Páginas

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Depois do Nacional, outro pequeno paraguaio fez história



Surpreendeu a todos a campanha que o Nacional, pequeno clube paraguaio da capital Assunção fez na última Copa Libertadores. De mero participante e condenado a cair ainda na primeira fase em um grupo com o então campeão Atlético Mineiro e o semifinalista  Santa Fé-COL, eis que o Nacional não só empatou as duas partidas que fez contra os brasileiros como "roubou" a segunda vaga do grupo dos colombianos. Depois sabemos o que aconteceu nos mata-matas: vitórias em casa e empate fora contra os argentinos Velez (melhor time da primeira fase) e Arsenal e por fim a tão inesperada classificação á final após bater os uruguaios do Defensor nas semifinais. Na decisão porém acabou parando no San Lorenzo.
Já nessa Copa Sul-Americana outro pequeno paraguaio também fez história. Trata-se do Deportivo Capiatá, clube fundado em 2008 e com apenas seis anos de vida aprontou das suas: em sua primeira competição internacional bateu o temido Boca Jrs em plena La Bombonera por um a zero, façanha que pouquíssimos clubes sul-americanos conseguiram em torneios oficiais da Conmebol. Entre os paraguaios apenas o gigante Olímpia havia alcançado tal feito em jogo válido pela extinta Supercopa de 1995.
Fundado em oito de setembro de 2008 na cidade de Capiatá através da fusão de alguns clubes de uma liga regional, debutou em competições oficiais dois anos depois, na División Intermedia, a segunda divisão paraguaia de onde ficou até 2012. No ano seguinte estrava na divisão principal já obtendo classificação para a Copa Sul-Americana desse ano.
Na primeira fase da competição passou pelo Danúbio, do Uruguai ao vencer em casa por 3 a 1 e empatar por dois a dois fora. Na fase seguinte o adversário foi o venezuelano Caracas. Ao empatar a ida em casa (1x1) todos davam como certa a eliminação, até porque o adversário era mais experiente em competições internacionais. Mas o que se viu foi o contrário: vitória por 3 a 1 em solo venezuelano e a vaga para as oitavas de final onde teria pela frente o todo poderoso Boca Jrs.
E mesmo diante de um adversário desse porte e ainda jogando na casa deles, os paraguaios não se intimidaram e conseguiram o inimaginável, que foi a vitória por um a zero graças a um gol contra de Magallán, já no fim do primeiro tempo.
Na segunda partida jogada ontem na cidade de Luque, já que seu pequenino estádio comporta apenas oito mil torcedores, o pequeno clube paraguaio acabou sentindo a enorme pressão de segurar o empate que lhe daria a vaga para as quartas. E com gol de Calleri aos 22 do segundo tempo, os argentinos que dominaram a partida venceram e levaram a decisão para as penalidades. Aí prevaleceram camisa e o goleiro Orión, que com dois pênaltis defendidos garantiu o Boca nas quartas de final. mas independente da derrota, a verdade é que o Club Deportivo Capiatá já havia feito história na América do Sul!

Festa do Boca: vitória no tempo normal e depois nos pênaltis.



Nenhum comentário:

Postar um comentário