Páginas

sábado, 29 de março de 2014

Copa Libertadores: Resultados de 25 a 27 de março



Nessa semana foi jogada algumas partidas da quinta rodada da Copa Libertadores 2014. O restante da rodada será jogada semana que vem. Como a rodada está incompleta não postarei a classificação e o panorama dos grupos como venho postando.

25/03 terça-feira
Zamora-VEN 2 x 0 Nacional-PAR
Santos Laguna-MEX 4 x 1 Peñarol-URU 

26/03 quarta-feira
Atlético PR 1 x 3 Velez Sarsfield-ARG
Deportivo Cali-COL 1 x 1 O'Higgins-CHI
Nacional-URU 2 x 4 Newell's Old Boys-ARG
León-MEX 0 x 1 Bolívar-BOL

27/03 quinta-feira
Universitário-PER 3 x 3 The Strongest-BOL
Lanús-ARG 2 x 0 Cerro Porteño-PAR
Independiente del Valle-EQU 1 x 1 San Lorenzo-ARG
Deportivo Anzoátegui-VEN 1 x 3 Arsenal-ARG



  • Três times garantiram vaga nas oitavas de final essa semana: Vélez Sarsfield no Grupo 1 mais Santos Laguna e Arsenal no Grupo 8. Por outro lado Deportivo Anzoátegui e o Peñarol se juntam ao Nacional e Universitário como as equipes já eliminadas da Libertadores.
  • Coincidência ou não semana passada postei uma matéria onde falava que o Depotivo Cali, da Colômbia dificilmente empatava uma partida de Libertadores (foram apenas três nos últimos 34 jogos). Pois bem, o clube colombiano empatou com o O’Higgins por 1 a 1 com gol marcado nos acréscimos.
  • Finalistas de 1988 quando o título ficou com os uruguaios, Nacional e Newell’s Old Boys voltaram a se enfrentar na edição desse ano e os argentinos se vingaram daquela derrota de 26 anos atrás: 4 a 0 na segunda rodada e 4 a 2 quarta-feira agora em pleno Estádio Centenário.
  • Aliás, falando em derrota do Nacional, o clube uruguaio vai terminar como o único time dessa edição a perder todas as três partidas que fez jogando em casa pela fase de grupos.
  • Até agora dos oito líderes de grupos temos três argentinos, dois brasileiros, um mexicano, um chileno e para surpresa de todos, um boliviano!

próximos jogos

01/04 terça-feira
Real Garcilaso-PER x Defensor-URU

02/04 quarta-feira
Botafogo x Unión Española-CHI
Nacional-COL x Grêmio
Emelec-EQU x Flamengo

03/04 quinta-feira
Universidad de Chile-CHI x Cruzeiro
Santa Fé-COL x Atlético MG

sexta-feira, 28 de março de 2014

Libertadores: lanternas com nenhum ponto ganho

Ao empatar em casa com o The Strongest os peruanos do Universitário somaram seu primeiro ponto na competição. Como era a única equipe com zero ponto até aqui esse ano não teremos desde 2011 nenhum clube derrotado em todos os jogos. Ao longo da história vários times saíram da competição sem somar um pontinho sequer e o blog Futebol da América do Sul lista esses clubes pra você:

1960 Universidad de Chile-CHI
1963 Everest-EQU
1965 Deportivo Galícia-VEN
1970 Deportivo Galícia-VEN
1974 Colo Colo-CHI
1976 Deportivo Galícia-VEN
1979 Deportivo Galícia-VEN
1980 Deportivo Táchira-VEN
1982 Deportivo Municipal-PER
1985 Sport Boys-PER
1986 Nacional-PAR
1987 Estudiantes-VEN
2002 Sporting Cristal-PER
2004 Cobreloa-CHI
2007 Deportivo Pasto-COL e Alianza Lima-PER
2009 Aurora-BOL
2011 Guaraní-PAR


  • Em 1961 o Independiente-ARG terminou com zero ponto, mas como o clube entrou direto na segunda fase a lanterna acabou ficando com o Barcelona-EQU, eliminado na fase preliminar mesmo este tendo somado um ponto.
  • Em 1964 o Santos também não pontuou, perdeu os dois jogos para o Independiente-ARG, mas não foi lanterna pois como era o atual campeão na época entrou direto nas semifinais.
  • Nos anos 90 todos os clubes que terminaram na última posição somaram ao menos um pontinho.
  • De 1998 a 2004 foi disputado uma fase preliminar envolvendo quatro equipes, sendo duas da Venezuela e duas do México valendo duas vagas para a fase de grupos. Nesse quadrangular o Atlético Zuilá, da Venezuela foi o único a não somar pontos, isso no primeiro ano que foi criada essa fase.
  • De 2005 pra cá antes da fase de grupos é disputada uma fase eliminatória, a Pré-Libertadores, jogada em partidas de ida e volta sendo que vários clubes deram adeus a competição com duas derrotas.
  • O recordista de terminar na lanterna sem pontuar é o Deportivo Galícia, da Venezuela (65,70,79 e 80). Até hoje é a única equipe a conseguir tal feito por mais de uma vez.
  • Entre países a Venezuela teve seus clubes nessa situação por seis vezes, seguida do Peru com quatro. Depois temos o Chile com três, Paraguai com dois e por fim em apenas uma oportunidade clubes do Equador, da Colômbia e da Bolívia terminaram a competição na lanterna sem pontuar.
  • E por fim jamais clubes da Argentina, Brasil, México e Uruguai ficaram com zero ponto na última colocação. 

Libertadores: Vitórias dos argentinos no Brasil

Pela primeira vez em seus confrontos contra clubes brasileiros o Vélez Sarsfield saiu vitorioso jogando no Brasil ao vencer o Atlético Paranaense em Curitiba na quarta-feira.  Antes havia perdido cinco e empatado dois nas sete oportunidades que visitou clubes brasileiros. Mas essa foi apenas a vitória de número dezessete de um total de 82 jogos dos argentinos jogando por aqui sendo que três delas foram em finais (1984, 2007 e 2009). Entre os argentinos quem mais se saiu bem como visitante foi o Boca Jr, com sete triunfos. Já entre os clubes brasileiros o Vasco, com três derrotas foi o que mais perdeu em casa. Em 1985 e 2003 foram os anos em que os argentinos ganharam mais vezes numa mesma edição com três vitórias enquanto que na década de 90 nenhum clube argentino conseguiu vencer os brasileiros como visitantes. Segue abaixo a lista completa com as vitórias dos argentinos jogando no Brasil:

1964 Independiente 3x2 Santos semifinal
1978 Boca Jr 2x1 Atlético MG fase semifinal
1984 Independiente 1x0 Grêmio final
1985 Argentinos Jr 1x0 Fluminense primeira fase
         Argentinos Jr 2x1 Vasco primeira fase
         Ferro Carril 2x0 Vasco primeira fase
1988 San Lorenzo 1x0 Guarani oitavas
2001 Boca Jr 1x0 Vasco quartas
2003 Boca Jr 4x2 Paysandu oitavas
         River Plate 2x1 Corinthians oitavas
         Boca Jr 3x1 Santos final
2006 River Plate 3x1 Corinthians oitavas
2007 Boca Jr 2x0 Grêmio final
2008 Boca Jr 2x1 Cruzeiro oitavas
2009 Estudiantes 2x1 Cruzeiro final
2012 Boca Jr 2x0 Fluminense primeira fase
2014 Velez 3x1 Atlético PR primeira fase

Classificados com sete e eliminados com onze pontos

Desde 2000 quando a Copa Libertadores passou a ser disputada nos moldes atuais classificando os dois primeiros colocados de cada grupo (com exceção de 2004 e 2010 que houve mudanças no critério de classificação por força do regulamento) surgem algumas dúvidas de quantos pontos o time precisa para se classificar. Fiz uma pesquisa e cheguei a constatação que jamais clube algum foi eliminado com doze pontos. Mas há dois fatos curiosos: primeiro, o Audax, do Chile fez onze pontos em 2007 e mesmo assim não se classificou e segundo que três times seguiram adiante com apenas sete pontos. São eles o Concepción do Chile em 2001, Once Caldas em 2011 e o São Paulo ano passado. A grande maioria seguiu adiante com 10 pontos (46 clubes no total) enquanto que apenas dois clubes se classificaram com 100% de aproveitamento, e são dois brasileiros: Vasco em 2001 e o Santos em 2007.
Segue abaixo a pontuação e os classificados e eliminados com esse mesmo número de pontos lembrando que não há como fazer 17 pontos em seis jogos, por isso que a pontuação pula de 16 para 18:

Número de pontos e quantos clubes se classificaram

18 pontos   2 classificados
16 pontos 10 classificados
15 pontos   5 classificados
14 pontos 10 classificados
13 pontos 24 classificados
12 pontos 24 classificados
11 pontos 21 classificado e 1 eliminado
10 pontos 46 classificados e 4 eliminados
  9 pontos 34 classificados e 19 eliminados
  8 pontos 12 classificados e 26 eliminados
  7 pontos   3 classificados e 34 eliminados

Combinações de pontos

18 pontos 6 vitórias
16 pontos 5 vitórias e 1 empate
15 pontos 5 vitórias
14 pontos 4 vitórias e 2 empates
13 pontos 4 vitórias e 1 empate
12 pontos 4 vitórias ou 3 vitórias e 3 empates
11 pontos 3 vitórias e 2 empates
10 pontos 3 vitórias e 1 empate ou 2 vitórias e 4 empates
  9 pontos 3 vitórias ou 2 vitórias e 3 empates
  8 pontos 2 vitórias e 2 empates ou 1 vitória e 5 empates
  7 pontos 2 vitórias e 1 empate ou 1 vitória e 4 empates



Será que eles voltam um dia? (Parte II)

Semana passada postei cinco dos dez clubes que acreditamos não voltem a disputar a Libertadores tão cedo. Não desmerecendo esses clubes,claro,mas pelo fato de todos eles estarem ou em divisões inferiores ou mesmo na divisão principal há tempos não fazem uma boa campanha,o que o levaria de volta a competição.
E hoje posto os cinco restantes: Náutico, Criciúma, Juventude, Paysandu e Paraná Clube.


Náutico (1968-primeira fase)

O clube pernambucano participou da edição de 1968 após o vice da extinta Taça Brasil do ano anterior perdida para o Palmeiras, com quem formou um dos grupos da competição ao lado dos venezuelanos Deportivo Galícia e Deportivo Português. Terminaria em segundo e se classificaria ao lado do Palmeiras, mas numa das partidas contra o Deportivo Português o clube fez uma substituição a mais do que era permitido a época e com isso acabou perdendo os pontos da partida e também a vaga para o time venezuelano. O Náutico foi o sexto clube brasileiro a estrear em Libertadores, muito antes mesmo de vários campeões. Antes dele estrearam apenas Bahia, Palmeiras, Santos, Botafogo e Cruzeiro.

O clube hoje

Somente no ano passado, exatos 35 anos depois é que o clube pernambucano voltaria a disputar uma competição internacional, a Copa Sul-Americana, mas cairia ainda na fase brasileira ao perder nos pênaltis para o rival Sport. Nesse intervalo entre as duas competições não conseguiu fazer boas campanhas na Série A o que o colocaria de volta a Libertadores. Esse ano jogará a Série B após o rebaixamento ano passado.

Criciúma (1992-quartas de final)

Campeão de forma surpreendente da Copa do Brasil de 1991, os catarinenses também surpreenderam na Libertadores do ano seguinte quando terminaram em primeiro lugar no seu grupo que tinha o São Paulo, clube que inclusive venceu por 3 a 0 na estréia. Nas oitavas, duas vitórias sobre o Sporting Cristal do Peru e nas quartas novo confronto diante dos paulistas, mas com uma derrota fora e empate em casa o clube da cidade homônima diria adeus a competição em quinto lugar.

O clube hoje

Em 1992 jogou a Libertadores estando na segunda divisão sendo o primeiro clube sul-americano a realizar tal feito. Subiu no mesmo ano permanecendo até 1997. Desde então o clube não consegue se firmar sendo rebaixado até para a Série C. Ano passado retornou as competições internacionais ao jogar a Copa Sul-Americana, sendo eliminado pela Ponte Preta ainda na fase nacional.

Juventude (2000-primeira fase)

O clube da cidade gaúcha de Caxias do Sul viveu seus melhores momentos nos anos 90 graças a parceria com a Parmalat, o que fez com que o clube formasse bons times e consequentemente ganhasse títulos, como a Copa do Brasil de 1999, o que proporcionou participar da Libertadores de 2000. Num grupo com Palmeiras, The Strongest-BOL e El Nacional-EQU o clube gaúcho acabaria em terceiro lugar e eliminado ainda na primeira fase.

O clube hoje

Os gaúchos mantiveram a boa fase ainda por um bom tempo, o que culminou com a participação da Copa Sul-Americana de 2005. Mas foi a partir do rebaixamento para a Série B dois anos depois que a coisa desandou. Com mais dois rebaixamentos consecutivos o clube foi parar na Série D, a quarta divisão onde foi vice-campeão ano passado e voltou para a Série C.

Paysandu (2003-oitavas)

Um dos clubes mais vitoriosos da Região Norte esteve na edição de 2003 após o título da extinta Copa dos Campeões do ano anterior. Com uma campanha impecável na primeira fase terminando líder com quatro vitórias em seis jogos, o clube paraense viveu seus “minutos de fama” ao vencer o poderoso Boca Jr no jogo de ida das oitavas de final em plena La Bombonera, feito que apenas Santos em 63 e Cruzeiro em 94 haviam conseguido até então. Mas ao perder na volta em casa por 4 a 2 viu o time argentino avançar rumo ao título enquanto que o Paysandu dava adeus a competição com uma única derrota, a que tiraria a vaga para as quartas. Das equipes que disputaram apenas uma única edição foi o que teve melhor aproveitamento, 70% dos pontos.

O clube hoje

Da Copa Libertadores em 2003 para a Série C em apenas quatro anos, onde permaneceu até 2012 quando depois de cinco temporadas retornaria para a segunda divisão nacional, mas seria novamente rebaixado ano passado. Para retornar a Libertadores há dois caminhos: ou vencer a Copa do Brasil ou terminar entre os quatro primeiros da Série A que não disputa desde 2005, o que convenhamos não é fácil.

Paraná Clube (2007-oitavas)

Terceira força do Estado do Paraná atrás da dupla Atle-Tiba, foi o grande clube paranaense nos anos 90 ao vencer vários estaduais além de duas Séries B. O quinto lugar da primeira divisão em 2006 proporcionou a jogar a Libertadores do ano posterior. Começou na fase Pré-Libertadores, avançou na fase de grupos sendo vice onde o Flamengo terminaria líder e depois cairia nas oitavas diante dos paraguaios do Libertad.

O clube hoje

No mesmo ano da participação da Libertadores o clube fora rebaixado para a segunda divisão depois de mais de uma década na elite, com exceção de 2000 quando caiu e voltou no mesmo ano. Também amargou rebaixamento no estadual e atualmente tenta voltar para a Série A de onde está ausente há sete anos.




sábado, 22 de março de 2014

Copa Libertadores: Resultados de 18 a 20 de março


18/03 terça-feira
Velez Sarsfield-ARG 2 x 0 The Strongest-BOL
Botafogo 1 x 0 Independiente del Valle-EQU
Santa Fé-COL 2 x 2 Zamora-VEN 
Universidad de Chile-CHI 1 x 0 Real Garcilaso-PER
Nacional-URU 0 x 1 Nacional-COL
Santos Laguna-MEX 3 x 0 Dep. Anzoátegui-VEN

19/03 quarta-feira
Atlético Mineiro 1 x 1 Nacional-PAR
Newell's Old Boys-ARG 1 x 1 Grêmio
Bolívar-BOL 1 x 0 Flamengo
León-MEX 3 x 0 Emelec-EQU
Peñarol-URU 2 x 1 Arsenal-ARG

20/03 quinta-feira
Unión Española-CHI 1 x 0 San Lorenzo-ARG
Atlético Paranaense 3 x 0 Universitário-PER
Lanús-ARG 2 x 0 Deportivo Cali-COL
Cerro Porteño-PAR 2 x 1 O'Higgins-CHI
Cruzeiro 2 x 2 Defensor-URU

  • Na rodada passada ao empatar com o Newell’s em casa o Grêmio completou nove jogos contra clubes argentinos com três vitórias, três empates e três derrotas, além de marcar e sofrer onze gols dos hermanos. No “jogo-desempate” dessa semana nova igualdade.
  • Com a vitória de quarta-feira sobre o Flamengo o Bolívar manteve uma longa escrita: não perde para clubes do Brasil em casa desde 1983, curiosamente ano do primeiro confronto.Durante esses 31 anos de tabu foram onze jogos com sete vitórias e quatro empates, sendo que venceu os últimos cinco.
  • Dois clubes disseram adeus a competição essa semana: Universitário-PER pelo Grupo 1 e o Nacional-URU pelo Grupo 6. E por pouco não tivemos o primeiro classificado, o Santos Laguna-MEX, líder do Grupo 8.
  • Após 64 partidas chama a atenção o baixo número de vitórias dos visitantes: apenas sete jogos, com destaque negativo para os já eliminados Universitário-PER e Nacional-URU que perderam os dois jogos que fizeram até aqui em casa. Outros clubes que derrotados pelos visitantes são o Zamora-VEN, Real Garcilaso-PER e Peñarol-URU. Isso mostra que jogar em casa não tá dando certo para uruguaios e peruanos já que seis desses sete jogos foram jogados nesses dois países. Por outro lado Atlético MG, Grêmio e Santos Laguna-MEX são os melhores visitantes tendo conquistado quatro dos seis pontos disputados fora de casa.



próximos jogos

25/03 terça-feira
Zamora-VEN x Nacional-PAR
Santos Laguna-MEX x Peñarol-URU 

26/03 quarta-feira
Atlético PR x Velez Sarsfield-ARG
Deportivo Cali-COL x O'higgins-CHI
Nacional-URU x Newell's Old Boys-ARG
León-MEX x Bolívar-BOL

27/03 quinta-feira
Universitário-PER x The Strongest-BOL
Lanús-ARG x Cerro Porteño-PAR
Independiente del Valle-EQU x San Lorenzo-ARG
Deportivo Anzoátegui-VEN x Arsenal-ARG

Copa Libertadores 2014: Classificação após quatro rodadas



classificação

Grupo 1 Atlético PR e Vélez 9, The Strongest 6 e Universitário 0
Grupo 2 Botafogo 7, Unión Española 6, Independiente del Valle e San Lorenzo 4
Grupo 3 Cerro Porteño 7, Deportivo Cali 6, O’Higgins 5 e Lanús 4
Grupo 4 Atlético MG 8, Nacional 5, Santa Fé e Zamora 4
Grupo 5 Universidad de Chile 9, Defensor 7, Cruzeiro 4 e Real Garcilaso 3
Grupo 6 Grêmio 8, Nacional-COL 7, Newell’s 5 e Nacional-URU 1
Grupo 7 León 7, Emelec 6, Bolívar 5 e Flamengo 4
Grupo 8 Santos Laguna 10, Arsenal 6, Peñarol 4 e Dep. Anzoátegui 2


panorama dos grupos

Grupo 1 Uma coisa é certa, os peruanos do Universitário já estão eliminados. E já poderemos ter os dois classificados desse grupo já na próxima rodada, para isto basta que Atlético e Vélez empatem entre si e o The Strongest perca para os peruanos. Brasileiros e argentinos iriam a dez pontos enquanto que os bolivianos só poderiam chegar aos nove.

Grupo 2 Se os cariocas vencerem os chilenos se garantem nas oitavas com uma rodada de antecipação já que nem argentinos e equatorianos conseguiriam alcançá-lo. E quem perder desse segundo confronto estará eliminado.

Grupo 3 Vitórias de Cerro e Deportivo na próxima rodada colocam os dois nas oitavas. Caso dê O’Higgins e Lanús fica tudo embolado e todos chegariam a última rodada com chances e cada um dependendo de si.

Grupo 4 Muito confortável na tabela, o atual campeão precisa vencer apenas um dos próximos dois jogos (ou empatar os dois) que continua na luta pelo bi enquanto que os outros ainda dependem apenas de seus esforços para se classificarem. Não dá pra dizer quem tem vantagem, talvez os paraguaios que saíram sem perder nos dois jogos que fez contra o líder do grupo.

Grupo 5 Talvez a grande decepção do torneio até pelas expectativas criadas em torno do título brasileiro, o Cruzeiro precisa vencer pra chegar na última rodada sem depender de outros resultados. Empate e vitória do Defensor classificam os próprios uruguaios mais a Universidad com uma rodada de antecedência. Lembrando que o Cruzeiro jamais foi eliminado na primeira fase de uma Libertadores.

Grupo 6 Se bater os colombianos o Grêmio se garante na próxima fase. Até mesmo o empate serve, desde que o Newell’s perca para o já eliminado Nacional do Uruguai. Vitória dos colombianos e dos argentinos embolaria tudo.

Grupo 7 Os dois classificados já sairão na próxima rodada se Leon e Emelec vencerem seus jogos. Vitórias de Bolívar e Flamengo, ou mesmo empate nas duas partidas deixarão a definição para a rodada final, mas as chances de bolivianos e cariocas jogarem a última rodada já eliminados são grandes já que ambos jogam contra líder e vice-líder fora de casa.

Grupo 8 Por muito pouco esse grupo não foi definido com duas rodadas de antecipação. Com a vitória dos mexicanos sobre a equipe venezuelana bastava o Arsenal vencer o Peñarol para que os argentinos avançassem junto com o Santos Laguna, mas com a vitória dos uruguaios todos tiveram uma sobrevida. Uma coisa é certa, muito difícil uma das vagas escapar dos mexicanos, pela pontuação obtida até aqui, somente nos critérios de desempate. Curioso é que até o lanterna tem chance...como? Basta vencer os dois jogos e torcer pro Santos também vencer suas duas partidas, já que não há mais confrontos entre mexicanos e venezuelanos. Dep. Anzoategui iria para oito pontos deixando Arsenal e Peñarol para trás.

Libertadores: Campeões em sua primeira final

Nos últimos dois anos tivemos a Copa Libertadores vencida por clubes que estreavam em finais: Corinthians e Atlético Mineiro. Dos 38 finalistas até hoje menos da metade, ou seja 16 clubes foram campeões na sua primeira oportunidade. Dos dez brasileiros campeões sete venceram na estréia em finais. São Paulo e Internacional conquistaram a Libertadores na segunda tentativa enquanto que o Palmeiras somente na terceira. O recorde de espera no geral pertence ao Nacional, do Uruguai: campeão depois de três vices. E o blog Futebol da América do Sul listou todos esses clubes com o ano da conquista de estréia em finais:

1960 Peñarol-URU
1962 Santos
1964 Independiente-ARG
1967 Racing-ARG
1968 Estudiantes-ARG
1976 Cruzeiro
1981 Flamengo
1983 Grêmio
1985 Argentinos Jr-ARG
1989 Nacional-COL
1994 Velez Sarsfield-ARG
1998 Vasco da Gama
2004 Once Caldas
2008 LDU-EQU 
2012 Corinthians 
2013 Atlético Mineiro

campeões na segunda tentativa

1977 Boca Jr-ARG ( havia perdido em 1963)
1979 Olimpia-PAR (havia perdido em 1960)
1991 Colo Colo-CHI (havia perdido em 1973)
1992 São Paulo (havia perdido em 1974)
2006 Internacional (havia perdido em 1980)

campeões na terceira tentativa

1986 River Plate-ARG (havia perdido em 1966 e 1976)
1999 Palmeiras (havia perdido em 1961 e 1968)

campeão na quarta tentativa

1971 Nacional-URU (havia perdido em 1964,1967 e 1969)

sexta-feira, 21 de março de 2014

Deportivo Cali: ganhar ou perder, empatar jamais



Pesquisando as campanhas dos clubes que estão nessa edição da Copa Libertadores um fato me chamou a atenção: sobre o baixo número de empates do Deportivo Cali nos últimos jogos. De 2001 pra cá o clube colombiano jogou 34 partidas em cinco edições (01,03,04,06 e a atual) empatando apenas três jogos. Foram treze vitórias e dezoito derrotas nesse período. Segue abaixo a seqüência dos 34 jogos do Deportivo Cali:

2001 6 jogos- 3 vitórias e 3 derrotas
Cobreloa-CHI  1x2 e 1x2 primeira fase
Boca Jr-ARG 1x2 e 3x0 primeira fase
Oriente Petrolero-BOL 3x1 e 4x1 primeira fase

2003 8 jogos- 4 vitórias, 2 empates e 2 derrotas
River Plate-ARG 2x0 e 1x2 primeira fase
Emelec-EQU 4x0 e 1x0 primeira fase
Libertad-PAR 1x0 e 0x1 primeira fase
América-MEX 0x0 e 0x0 (2x3 nos pênaltis) oitavas

2004 10 jogos- 4 vitórias e 6 derrotas
Bolívar-BOL 3x1 e 0x1 primeira fase
Boca Jr-ARG 0x1 e 0x3 primeira fase
Colo Colo-CHI 3x2 e 3x1 primeira fase
Cruzeiro 1x0 e 1x2 (3x0 nos pênaltis) oitavas
River Plate-ARG 1x0 e 3x1 quartas

2006 6 jogos- 1 empate e 5 derrotas
Corinthians 0x1 e 0x3 primeira fase
Tigres-MEX 4x5 e 2x2 primeira fase
Universidad Católica-CHI 1x2 e 2x3 primeira fase

2014 4 jogos- 2 vitórias e 2 derrotas
Lanús-ARG 2x1 e 0x2 primeira fase
Cerro Porteño-PAR 1x0 primeira fase
O’Higgins-CHI 0x1 primeira fase


Será que eles voltam um dia? (Parte I)

Dos chamados doze maiores clubes do Brasil, dez conquistaram a Copa Libertadores e um foi vice. O Botafogo, único não-finalista dos doze retornou esse ano após longos dezoito anos de ausência. E sobre isso que iremos abordar, o retorno das equipes a Libertadores, especialmente os dito “pequenos” do futebol brasileiro. Baseado nas condições atuais desses clubes preparei uma lista com dez clubes que já participaram da competição e que na minha opinião talvez não voltarão tão cedo a disputar a Libertadores, se é que retornarão um dia. Começo hoje com cinco clubes, quatro paulistas (São Caetano, Guarani, Santo André e Paulista) e um carioca, o Bangu. Semana que vem posto os outros cinco: Juventude, Criciúma, Paraná Clube, Náutico e Paysandu.

São Caetano ( 2001-oitavas, 2002-vice e 2004-quartas)

O clube do ABC paulista surgiu para o futebol nacional após o vice do Módulo Amarelo da Copa João Havelange, o equivalente a Série B e que proporcionou ao clube a jogar as fases decisivas do campeonato. E não fez feio, eliminando nos mata-matas Fluminense, Palmeiras e Grêmio até perder a final para o Vasco. Com o vice, jogou a Libertadores de 2001 e parou no Palmeiras nas oitavas. No mesmo ano, dessa vez enfrentando os grandes desde o começo foi vice de novo do Brasileirão e voltou a participar da Libertadores, onde após passar por várias equipes tradicionais  como por exemplo Universidad Católica e Peñarol surpreendeu a todos ao chegar na final, mas acabou perdendo para o Olímpia. Depois de uma pausa em 2003 voltou no ano seguinte e dessa vez acabou eliminado nas quartas de final para o Boca Jr. Detalhe, as três eliminações foram nos pênaltis.

O clube hoje

A morte do zagueiro Serginho, há quase dez anos numa partida do Campeonato Brasileiro foi um divisor de águas para o clube, negativamente falando. Rebaixado para a Série B em 2006 deu seu último suspiro com o vice-campeonato paulista em 2007, e no ano passado amargou dois rebaixamentos seguidos: no Paulistão depois de doze anos e da Série B para a C, pra onde voltou pela primeira vez desde 1998. Hoje tenta escapar do rebaixamento para a terceira divisão paulista.

Guarani (1979-semifinal, 1987-primeira fase e 1988-oitavas)

Primeiro e até hoje único clube do interior do país campeão nacional, o Guarani sempre esteve entre as principais equipes do Brasil entre as décadas de 70 e 90, revelando vários jogadores a nível de Seleção Brasileira com alguns jogando Copas do Mundo. Participou pela primeira vez em 1979 como campeão brasileiro do ano anterior e atingiu a fase semifinal da competição. Depois de dois vice-campeonatos brasileiros (1986 e 1987) jogou mais duas Libertadores, a de 1987 onde caiu na primeira fase e a de 1988 onde chegou as oitavas e caiu diante do San Lorenzo, da Argentina.

O clube hoje

Se transformou num “clube io-io” por causa do sobe e desce nos últimos anos com vários rebaixamentos. Foram nove em apenas doze anos:em nível nacional foram dois da Série A para a B e dois da B para a C, onde está hoje. Um rebaixamento do extinto Torneio Rio-São Paulo e quatro rebaixamentos do Campeonato Paulista.

Santo André ( 2005-primeira fase)

Rival regional do São Caetano, ficou um pouco ofuscado diante das campanhas do Azulão no começo dos anos 2000 até conquistar de maneira surpreendente a Copa do Brasil de 2004 batendo o Flamengo em pleno Maracanã. Participou da Libertadores do ano seguinte e terminou em terceiro em seu grupo com duas vitórias, dois empates e duas derrotas com direito a maior goleada da competição, um 6x0 diante do Dep.Táchira, da Venezuela. Entre os eliminados terminou com a segunda melhor campanha.

O clube hoje

O último grande momento do clube foi o vice-campeonato paulista de 2010 perdido para o Santos. Um ano antes havia conseguido o acesso para a Série A do Brasileirão sendo rebaixado no mesmo ano. Depois disso acumulou rebaixamentos seguidos e atualmente joga apenas a segunda divisão paulista, já que ano passado não conseguiu o acesso da Série D para a C do Brasileirão, o que garantiria participar de uma competição nacional esse ano.

Paulista (2006-primeira fase)

Tradicional clube do interior de São Paulo, o Paulista da cidade de Jundiaí viveu sua melhor fase depois dos anos 2000 quando ficou muito perto de disputar a Série A do Brasileirão. Antes da Libertadores o clube havia ganho a Série C em 2001 e em 2004 foi vice-campeão paulista. Com isso o clube classificou-se para a Copa do Brasil de 2005 e não fez feio, sendo campeão batendo o Fluminense na final. Pela primeira vez um clube erguia a taça vencendo apenas equipes da primeira divisão nacional após eliminar Juventude, Botafogo, Internacional, Figueirense e Cruzeiro,além do Flu. Na Copa Libertadores apenas uma vitória em seis jogos, mas que valeu por todo o torneio já que foi diante do River Plate em Jundiaí.

O clube hoje

Entre 2002 a 2007 jogou a Série B. Depois caiu pra C e por fim pra Série D de 2009, sua última participação em competições nacionais além de mais duas Copas do Brasil. Já no Paulistão foi rebaixado esse ano depois de doze temporadas na divisão de elite.

Bangu (1986-primeira fase)

Acreditem se quiser,mas o Bangu já disputou a Libertadores. Foi em 1986 após ser vice-campeão brasileiro do ano anterior. Clube do chamado subúrbio carioca, um dos mais tradicionais chegou a fazer páreo frente aos grandes do Rio principalmente na década de 80. Na Libertadores porém o clube fez feio: seis jogos, quatro derrotas e dois empates e dentre os 27 clubes brasileiros que já jogaram a competição foi o único que não venceu um jogo sequer.

O clube hoje

Após a Libertadores de 1986 o clube permaneceu na divisão principal por mais dois anos até ser rebaixado para a divisão de acesso. Sua última participação em Campeonatos Brasileiros foi em 2002 pela Série C. De lá pra cá jogou três edições da Copa do Brasil e atualmente disputa a primeira divisão do Campeonato Carioca.

Dia 28/03 Juventude, Criciúma, Paraná Clube, Náutico e Paysandu


sábado, 15 de março de 2014

Copa Libertadores:Resultados de 11 a 13 de março



E a Copa Libertadores voltou depois de uma semana de paralisação devido a data-Fifa. Vamos aos resultados da semana com alguns acontecimentos da rodada e os jogos da semana que vem:

11/03 terça-feira
The Strongest-BOL 1 x 0 Velez Sarsfield-ARG
Real Garcilaso 1 x 2 Universidad de Chile-CHI
Defensor-URU 2 x 0 Cruzeiro
Nacional-COL 2 x 2 Nacional-URU
Emelec-EQU 2 x 1 León-MEX
Deportivo Anzoátegui-VEN 1 x 1 Santos Laguna-MEX

12/03 quarta-feira
San Lorenzo-ARG 1 x 1 Unión Española-CHI
Independiente del Valle-EQU 2 x 1 Botafogo
Zamora-VEN 2 x 1 Santa Fé-COL
Nacional-PAR 2 x 2 Atlético Mineiro
Flamengo 2 x 2 Bolívar-BOL


13/03 quinta-feira
Universitário-PER 0 x 1 Atlético Paranaense
O'Higgins-CHI 2 x 2 Cerro Porteño-PAR
Deportivo Cali 2 x 1 Lanús-ARG
Grêmio 0 x 0 Newell's Old Boys-ARG
Arsenal-ARG 1 x 0 Peñarol-URU

  • Além do Leon na primeira rodada mais duas equipes venceram pela primeira vez na história da Libertadores: Independiente del Valle, estreante dessa edição e os venezuelanos do Zamora, que haviam perdido todas as seis partidas jogadas em 2012 sem ter feito um golzinho sequer.
  • Quinze anos depois Ronaldinho Gaúcho voltou a jogar em Ciudad de Leste, no Estádio 3 de Febrero onde em 1999 pela seleção brasileira fez um de seus maiores golaços contra a Venezuela na vitória por 7 a 0.
  •  Terça-feira foi anotado o gol de número treze mil da história da Libertadores. E foi do Real Garcilaso,através do paraguaio Victor Ferreira que marcou na derrota do clube peruano para a Universidad de Chile por 2 a 1.
  • No jogo entre o Nacional de Medellín contra seu xará do Uruguai ocorreu a expulsão mais rápida da história da Libertadores: Alejandro Bernal levou o cartão vermelho aos 25 segundos de jogo, superando Jorge José Gonzalez, do Rosário Central expulso aos 40 segundos em uma partida válida pela edição de 1974 e Kleber Gladiador em 2010. Na época o jogador do Grêmio atuava pelo Cruzeiro e foi para o chuveiro mais cedo ao ser expulso aos 70 segundos diante do São Paulo.


próximos jogos

18/03 terça-feira
Velez Sarsfield-ARG x The Strongest-BOL
Botafogo x Independiente del Valle-EQU
Santa Fé-COL x Zamora-VEN 
Universidad de Chile-CHI x Real Garcilaso-PER
Nacional-URU x Nacional-COL
Santos Laguna-MEX x Dep. Anzoátegui-VEN

19/03 quarta-feira
Atlético Mineiro x Nacional-PAR
Newell's Old Boys-ARG x Grêmio
Bolívar-BOL x Flamengo
León-MEX x Emelec-EQU
Peñarol-URU x Arsenal-ARG

20/03 quinta-feira
Unión Española-CHI x San Lorenzo-ARG
Atlético Paranaense x Universitário-PER
Lanús-ARG x Deportivo Cali-COL
Cerro Porteño-PAR x O'Higgins-CHI
Cruzeiro x Defensor-URU

Copa Libertadores 2014:Resumo do primeiro turno



Uma pequena análise dos jogos de ida da fase de grupos

mais pontuaram Atlético MG, Grêmio e Santos Laguna 7 pontos
menos pontuaram Universitário 0 ponto
mais marcou Defensor, Cruzeiro e Flamengo 6 gols
menos marcou Universitário 0 gol
defesa menos vazada Grêmio 0 gol
defesa mais vazada Nacional-URU e Real Garcilaso 7 gols
maior goleada Cruzeiro 5x1 Universidad de Chile
artilheiro Wallyson (Botafogo) 4 gols

classificação

Grupo 1 The Strongest, Velez e Atlético PR 6; Universitário 0
Grupo 2 Botafogo,Independiente del Valle e San Lorenzo 4; Unión Española 3
Grupo 3 Deportivo Cali 6; O'Higgins 5; Cerro Porteño 4 e Lanús 1
Grupo 4 Atlético 7; Nacional 4; Santa Fé e Zamora 3
Grupo 5 Defensor e Universidad de Chile 6; Cruzeiro e Real Garcilaso 3
Grupo 6 Grêmio 7; Newell's e Nacional-COL 4; Nacioanl-URU 1
Grupo 7 Emelec 6; Flamengo e León 4; Bolívar 2
Grupo 8 Santos Laguna 7; Arsenal 6; Dep. Anzoátegui 2 e Peñarol 1

Grupo 1 As vagas devem mesmo ficar entre os três líderes da chave. Vélez e Atlético jogam duas partidas em casa enquanto que os bolivianos apenas uma. Os peruanos do Universitário, único time e não pontuar no campeonato está praticamente eliminado.

Grupo 2 Completamente indefinido. Botafogo ganhou do San Lorenzo que ganhou do Independiente que por sua vez venceu os cariocas. Os três empataram com a Unión Española, que não venceu nem perdeu de ninguém.

Grupo 3 Deportivo Cali lidera seguido do O'Higgins e do Cerro Porteño. A grande decepção é o Lanús, campeão da Copa Sul-Americana e que até agora somou apenas um ponto. Mais uma derrota pode decretar a eliminação já na próxima rodada.

Grupo 4 Atlético MG perdeu os 100% de aproveitamento mas deve se clasificar em primeiro lugar com folga, pois tem mais dois jogos em casa. Dos outros a vantagem é do Santa Fé que joga duas partidas em Bogotá.

Grupo 5 Outra decepção do torneio, o Cruzeiro perdeu seus dois jogos, embora fora de casa, para os dois adversários teoricamente mais fracos da chave. Precisa vencer o próximo jogo em casa senão se complica. Defensor e La U se vencerem novamente ficarão muito perto da classificação.

Grupo 6 O chamado "grupo da morte", mas somente para o Nacional do Uruguai. Com apenas um pontinho tem que começar a vencer se ainda quiser se classificar. O Grêmio depende só dele enquanto que Newell's e Nacional da Colômbia devem brigar pela segunda vaga.

Grupo 7 Situação preocupante a do Flamengo. Mesmo vice-líder o clube joga apenas mais uma partida em casa, e o que é pior, as duas próximas fora. A chance de chegar na última rodada já eliminado é grande depois do empate com o Bolívar em casa. Emelec lidera com seis mas assim como os cariocas joga duas fora enquanto que o León recebe Emelec e Bolívar e sai somente na última rodada.

Grupo 8 O Peñarol vive situação parecida com seu rival de Montevidéu. Apenas um ponto em três jogos. E o que é pior: o grupo tem grandes chances de ser definido já na próxima rodada. Basta Santos Laguna com sete pontos e Arsenal com seis vencerem Dep. Anzoátegui com dois e Peñarol respectivamente que ambos se garantem nas oitavas, já que não poderão mais ser alcançados.

sexta-feira, 14 de março de 2014

Bolivianos quebram tabu de 28 derrotas seguidas no Brasil

Ao empatar com o Flamengo no Maracanã essa semana o Bolívar pôs fim a uma escrita negativa que perdurava havia 12 anos: nada mais nada menos que 28 derrotas consecutivas de clubes bolivianos jogando no Brasil. A última vez que um clube saiu do país sem ser derrotado foi em 2002 quando o próprio Bolívar venceu o Atlético Paranaense por 2 a 1 em plena Curitiba. Entre os bolivianos quem mais "apanhou" entre 2002 a 2014 foi o The Strongest, com nove derrotas. Depois vem o Real Potosi com seis; Bolívar com quatro; San José, Jorge Wilstermann e Oriente Petrolero duas e com apenas uma derrota Blooming, Universitário de Sucre e Aurora na única vez que vieram ao Brasil. Na história os bolivianos jogaram por aqui 49 vezes e em apenas quatro oportunidades não saíram derrotados (São Paulo 3x3 Deportivo Municipal em 1974; São Paulo 1x1 San José em 1992; Bolívar 2x1 Atlético PR em 2002 e por fim Bolívar 2x2 Flamengo dias atrás).
Segue abaixo a lista com os jogos do tabu no período sendo que curiosamente começou e terminou com o Bolívar:

  2002 Atlético PR 1x2 Bolívar primeira fase
           Grêmio 3x2 Oriente Petrolero primeira fase
  2003 Grêmio 1x0 Bolívar primeira fase
           Corinthians 4x1 The Strongest primeira fase
  2004 São Caetano 4x2 The Strongest  primeira fase
           Santos 5x0 Wilstermann  primeira fase
  2005 Santos 6x0 Bolívar primeira fase
           São Paulo 3x0 The Strongest  primeira fase
  2006 Goiás 2x0 The Strongest  primeira fase
  2007 Santos 6x0 Blooming Pré-Libertadores
           Flamengo 1x0 Real Potosí  primeira fase
           Paraná 2x0 Real Potosí  primeira fase
  2008 Cruzeiro 3x0 Real Potosí  primeira fase
           Santos 7x0 San José  primeira fase
  2009 Palmeiras 5x1 Real Potosí  Pré-Libertadores
           Cruzeiro 2x0 Universitário de Sucre  primeira fase
           Grêmio 3x0 Aurora  primeira fase
  2010 Cruzeiro 7x0 Real Potosí  primeira fase
  2011 Grêmio 3x0 Oriente Perolero  primeira fase
           Internacional 3x0 Wilstermann  primeira fase
  2012 Flamengo 2x0 Real Potosí  Pré-Libertadores
           Internacional 5x0 The Strongest  primeira fase
           Santos 2x0 The Strongest  primeira fase
           Santos 8x0 Bolívar oitavas de final
  2013 São Paulo 5x0 Bolívar  Pré-Libertadores
           São Paulo 2x1 The Strongest  primeira fase
           Atlético MG 2x1 The Strongest  primeira fase
           Corinthians 3x0 San José  primeira fase
  2014 Atlético PR 1x0 The Strongest  primeira fase
           Flamengo 2x2 Bolívar primeira fase



Libertadores:Confrontos internacionais que mais se repetiram

Desde 1960 até os dias de hoje ninguém mais se enfrentaram do que dois argentinos contra o Peñarol: Independiente e River Plate. Os uruguaios jogaram quinze vezes contra cada um. Peñarol x Independiente decidiram a Libertadores de 1965 em três jogos além de se enfrentarem em mais quatro semifinais (74,76,79 e 87) e por duas vezes na primeira fase (95 e a última vez em 2011). Já contra o River também fizeram a final um ano depois, em 66 (também em três jogos) além de três semifinais e outros três confrontos válidos por fase de grupos, sendo que não se enfrentam desde 1995.
Logo a seguir temos o confronto entre Colo Colo do Chile e Barcelona do Equador com quatorze jogos, sendo que a maioria foram válidos pela primeira fase. Mata-mata somente nas oitavas de 92 e 98. Com onze jogos aparecem Olímpia x Bolívar e com dez jogos Colo Colo x Nacional-URU; Boca x Peñarol e Nacional-URU x Cerro Porteño.
Entre os clubes brasileiros temos dois jogos: Santos x Peñarol e Palmeiras x Cerro Porteño. O primeiro confronto decidiu duas Libertadores ganhas pelo time do Pelé: em 1962 numa melhor de três e em 2011,além da semifinal de 1965 (também em três jogos e vencida pelos uruguaios). Já Palmeiras x Cerro, todos os confrontos foram válidos pela primeira fase; 1999,2001,2005 e por fim em 2006. Nesse último confronto os palmeirenses foram derrotados pela primeira vez na história da Libertadores em seu estádio por um time estrangeiro.

15 Independiente-ARG x Peñarol-URU
     Peñarol-URU x River Plate-ARG
14 Barcelona-EQU x Colo Colo-CHI
11 Olímpia-PAR x Bolívar-BOL
10 Colo Colo-CHI x Nacional-URU
     Boca Jr-ARG x Peñarol-URU
     Nacional-URU x Cerro Porteño-PAR
08 Peñarol-URU x Olímpia-PAR
     Olímpia-PAR x Colo Colo-CHI
     Santos x Peñarol-URU
     Boca Jr-ARG x Colo Colo-CHI
     Nacional-URU x Olímpia-PAR
     River Plate-ARG x Deportivo Cali-COL
     Cerro Porteño-PAR x Barcelona-EQU
     Olímpia-PAR x Cobreloa-CHI
     Universitário-PER x Peñarol-URU
     Palmeiras x Cerro Porteño-PAR
     River Plate-ARG x Libertad-PAR
     Boca Jr-ARG x Deportivo Cali-COL


Cobresal volta a ser o único invicto em Libertadores



Único invicto entre os 201 que já jogaram a competição

Com a derrota do Leon para o Emelec os mexicanos conheceram sua primeira derrota na história da competição após quatro jogos, dois da fase Pré-Libertadores do ano passado e os dois primeiros dessa edição. Com isso o Cobresal, pequeno clube chileno localizado na cidade de El Salvador volta a ser o único invicto da história da Libertadores, e vou explicar como foi a campanha do clube.

História do clube

Fundado em 1979 o Club de Deportes Cobresal tem como cores o branco e o laranja, curiosamente as mesmas de seu maior rival, o Cobreloa que já foi vice da Libertadores por duas vezes. Seu estádio chama-se El Cobre, em homenagem a região chilena na qual esse metal é abundante, tem capacidade maior do que os habitantes da cidade de El Salvador. Campeão chileno da segunda divisão por duas vezes classificou-se ao lado da Universidad Católica para a Libertadores de 1986.

A campanha invicta

Os dois chilenos caíram no Grupo 4 ao lado dos dois colombianos, América e Deportivo, ambos da cidade de Cali. As quatro equipes se enfrentavam e apenas o primeiro do grupo avançava as semifinais. Na estréia um empate sem gols contra o América fora de casa e depois também em Cali novo empate,dessa vez diante do Deportivo. Nos dois jogos seguintes o adversário foi a Universidad Católica. Terceiro empate seguido,dessa vez em casa e depois vitória por um a zero em plena Santiago. Nas duas últimas partidas o clube tinha tudo pra se classificar, já que receberia os colombianos em casa mas novamente o Cobresal empataria e com a vitória do América sobre a Universidad Católica na última rodada a vaga ficou mesmo com o clube vermelho de Cali, que naquele ano seria vice pela segunda vez seguida ao ser derrotado na final pelo River Plate. Como jamais voltou a disputar a Libertadores segue como o único invicto da história da competição.
Ao todo foram cinco empates e apenas uma vitória nos seis jogos disputados. O América avançou com nove pontos, Deportivo e Cobresal ficaram com sete pontos e o lanterna ficou com a Universidad Católica com apenas um ponto, cinco derrotas e apenas um empate, e a propósito, advinha contra quem o clube empatou?

Os jogos do Cobresal na Libertadores de 1986

América 0x0 Cobresal
Deportivo Cali 1x1 Cobresal
Cobresal 1x1 Universidad Católica
Universidad Católica 0x1 Cobresal
Cobresal 2x2 América
Cobresal 1x1 Deportivo Cali

sábado, 8 de março de 2014

Libertadores: os dez mais (pontos, participações, jogos, vitórias, gols e saldo)

Analisando o ranking da Copa Libertadores criei uma espécie de "Top 10" relacionados ao assunto e acabei dividindo por tópicos como os dez clubes que mais pontos somaram, quem mais participou, quem mais jogou, venceu, marcou mais gols e por fim os dez que tem o melhor saldo de gols. Lembrando que não foram computados os números da atual edição, isto é, foi baseado no ranking de 1960 a 2013. Vamos aos números:

mais pontos                                                                            
441 Nacional-URU                                                                  
430 River Plate-ARG                                                             
417 Peñarol-URU                                                                    
363 Boca Jr-ARG                                                                  
342 Olímpia-PAR                                                                  
320 Cerro Porteño-PAR                                                     
268 América-COL                                                                   
255 Universidad Catolica-CHI                                                 
249 Colo Colo-CHI                                                              
246 São Paulo     
                                                                   
mais participações
41 Peñarol-URU
40 Nacional-URU
37 Olímpia-PAR
35 Cerro Porteño-PAR
30 River Plate-ARG
29 Colo Colo-CHI
     Bolívar-BOL
     Sporting Cristal-PER
27 Universitário-PER
25 Universidad Católica-CHI

mais jogos                   
339 Nacional-URU                                                            
331 Peñarol-URU                                                                
291 River Plate-ARG                                                        
282 Olímpia-PAR                                                                
269 Cerro Porteño-PAR                                                    
244 Boca Jr-ARG                                                              
211 Colo Colo-CHI                                                           
210 Universidad Católica-CHI                                        
205 Bolívar-BOL                                                               
       Universitário-PER           

mais vitórias
152 Peñarol-URU
148 Nacional-URU  
144 River Plate-ARG
129 Boca Jr-ARG                           
113 Olimpia-PAR 
 96 Cerro Porteño-PAR
 89 América-COL
 85 Colo Colo-CHI
 82 Universidad Catolica-CHI
     Bolívar-BOL

mais gols                                                        
510 Peñarol-URU                                                                  
500 Nacional-URU                                                            
475 River Plate-ARG                                                        
404 Olímpia-PAR                                                               
373 Boca Jr-ARG                                                             
354 Cerro Porteño-PAR                                                  
326 Universidad Católica-CHI                                        
312 Colo Colo-CHI                                                            
304 Bolívar-BOL                                                              
287 América-COL         

mais saldo
161 River Plate-ARG           
147 Boca Jr-ARG
127 Nacional-URU
121 Cruzeiro
115 Peñarol-URU
 97 São Paulo
 95 Santos
 90 Palmeiras
 77 Grêmio
 76 América-COL

sexta-feira, 7 de março de 2014

Libertadores: Países com mais finais consecutivas

Quinze dias atrás postei uma matéria que falava sobre os países com mais títulos consecutivos. Hoje posto os países com maior número de finais sucessivas. Atualmente os clubes brasileiros obtém a segunda melhor marca com nove finais seguidas desde 2005. Porém falta muito para igualar o recorde dos clubes argentinos que estiveram decidindo o título entre 1963 a 1979, portanto 17 finais. Se continuarmos disputando finais seguidas empataríamos com os argentinos somente em 2021.
Segue abaixo a lista de todos os países com no mínimo três finais seguidas e os respectivos clubes presentes nessas mesmas finais:

17 Argentina Boca Jr 63; Independiente 64 e 65; River Plate 66; Racing 67; Estudiantes 68,69,70 e 71; Independiente 72,73,74 e 75; River Plate 76 e Boca Jr 77,78 e 79
9 Brasil São Paulo e Atlético PR 05; Internacional e São Paulo 06; Grêmio 07; Fluminense 08; Cruzeiro 09; Internacional 10; Santos 11; Corinthians 12 e Atlético MG 13
4 Uruguai Nacional 64; Peñarol 65 e 66 e Nacional 67
   Brasil São Paulo 92,93 e 94 e Grêmio 95
   Brasil Cruzeiro 97; Vasco 98; Palmeiras 99 e 00
3 Uruguai Peñarol 60,61 e 62
   Brasil Palmeiras 61 e Santos 62 e 63
   Uruguai Nacional 69; Peñarol 70 e Nacional 71
   Argentina Independiente 84; Argentinos Jr 85 e River Plate 86
   Colômbia América 85,86 e 87
   Paraguai Olimpia 89,90 e 91

Argentinos, colombianos e venezuelanos na Copa Libertadores 2014

Os argentinos

Grupo 1 Vélez Sarsfield  A estréia do Vélez em Libertadores aconteceu em 1980. Ao ser eliminado na fase semifinal pelo Internacional foi interrompido uma escrita que durava 17 anos: pela primeira vez desde 1962 um clube argentino ficava fora de uma final. Na sua segunda participação em 1994 o clube se “redimiu” diante dos argentinos ao conquistar o título impedindo o tri são paulino. E então voltaria a estar entre os quatro primeiros apenas em 2011, sendo que nesse período longe das semifinais foram nove participações e em três delas o clube foi eliminado ainda na primeira fase.

Grupo 2 San Lorenzo  No total o “time do Papa” disputou onze edições de Libertadores e curiosamente suas melhores colocações foram as três primeiras participações. Foi semifinalista em 60, 73 e 88. Desde então o clube vem regredindo: eliminado nas quartas de final em 92 e 96 e na fase de grupos de 2000 a 2002 e em 2005. Com exceção de 08 quando depois de doze anos voltou a passar da primeira fase o clube caiu novamente na fase de grupos no ano seguinte. Retorna após cinco anos de ausência.

Grupo 3 Lanús   Campeão da Copa Sul-Americana de 2013 o Granate chega para a sua quinta participação em um intervalo de sete anos. Foram duas eliminações na fase de grupos e outras duas nas oitavas, onde foi o máximo que conseguiu chegar.

Grupo 6 Newell’s Old Boys  O clube de Rosário estreou em 1975. Nas duas participações seguintes chegou ao vice-campeonato: em 88 e em 92. Eliminando nas oitavas em 93 retornou a competição somente em 2006, onde também caiu nessa fase. Nas duas últimas participações o clube foi eliminado ainda na Pré-Libertadores em 2010 e foi semifinalista ano passado ao cair para o Atlético nos pênaltis.

Grupo 8 Arsenal  Assim como o Lanús também começou a participar da Copa Libertadores a partir de 2008. Foram três edições disputadas e em todas o clube caiu na fase de grupos. O clube da cidade de Sarandi não costuma ter sorte contra brasileiros: em oito jogos perdeu cinco com direito a três goleadas sofridas (0x6 Fluminense e 2x5 Atlético por duas vezes).

Os colombianos

Grupo 3 Deportivo Cali  Por duas vezes os colombianos chegaram a final: em 78 quando perderam para o Boca Jr e em 99 caindo diante do Palmeiras. Foi semifinalista mais outras duas vezes. A última grande campanha foi em 2004 quando chegou as quartas de final. Participou ainda em 2006 e somente agora oito anos depois retorna a competição.

Grupo 4 Santa Fé  Foram apenas sete participações sendo que pela primeira vez participa de duas edições consecutivas, mas o que mais chama a atenção é que o clube detém o recorde de maior intervalo entre duas semifinais disputadas. Após cair diante do Palmeiras em 1961 somente 52 anos depois é que os colombianos retornariam a uma semifinal. É bem verdade que o recorde se deve ao fato de poucas participações,por exemplo o clube jogou apenas quatro edições nos últimos quarenta anos, mas é um fato curioso que acabou entrando para a história.

Grupo 6  Nacional  O clube de Medellín viveu sua melhor fase na competição entre o fim dos anos 80 e metade dos anos 90, mas precisamente no intervalo de quando foi finalista: campeão em 89 e vice em 95. Nesse período foi semifinalista em 90 e 91, chegou as quartas em 92 e as oitavas em 93. Antes disso foram cinco eliminações seguidas na primeira fase. Desde quando perdeu a final para o Grêmio o clube não consegue mais fazer boas campanhas chegando no máximo nas oitavas em três das quatro edições que jogou até aqui.

Os venezuelanos

Grupo 4 Zamora  Vem para a sua segunda participação em Libertadores. Dois anos atrás caiu na primeira fase sem ter feito um golzinho sequer.

Grupo 8 Deportivo Anzoátegui  Foram apenas duas edições jogadas e em ambas eliminadas ainda na Pré-Libertadores (2009 e 2013).