Páginas

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Torneios extintos: Copa Mercosul



A Copa Mercosul, ou Mercosur em espanhol, foi uma competição disputada entre 1998 a 2001 paralela a Copa Merconorte e também por quatro edições. Participaram clubes dos cinco países do principal tratado econômico que deu nome a competição. As vagas eram distribuídas da seguinte forma: sete para o Brasil, seis para a Argentina, três para o Chile e duas vagas para uruguaios e paraguaios. O torneio foi questionado pelo fato de privilegiar os times mais populares e não os mais vitoriosos no sentido de dar mais audiência a competição. Santos e Estudiantes, por exemplo, não jogaram uma edição sequer, mesmo sendo multi-campeões na América do Sul. Polêmicas à parte, ao todo 23 clubes participaram do torneio.

Formula de disputa

Em todas as quatro edições os vinte times foram divididos em cinco grupos de quatro. Classificavam-se para as quartas de final os cinco primeiros mais os três melhores segundos colocados pelo índice técnico. A partir daí, mata-mata até a final que foi jogada em ida e volta nos anos de 1999 e 2001, e numa melhor de três em 1998 e 2000.

Histórico da competição

Classificado para a Copa Libertadores do ano seguinte, o Palmeiras usou a Copa Mercosul de 1998 como “teste de fogo” para a principal competição sul-americana. E não fez feio, conquistando o título de maneira incontestável vencendo onze das treze partidas que disputou, com direito a seis vitórias nos seis jogos da primeira fase, incluindo goleadas fora de casa sobre Independiente e Nacional. Depois vieram as vitórias sobre o Boca Jr nas quartas, Olímpia nas semifinais e por fim o título em cima do Cruzeiro, time que já havia derrotado meses antes da final da Copa do Brasil. No ano seguinte, já como campeão da Libertadores, o clube paulista voltaria à decisão depois de bater novamente o Cruzeiro, dessa vez nas quartas e depois o San Lorenzo. Mas ainda de ressaca pela perda do Mundial Interclubes, acabaria derrotado pelo Flamengo, que havia deixado pra trás Independiente nas quartas e Peñarol nas semifinais em partida bastante tumultuada.
Na edição de 2000, Grêmio e Racing deram lugar a Atlético Mineiro e Rosário Central respectivamente. E os mais novos participantes já de cara avançaram as quartas de final, que só contou com clubes argentinos e brasileiros. Vasco e Atlético eliminariam Rosário e Boca. No terceiro confronto Brasil x Argentina o Flamengo cairia frente ao River Plate e pela quarta vez seguida (e terceira em mata-mata), Palmeiras e Cruzeiro voltariam a se enfrentar e como nas edições anteriores os palmeirenses seguiriam adiante. Os vascaínos passariam pelo River e na final enfrentaria o Palmeiras, após este bater outro mineiro, dessa vez o Atlético.
Após uma vitória pra cada lado, foi necessário uma terceira partida para definir o campeão. E foi aí que aconteceu uma das maiores viradas da história do futebol: jogando em casa, os paulistas logo trataram de fazer três a zero ainda no primeiro tempo. Com o título pra lá de ganho, a equipe relaxou na etapa final e viu o Vasco fazer um gol atrás do outro e no final acabou perdendo por 4 a 3 com o gol do título carioca já nos acréscimos. Jamais a América do Sul havia visto algo parecido!
Já na última edição em 2001 tivemos a volta do Grêmio no lugar do Atlético e a estréia do Talleres que viria a substituir o Rosário Central. Novamente brasileiros e argentinos dominariam as quatro primeiras posições com Grêmio, Corinthians, Flamengo e San Lorenzo, sendo que os dois últimos chegariam a final. Seria a primeira decisão com um clube de outro país. E o futuro “time do Papa” não perderia a chance, e nas penalidades máximas evitaria o bicampeonato do Flamengo após empate nos dois jogos da finalíssima.

Os brasileiros no torneio

Palmeiras e a Copa Mercosul ganha em 1998: melhor do ranking do torneio.
Assim como clubes colombianos dominaram a Copa Merconorte, os brasileiros fizeram o mesmo com a Mercosul, conquistando três títulos nas finais que fizeram entre si e um vice quando decidiu com um clube de outro país. O Palmeiras não só é o que mais esteve em finais (três) como terminou líder no ranking da competição, sendo o clube que mais jogou, venceu, marcou mais gols e o que mais pontuou. Logo a seguir vêm os finalistas Flamengo (por duas vezes) seguido por Cruzeiro e Vasco, esses com uma final cada. Corinthians, Grêmio e Atlético Mineiro chegaram apenas uma vez as semifinais enquanto que o São Paulo é o único brasileiro a não passar da fase de grupos da história da competição. Nas duas primeiras edições foram duas equipes do Brasil entre os semifinalistas, número que aumentou para três nas edições seguintes.

Os quatro primeiros colocados ano a ano

1998
Campeão Palmeiras
Vice Cruzeiro
Semifinalistas Olímpia-PAR e San Lorenzo-ARG

1999
Campeão Flamengo
Vice Palmeiras
Semifinalistas San Lorenzo-ARG e Peñarol-URU

2000
Juninho Paulista e Romário calam o Parque Antártica na virada de 2000

















Campeão Vasco da Gama
Vice Palmeiras
Semifinalistas Atlético Mineiro e River Plate

2001
Campeão San Lorenzo-ARG
Vice Flamengo
Semifinalistas Corinthians e Grêmio

Todos os participantes

4 participações (todas as edições)
Boca Jr, River Plate, San Lorenzo, Vélez Sarsfield e Independiente (ARG); Palmeiras, Corinthians, São Paulo, Flamengo, Vasco da Gama e Cruzeiro (BRA); Colo Colo, Universidad Católica e Universidad de Chile (CHI); Olímpia e Cerro Porteño (PAR) e Nacional e Peñarol (URU)

3 participações
Grêmio (BRA)

2 participações
Racing (ARG)

1 participação
Rosário Central e Talleres (ARG) e Atlético Mineiro (BRA)


Dia 10/10 Copa Ouro e Copas Máster da Conmebol e da Supercopa



Nenhum comentário:

Postar um comentário