Páginas

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Copa Sul-Americana: jogos de ida das quartas de final



Dois times largam com uma certa vantagem para os jogos de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana: São Paulo e River Plate. Os brasileiros bateram o Emelec-EQU por 4 a 2 e podem até perder por um gol de diferença que estarão nas semifinais enquanto que o River venceu o confronto doméstico com o Estudiantes por 2 a 1 na casa do adversário e agora joga pelo empate (ou derrota pelo placar de 1 a 0) em seus domínios para seguir adiante. Já Boca e Nacional de Medellín venceram em casa pelo placar mínimo e ambos jogam por um empate na volta ou derrota por um gol desde que marque algum no estádio do rival.

29/10 quarta-feira
Nacional-COL 1x0 Universidad Cesar Vallejo-PER
Estudiantes-ARG 1x2 River Plate-ARG

30/10 quinta-feira
São Paulo 4x2 Emelec-EQU
Boca Jrs-ARG 1x0 Cerro Porteño-PAR

jogos de volta das quartas de final

05/11 quarta-feira
Universidad César Vallejo-PER x Nacional-COL
Emelec-EQU x São Paulo

06/11 quinta-feira
Cerro Porteño-PAR x Boca Jrs-ARG
River Plate-ARG x Estudiantes-ARG



Copa Libertadores Feminina 2014



Começa nesta quarta-feira a edição de número seis da Copa Libertadores Feminina. Participarão doze times sendo um de cada país filiado à Conmebol, mais o campeão da Libertadores e o clube do país-sede. Como o Brasil sediará o torneio e tem o detentor do título, será representado por três times. A competição será realizada na cidade de São José dos Campos, interior de São Paulo e jogada em três estádios diferentes.
Na primeira fase as doze equipes serão divididas em três grupos de quatro cada. O campeão de cada grupo mais o melhor segundo colocado avançarão para as semifinais onde quem vencer decide o título no dia 16. Veja quais são as doze equipes participantes, as partidas dessa primeira semana e as campeãs:

Grupo A São José-BRA, Mundo Futuro-BOL, Real Maracaná-PER e Boca Jrs-ARG
Grupo B Centro Olímpico-BRA, Caracas-VEN, Cólon-URU e Colo Colo-CHI
Grupo C Vitória Tabocas-BRA, Formas Íntimas-COL, Cerro Porteño-PAR e Rocafuerte-EQU 

05/11 quarta-feira
Boca Jrs-ARG x Mundo Futuro-BOL
São José x Real Maracanã-PER

06/11 quinta-feira
Caracas-VEN x Colo Colo-CHI
Centro Olímpico x Cólon-URU
Vitória x Rocafuerte-EQU
Cerro Porteño-PAR x Formas Íntimas-COL

07/11 sexta-feira
Mundo Futuro-BOL x Real Maracaná-PER
São José x Boca Jrs-ARG

todas as campeãs
2009 Santos
2010 Santos
2011 São José
2012 Colo Colo-CHI
2013 São José



Brasil x Argentina: As dez maiores vitórias argentinas

Vamos as dez maiores vitórias da Argentina sobre a seleção brasileira:

20/09/1914 Argentina 3x0 Brasil  O começo da rivalidade
Com gols de Izaguirre (2) e Molfino, a seleção da Argentina venceria o primeiro confronto diante do Brasil no estádio do Gimnasia y Esgrima de Buenos Aires.

15/01/1939 Argentina 5x1 Brasil  Maior vitória em solo brasileiro
Os argentinos já vinham de três vitórias consecutivas sobre o Brasil quando ambos se enfrentaram em São Januário pela Copa Roca de 1939. E o que se viu foi um verdadeiro massacre: 5 a 1 com o brasileiro Leônidas descontando quando os argentinos já haviam marcado cinco gols. Essa foi a maior vitória, ou de Argentina, ou de Brasil, na casa do adversário.

05/03/1940 Argentina 6x1 Brasil  Maior goleada da história do clássico
Um ano e três partidas da maior vitória argentina em solo brasileiro, agora foi o a vez da maior goleada da história do clássico. Nada mais nada menos que seis a um no estádio do San Lorenzo, com direito a um hat-trick de Peucelle. Os anos 40 foram maravilhosos para os argentinos diante dos brasileiros, pois venceram sete dos onze confrontos, sendo a maioria de goleada como essa.

24/03/1963 Argentina 3x0 Brasil  Vitória sobre os então bicampeões mundiais
Passados os anos 40 onde foram sofríveis para os brasileiros diante dos argentinos, demos a volta por cima sendo bicampeões mundiais e afastando o famoso “complexo de vira-latas” que havia entre nós. Pois no primeiro clássico após o bi, os argentinos enfiaram três a zero em La Paz  válido pela Copa América da Bolívia.

24/08/1983 Argentina 1x0 Brasil  Fim de um jejum de treze anos sem vitórias
Depois de ter vencido a seleção meses antes da Copa de 70, os argentinos voltariam a derrotar os brasileiros apenas treze anos depois, em casa pela Copa América de 1983. A vitória por um a zero, gol do ex-treinador do Palmeiras Ricardo Gareca fez o país explodir em comemoração, afinal foram oito derrotas e cinco empates nesse período com direito a duas eliminações para brasileiros em Copas do Mundo.

24/06/1990 Argentina 1x0 Brasil  Única vitória em Copas sobre o Brasil
Caniggia passa sobre Taffarel e faz o gol que eliminou os brasileiros da Copa 90
“Brasil, decime que se siente”... Quem não ouviu essa música cantada pelos argentinos onde jogavam pela Copa desse ano? Pois é, a música em questão se refere a essa partida válido pelas oitavas de final da Copa de 1990, na Itália. Um jogo em que o Brasil massacrou, mas o gol não saiu e em um contra-ataque mortal puxado pelo Maradona e gol de Caniggia o sonho brasileiro do tetra seria adiado por mais quatro anos.

17/07/1991 Argentina 3x2 Brasil  Rumo ao título da Copa América
O jogo era pela primeira rodada do quadrangular final da Copa América daquele ano. Mas em um grupo com Chile e Colômbia, acreditava-se que quem vencesse praticamente ficaria com o título. E nessa final antecipada com direito a cinco expulsões, os argentinos venceram com três gols de cabeça e seguiriam rumo a conquista de um título que não via desde 1959! Por isso essa vitória entrou para as dez mais.

27/06/1993 Argentina 1x1 Brasil (6x5 nos pênaltis) Primeira decisão por pênaltis
Dois anos depois Brasil x Argentina voltariam a se enfrentar pela Copa América, dessa vez pelas quartas de final. E após empate por um gol, teríamos pela primeira vez na história do confronto decisão por pênaltis. Com o ultimo pênalti desperdiçado por Marco Antonio Boiadeiro, os argentinos seguiriam adiante rumo ao bicampeonato.

29/04/1998 Argentina 1x0 Brasil  28 anos depois volta a vencer no Brasil

Claudio Lopez comemora ao marcar: fim do tabu de 28 anos sem vitórias no Brasil
Coincidentemente ou não, a última vitória argentina em gramados brasileiros havia sido em véspera de Copa do Mundo (2x0 em 1970) como agora. Nove jogos e vinte e oito anos depois, o gol solitário de Cláudio “Piojo” Lopez pos fim ao tabu que tanto incomodava nossos vizinhos. Meses depois ambos fracassariam na Copa da França.

09/06/2012 Argentina 4x3 Brasil  Hat-trick de Messi
Lionel Messi: três gols no Brasil 
Amistoso jogado pela primeira vez nos Estados Unidos, também entrou para a história graças as viradas e também pelo hat-trick de Messi. Os brasileiros abriram o placar com Rômulo, mas Messi viraria com dois gols ainda no primeiro tempo. Na etapa final, Oscar e Hulk virariam a favor do Brasil. Fernandez empataria e quando o jogo caminhava para o final, eis que Messi faz o terceiro dele e decreta vitória argentina por 4 a 3. Desde Paolo Rossi na Copa de 1982 que a seleção brasileira não sofria três gols de um único jogador. De argentino então, desde o hat-trick de Peucelle no 6x1 argentino de 1940, exatos 72 anos!




Especial: O futebol na cidade de São Paulo



No mês que vem o blog Futebol da América do Sul publicará um especial sobre o futebol na cidade de São Paulo. Dividido em quatro partes, contaremos sobre o início, o surgimento dos primeiros grandes times, as extinções de alguns clubes, as eras amadora e profissional, títulos, estádios e tudo mais. Cada um das quatro partes será de um assunto específico que segue abaixo:

Dia 07/11 Parte 1: a história do futebol paulistano
Aqui falarei como tudo começou, os primeiros times, a popularização do futebol, os que foram extintos e quais os motivos, quais os que se afirmaram no cenário futebolístico paulistano, as ligas amadoras, os estádios e um panorama atual.

Dia 14/11 Parte 2: o "Trio de Ferro" paulistano
Tudo sobre os três maiores clubes da cidade (Corinthians, Palmeiras e São Paulo): Surgimento, títulos, tabus, confrontos, craques e o que os três dos maiores clubes do país representam para o futebol estadual, nacional e internacional.

Dia 21/11 Parte 3: os times extintos
Contaremos principalmente a história dos times do início do século e que hoje muitos deles nem existem mais, os que ainda sobrevivem sem futebol, os clubes centenários, as ligas pelas quais jogaram, os clubes de colônia etc.

Dia 28/11 Parte 4: o futebol da Região Metropolitana
Sairemos da cidade e falaremos um pouco dos clubes da Grande São Paulo: história, conquistas e rivalidades.

Então a partir da próxima sexta dia 07 de novembro o especial: O futebol na cidade de São Paulo.


sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Copa Sul-Americana: Quartas de final



Conhecemos nessa semana os quatro times que faltavam para completar os oito quadrifinalistas da Copa Sul-Americana 2014. E dos três confrontos Argentina x Paraguai o palcar terminou 2 a 1 para os argentinos com as classificações de Boca e River e o Cerro Porteño "descontando" para os paraguaios.
Os argentinos inclusive serão maioria nessa fase com três representantes (Boca, River e Estudiantes) enquanto que os outro cinco times são de cinco países diferentes: São Paulo (Brasil), Nacional (Colômbia), Emelec (Equador), Cerro Porteño (Paraguai) e Universidad César Vallejo (Peru). Acompanhe a seguir os resultados dos jogos de volta das oitavas de final e os confrontos de ida das quartas:

oitavas de final - jogos de volta

21/10 terça-feira
Lanús-ARG 1 x 1 Cerro Porteño-PAR

22/10 quarta-feira
Peñarol-URU 2 x 1 Estudiantes-ARG (nos pênaltis 1x3)
River Plate-ARG 2 x 0 Libertad-PAR

23/10 quinta-feira
Deportivo Capiatá-PAR 0 x 1 Boca Jrs-ARG (nos pênaltis 3x4)

quartas de final - jogos de ida

29/10 quarta-feira
Nacional-COL x Universidad Cesar Vallejo-PER
Estudiantes-ARG x River Plate-ARG

30/10 quinta-feira
São Paulo x Emelec-EQU
Boca Jrs-ARG x Cerro Porteño-PAR



Todos os quadrifinalistas da Copa Sul-Americana


Definidos os oito clubes classificados para as quartas de final da Copa Sul-Americana 2014, o blog traz pra você todas as equipes que chegaram a essa fase na história da competição. Três clubes são os recordistas: São Paulo e os argentinos River Plate e Boca Jr com cinco edições terminando entre os oito primeiros colocados.
Veja a seguir a lista completa dos 56 times quadrifinalistas desde que a competição passou a ser disputada em 2002:

5 presenças
River Plate-ARG, Boca Jr-ARG e São Paulo

4 presenças
Nacional-COL, Cerro Porteño-PAR, LDU-EQU e Vélez Sarsfield-ARG

3 presenças
San Lorenzo-ARG, Libertad-PAR, Arsenal-ARG, Internacional e Universidad de Chile-CHI

2 presenças
Nacional-URU, Bolívar-BOL, Gimnasia y Esgrima-ARG, Santos, América-MEX, Fluminense, Universidad Católica-CHI, Lanús-ARG, Vasco, Millonarios-COL, Chivas-MEX, Botafogo, Estudiantes-ARG, Palmeiras e Independiente-ARG

1 presença
Alianza Lima-PER, Racing-ARG, Santiago Wanderers-CHI, Cienciano-PER, The Strongest-BOL, Junior-COL, Corinthians, Pumas-MEX, Toluca-MEX, Colo Colo-CHI, Pachuca-MEX, Atlético Paranaense, Defensor-URU, Argentinos Jrs-ARG, River Plate-URU, Newell’s Old Boys-ARG, Tolima-COL, Atlético Mineiro, Goiás, Avaí, Santa Fé-COL, Universitário-PER, Grêmio, Tigre-ARG, Ponte Preta, Itagüi-COL, Universidad César Vallejo-PER e Emelec-EQU




Depois do Nacional, outro pequeno paraguaio fez história



Surpreendeu a todos a campanha que o Nacional, pequeno clube paraguaio da capital Assunção fez na última Copa Libertadores. De mero participante e condenado a cair ainda na primeira fase em um grupo com o então campeão Atlético Mineiro e o semifinalista  Santa Fé-COL, eis que o Nacional não só empatou as duas partidas que fez contra os brasileiros como "roubou" a segunda vaga do grupo dos colombianos. Depois sabemos o que aconteceu nos mata-matas: vitórias em casa e empate fora contra os argentinos Velez (melhor time da primeira fase) e Arsenal e por fim a tão inesperada classificação á final após bater os uruguaios do Defensor nas semifinais. Na decisão porém acabou parando no San Lorenzo.
Já nessa Copa Sul-Americana outro pequeno paraguaio também fez história. Trata-se do Deportivo Capiatá, clube fundado em 2008 e com apenas seis anos de vida aprontou das suas: em sua primeira competição internacional bateu o temido Boca Jrs em plena La Bombonera por um a zero, façanha que pouquíssimos clubes sul-americanos conseguiram em torneios oficiais da Conmebol. Entre os paraguaios apenas o gigante Olímpia havia alcançado tal feito em jogo válido pela extinta Supercopa de 1995.
Fundado em oito de setembro de 2008 na cidade de Capiatá através da fusão de alguns clubes de uma liga regional, debutou em competições oficiais dois anos depois, na División Intermedia, a segunda divisão paraguaia de onde ficou até 2012. No ano seguinte estrava na divisão principal já obtendo classificação para a Copa Sul-Americana desse ano.
Na primeira fase da competição passou pelo Danúbio, do Uruguai ao vencer em casa por 3 a 1 e empatar por dois a dois fora. Na fase seguinte o adversário foi o venezuelano Caracas. Ao empatar a ida em casa (1x1) todos davam como certa a eliminação, até porque o adversário era mais experiente em competições internacionais. Mas o que se viu foi o contrário: vitória por 3 a 1 em solo venezuelano e a vaga para as oitavas de final onde teria pela frente o todo poderoso Boca Jrs.
E mesmo diante de um adversário desse porte e ainda jogando na casa deles, os paraguaios não se intimidaram e conseguiram o inimaginável, que foi a vitória por um a zero graças a um gol contra de Magallán, já no fim do primeiro tempo.
Na segunda partida jogada ontem na cidade de Luque, já que seu pequenino estádio comporta apenas oito mil torcedores, o pequeno clube paraguaio acabou sentindo a enorme pressão de segurar o empate que lhe daria a vaga para as quartas. E com gol de Calleri aos 22 do segundo tempo, os argentinos que dominaram a partida venceram e levaram a decisão para as penalidades. Aí prevaleceram camisa e o goleiro Orión, que com dois pênaltis defendidos garantiu o Boca nas quartas de final. mas independente da derrota, a verdade é que o Club Deportivo Capiatá já havia feito história na América do Sul!

Festa do Boca: vitória no tempo normal e depois nos pênaltis.



Brasil x Argentina: As dez maiores vitórias brasileiras



Ainda falando do maior clássico entre seleções da América do Sul que completou cem anos mês passado, hoje posto as dez maiores vitórias brasileiras sobre os rivais argentinos. Semana que vem farei ao contrário, postarei as dez maiores vitórias dos “hermanos” sobre os brasileiros:

27/09/1914 Brasil 1x0 Argentina  Primeira vitória e primeira taça
Essa foi a segunda partida entre as seleções na história, pois uma semana antes já haviam se enfrentado e o placar foi 3 a 0 para os argentinos. Foi também o primeiro jogo valendo pela Copa Roca, atual Superclássico das Américas que acabou sendo conquistada pelo Brasil graças ao gol solitário de Rubens Salles no estádio do Gimnasia y Esgrima de Buenos Aires.


20/12/1945 Brasil 6x2 Argentina  Maior goleada brasileira
Antes dessa partida a seleção brasileira vinha de quatro derrotas consecutivas, incluindo um 5 a 1 pra eles em 1940. Mas nesse dia os brasileiros lavaram a alma: 6 a 2 no Rio de Janeiro com direito a dois de Ademir, futuro artilheiro da Copa de 1950.

29/05/1960 Brasil 4x1 Argentina  Maior vitória na casa do adversário
Até a presente data, os brasileiros haviam vencido os argentinos na casa deles apenas três vezes, e no máximo por dois gols de diferença. Três dias antes haviam perdido por quatro a dois pelo primeiro jogo da Copa Roca de 1960. Já no segundo jogo com a vitória por dois a zero no tempo normal (dois de Delém), forçou-se uma prorrogação e nela a seleção marcaria mais dois (Julinho e Servílio) e no agregado bateria os argentinos por 4 a 1, sacramentando a maior vitória sobre os argentinos jogando na Argentina.

30/06/1974 Brasil 2x1 Argentina  Primeira vitória em Copas
Era o primeiro confronto das duas seleções válido pela Copa do Mundo. O jogo em questão foi em Hannover, na Alemanha pela segunda rodada da segunda fase e ambos disputavam uma vaga na final em um grupo que tinha a extinta Alemanha Oriental e a Holanda. Com gols de Rivellino e Jairzinho a seleção eliminou os argentinos (que já haviam perdido dias antes) para depois cair para os holandeses dias depois.

02/07/1982 Brasil 3x1 Argentina  Vitória que eliminou os campeões mundiais

Falcão em lance contra a Argentina no estádio do Sarriá, em Barcelona
Assim como na Alemanha, os argentinos já vinham de derrota e precisavam vencer o Brasil para manter vivo o sonho do bi. Mas o Brasil era muito mais time e vinha encantando em gramados espanhóis... Resultado: três a um Brasil com direito a expulsão bizarra de Maradona.

08/11/1995 Brasil 1x0 Argentina  Vitória fora de casa depois de 20 anos
Com gol do então obscuro Donizete, o “Pantera”, a seleção pôs fim a um tabu de quase vinte anos sem vitórias em solo argentino, o que não ocorria desde 1976. Tudo bem que nesse período foram apenas cinco jogos mas o feito acabou entrando para a história.

25/07/2004 Brasil 2x2 Argentina (4x2 pênaltis) Campeão com o Time B

Alex ergue a Copa América após bater a Argentina nos pênaltis.
Time B devido ao fato dos principais jogadores brasileiros que atuavam na Europa não terem sido chamados para a competição (Ronaldo, Roberto Carlos, Cafu, Dida...). E a seleção não fez feio, vencendo seus adversários um a um até enfrentar os argentinos (com o time principal) na final. E eles venciam por dois a um quando nos acréscimos Adriano faz o gol de empate que levaria a decisão para os pênaltis aonde com duas cobranças desperdiçadas pelos argentinos a taça viria para o Brasil.

29/06/2005 Brasil 4x1 Argentina  Goleada na final da Copa das Confederações
Favoritíssima para conquistar a Copa da Alemanha, a seleção teria antes mais uma prova de fogo, que era a Copa das Confederações também em solo alemão. Depois de uma fase de grupos meia cambaleante, a seleção cresceu no mata-mata: bateu os donos da casa nas semifinais e na decisão enfiou quatro a um com dois de Adriano, um de Kaká e outro de Ronaldinho Gaúcho com Aimar descontando. Menos de um ano depois, nova vitória brasileira em decisões contra os argentinos.

15/07/2007 Brasil 3x0 Argentina  A terceira final vencida em três anos
Disputada pela primeira vez na Venezuela, a Copa América teve pela segunda edição seguida um Brasil x Argentina na final. E diferente de 2004 dessa vez o título veio de maneira mais tranqüila com gols de Julio Batista, Ayala (contra) e Daniel Alves. E assim os argentinos iam se tornando fregueses dos brasileiros em decisões.

05/09/2009 Brasil 3x1 Argentina  Vitória que valeu vaga na Copa 2010

Luis Fabiano em lance contra Verón: dois gols na "Batalha de Rosário".


A seleção voava nas Eliminatórias enquanto que a Argentina penava. Para dar um clima mais de pressão para a partida, os argentinos resolveram mandar o jogo para a cidade de Rosário, no estádio do Rosário Central, conhecido como um verdadeiro caldeirão. Mas o feitiço virou contra o feiticeiro: em apenas trinta minutos os brasileiros já venciam por dois a zero. O placar final terminaria com vitória por três a um e classificação antecipada à Copa de 2010 para o Brasil enquanto que os argentinos só conseguiriam a vaga na última rodada em confronto direto com o Uruguai.



Um pulinho pela segunda divisão dos campeonatos nacionais

Quinze dias atrás publicamos como andam os campeonatos nacionais dos países filiados a Conmebol. Hoje posto um resumo da segunda divisão desses mesmos países lembrando que dois ex-campeões da Libertadores jogam hoje no segundo nível de seus respectivos campeonatos nacionais: Argentinos Juniors e Vasco da Gama. Campeão da extinta Merconorte e quatro vezes vice da Libertadores, o América de Cáli também é outro time ilustre.

Argentina
Com a reestruturação das divisões do futebol argentino, a segunda divisão chamada por lá de Primeira B Nacional tem 22 times divididos em dois grupos de onze brigando por dez vagas (cinco por grupo) e nenhum descenso. Após treze rodadas no Grupo A San Martín de San Juan e Gimnasia y Esgrima de Jujuy dividem a liderança com 23 pontos. No B a liderança pertence ao Crucero del Norte também com 23 seguido de Unión Santa Fé com 22 e Temperley com 21. Campeão a Libertadores de 1985, o Argentinos Jrs é apenas o sétimo no Grupo A com 15 pontos e fora da zona de acesso.

Bolívia
Quinze clubes jogam a Nacional B que na primeira fase são divididos regionalmente em três grupos de cinco. Os dois primeiros de cada grupo se classificam para o hexagonal final que classificará campeão e vice para a divisão principal. A competição teve apenas uma rodada até aqui pois começou nesse último fim de semana.

Brasil
Faltando apenas sete rodadas para o fim da Série B, a liderança pertence a Ponte Preta. A atual vice da Copa Sul-Americana tem 60 pontos, três a mais que o segundo colocado Joinville. Em terceiro aparece o Vasco da Gama com 54. Fechando o G-4 está o Avaí com 52. Há um bom tempo esses quatro times vêm estando na zona de classificação e muito difícil que deixem de subir. Com 50 pontos na quinta colocação o Ceará ainda tenta ameaçá-los.

Chile
Um total de catorze times vêm desde agosto jogando a Primera B de Chile onde apenas o campeão ascenderá a divisão de elite. Na primeira colocação aparece o San Luis de Quillota com 24 pontos em dez rodadas. Dividem o segundo lugar com sete pontos a menos o Santiago Morning e o tradicional Everton, rebaixado na última temporada.

Colômbia
A Primera B colombiana é dividido em Apertura e Finalización. Atualmente estamos na penúltima rodada do Finalización que apontará dos dezoito participantes, oito que irão para os mata-matas desse segundo torneio até que se chegue ao campeão que irá enfrentar na decisão o Jaguares, campeão do Apertura. Faltando uma rodada para o fim da primeira fase do Finalización estão nos mata-matas Deportes Quindio, Unión Magdalena e o próprio Jaguares. Outras seis equipes brigam pelas cinco vagas restantes, entre elas o América de Cali, tradissionalíssimo clube sul-americano que amarga a segunda divisão há três temporadas. O campeão da Primera B sobe direto enquanto que o vice joga um play-off contra o penúltimo da divisão principal.

Equador
Desde fevereiro doze times vêm se enfrentando por longos quatro turnos, num total de 44 jogos por time. Faltando sete rodadas para o fim da Série B equatoriana, a liderança está nas mãos do Aucas com 71 pontos, dois a mais que o River Ecuador. Em um torneio que sobem campeão e vice, ainda brigam pelo acesso o Técnico Universitário (64) e com um ponto a menos a Liga de Portoviejo.

Paraguai
Faltando apenas uma rodada para terminar a División Intermedia 2014, San Lorenzo e Deportivo Santaní já se garantiram na divisão principal. Ambos dividem a liderança com 54 pontos e se terminarem empatados em pontos um jogo extra definirá o campeão.

Peru
São dezesseis clubes se enfrentando em turno e returno onde após trinta rodadas apenas o campeão subirá para a primeira divisão. Faltando seis rodadas para o fim da Segunda División, o Deportivo Municipal lidera com 48 pontos, cinco a mais que o segundo colocado Alianza Huánuco. Tradicional clube peruano, o Sport Boys luta para não cair para a terceira divisão.

Uruguai
Ainda estamos na sexta rodada em um total de 28 jogos que cada time irá fazer. Rebaixado na última temporada, o Liverpool divide a primeira colocação com o Huracán e Cerro Largo, todos com treze pontos. Campeão e vice sobem direto enquanto que do terceiro ao sexto colocados jogam um play-off pela terceira vaga.

Venezuela
Participam dezenove equipes divididas em dois grupos regionais, um com dez e outro com nove. Ao fim dessa fase, avançam para a fase final os cinco melhores times de cada grupo, onde passam a se enfrentar em turno e returno até que os dois primeiros sobem para a primeira divisão. No Grupo Centro-Ocidental a liderança pertence ao Yaracuyanos com 21 pontos. No Grupo Centro-Oriental o líder é o Estudiantes de Caracas com 22.




sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Copa Sul-Americana: Jogos de volta das oitavas de final



Depois de uma pausa de quinze dias, a Copa Sul-Americana voltou essa semana com os jogos de ida das oitavas de final envolvendo clubes argentinos e os da volta entre os brasileiros. São Paulo, Universidad César Vallejo-PER, Emelec-EQU e Nacional-COL já estão nas quartas. Os outros quatro classificados conheceremos na semana que vem. River e Deportivo Capiatá venceram fora de casa Libertad e Boca Jrs respectivamente e jogam por um empate. O clube argentino inclusive pode até perder por um gol (ou dois se for por dois a zero) que mesmo assim estará nas quartas. Estudiantes e Cerro Porteño venceram por apenas um gol e também jogam por um empate fora de casa. Os derrotados Peñarol e Lanús se garantem vencendo pelo placar de 1x0.

oitavas de final - jogos de ida

14/10 terça-feira
Estudiantes-ARG 2x1 Peñarol-URU
Cerro Porteño-PAR 2x1 Lanús-ARG

15/10 quarta-feira
Boca Jrs-ARG 0x1 Deportivo Capiatá-PAR

16/10 quinta-feira
Libertad-PAR 1x3 River Plate-ARG

oitavas de final - jogos de volta

15/10 quarta-feira
Huachipato-CHI 2x3 São Paulo
Universidad César Vallejo-PER 2x0 Bahia (7x6 nos pênaltis)
Goiás 1x0 Emelec-EQU (5x6 nos pênaltis)

16/10 quinta-feira
Vitória 0x1 Nacional-COL

próximos jogos

oitavas de final - jogos de volta

21/10 terça-feira
Lanús-ARG x Cerro Porteño-PAR

22/10 quarta-feira
Peñarol-URU x Estudiantes-ARG
River Plate-ARG x Libertad-PAR

23/10 quinta-feira
Deportivo Capiatá-PAR x Boca Jrs-ARG




Copa Sul-Americana: Apenas um clube brasileiro entre os oito melhores

Depois das eliminações dolorosas de Bahia, Goiás e Vitória, sobrou apenas o São Paulo de clube brasileiro na competição quebrando uma sequencia de duas edições com pelo menos dois times do país entre os quadrifinalistas.
Já ao longo da história da competição tivemos apenas um representante brasileiro entre os oito melhores em outras duas oportunidades: em 2006 com o Atlético Paranaense e 2011 com o Vasco. Em contrapartida, a edição de 2010 foi a que mais teve brasileiros entre os quadrifinialistas, com quatro times. Além de ser o único brasileiro vivo na competição, o São Paulo luta para manter outra escrita: desde 2008 temos pelo menos um clube do país nas semifinais.
Segue abaixo a lista com todos os clubes brasileiros que chegaram até as quartas de final da Copa Sul-Americana e como terminaram o campeonato:

2003 São Paulo semifinais
         Santos quartas
2004 Internacional semifinais
         Santos quartas
2005 Corinthians quartas
         Fluminense quartas
         Internacional quartas
2006 Atlético Paranaense semifinais
2007 São Paulo quartas
         Vasco quartas
2008 Internacional campeão
         Palmeiras quartas
         Botafogo quartas
2009 Fluminense vice
         Botafogo quartas
2010 Goiás vice
         Palmeiras semifinais
         Atlético Mineiro quartas
         Avaí quartas
2011 Vasco semifinais
2012 São Paulo campeão
         Grêmio quartas
2013 Ponte Preta vice
         São Paulo semifinais


        

Superclássico: Brasil campeão no centésimo confronto secular



Com dois gols de Diego Tardelli, a seleção brasileira venceu a Argentina (2x0) e faturou mais uma edição do Superclássico das Américas. Somando-se a antiga Copa Roca, essa é a conquista de número onze contra quatro dos argentinos. Títulos à parte, o que chamou a atenção é que essa partida foi a centésima e justo no ano em que se completa um século de confrontos entre as duas seleções.
A primeira vez que Brasil e Argentina se enfrentaram foi no dia 20 de setembro de 1914 com vitória dos argentinos por três a zero no estádio do Gimnasia y Esgrima de Buenos Aires. Na partida seguinte veio a primeira vitória do Brasil e junto o primeiro título da seleção, a Copa Roca. A partir daí as duas seleções passaram a se enfrentar por diversas competições, acirrando ainda mais a rivalidade entre elas.
Pensando nesse confronto, o blog posta um resumo desse que é um dos maiores clássicos entre seleções do planeta hoje e nas próximas duas semanas:

Jogos 100
Vitórias do Brasil 40
Vitórias da Argentina 36
Empates 24
Gols do Brasil 157
Gols da Argentina 153
Maior artilheiro do Brasil Pelé, com 8 gols
Maior artilheiro da Argentina Baldonedo, com 7 gols
Maior vitória brasileira 6x2 em 20/12/1945 (Copa Roca)
Maior vitória argentina 6x1 em 05/03/1940 (Copa Roca)
Maior invencibilidade do Brasil 13 jogos (8 vitórias e 5 empates)
Maior invencibilidade da Argentina 6 jogos (5 vitórias e 1 empate)

Por competição
Copa América 32 jogos (9 VB, 8E,  15 VA)
Copa Roca/ Superclássico 28 jogos (14VB, 4E, 10 VA)
Amistosos 25 jogos (10 VB, 8E, 7 VA)
Eliminatórias Copa do Mundo 6 jogos (3VB, 1E, 2VA)
Copa do Mundo 4 jogos (2VB, 1E, 1VA)
Campeonato Pan-Americano 3 jogos ( 1VB, 1E, 1VA)
Copa das Confederações 1 jogo (1VB)
Mundialito FIFA 1 jogo (1E)

Por mando de campo
Mando do Brasil 38 jogos (23 VB, 7E, 9 VA)
Mando da Argentina 34 jogos (8 VB, 11 E, 15 VA)
Campo neutro 28 jogos (9 VB, 6E, 13 VA)

Países, cidades e estádios que mais se enfrentaram

Países
5 jogos Uruguai
3 jogos Chile
2 jogos Equador, Peru, Costa Rica e Alemanha

Cidades
28 jogos Buenos Aires
19 jogos Rio de Janeiro
  9 jogos São Paulo
  5 jogos Montevidéu-URU

Estádios
14 jogos Monumental de Nuñez (Buenos Aires)
11 jogos Maracanã (Rio de Janeiro)
  5 jogos Barracas (Buenos Aires) e São Januário (Rio de Janeiro)

Finais que se enfrentaram
Copa América 1937 Argentina 2x0 Brasil (Argentina campeã)
Copa América 1946 Argentina 2x0 Brasil (Argentina campeã)
Copa América 1959 Argentina 1x1 Brasil (Argentina campeã)
Copa América 2004 Brasil 2x2 Argentina (4x2 pênaltis-Brasil campeão)
Copa das Confederações 2005 Brasil 4x1 Argentina (Brasil campeão)
Copa América 2007 Brasil 3x0 Argentina (Brasil campeão)

Hat-tricks (três gols no rival)
Seoane Argentina 4x1 Brasil 13/12/1945 Copa América
Peucelle Argentina 6x1 Brasil 05/03/1940 Copa Roca
Mendéz Argentina 3x1 Brasil 14/02/1945 Copa América
Sanfilippo Argentina 4x1 Brasil 22/12/1959 Copa América
Pelé Brasil 5x2 Argentina 16/04/1963 Copa Roca
Rivaldo Brasil 4x2 Argentina 07/09/1999 Amistoso
Ronaldo Brasil 3x1 Argentina 02/06/2004 Eliminatórias Copa do Mundo
Messi Argentina 4x3 Brasil 09/06/2012 Amistoso

Placares que mais se repetiram
16 vezes 2x1
14 vezes 2x0
11 vezes 1x0
  8 vezes 0x0 e 3x1
  7 vezes 1x1, 2x2 e 3x0

  


Brasil x Argentina: Todos os 100 jogos

No post anterior fizemos um resumo do grande clássico sul-americano. Agora segue abaixo a lista com todos os cem jogos desse confronto que completou um século em setembro passado com a data, local, placar e o tipo do jogo:

20/09/1914 Argentina 3x0 Brasil Buenos Aires (Amistoso)
27/09/1914 Brasil 1x0 Argentina Buenos Aires (Copa Roca)
10/07/1916 Argentina 1x1 Brasil Buenos Aires (Copa América)
03/10/1917 Argentina 4x2 Brasil Montevidéu-URU (Copa América)
18/05/1919 Brasil 3x1 Argentina Rio de Janeiro (Copa América)
01/06/1919 Brasil 3x3 Argentina Rio de Janeiro (Amistoso)
25/09/1920 Argentina 2x0 Brasil Viña del Mar-CHI (Copa América)
02/10/1921 Argentina 1x0 Brasil Buenos Aires (Copa América)
15/10/1922 Brasil 2x0 Argentina Rio de Janeiro (Copa América)
22/10/1922 Brasil 2x1 Argentina São Paulo (Copa Roca)
18/11/1923 Argentina 2x1 Brasil Montevidéu-URU (Copa América)
02/12/1923 Brasil 2x0 Argentina Buenos Aires (Amistoso)
09/12/1923 Argentina 2x0 Brasil Buenos Aires (Copa Roca)
13/12/1925 Argentina 4x1 Brasil Buenos Aires (Copa América)
25/12/1925 Argentina 2x2 Brasil Buenos Aires (Copa América)
30/01/1937 Argentina 1x0 Brasil Buenos Aires (Copa América)
01/02/1937 Argentina 2x0 Brasil Buenos Aires (Copa América)
15/01/1939 Argentina 5x1 Brasil Rio de Janeiro (Copa Roca)
22/01/1939 Brasil 3x2 Argentina Rio de Janeiro (Copa Roca)
18/02/1940 Brasil 2x2 Argentina São Paulo (Copa Roca)
25/02/1940 Argentina 3x0 Brasil São Paulo (Copa Roca)
05/03/1940 Argentina 6x1 Brasil Buenos Aires (Copa Roca)
10/03/1940 Brasil 3x2 Argentina Buenos Aires (Copa Roca)
17/03/1940 Argentina 5x1 Brasil Avellaneda (Copa Roca)
18/01/1942 Argentina 2x1Brasil Montevidéu-URU (Copa América)
14/02/1945 Argentina 3x1Brasil Santiago-CHI (Copa América)
16/12/1945 Argentina 4x3 Brasil São Paulo (Copa Roca)
20/12/1945 Brasil 6x2 Argentina Rio de Janeiro (Copa Roca)
23/12/1945 Brasil 3x1 Argentina Rio de Janeiro (Copa Roca)
10/02/1946 Argentina 2x0 Brasil Buenos Aires (Copa América)
05/02/1956 Brasil 1x0 Argentina Montevidéu-URU (Copa América)
18/03/1956 Brasil 2x2 Argentina Cidade do México-MEX (Pan-Americano)
08/07/1956 Argentina 0x0 Brasil Avellaneda (Amistoso)
03/04/1957 Argentina 3x0 Brasil Lima-PER (Copa América)
07/07/1957 Argentina 2x1 Brasil Rio de Janeiro (Copa Roca)
10/07/1957 Brasil 2x0 Argentina São Paulo (Copa Roca)
04/04/1959 Argentina 1x1 Brasil Buenos Aires (Copa América)
22/12/1959 Argentina 4x1 Brasil Guayaquil-EQU (Copa América)
13/03/1960 Argentina 2x1 Brasil San José-CRC (Pan-Americano)
20/03/1960 Brasil 1x0 Argentina San José-CRC (Pan-Americano)
26/05/1960 Argentina 4x2 Brasil Buenos Aires (Copa Roca)
29/05/1960 Brasil 4x1 Argentina Buenos Aires (Copa Roca)
12/07/1960 Brasil 5x1 Argentina Rio de Janeiro (Amistoso)
24/03/1963 Argentina 3x0 Brasil La Paz-BOL (Copa América)
16/04/1963 Brasil 5x2 Argentina Rio de Janeiro (Copa Roca)
03/06/1964 Argentina 3x0 Brasil São Paulo (Amistoso)
09/06/1965 Brasil 0x0 Argentina Rio de Janeiro (Amistoso)
07/08/1968 Brasil 4x1 Argentina Rio de Janeiro (Amistoso)
11/08/1968 Brasil 3x2 Argentina Belo Horizonte (Amistoso)
04/03/1970 Argentina 2x0 Brasil Porto Alegre (Amistoso)
08/03/1970 Brasil 2x1 Argentina Rio de Janeiro (Amistoso)
28/07/1971 Argentina 1x1 Brasil Buenos Aires (Copa Roca)
31/07/1971 Argentina 2x2 Brasil Buenos Aires (Copa Roca)
30/06/1974 Brasil 2x1 Argentina Hannover-ALE (Copa do Mundo)
06/08/1975 Brasil 2x1 Argentina Belo Horizonte (Copa América)
16/08/1975 Brasil 1x0 Argentina Rosário (Copa América)
27/02/1976 Brasil 2x1 Argentina Buenos Aires (Amistoso)
19/05/1976 Brasil 2x0 Argentina Rio de Janeiro (Amistoso)
18/06/1978 Argentina 0x0 Brasil Rosário (Copa do Mundo)
02/08/1979 Brasil 2x1 Argentina Rio de Janeiro (Copa América)
23/08/1979 Argentina 2x2 Brasil Buenos Aires (Copa América)
04/01/1981 Brasil 1x1 Argentina Montevidéu-URU (Mundialito)
02/07/1982 Brasil 3x1 Argentina Barcelona-ESP (Copa do Mundo)
24/08/1983 Argentina 1x0 Brasil Buenos Aires (Copa América)
14/09/1983 Brasil 0x0 Argentina Rio de Janeiro (Copa América)
17/06/1984 Brasil 0x0 Argentina São Paulo (Amistoso)
05/05/1985 Brasil 2x1 Argentina Salvador (Amistoso)
10/07/1988 Brasil 0x0 Argentina Melbourne-AUS (Amistoso)
12/07/1989 Brasil 2x0 Argentina Rio de Janeiro (Copa América)
24/06/1990 Argentina 1x0 Brasil Turim-ITA (Copa do Mundo)
27/03/1991 Argentina 3x3 Brasil Buenos Aires (Amistoso)
27/06/1991 Brasil 1x1 Argentina Curitiba (Amistoso)
17/07/1991 Argentina 3x2 Brasil Santiago-CHI (Copa América)
18/02/1993 Argentina 1x1 Brasil Buenos Aires (Amistoso)
27/06/1993 Argentina 1x1 Brasil (6x5 pênaltis) Guayaquil-EQU (Copa América)
23/03/1994 Brasil 2x0 Argentina Recife (Amistoso)
17/07/1995 Brasil 2x2 Argentina (4x2 nos pênaltis) Rivera-URU (Copa América)
08/11/1995 Brasil 1x0 Argentina Buenos Aires (Amistoso)
29/04/1998 Argentina 1x0 Brasil Rio de Janeiro (Amistoso)
11/07/1999 Brasil 2x1 Argentina Ciudad del Leste-PAR (Copa América)
04/09/1999 Argentina 2x0 Brasil Buenos Aires (Amistoso)
07/09/1999 Brasil 4x2 Argentina Porto Alegre (Amistoso)
26/07/2000 Brasil 3x1 Argentina São Paulo (Eliminatórias Copa do Mundo)
05/09/2001 Argentina 2x1 Brasil Buenos Aires (Eliminatórias Copa do Mundo)
02/06/2004 Brasil 3x1 Argentina Belo Horizonte (Eliminatórias Copa do Mundo)
25/07/2004 Brasil 2x2 Argentina (4x2 nos pênaltis) Lima-PER (Copa América)
08/06/2005 Argentina 3x1 Brasil Buenos Aires (Eliminatórias Copa do Mundo)
29/06/2005 Brasil 4x1 Argentina Frankfurt-ALE (Copa das Confederações)
03/09/2006 Brasil 3x0 Argentina Londres-ING (Amistoso)
15/07/2007 Brasil 3x0 Argentina Maracaibo-VEN (Copa América)
18/06/2008 Brasil 0x0 Argentina Belo Horizonte (Eliminatórias Copa do Mundo)
05/09/2009 Brasil 3x1 Argentina Rosário (Eliminatórias Copa do Mundo)
17/11/2010 Argentina 1x0 Brasil Doha-CAT (Amistoso)
14/09/2011 Argentina 0x0 Brasil Córdoba (Superclássico das Américas)
28/09/2011 Brasil 2x0 Argentina Belém (Superclássico das Américas)
09/06/2012 Argentina 4x3 Brasil New Jersey-EUA (Amistoso)
19/09/2012 Brasil 2x1 Argentina Goiânia (Superclássico das Américas)
21/11/2012 Argentina 2x1 Brasil (3x4 nos pênaltis) Buenos Aires (Superclássico)
11/12/2014 Brasil 2x0 Argentina Pequim-CHN (Superclássico das Américas)





sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Buenos Aires: cada esquina um time de futebol (atualizado)


Buenos Aires: quase trinta times em uma cidade de 3 milhões de habitantes.

Cidade com quase três milhões de habitantes, a capital da Argentina é a que tem a maior concentração de times de futebol das Américas, sendo que no mundo fica apenas atrás de Londres. Ao todo são 29 clubes profissionais, alguns deles quase que amadores, mais participantes de uma das divisões do Campeonato Argentino.
O que muita gente confunde, inclusive até alguns meios de comunicação, é mencionar clubes da Região Metropolitana de Buenos Aires como sendo da capital. Não é raro escutar ou ler que “tal time irá a Buenos Aires para enfrentar o Banfield, Independiente ou Lanús”, por exemplo, sendo que esses são times de fora da Capital Federal. Por isso o blog Futebol da América do Sul posta para você de forma resumida quais são os times apenas de Buenos Aires, sem contar os da Região Metropolitana. Os clubes estão divididos por divisões e entre parênteses os bairros nos quais fazem parte ou têm seus estádios:


Primera División

Argentinos Jrs La Paternal
Boca Jrs La Boca
Huracán Parque Patrícios
River Plate Nuñez
San Lorenzo Boedo
Velez Sarsfield Liniers


Primera B Nacional (segunda divisão)

All Boys Floresta
Ferro Carril Oeste Caballito
Nueva Chicago Mataderos


Primera B Metropolitana (terceira divisão)

Atlanta Villa Crespo
Barracas Central Barracas
Comunicaciones Agronomia)
Defensores de Belgrano Nuñez
Deportivo Español Parque Avellaneda
Deportivo Riestra Villa Soldati


Primera C Metropolitana (quarta divisão)

Excursionistas Belgrano
Sacachispas Villa Soldati
Sportivo Barracas Barracas


Primera D Metropolitana (quinta divisão)

Atlético Lugano Villa Lugano
General Lamadrid Villa Devoto
Yupanqui Villa Lugano


Localização dos clubes


Buenos Aires dividida por bairros e a localização dos clubes. Créditos: Jogos Perdidos.

No mapa acima há oito clubes que têm sede ou foram fundados em Buenos Aires e que não está na minha relação pelo fato desses times jogarem em outras cidades, ou “partidos” como chamam os argentinos. São eles:

Primera B Nacional (segunda divisão)

Almagro Almagro, mas joga em 3 de Febrero
Chacarita Jrs La Chacarita, mas joga em Villa Maipú


Primera B Metropolitana (terceira divisão)

Deportivo Armênio Nuñez, mas joga em Escobar
Estudiantes de Buenos Aires Villa Devoto, mas joga em 3 de Febrero
Fênix Palermo, mas joga em Pilar
San Telmo San Telmo, mas joga em Dock Sud


Primera C Metropolitana (quarta divisão)

Liniers Liniers, mas joga em La Matanza


Primera D Metropolitana (quinta divisão)

Deportivo Paraguayo Barracas, mas joga em San Justo


Impressiona mesmo a quantidade de times de futebol que a cidade possui. Em um universo de 29 clubes (entre os que têm sede na cidade e os que jogam fora) para uma cidade de quase três milhões de habitantes, temos uma média de um time para cada 103 mil pessoas. Só para efeito de comparação, São Paulo com seus pouco mais de 11 milhões de moradores dividem entre si apenas seis clubes profissionais, o que dá uma média de um clube para cada quase dois milhões de paulistanos.


Clássicos da cidade

San Lorenzo x Huracán: para eles, o maior clássico de bairro do mundo.

Em Buenos Aires, diferente de vários lugares, cada clube representa seu bairro de origem. Torcer por determinado time significa defender sua gente, sua região, suas raízes. E daí é que temos vários clássicos dentro de uma mesma cidade, pois enfrentar um time de um bairro vizinho não envolve só futebol. Um exemplo é o clássico entre San Lorenzo e Huracán. Embora o campeão da Libertadores de 2014 seja um dos grandes do futebol argentino, vencer seu vizinho regional às vezes vale mais do que bater Boca ou River.
Outro contexto que explique essas rivalidades são confrontos sucessivos nas divisões de acesso do Campeonato Argentino, o que aumenta mais as animosidades entre esses clubes.
Veja a seguir a lista dos clássicos da capital:


Boca Jrs x River Plate
San Lorenzo x Huracán
Velez Sarsfield x Ferro Carril Oeste
All Boys x Nueva Chicago
Atlanta x Chacarita Jrs
Barracas Central x Sportivo Barracas
Comunicaciones x General Lamadrid
Deportivo Riestra x Sacachispas
Atlético Lugano x Yupanqui


Estádios e torcidas


Localização dos estádios e os proprietários. Imagem La Pelota no Dobla, da Argentina.

Atualmente existem dezessete estádios de futebol na capital portenha. Curiosamente, os cinco maiores pertencem aos cinco mais populares da cidade: Monumental de Nuñez (River), La Bombonera (Boca), Nuevo Gasômetro (San Lorenzo), José Amalfitani (Vélez) e Afonso Ducó (Huracán).
Boca e River, como todos sabem, são os dois mais populares do país. Juntas, as duas torcidas somam quase dois terços da preferência nacional. Outro clube que também é bastante popular em todo país, mas em proporção menor é o San Lorenzo. Vélez e Huracán têm suas torcidas restritas apenas na Região Metropolitana.
Dentre os pequenos, destacam-se: Chacarita Jrs, Argentinos Jrs, Nueva Chicago, Ferro Carril Oeste, Atlanta e All Boys. O restante resume-se apenas ao bairro ou região onde está situado.





Superclássico das Américas















Amanhã Brasil e Argentina se enfrentarão em Pequim, na China pelo Superclássico das Américas. Pra quem não sabe, o confronto que foi instituído em 2011 nada mais é que a reativação da Copa Roca, jogada entre as duas seleções por onze vezes entre 1914 a 1976. Organizada pela AFA e pela CBF, levava o nome do ex-presidente argentino Julio Roca, falecido no mesmo ano da criação do torneio.

Copa Roca

Os brasileiros venceriam as duas primeiras edições: em 1914 (primeiro troféu levantado pela seleção de sua história) na Argentina e em 1922 jogando em casa. Nas três seguintes deu Argentina e em todas numa melhor de três (1923 e 1940 em casa e um ano antes no Brasil).
Depois o Brasil venceria as quatro edições que viriam (1945 e 1957 em casa, 1960 fora e 1963 em casa). Em 1971 as duas seleções foram declaradas campeãs em solo argentino. Já na última edição em 1976 o Brasil sagrou-se campeão na única vez em que o torneio fora jogado em ida e volta.

Superclássico das Américas

Trinta e cinco anos depois a Copa Roca seria reativada com o nome de Superclássico das Américas. E o Brasil venceria as duas edições: em 2011 após empate sem gols e vitória em casa, e por fim no ano seguinte nos pênaltis após uma vitória em casa de cada lado por dois a um.
Após uma pausa ano passado, o confronto de amanhã será em partida única no Estádio Ninho do Pássaro, na capital chinesa.

Os campeões de cada edição

1914 Brasil
1922 Brasil
1923 Argentina
1939 Argentina
1940 Argentina
1945 Brasil
1957 Brasil
1960 Argentina
1963 Brasil
1971 Argentina
1976 Brasil e Argentina
2011 Brasil
2012 Brasil




Um pulinho pelos campeonatos nacionais da América do Sul

Aproveitando a parada da Copa Sul-Americana devido a data FIFA, contaremos pra você como andam os campeonatos nacionais da América do Sul:

Argentina
Em um campeonato disputado por vinte clubes, a liderança pertence ao River Plate com 22 pontos em dez rodadas, sendo ainda o único invicto da competição. Lanús com 20, Independiente com 19 e Atlético de Rafaela com 17 completam os quatro primeiros. Apenas o campeão garante vaga na Libertadores do ano que vem.

Bolívia
O Campeonato Boliviano é dividido em Apertura e Clausura. Atualmente joga-se o Apertura com liderança do Blooming (18 pontos) após dez rodadas, seguido por Wilstermann, San José e Real Potosí. O campeão garante vaga na Copa Libertadores de 2016 junto com o campeão do Clausura 2015, já que para a principal competição sul-americana do ano que vem irão participar Universitário de Sucre, The Strongest e San José, melhores colocados da temporada 2013-2014.

Brasil
No Brasileirão o Cruzeiro caminha a passos largos para o segundo título consecutivo. A vantagem para o segundo colocado (São Paulo) é de sete pontos faltando onze rodadas para o final. Praticamente classificado para a Copa Libertadores, o clube mineiro espera apenas quem ira lhe fazer companhia no torneio continental. Nesse momento seriam São Paulo, Internacional e Grêmio sendo que Corinthians, Atlético Mineiro, Santos e Fluminense correm por fora.

Chile
Pelo Apertura chileno a liderança pertence a Universidad de Chile, com nove vitórias em um empate nas dez partidas que fez aqui, tendo cinco pontos de vantagem em relação ao segundo colocado Colo Colo, que ganhou o Clausura no primeiro semestre desse ano e já está na Libertadores do ano que vem junto com o futuro campeão do Apertura 2014.

Equador
O Barcelona lidera a segunda etapa com 22 pontos após dez rodadas, cinco pontos a mais que o segundo colocado, o El Nacional. Campeão da primeira etapa, o Emelec já está na final do campeonato além de ter se classificado para a Libertadores do ano que vem. O campeão da segunda etapa junto com a equipe melhor classificada (o terceiro na classificação geral) também se garante na Libertadores. Nesse momento vai dando Barcelona, Emelec e Independiente del Valle.

Paraguai
Campeão do Apertura, o Libertad já está na próxima Libertadores. É o terceiro na tabela de classificação do atual Clausura estando quatro pontos atrás do Guarani e cinco do líder Cerro Porteño, este com 25 pontos em doze rodadas. Os dois últimos paraguaios finalistas da Libertadores (Nacional e Olímpia) dividem a quarta posição.

Peru
Depois de cinco rodadas do Clausura peruano, a liderança pertence ao Melgar com doze pontos, um a mais que o segundo colocado, o Alianza Lima. O campeão do Clausura enfrenta na final do Campeonato Peruano o Juan Aurich, campeão do Apertura. Ambos se garantem na Libertadores do ano que vem junto com o Alianza Lima, este por ter faturado o Torneo del Inca, que dava uma vaga a competição sul-americana.

Uruguai
O Campeonato Uruguaio é disputado igual a temporada européia. Estamos apenas na oitava rodada do primeiro turno (Apertura) e a liderança pertence ao Nacional com 21 pontos, dois a frente do Racing. Com dezesseis pontos, Defensor e Peñarol dividem a terceira posição. O campeão dos dois turnos decidem o campeonato além de se garantirem na Libertadores de 2016, já que na do ano que vem participam os três primeiros da temporada 2013-2014.

Venezuela
Líderes do torneio Apertura da temporada 2014-2015 do “Venezuelão,” Deportivo Táchira e Tucanes de Amazonas somaram até aqui dezessete pontos em oito rodadas. Deportivo La Guairá é o terceiro com dois pontos a menos. Os campeões de cada turno (Apertura 2014 e Clausura 2015) decidem o título e vão para a Libertadores 2016 junto com o melhor colocado na soma dos dois turnos tirando os campeões.





Torneios extintos: Copa Ouro e Copas Máster da Supercopa e Conmebol

Copa Ouro

Boca e sua Copa Ouro conquistada em 1993
A Copa de Ouro Nicolas Leóz, ou simplesmente Copa Ouro, foi um torneio jogado entre 1993 a 1996 em três edições. A idéia era de reunir os campeões da Libertadores, Supercopa, Conmebol e da Copa Máster da Supercopa, todos do ano anterior.

Histórico da competição

Na primeira edição em 1993, participaram São Paulo (campeão da Libertadores), Cruzeiro (Supercopa), Atlético Mineiro (Conmebol) e Boca Jr (Máster da Supercopa).Numa semifinal o Boca bateu os paulistas enquanto que no clássico mineiro deu Galo nos pênaltis. Na decisão, vitória argentina por um a zero após empate sem gols na primeira partida.
Depois de uma pausa, o torneio voltou em 1995 e com apenas duas equipes: São Paulo (campeão da Conmebol) e Cruzeiro (Máster da Supercopa) já que os argentinos Vélez (Libertadores) e Independiente (Supercopa) se recusaram a jogar. Após perder em casa por um a zero e ter a partida encerrada ainda no começo do segundo tempo devido à inferioridade numérica dos cruzeirenses, ficando com apenas seis jogadores em campo. Na volta, porém, vitória mineira no tempo normal e depois nos pênaltis. Curiosamente, as duas partidas foram jogadas também pelas quartas de final da Supercopa daquele mesmo ano.
E na última edição em 1996 os jogos foram realizados na cidade brasileira de Manaus, capital do Estado do Amazonas por Grêmio (campeão da Libertadores) e Rosário Central (Conmebol). Com a extinção da Coap Máster da Supercopa, o São Paulo, campeão da recém criada Copa Máster da Conmebol foi convidado junto com o Flamengo, vice da Supercopa que entrou no lugar do campeão Independiente, que mais uma vez não quis jogar o torneio. E os convidados aproveitaram a chance e fizeram a final com vitória flamenguista por três a um.

Colocação ano a ano

1993
Campeão Boca Jr-ARG
Vice Atlético Mineiro
Semifinalistas São Paulo e Cruzeiro

1995
Campeão Cruzeiro
Vice São Paulo

1996
Campeão Flamengo
Vice São Paulo
Semifinalistas Grêmio e Rosário Central




Copa Máster da Supercopa

A Copa Máster da Supercopa foi disputada apenas por duas edições nos anos de 1992 e 1995 e a idéia era de se reunir os quatro primeiros campeões da Supercopa, ou seja, seria uma Supercopa da própria Supercopa.

Histórico da competição

A primeira edição foi jogada em Buenos Aires no estádio do Vélez Sarsfield pelos campeões da Supercopa de 1988 a 1991, pela ordem de conquista: Racing-ARG, Boca Jr-ARG, Olímpia-PAR e Cruzeiro. Semifinais em jogo único, o Boca bateu os paraguaios enquanto que os brasileiros o Racing. Na final vitória boquense por dois a um. Já em 1995 e com um novo campeão (São Paulo), apenas Cruzeiro e Olímpia quiseram participar e ao empatar sem gols em Assunción, os mineiros venceriam no Mineirão pelo placar mínimo e ficariam com a taça.

Colocação ano a ano

Boca: o único clube argentino vencer as Copas Ouro e Master da Supercopa...


















...enquanto que o Cruzeiro é o único clube brasileiro a conquistar tal feito.













1992
Campeão Boca Jr-ARG
Vice Cruzeiro
Semifinalistas Olímpia-PAR e Racing-ARG

1995
Campeão Cruzeiro
Vice Olímpia-PAR


Copa Máster da Conmebol

Assim como a Copa Máster da Supercopa, essa tinha a intenção de reunir os campeões da Copa Conmebol de 1992 a 1995. Por isso é chamada de Supercopa Conmebol. Foi jogada apenas uma única vez, em 1996.

Histórico da competição

Em 1996 foi a única edição realizada do torneio, disputado em Cuiabá, Mato Grosso pelos quatro primeiros campeões da Copa Conmebol: Atlético Mineiro (1992), Botafogo (1993), São Paulo (1994) e Rosário Central-ARG (1995). Nas semifinais em partida única, o São Paulo aplicou uma goleada histórica no Botafogo (7x3) e se classificou para pegar o Atlético, que venceu o Rosário Central nos penaltis (10 a 9) após empate sem gols no tempo normal, reeditando a final da própria Conmebol meses antes. E por fim na decisão deu São Paulo, três a zero diante dos mineiros.

São Paulo: o campeão da única edição da competição
Colocação da única edição

1996
Campeão São Paulo
Vice Atlético Mineiro
Semifinalistas Rosário Central-ARG e Botafogo