Páginas

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Como foi a Copa Libertadores 2013

Atlético conquista o primeiro título

Nunca um clube foi tão favorito como os mineiros em 2013. Desde a primeira fase o clube já dava sinais de que poderia ser campeão pela primeira vez: foram vitórias sobre o campeoníssimo São Paulo, The Strongest na altitude de La Paz e duas goleadas pra cima do Arsenal-ARG. Com isso terminou como o melhor clube da primeira fase com cinco vitórias e apenas uma derrota, para o São Paulo que colocou novamente os paulistas no caminho nas oitavas de final. E com duas vitórias com direito a um 4 a 1 na volta a classificação veio fácil e com isso seu adversário nas quartas seria o Tijuana, surpresa mexicana. E a partir daí as coisas começaram a se tornar difíceis. Primeiro empate em 2 a 2 no México depois de estar perdendo por 2 a 0 e novo empate em casa por 1 a 1 com direito a pênalti defendido pelo goleiro Victor nos acréscimos. Classificação assegurada as semifinais depois de 35 anos teria pela frente os argentinos do Newell’s Old Boys. Derrota fora por 2 a 0 e após devolver o placar a poucos minutos do fim a vaga veio nos pênaltis. Após dois erros de cada lado novamente Victor, dessa vez pegando o pênalti decisivo colocava os mineiros na final pela primeira vez. A decisão seria frente ao Olímpia, clube que já havia derrotado em uma decisão, a Copa Conmebol de 92. E o filme do jogo contra o Newell’s se repetiria: derrota por 2 a 0 fora e vitória pelo mesmo placar em casa. Após passar a prorrogação em branco onde jogou com uma a mais devido a expulsão de um paraguaio a decisão iria para os pênaltis pela primeira vez desde 2008. E após mais uma defesa de Victor os atleticanos não errariam nenhuma cobrança e viram a última dos paraguaios explodir na trave e com isso o clube conquistaria a tão sonhada Libertadores.

Campanha dos brasileiros

Se não fosse a conquista atleticana a participação brasileira teria sido ruim. Os três paulistas caíram já nas oitavas, fato que não se repetia há 22 anos. Campeão de 2012, o Corinthians viu sua tentativa de igualar o recorde de invencibilidade de 16 jogos do Sporting Cristal-PER cair já na primeira fase. Nas oitavas a reedição da final passada contra o Boca, mas dessa vez os argentinos passaram adiante com arbitragem polêmica. O Palmeiras mais preocupado em disputar a Série B do que a Libertadores fez uma primeira fase razoável, o suficiente pra se classificar. Nas oitavas porém cairia diante do Tijuana graças as falhas da sua defesa, principalmente com um frango do goleiro Bruno no primeiro gol dos mexicanos. Outro paulista, o São Paulo fez uma das piores campanhas: classificou-se graças ao saldo de gols e por pouco não caiu na fase de grupos, o que não ocorria desde 87. Nas oitavas porém não foi páreo para o Atlético e após perder por 4 a 1 encerrou sua pior participação desde 92.
Grêmio e Fluminense caíram no mesmo grupo ao lado do desconhecido Huachipato, do Chile e do tradicional mas fraco Caracas, da Venezuela. Mesmo num grupo tão fácil ambos só se classificaram na última rodada, e o que é pior, corriam risco de serem eliminados juntos. Nas oitavas os gaúchos caíram diante do Santa Fé, da Colômbia graças ao gol marcado fora de casa enquanto que os cariocas sobreviveriam até as quartas ao serem eliminados pelo vice-campeão Olímpia.

Os clubes de outros países


No Grupo 1 tanto Boca como Nacional do Uruguai classificaram sem problemas. Os argentinos do Tigre avançaram junto com o Palmeiras no 2 deixando o favorito Libertad pra trás. Vélez e Emelec ficaram na frente do tradicional Peñarol no Grupo 4. Semifinalista da Copa Sul-Americana de 2012 eliminando Palmeiras e Grêmio, o Millonarios-COL decepcionou e terminou na lanterna vendo o Tijuana avançar no grupo do Corinthians. No 6 deu Santa Fé e o estreante Real Garcilaso, do Peru.  Com apenas um ponto em seis jogos o Cerro Porteño acabou na lanterna do grupo e de toda competição. No grupo 7 deu Olímpia líder e Newell’s eliminando a Universidad de Chile no saldo de gols e no grupo onde classificaram Fluminense e Grêmio um fato curioso: Huachipato-CHI terminou com oito pontos, sete deles conquistados fora de casa. Nas oitavas o Boca eliminou o Corinthians e foi eliminado pelo Newell’s, que também já havia eliminado outro argentino, o Vélez. Outro argentino cairia nas oitavas, o Tigre, ao perder para o Olímpia. Tijuana passaria pelo Palmeiras e cairia frente ao Atlético. Depois de eliminar o gigante Nacional os estreantes do Real Garcilaso cairia frente ao Santa Fé, depois deste eliminar os gaúchos e retornar a uma semifinal depois de 52 anos. Emelec perderia para o Fluminense nas oitavas,e os tricolores cariocas para os paraguaios do Olímpia nas quartas. E por fim nas semifinais: no duelo entre Olímpia e Santa Fé os paraguaios sairiam vitoriosos ao vencer a primeira e perder fora e se classificar no saldo de gols enquanto que nos pênaltis o Newell’s daria adeus as chances de título após perder para o Atlético.

Brasileiros da Copa Libertadores 2014: Atlético Mineiro



5 participações
47 jogos 20 vitórias, 13 empates e 14 derrotas, 74 gols marcados e 56 gols sofridos
Mais jogou  João Leite, 17 jogos
Mais marcou  Guilherme, 9 gols
Mais enfrentou  São Paulo, 8 jogos

Campeão 2013
Semifinalista 1978
Quartas de final 2000
Primeira fase 1972 e 1981

  • Campeão brasileiro de 1971 o clube jogou a Libertadores do ano seguinte. Não ganhou nenhum dos seis jogos. No empate contra o Olímpia fora o clube perdeu o ponto adquirido em campo ao terminar a partida com apenas seis jogadores em campo, fato que se repetiria em 1981.
  • Retornaria a competição seis anos depois e novamente representando o país com o São Paulo. Desta vez ao contrário de 72 o clube conseguiu passar de fase porém formaria o triangular semifinal ao lado dos dois arquirrivais argentinos, River e Boca. Este último avançaria a final e conquistaria o bi.
  • Na Libertadores de 1980 o clube reencontraria o Flamengo, com quem fez uma final polêmica no Campeonato Brasileiro do ano anterior. E de novo houve confusão: após terminarem empatados em pontos novamente se enfrentaram num jogo-desempate para ver quem passava as semifinais. E com uma arbitragem confusa em que o clube mineiro terminou com seis em campo os cariocas foram declarados vencedores e seguiriam adiante.
  • Dezenove anos depois os mineiros estavam de volta a Libertadores. Na primeira fase vitórias em casa e derrotas fora e com o segundo lugar teve que enfrentar outro Atlético, o Paranaense. Com uma vitória em casa e derrota fora conquistou a vaga através dos pênaltis. Nas quartas porém seria eliminado pelo Corinthians, clube que o havia derrotado na final do Brasileirão de 99.
  • Com a conquista do ano passado os mineiros quebraram um tabu: desde 1996 um clube que terminava líder na classificação geral da primeira fase não conquistava o título. O último clube a conseguir tal façanha havia sido o River Plate.
  • O São Paulo foi o clube contra quem mais jogou, total de oito partidas sendo seis jogos por fase de grupos e os dois das oitavas de final do ano passado. Quando classificavam apenas um clube o São Paulo avançou em 72 e os atleticanos em 78. E a vantagem é toda atleticana com quatro vitórias, três empates e apenas uma derrota.
  • Já contra clubes estrangeiros seu adversário mais frequente foi o Olímpia. Foram seis jogos sendo quatro deles pela fase de grupos de 72 e 81 e os dois da final do ano passado.
  • Recordista em participações com 17 jogos o ex-goleiro João Leite pode ser ultrapassado por vários jogadores que jogaram todas as 14 partidas do Galo na campanha vitoriosa: basta algum deles jogarem pelo menos quatro partidas. Já em matéria de artilharia Guilherme com nove gols marcados em 2000 também pode ser ultrapassado por Jô, autor de sete gols em 2013.
  • Os mineiros perderam apenas uma única partida das 24 que jogou em casa. A derrota em questão foi para o Boca Jr por 2 a 1 pela Libertadores de 1978. Nas outras 23 partidas foram 14 vitórias e 9 empates.



sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Jogos de ida da Pré-Libertadores



Terça-feira começa mais uma edição da Copa Libertadores da América. A primeira fase, ou Pré-Libertadores como é mais chamada vai do dia 28 ao dia 06 de fevereiro e reunirá doze equipes: as piores classificadas de dez países mais as duas piores do país campeão da competição, no caso o Brasil. Após confrontos de ida e volta os seis vencedores se juntam aos outros 26 já pré-classificados para a fase de grupos.

jogos de ida

28/01 terça-feira
Morelia-MEX x Santa Fé-COL
Oriente Petrolero-BOL x Nacional-URU

29/01 quarta-feira
Sporting Cristal-PER x Atlético Paranaense
Deportivo Quito-EQU x Botafogo

30/01 quinta-feira
Universidad de Chile-CHI x Guarani-PAR
Caracas-VEN x Lanús-ARG

Campeonato Sul-Americano Feminino Sub-20: Resultados da primeira fase



Terminou quarta-feira a primeira fase do Campeonato Sul-Americano Feminino Sub-20. Com isso foram definidas as quatro equipes que a partir de amanhã começarão a disputar o quadrangular final da competição que apontará os dois representantes para o Mundial Sub-20 do Canadá em agosto. Do grupo A classificaram-se Brasil e Colômbia enquanto que do B seguiram adiante Paraguai e Bolívia. Confira abaixo os resultados dos jogos com a classificação final da fase de grupos e como ficaram os jogos do quadrangular final:

Grupo A

19/01 domingo
Brasil 0 x 0 Colômbia
Chile 1 x 3 Venezuela

21/01 terça-feira
Brasil 3 x 2 Venezuela
Uruguai 1 x 1Chile

Brasil 10, Colômbia 8, Venezuela 6, Chile 2 e Uruguai 1

Grupo B

18/01 sábado
Equador 4 x 1 Peru
Argentina 0 x 1 Bolívia

20/10 segunda-feira
Paraguai 3 x 1 Equador
Peru 1 x 2 Bolívia

22/01 quarta-feira
Paraguai 4 x 0 Bolívia
Argentina 5 x 1 Peru

Paraguai 10, Bolívia 9, Equador 6, argentina 4 e Peru 0

fase final

25/01 sábado
Paraguai x Colômbia
Brasil x Bolívia

28/01 terça-feira
Colômbia x Brasil
Paraguai x Bolìvia

31/01 sexta-feira
Colômbia x Bolívia
Brasil x Paraguai 

Brasileiros da Copa Libertadores 2014: Grêmio



14 participações
139 jogos 69 vitórias, 30 empates e 40 derrotas, 212 gols marcados e 135 gols sofridos
Mais jogou  Danrlei 49 jogos
Maior artilheiro  Jardel 16 gols
Mais enfrentou  Olímpia 8 jogos

Campeão 1983 e 1995
Vice-campeão 1984 e 2007
Semifinalista 1996, 2002 e 2009
Quartas de final 1997, 1998 e 2003
Oitavas de final 2011 e 2013
Primeira fase 1982 e 1990

  • A estréia gremista aconteceu em 82 graças ao título brasileiro do ano anterior. Eliminado ainda na primeira fase pelo Peñarol-URU voltaria a cair na fase de grupos apenas mais uma única vez, em 1990.
  • O mesmo Peñarol foi o adversário da final de 83. Após terminar líder de seu grupo eliminando incluisve o Flamengo, campeão dois anos antes o clube gaúcho passou na fase semifinal pelo América da Colômbia e Estudiantes da Argentina antes da final contra os uruguaios.
  • Como campeão do ano anterior o clube entrou já na fase semifinal de 84 e novamente voltou a eliminar o Flamengo, dessa vez num jogo-desempate em São Paulo já que ambos terminaram com a mesma pontuação. Classificado para a final o clube adiou o sonho do bi ao perder para o Independiente
  • Eliminado ainda na fase de grupos em 90 o clube voltou com tudo em 95. Com apenas duas derrotas (as duas para o Palmeiras) em 14 jogos os gaúchos faturaram o bi em cima do Nacional da Colômbia. Em uma dessas derrotas por pouco o clube não foi eliminado: venceram os paulistas pelo jogo de ida das quartas de final por 5 a 0 e na volta até abriram o placar, mas tomaram a virada e por fim quase a classificação certa vai pro espaço com a derrota por 5 a 1.
  • O Grêmio foi o primeiro clube do país a enfrentar dois brasileiros em mata-mata numa mesma edição. Isso foi em 96, fato que se repetiu também em 2007.
  • Se em 95 e 96 o clube passou pelos brasileiros nas duas edições seguintes não teve a mesma sorte: eliminações para o Cruzeiro em 97 e pro Vasco em 98, e o que é pior, ambos acabaram campeões.
  • Seu maior algoz em mata-mata de Libertadores é o Cruzeiro. Em duas oportunidades os mineiros levaram a melhor: 97 (quartas) e 09 (semifinais). Por outro lado Olímpia e Nacional-URU são seus maiores freguêses em mata-mata. Foram três confrontos contra os paraguaios com duas vitórias (95 e 2003) e uma derrota (2002). Já diante do Nacional, duas vitórias nos dois confrontos (98 e 2002).
  • Sempre quando enfrentou peruanos em casa venceu por 2 a 0. Foi assim diante do Alianza em 97; do Cienciano em 02; do Universidad San Martín em 09 e por fim em 2011 frente ao Leon de Huánuco.
  • De 68 jogos que fez em casa o clube perdeu apenas sete jogos. Ficou 26 partidas consecutivas invicto entre 1997 a 2007 sendo que nesse período de invencibilidade em casa venceu dez jogos seguidos, seu recorde na competição.
  • Duas de suas derrotas em casa foram pra clubes argentinos em finais de Libertadores: 84 (Independiente) e 07 (Boca Jr), esse último a maior derrota de um clube somando os dois jogos finais, cinco gols negativos de saldo (0x3 e 0x2).
  • Bicampeão num espaço de doze anos (83 e 95), ao se classificar para a final em 2007 novamente doze anos depois de uma conquista os gremistas acreditaram na coincidência pra faturar o tri, mas acabou mesmo com o vice.
  • Entre clubes seu adversário mais freqüente é o Olimpia com oito jogos em quatro confrontos (90, 95, 02 e 03). Depois vêm dois brasileiros, Vasco e Cruzeiro com seis jogos cada. Já se tratando de países depois do Brasil foram clubes colombianos e peruanos com quem os gaúchos mais jogaram. E o Grêmio leva desvantagem nos confrontos apenas contra clubes do Chile.
  • E pra terminar, até o ano passado o clube estava invicto contra clubes do Equador e Venezuela. Com as derrotas para a LDU na Pré-Libertadores e pro Caracas na fase de grupos o tabu foi quebrado.


Centenários do mês: Rampla Jr-URU e Corumbaense/MS



Rampla Juniors Fútbol Club foi fundado no dia 07 de janeiro de 1914 na cidade de Montevidéu, capital do Uruguai. Suas cores são o verde e o vermelho. Clube pequeno porém tradicional venceu apenas uma única vez o Campeonato Uruguaio, em 1927 além de quatro títulos da segunda divisão nacional. Rivaliza com o Cerro, clube do mesmo bairro. Até hoje jamais disputou uma competição oficial da Conmebol.

Rampla Juniors Fútbol Club

fundado 07/01/1914
sede Montevidéu, Uruguai
estádio Olímpico, 6000 pessoas
uniforme camisas com listras verticais verdes e vermelhas, calções e meiões pretos

Títulos
Campeonato Uruguaio 1927
Campeonato Uruguaio Série B 1921,1944,1980 e 1992




Corumbaense Futebol Clube completou cem anos no dia primeiro de janeiro. Sediado em Corumbá, município do Estado do Mato Grosso do Sul tem como cores o preto e o branco. Campeão sul-matogrossense de 1984 conquistou o direito de disputar a Série A do Campeonato Brasileiro do mesmo ano já que na época os estaduais eram classificatórios para a primeira divisão. Jogou ainda a Série B em 87 e a Série C em 81. No ano passado protagonizou a segunda maior goleada da história do Brasil em torneios oficiais ao vencer por 23 a 1 o Coxim pela segunda divisão estadual onde o jogador Amarildo anotou nada mais nada menos que nove gols!

Corumbaense Futebol Clube

fundado 01/01/1914
sede Corumbá, Brasil
estádio Artur Marinho, 15000 pessoas
uniforme camisas,calções e meiões brancos

Títulos

Campeonato Sul-Matogrossense 1984

Clubes mexicanos em Libertadores

Depois de postar sobre clubes bolivianos e peruanos em Libertadores hoje é a vez do futebol mexicano na principal competição interclubes das Américas

Melhores colocações

Vice-campeões
Cruz Azul 2001 e Chivas Guadalajara 2010

Participações

7 América e Chivas Guadalajara
3 Cruz Azul, Tigres e San Luis
2 Monterrey, Atlas, Morelia, Pumas UNAM, Pachuca e Toluca
1 Santos Laguna, Necaxa, Estudiantes, Jaguares, Tijuana e Leon


  • De 1998 a 2004 os dois representantes mexicanos jogavam um quadrangular com os dois clubes da Venezuela valendo por duas vagas na fase de grupos da Libertadores. Apenas em 1999 e em 2001 é que apenas um mexicano se classificou.
  • Além dos finalistas Cruz Azul e Chivas mais outras cinco ocasiões os clubes do país terminaram entre os quatro primeiros: América por três vezes (2000, 2002 e 2008) e Chivas duas vezes (2005 e 2006)
  • Em apenas uma única edição nenhum mexicano classificou-se para as oitavas de final: foi em 1999 quando o único representante, o Monterrey caiu ainda na primeira fase
  • Em 2009 devido ao surto de H1N1 (gripe suína) no México, São Paulo e Nacional do Uruguai se recusaram a jogar fora de casa contra San Luís e Chivas respectivamente. Com isso os clubes mexicanos se retiraram da competição e a Conmebol os recolocou na Libertadores do ano seguinte já a partir das oitavas de final, fase em que ambos haviam se retirado do ano anterior.
  • Ainda sobre o episódio de 2009 no ano seguinte tivemos cinco mexicanos. Mas não adiantou muita coisa pois nenhum dos três que iniciaram a competição chegaram as oitavas. San Luís entrou nessa fase e foi eliminado já de cara enquanto que o Chivas foi o único que aproveitou a chance e chegou a final, sendo vice.
  • Apenas dois confrontos entre mexicanos em mata-mata: em 2002 entre América x Morelia pelas quartas de final e em 2005 entre Chivas x Pachuca pelas oitavas. América e Chivas seguiram adiante.
  • Nas duas participações do Toluca o clube caiu no grupo do Boca Jr.
  • Já o América enfrentou o Santos por duas vezes seguidas sendo que pelas quartas de final: perdeu em 2007 mas deu o troco em 2008. Ausente nos dois anos seguintes retornou em 2010 e novamente jogou contra o time paulista sendo eliminado uma fase antes, nas oitavas de final.
  • Os clubes do Brasil são uma “pedra no sapato”do Chivas. Nas melhores campanhas do clube mexicano a eliminação veio diante dos brasileiros: nas semifinais de 2005 e 2006 por Atlético Paranaense e São Paulo respectivamente e por fim no vice de 2010 ao perder para o Internacional.
  • As maiores distâncias da Libertadores envolveram jogos do Tijuana. Como fica situado no extremo noroeste do país na divisa com San Diego-EUA o clube teve que percorrer mais de oito mil quilômetros para enfrentar os paulistas Corinthians e Palmeiras e depois o Atlético Mineiro nas quartas.
  • E pra terminar, desde que passou a ter três representantes apenas em 2005 e em 2007 os três mexicanos avançaram juntos para as oitavas.

sábado, 18 de janeiro de 2014

Campeonato Sul-Americano Feminino Sub-20 2014



Começou no dia 13 mais uma edição do Campeonato Sul-Americano Feminino Sub-20. O torneio está sendo jogado no Uruguai nas cidades de Montevidéu e Fray Bentos. Participam dez equipes divididas em dois grupos de cinco. As duas primeiras se classificam para o quadrangular final onde quem somar mais pontos é o campeão e ao lado do vice representarão a América do Sul no Campeonato Mundial Sub-20 a ser disputado no Canadá em agosto.
Em cinco edições do torneio que passou a ser jogado em 2004 somente o Brasil terminou campeão. Argentina com três, Paraguai e Colômbia com um vice cada foram os países derrotados nas finais pela seleção brasileira. A supremacia do Brasil é tanta que além dos títulos a seleção jamais perdeu um jogo sequer. Em toda a história do torneio foram 27 jogos com 26 vitórias e apenas um empate com 120 gols marcados e apenas seis sofridos conquistando 79 de 81 pontos possíveis!

Grupo A

13/01 segunda-feira
Brasil 2 x 0 Chile
Uruguai 2 x 3 Colômbia

15/01 quarta-feira
Colômbia 2 x 0 Venezuela
Uruguai 1 x 8 Brasil

17/01 sexta-feira
Colômbia 0 x 0 Chile
Uruguai 1 x 4 Venezuela

Colômbia 7, Brasil 6,Venezuela 3, Chile 1 e Uruguai 0

Grupo B

14/01 terça-feira
Argentina 0 x 1 Equador
Paraguai 2 x 0 Peru

16/01 quinta-feira
Equador 0 x 1 Bolívia
Argentina 0 x 0 Paraguai

Paraguai 4, Bolìvia e Equador 3,Argentina 1 e Peru 0

próximos jogos

Grupo A

19/01 domingo
Brasil x Colômbia
Chile x Venezuela

21/01 terça-feira
Brasil x Venezuela
Uruguai x Chile

Grupo B

18/01 sábado
Equador x Peru
Argentina x Bolívia

20/10 segunda-feira
Paraguai x Equador
Peru x Bolívia

22/01 quarta-feira
Paraguai x Bolívia
Argentina x Peru

todos os campeões

2004 Brasil
2006 Brasil
2008 Brasil
2010 Brasil
2012 Brasil

Apenas oito ex-campeões na Copa Libertadores 2014

Entre 1960 a 2013 tivemos 24 clubes campeões da Libertadores. Desses, apenas oito estarão na edição deste ano: Atlético Mineiro, Cruzeiro, Grêmio e Flamengo são os representantes brasileiros; do Uruguai vem a dupla Nacional e Peñarol; da Colômbia outro Nacional, o de Medellín e por fim de sete ex-campeões argentinos apenas um estará em 2014, o Velez Sarsfield. O número é o mais baixo dos últimos anos, igualando o da edição de 2006, sendo que naquela oportunidade havia quatro ex-campeões a menos (Internacional, LDU, Corinthians e Atlético Mineiro). Em 2011 foram treze dos vinte e dois que já faturaram a taça. Segue abaixo a lista com os ex-campeões desde 2006 quando tivemos o mesmo número de clubes que teremos nessa edição:

2006 8 equipes  Vélez Sarsfield, Estudiantes e River Plate (ARG); São Paulo e Palmeiras (BRA); Colo Colo (CHI); Nacional (COL) e Nacional (URU)

2007 10 equipes  Boca Jr, River Plate e Vélez Sarsfield (ARG); Internacional, São Paulo, Santos, Grêmio e Flamengo (BRA); Colo Colo (CHI) e Nacional (URU)

2008 10 equipes  Boca Jr, Estudiantes e River Plate (ARG); São Paulo, Santos, Flamengo e Cruzeiro (BRA); Colo Colo (CHI); Nacional (COL) e Nacional (URU)

2009 11 equipes  River Plate, Boca Jr e Estudiantes (ARG); São Paulo, Cruzeiro, Grêmio e Palmeiras (BRA); Colo Colo (CHI); LDU (EQU); Nacional e Peñarol (URU)

2010 9 equipes  Estudiantes e Velez Sarsfield (ARG); Flamengo, Internacional, São Paulo e Cruzeiro (BRA); Colo Colo (CHI); Once Caldas (COL) e Nacional (URU)

2011 13 equipes  Argentinos Jr, Estudiantes, Vélez Sarsfield e Independiente (ARG); Internacional, Santos, Cruzeiro e Grêmio (BRA); Colo Colo (CHI); Once Caldas (COL); LDU (EQU); Nacional e Peñarol (URU)

2012 11 equipes  Vélez Sarsfield e Boca Jr (ARG); Santos, Vasco, Flamengo e Internacional (BRA); Nacional e Once Caldas (COL); Olímpia (PAR); Nacional e Peñarol (URU)

2013 9 equipes  Vélez Sarsfield e Boca Jr (ARG); Corinthians, Palmeiras, Grêmio e São Paulo (BRA); LDU (EQU); Olímpia (PAR); Nacional e Peñarol (URU)

2014 8 equipes Vélez Sarsfield (ARG); Atlético Mineiro, Cruzeiro, Grêmio e Flamengo (BRA); Nacional (COL); Nacional e Peñarol (URU)


Quem jamais ganhou, perdeu ou empatou um jogo de Libertadores

Estive pesquisando em vários blogs, sites de clubes e da própria Conmebol além de arquivos pessoais sobre quais times nunca ganharam, perderam ou empataram um jogo válido pela Libertadores. O resultado dessa “loucura” você confere a seguir:

Nunca ganharam

10 jogos Aurora (BOL)
6 jogos Always Ready, Litoral, Universitário de Sucre, Universidad La Paz (BOL); Bangu (BRA); Universidad de Concepción (CHI); Deportivo Pasto (COL); Filabanco (EQU); Atlético Chalaco, Atlético Torino, Coronel Bolognesi e Deportivo Municipal (PER); Trujillanos e Zamora (VEN) 
4 jogos Tacuary (PAR)
2 jogos Everest (EQU); Estudiantes Tecos e León (MEX); Sport Huancayo e Universidad César Vallejo (PER); Liverpool (URU)

Nunca empataram

12 jogos 12 de Octubre (PAR)
8 jogos Boyacá Chico (COL); Espoli (EQU); Necaxa (MEX) e Pepeganga (VEN)
6 jogos Cortuluá e Deportivo Pasto (COL)
4 jogos Deportivo Anzoatégui (VEN)
2 jogos La Paz (BOL); Everest (EQU) e Estudiantes Tecos (MEX)

Nunca perderam

6 jogos Cobresal(CHI)
2 jogos Leon (MEX)

Você deve estar se perguntando sobre as campanhas dos dois únicos invictos da história da Libertadores. Na sua única participação em 1986 o Cobresal caiu no grupo que tinha o também chileno Universidad e os colombianos da cidade de  Cáli, América e Depotivo. Em seis jogos empatou cinco e venceu um (Universidad fora) mas insuficiente para se classificar já que o América terminou em primeiro e apenas o líder do grupo se classificava.

Já no caso do Leon foram apenas duas partidas pela Pré-Libertadores do ano passado e após dois empates por 1 a 1 a eliminação veio nos pênaltis para o Iquique, do Chile. Como já está na fase de grupos desse ano basta uma única derrota para o Cobresal voltar a ser o único clube invicto da história da Libertadores!

Os participantes da Pré-Libertadores 2014

 Hoje o blog traz todos os participantes não-brasileiros da Pré-Libertadores 2014 com os anos e em que posição cada clube terminou a competição:

Nacional-URU
Campeão 71,80 e 88
Vice 64,67 e 69
Semifinalista 62,66,72,81,83,84 e 09
Quartas de final 70,91,02 e 07
Oitavas de final 89,92,93,97,98,99,00,01,03,04,06,08,10 e 13
Primeira fase 68,73,74,76,79,94,05,11 e 12

Sporting Cristal-PER
Vice 97
Quartas de final 68,93 e 95
Oitavas de final 92,96 e 04
Primeira fase 62,69,71,73,74,78,80,81,84,89,90,98,99,00,01,02,03,05 e 06
Pré-Libertadores 07 e 09

Universidad de Chile-CHI
Semifinalista 70,96,10 e 12
Oitavas de final 05 e 09
Primeira fase 60,63,65,66,68,72,77,81,95,00,01 e 13

Santa Fé-COL
Semifinalista 61 e 13
Oitavas de final 06
Primeira fase 67,72,76 e 80

Guarani-PAR
Semifinalista 66
Quartas de final 68 e 70
Oitavas de final 97
Primeira fase 65,67,71,85,01,04,09 e 11


Oriente Petrolero-BOL
Quartas de final 88
Oitavas de final 91,97
Primeira fase 72,73,77,78,80,85,87,90,98,01,02,03 e 11
Pré-Libertadores 05 e 06

Caracas-VEN
Quartas de final 09
Oitavas de final 95 e 07
Primeira fase 93,96,04,05,06,08,10,11 e 13
Pré-Libertadores* 98 e 02


Deportivo Quito-EQU
Oitavas de final 89
Primeira fase 65,69,86,98,09,10,11 e 12

Lanús-ARG
Oitavas de final 08 e 12
Primeira fase 09 e 10

Monarcas Morelia-MEX
Quartas de final 02
Primeira fase 10

* Lembrando que a Pré-Libertadores que o Caracas-VEN participou por duas ocasiões, em 98 e 02 não é a atual que começou a ser disputada em 2005 e sim um quadrangular que reunia clubes venezuelanos e mexicanos entre 1998 e 2004 e que valia duas vagas para a fase de grupos.

Clubes peruanos em Libertadores

Melhores participações

Vice-campeões
Universitário 1972 e Sporting Crital 1997

Participações

29 Sporting Cristal
27 Universitário
23 Alianza Lima
6 Sport Boys e Cienciano
3 Juan Aurich, Universidad de San Martín e Unión Huaral
2 Melgar
1 Defensor Lima, Defensor Arica, Alfonso Ugarte, Atlético Torino, Atlético Chalaco, Deportivo Municipal, Universidad Cajamarca, Deportivo San Augustin, Coronel Bolognesi, Leon de Huanuco, Sport Huancayo, Universidad César Vallejo e Real Garcilaso

  • Em apenas uma edição clubes peruanos ficaram de fora: a primeira, em 1960
  • Os três grandes do país estrearam um depois do outro. Universitário em 61, Sporting Cristal em 62 e Alianza Lima em 63
  • Ao todo tivemos 22 peruanos jogando a Libertadores onde quatro deles jamais ganharam um jogo sequer: Atléticos Torino e Chalaco, Coronel Bolognesi e Deportivo Municipal.
  • Além do vice de 1972 o Universitário foi semifinalista em 67,71 e 75.
  • Outros semifinalistas peruanos: Defensor Lima em 74, Alianza Lima em 76 e em 78.
  • Recorde de participações consecutivas pertence ao Sporting Cristal que disputou 13 Libertadores seguidas entre 1995 a 2007.
  • Quando tivemos dois representantes por país entre 1965 a 1999 a dupla que mais disputou junta foi Universidad/ Sporting Cristal com sete participações. Depois vem a dupla Alianza/Universitário com seis e por fim Sporting Cristal/Alianza com apenas quatro.
  • A primeira vez que os três grandes da capital ficaram de fora foi em 1977. Depois se ausentaram em 1982 e por fim em 2008 quando o país já tinha direito a três vagas.
  • Com a classificação do Real Garcilaso para as quartas de final do ano passado foi quebrado um tabu de dezesseis anos sem que um clube peruano terminasse entre os oito primeiros. A última vez havia sido no vice do Sporting Cristal em 97.
  • A maior série invicta da história da Libertadores pertence ao Sporting Cristal. Foram 17 partidas sem perder: um jogo em 1962, 12 jogos em 1968 e por fim mais quatro jogos em 1969.


sábado, 11 de janeiro de 2014

Campeões de 2013 pela América do Sul

Olá, depois de um período de ausência devido as festas de final de ano o blog Futebol da América do Sul está de volta, dessa vez mais completo sem perder o nosso estilo "almanaque" trazendo curiosidades, números e estatísticas de clubes e campeonatos sul-americanos. E esse ano teremos vários especiais sobre a Copa do Mundo a ser realizada aqui no nosso continente depois de 36 anos. Continuem nos prestigiando e FELIZ 2014!

Copa das Confederações  Brasil
Sul-Americano Sub-20  Colômbia
Sul-Americano Sub-17  Argentina
Sul-Americano Sub-15  Peru

Libertadores  Atlético Mineiro
Recopa  Corinthians
Sul-Americana  Lanús-ARG

Argentina  Newell's Old Boys (Final) e San Lorenzo (Inicial)
Bolívia  The Strongest (Apertura) e Bolívar (Clausura)
Brasil  Cruzeiro
Chile  Unión Española (Transición) e O'Higgins (Apertura)
Colômbia  Nacional (Apertura e Finalización)
Equador  Emelec
Paraguai  Cerro Porteño (Clausura) e Nacional (Apertura)
Peru  Universitário
Uruguai  Peñarol
Venezuela  Zamora

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Botafogo e Atlético Paranaense na Pré-Libertadores

Com a conquista do Atlético Mineiro no ano passado pela quarta vez seguida o futebol brasileiro terá seis representantes na competição, e com isso os dois piores classificados terão que jogar a Pré-Libertadores. Nesse ano Atlético Paranaense e Botafogo serão os representantes do Brasil nessa fase e o blog fez um resumo das participações das duas equipes em Libertadores:

Botafogo

3 participações  semifinal em 63 e 73 e oitavas em 96
25 jogos 12 vitórias, 5 empates e 8 derrotas, 42 gols marcados e 37 gols sofridos
maior artilheiro Jairzinho, 6 gols


  • Foram apenas três Libertadores disputadas, mas em todas o Botafogo passou da primeira fase chegando as semifinais nas duas primeiras. Das equipes brasileiras que participaram de no mínimo duas edições apenas Botafogo, Cruzeiro e São Caetano jamais foram eliminados na primeira fase.
  • Na edição de 63 o último jogo do Botafogo na primeira fase não aconteceu. Já eliminado, os colombianos do Millonarios preferiram pagar uma multa do que viajar ao Rio para o confronto.
  • Campeão da extinta Taça Brasil de 68 os cariocas garantiram vaga na Libertadores do ano seguinte, mas como os clubes brasileiros boicotaram o torneio devido ao antijogo de argentinos e uruguaios o Botafogo não participou.
  • Em 73 o clube empatou em pontos com o Palmeiras em primeiro lugar. Como só uma equipe seguia adiante e o regulamento previa um jogo-desempate ambos tiveram que se enfrentar novamente: deu Botafogo 2 a 1 e a vaga para a fase semifinal
  • Já na última participação em 96 o atacante Túlio Maravilha fez um gol em que os jogadores da Universidad Catolica levaram como deboche: o jogador sozinho na linha do gol virou de costas, levantou a bola e fez de calcanhar irritando os chilenos. Jurado por eles e temendo pelo pior, na partida de volta em Santiago Túlio nem viajou alegando contusão.
  • Das equipes brasileiras que já estiveram pelo menos uma vez em uma semifinal o Botafogo é o que há mais tempo disputou pela última vez. Nesse ano completa quarenta e um anos, é o maior tabu entre os brasileiros superando o Santos (38 anos entre 1965 e 2003), Atlético Mineiro ( 35 anos entre 1978 e 2013) além do Guarani ( também 35 anos desde 1979).
Atlético Paranaense

3 participações vice em 05, oitavas em 00 e primeira fase em 02
27 jogos  14 vitórias, 6 empates e 8 derrotas, 45 gols marcados e 42 gols sofridos
maiores artilheiros  Lima e Luisinho Neto, 6 gols

  • Na estréia em 2000 o clube terminou líder de seu grupo com cinco vitórias e um empate em seis jogos. Nas oitavas veio a primeira derrota e a eliminação frente ao Atlético Mineiro nos pênaltis.
  • Dois anos depois o clube retornaria mas cairia já na primeira fase de forma melancólica: apenas uma vitória em seis jogos com direito a uma derrota humilhante por 5 x 0 para o América de Cáli na ultima partida.
  • Nesse mesmo ano o clube entrou para a história: na partida frente ao Bolívar em La Paz o clube vencia por 5 a 1 e permitiu o empate. Esse jogo acabou sendo o empate com mais gols numa única partida com dez gols.
  • No vice de 2005 os paranaenses foram impedidos de jogar a final em seu estádio devido a capacidade mínima exigida pela Conmebol e por pressão do São Paulo, e com isso a partida de ida foi jogada em Porto Alegre. Longe de seu torcedor o clube apenas empatou pra depois na volta ser goleado por 4 a 0 pelos paulistas no Morumbi e com isso terminou vice-campeão com saldo negativo de -1

Clubes bolivianos em Libertadores

Bom, a partir de hoje começo a postar todas as participações de todos os clubes que já disputaram a Copa Libertadores. E começo com o futebol boliviano:

Melhores colocações

Semifinais
Jorge Wilstermann 1981, Blooming 1985 e Bolívar 1986

Participações

29 Bolívar
19 The Strongest
18 Oriente Petrolero
16 Jorge Wilstermann
7 Blooming
6 Real Potosi
5 San José
3 Deportivo Municipal
2 Aurora, Chaco Petrolero e Guabirá
1 Always Ready, La Paz, Litoral, 31 de Octubre, Universitário (La Paz) e Universitário (Sucre)


  • O único ano em que clubes bolivianos não participaram da Copa Libertadores foi em 1963
  • O primeiro representante foi o Jorge Wilstermann. Recordista de participações, o Bolívar foi apenas o sexto a estrear.
  • Um clube boliviano só conseguiu passar da primeira fase da Libertadores vinte e dois anos depois. Coube ao Jorge Wilstermann a façanha em 1981. Como apenas o campeão do grupo se classificava era muito difícil pela fragilidade das equipes bolivianas avançarem de fase.
  • Com o aumento do número de vagas para a segunda fase, de duas equipes em 88 e três de 89 a 99 pelo menos um boliviano já estava no mínimo nas oitavas de final.
  • Em 88 pela primeira vez os dois representantes do país passaram da primeira fase, fato que se repetiu apenas mais três vezes: 91, 94 e 97.
  • Quem mais participou consecutivamente foi o Bolívar. Foram seis participações seguidas entre 2002 e 2007
  •  Nenhum clube passou da primeira fase entre 2001 e 2011. A escrita começou e terminou com o Bolívar: em 2000 quando chegou as quartas e em 2012 quando alcançou as oitavas.
  • O último clube a avançar de fase fora o Bolívar foi o Jorge Wilstermann em 1999.
  • Desde quando começou a Pré-Libertadores em 2005 nenhum clube boliviano conseguiu se classificar para a fase de grupos. Este ano o Oriente Petrolero tentará quebrar esse incômodo tabu diante do Nacional-URU.
  • Cinco das vinte e duas equipes que jamais ganharam um jogo sequer de Libertadores são da Bolívia: Always Ready, Litoral e os Universitários de La Paz e de Sucre, com nenhuma vitória em seis jogos. Pior situação é o do Aurora, com dez jogos, recorde da competição.
  • Bolívar ficou 23 jogos sem perder em La Paz ( 17 vitórias e 6 empates)