro tempo. Eliel aos 7, Sinval aos 22 e Otero aos 45 do segundo tempo

Botafogo
Willian; Perivaldo, André Santos, Cláudio e Clei (Eliomar); Nélson, Suélio, Aléssio (Marcos Paulo) e Marcelo Carioca; Sinval e Eliel. Técnico: Carlos Alberto Torres

Peñarol
Rabadja; Da Silva, Gutierrez, De Los Santos e Tais; Dorta, Perdomo (Ferreyra), Baltierra e Bengoechea (Rehermann); Otero e Rodriguez. Técnico: Gregório Perez

Nos pênaltis
 Botafogo 3 ( Suélio, Perivaldo e André Santos; Sinval perdeu) Peñarol 1 (Da Silva; Gutierrez, Ferreyra e De Los Santos perderam)




dia 11/10  quarenta anos do primeiro Mundial do Independiente