Páginas

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Libertadores: Resultados de 21 e 22 de Abril



Na última semana da fase de grupos da Copa Libertadores 2015 foram definidos os últimos classificados, além dos confrontos das oitavas de final. A partir de agora somente dezesseis times continuarão sonhando em conquistar a tão desejada competição. Os brasileiros voltam a ser maioria nas oitavas com todos os seus cinco representantes classificados. A Argentina terá quatro times, a Colômbia dois e outros cinco países terão apenas uma equipe nos mata-matas: Bolívia, Equador, México, Paraguai e Peru. Nenhum clube chileno, peruano e venezuelano obteve a classificação.
Campeão da última edição, o San Lorenzo disse adeus ainda na fase de grupos ao ser superado pelos paulistas Corinthians e São Paulo. Seu rival de bairro Huracán também seguiu o mesmo caminho, deixando o futebol argentino com dois times a menos a partir de agora. No único grupo (2) em que não houve empates e que cada time venceu e perdeu tanto fora como em casa deu Santa Fé e Atlético, este novamente revertendo a vantagem do adversário. Cruzeiro e a surpresa Universitário de Sucre ficaram com as vagas do Grupo 3 enquanto que o Internacional confirmou o favoritismo no Grupo 4 e passou com a companhia do Emelec. Nos Grupos 5, 6 e 8 os classificados já eram conhecidos desde a semana passada e no 7 deu Nacional em primeiro e Estudiantes em segundo. Com esses dois, a partir de agora teremos dez ex-campeões ainda vivos na competição.
E três dos confrontos das oitavas serão domésticos: Boca x River, Cruzeiro x São Paulo e Internacional x Atlético sendo que os vencedores dos dois primeiros confrontos farão uma das quartas de final. Com isso já teremos dois brasileiros e um argentino garantido na fase seguinte. Racing x Wanderers reativarão a velha rivalidade Argentina x Uruguai e o vencedor pegará ou Corinthians ou Guaraní.
Quem passar de Inter x Atlético pega quem vier de Santa Fé x Estudiantes e por fim o vencedor de Nacional x Emelec encara nas quartas Tigres ou Universitário.
Veja a seguir os resultados da última semana, a classificação final dos grupos além dos confrontos, lembrando que apenas uma partida será realizada na próxima semana:

21/04 terça-feira
Cruzeiro 2x0 Universitário de Sucre-BOL
Mineros-VEN 3x0 Huracán-ARG
Nacional-COL 4x0 Libertad-PAR
Barcelona-EQU 0x2 Estudiantes-ARG

22/04 quarta-feira
Emelec-EQU 2x0 Universidad de Chile-CHI
Internacional 1x0 The Strongest-BOL
Atlético 2x0 Colo Colo-CHI
Santa Fé-COL 3x1 Atlas-MEX
San Lorenzo-ARG 0x1 Danúbio-URU
São Paulo 2x0 Corinthians

Classificação final 

Grupo 1 Santa Fé 12, Atlético e Colo Colo 9 e Atlas 6
Grupo 2 Corinthians 13, São Paulo 12, San Lorenzo 7 e Danúbio 3
Grupo 3 Cruzeiro 11, Universitário 9, Huracán 7 e Mineros 4
Grupo 4 Inter 13, Emelec 10, The Strongest 9 e Universidad de Chile 3
Grupo 5 Boca 18, Wanderers 10, Palestino 7 e Zamora 0
Grupo 6 Tigres 14, River 7, Juan Aurich 6 e San José 4
Grupo 7 Nacional 11, Estudiantes 10, Libertad 8 e Barcelona 4
Grupo 8 Racing 12, Guaraní 9, Sporting Cristal 7 e Táchira 3

Chaveamento dos mata-matas




jogo de ida

28/04 terça-feira
Universitário de Sucre-BOL x Tigres-MEX

Os outros jogos de ida das oitavas de final da Copa Libertadores 2015 serão disputados entre os dias 5 e 7 de Maio.


Raio X das oitavas de final da Copa Libertadores 2015

Nesse post você confere um a um, os dezesseis times classificados a fase de oitavas de final da Copa Libertadores 2015. Confrontos entre si em mata-matas e entre clubes do país do adversário além de um resumo em eliminatórias:

Boca Juniors-ARG x River Plate-ARG

2000 River 2x1 Boca e Boca 3x0 River quartas
2004 Boca 1x0 River e River 2x1 Boca (4x5 pênaltis) semifinal

Boca em mata-mata
43 confrontos
32 classificações
11 eliminações

Boca x clubes argentinos em mata-mata
1965 Independiente 0x2, 1x0 e 0x0 semifinal
2000 River Plate 1x2 e 3x0 quartas
2004 River Plate 1x0 e 1x2 (5x4 pênaltis) semifinal
2007 Velez Sarsfield 3x0 e 1x3 oitavas
2013 Newell’s Old Boys 0x0 e 0x0 (9x10 pênaltis) quartas

River em mata-mata
37 confrontos
21 classificações
16 eliminações

River x clubes argentinos em mata-mata
1970 Estudiantes 0x1 e 1x3 semifinais
1990 Independiente 2x0 e 1x1 quartas
1995 Velez Sarsfield 1x1 e 0x0 (5x3 pênaltis) quartas
1996 San Lorenzo 2x1 e 1x1 quartas
1997 Racing 3x3 e 1x1 (3x5 pênaltis) oitavas
1998 Cólon 2x1 e 3x1 quartas
1999 Velez Sarsfield 2x0 e 0x1 quartas
2000 Boca Jrs 2x1 e 0x3 quartas
2004 Boca Jrs 0x1 e 2x1 (4x5 pênaltis) semifinais
2005 Banfield 1x1 e 3x2 quartas
2008 San Lorenzo 1x2 e 2x2 oitavas


Cruzeiro x São Paulo

2009 Cruzeiro 2x1 São Paulo e São Paulo 0x2 Cruzeiro quartas
2010 Cruzeiro 0x2 São Paulo e São Paulo 2x0 Cruzeiro quartas

Cruzeiro em mata-mata
21 confrontos
11 classificações
10 eliminações

Cruzeiro x clubes brasileiros em mata-mata
1997 Grêmio 2x0 e 1x2 quartas
1998 Vasco 1x2 e 0x0 oitavas
2001 Palmeiras 3x3 e 2x2 (2x3 pênaltis) quartas
2009 São Paulo 2x1 e 2x0 quartas
2010 São Paulo 0x2 e 0x2 quartas

São Paulo em mata-mata
32 confrontos
23 classificações
  9 eliminações

São Paulo x clubes brasileiros em mata-mata
1992 Criciúma 1x0 e 1x1 quartas
1993 Flamengo 1x1 e 2x0 quartas
1994 Palmeiras 0x0 e 2x1 oitavas
2005 Palmeiras 1x0 e 2x0 oitavas
         Atlético Paranaense 1x1 e 4x0 final
2006 Palmeiras 1x1 e 2x1 oitavas
         Internacional 1x2 e 2x2 final
2007 Grêmio 1x0 e 0x2 oitavas
2008 Fluminense 1x0 e 1x3 quartas
2009 Cruzeiro 1x2 e 0x2 quartas
2010 Cruzeiro 2x0 e 2x0 quartas
2013 Atlético Mineiro 1x2 e 1x4 oitavas


Corinthians x Guarani-PAR

Corinthians em mata-mata
16 confrontos
  8 classificações
  8 eliminações

Corinthians x clubes paraguaios em mata-mata
Nunca enfrentou

Guarani em mata-mata
1 confronto
1 eliminação

Guarani x clubes brasileiros em mata-mata
1997 Grêmio 2x1 e 1x2 (1x2 pênaltis) oitavas


Racing-ARG x Montevidéu Wanderers-URU

Racing em mata-mata
7 confrontos
3 classificações
4 eliminações

Racing x clubes uruguaios em mata-mata
1967 Nacional 0x0, 0x0 e 2x1 final
1997 Peñarol 0x1 e 1x0 (3x2 pênaltis) quartas

Wanderers em mata-mata
1 confronto
1 eliminação

Wanderers x clubes argentinos em mata-mata
Nunca enfrentou


Tigres-MEX x Universitário de Sucre-BOL

Tigres em mata-mata
3 confrontos
1 classificação
2 eliminações

Tigres x clubes bolivianos em mata-mata
Nunca enfrentou

Universitário em mata-mata
Nunca disputou


Nacional-COL x Emelec-EQU

Nacional em mata-mata
21 confrontos
13 classificações
  9 eliminações

Nacional x clubes equatorianos em mata-mata
1991 LDU 2x2 e 2x0 oitavas
2006 LDU 0x4 e 0x1 oitavas

Emelec em mata-mata
10 confrontos
  3 classificações
  7 eliminações

Emelec x clubes colombianos em mata-mata
Nunca enfrentou


Internacional x Atlético Mineiro

Internacional em mata-mata
14 confrontos
10 classificações
  4 eliminações

Internacional x clubes brasileiros em mata-mata
1989 Bahia 1x0 e 0x0 quartas
2006 São Paulo 2x1 e 2x2 final
2010 São Paulo 1x0 e 1x2 semifinal
2012 Internacional 0x0 e 1x2 oitavas

Atlético em mata-mata
7 confrontos
5 classificações
2 eliminações

Atlético x clubes brasileiros em mata-mata
2000 Atlético Paranaense 1x0 e 1x2 (5x3 pênaltis) oitavas
         Corinthians 1x1 e 1x2 quartas
2013 São Paulo 2x1 e 4x1 oitavas


Santa Fé-COL x Estudiantes-ARG

Santa Fé em mata-mata
7 confrontos
4 classificações
3 eliminações

Santa Fé x clubes argentinos em mata-mata
Nunca enfrentou

Estudiantes em mata-mata
17 confrontos
12 classificações
  5 eliminações

Estudiantes x clubes colombianos em mata-mata
Nunca enfrentou



San Lorenzo: terceiro detentor do título a cair na fase de grupos

Desde a criação da Libertadores até o fim dos anos 80 o clube campeão entrava automaticamente já na fase semifinal da edição seguinte. Graças a esse privilégio cinco times aproveitaram e conquistaram títulos seguidos: Peñarol, Santos, Independiente, Estudiantes e Boca Jrs. Tarefa facilitada pelo fato de que não precisavam jogar a fase de grupos.  De 1989 a 1999 com a mudança do regulamento incluindo a criação das fases eliminatórias o detentor do título passou a entrar a partir das oitavas de final, o que reduziu as chances do campeão chegar a finais seguidas. Mesmo assim, São Paulo (dois títulos em três finais) e Olímpia (um título em duas finais) foram os únicos campeões a chegar novamente numa decisão. Mas tudo mudou a partir dos anos 2000...
Com o aumento do número de vagas e os clubes divididos em oito grupos classificando o número exato de times nas oitavas, o campeão da edição anterior passou a entrar ainda na fase de grupos. O primeiro contemplado do novo regulamento foi o Palmeiras, que mesmo "prejudicado" com a mudança conseguiu atingir a decisão ficando com o vice. Além do Palmeiras, o Boca em 2001 e 2004 e o São Paulo em 2006 foram os únicos times a irem mais longe na condição de atuais campeões. O próprio Boca em 2008 e o Santos quatro anos depois terminaram semifinalistas. Dois times caíram nas quartas e cinco nas oitavas.
Já o primeiro a obter a façanha negativa de cair ainda na primeira fase defendendo o título coube ao Internacional em 2007, feito igualado pela LDU dois anos depois e agora com o San Lorenzo, terceiro colocado do "grupo da morte" e que apenas assistiu a classificação da dupla paulistas para as oitavas.
Essa eliminação argentina chamou a atenção de um fato: nas últimas três edições o campeão do ano anterior sequer consegue chegar nas quartas de final. O Santos em 2012 foi o último a terminar entre os oito melhores. Corinthians e Atlético caíram nas oitavas e agora o San Lorenzo na fase de grupos.
Veja abaixo qual fase os detentores do título atingiram na edição seguinte à conquista:

2000 Palmeiras vice-campeão
2001 Boca Jrs-ARG campeão
2002 Boca Jrs-ARG quartas
2003 Olímpia-PAR oitavas
2004 Boca Jrs-ARG vice-campeão
2005 Once Caldas-COL oitavas
2006 São Paulo vice-campeão
2007 Internacional 1ª fase
2008 Boca Jrs-ARG semifinais
2009 LDU-EQU 1ª fase
2010 Estudiantes-ARG quartas
2011 Internacional oitavas
2012 Santos semifinais
2013 Corinthians oitavas
2014 Atlético Mineiro oitavas
2015 San Lorenzo 1ª fase


Mata-matas entre clubes brasileiros em Libertadores

Pela primeira vez na história da Libertadores teremos dois mata-matas entre clubes brasileiros em uma mesma fase da competição: Internacional x Atlético Mineiro e Cruzeiro x São Paulo brigarão pelas vagas para as quartas de final, isso após um ano sem confrontos brasileiros em mata-mata.
Com os dois confrontos subirá para 41 os embates entre times do país em jogos eliminatórios, e até aqui São Paulo x Palmeiras foi o único que se repetiu por mais de uma vez, marca que será alcançada no confronto entre mineiros e paulistas a partir das oitavas.
Segue abaixo a lista completa dos jogos eliminatórios entre clubes brasileiros com o placar, a fase em que se enfrentaram sendo que o vencedor do confronto aparece primeiro:

1963 Santos x Botafogo 1x1 e 4x0 semifinal
1973 Botafogo x Palmeiras 2x1 jogo-desempate da primeira fase
1981 Flamengo x Atlético Mineiro 0x0 jogo-desempate da primeira fase
1984 Grêmio x Flamengo 0x0 jogo-desempate da fase semifinal
1989 Internacional x Bahia 1x0 e 0x0 quartas 
1992 São Paulo x Criciúma 1x0 e 1x1 quartas
1993 São Paulo x Flamengo 1x1 e 2x0 quartas 
1994 São Paulo x Palmeiras 0x0 e 2x1 oitavas
1995 Grêmio x Palmeiras 5x0 e 1x5 quartas
1996 Grêmio x Botafogo 1x1 e 2x0 oitavas
         Grêmio x Corinthians 3x0 e 0x1 quartas
1997 Cruzeiro x Grêmio 2x0 e 1x2 quartas
1998 Vasco da Gama x Cruzeiro 2x1 e 0x0 oitavas
         Vasco da Gama x Grêmio 1x1 e 1x0 quartas
1999 Palmeiras x Vasco da Gama 1x1 e 4x2 oitavas
         Palmeiras x Corinthians quartas
2000 Atlético MG X Atlético PR 1x0 e 1x2 (5x3 pênaltis) oitavas
         Corinthians x Atlético MG 1x1 e 2x1 quartas
         Palmeiras x Corinthians 3x4 e 3x2 (5x4 pênaltis) semifinal
2001 Palmeiras x São Caetano 0x1 e 1x0 (5x3 pênaltis) oitavas
         Palmeiras x Cruzeiro 3x3 e 2x2 (3x2 pênaltis) quartas
2005 São Paulo x Palmeiras 1x0 e 2x0 oitavas
         Atlético PR x Santos 3x2 e 2x0 quartas
         São Paulo x Atlético PR 1x1 e 4x0 final
2006 São Paulo x Palmeiras 1x1 e 2x1 oitavas
         Internacional x São Paulo 2x1 e 2x2 final
2007 Grêmio x São Paulo 0x1 e 2x0 oitavas
         Grêmio x Santos 2x0 e 1x3 semifinal
2008 Fluminense x São Paulo 0x1 e 3x1 oitavas
2009 Palmeiras x Sport 1x0 e 0x1 (3x1 pênaltis) oitavas
         Cruzeiro x São Paulo 2x1 e 2x0 quartas
         Cruzeiro x Grêmio 3x1 e 2x2 semifinais
2010 Flamengo x Corinthians 1x0 e 1x2 oitavas
         São Paulo x Cruzeiro 2x0 e 2x0 quartas
         Internacional x São Paulo 1x0 e 1x2 semifinais 
2012 Fluminense x Internacional 0x0 e 2x1 oitavas
         Corinthians x Vasco 0x0 e 1x0 quartas
         Corinthians x Santos 1x0 e 1x1 semifinais  
2013 Atlético MG x São Paulo 2x1 e 4x1 oitavas



Os 50 maiores confrontos sul-americanos (Parte 4)

Encerrando a quarta e última parte do especial sobre os 50 maiores confrontos entre clubes sul-americanos trazemos os cinco restantes do nosso Top 10:


Cruzeiro x River Plate-ARG
A final que mais se repetiu por torneios diferentes

Foram três finais diferentes entre Cruzeiro e River Plate (recorde) e os mineiros ganharam todas: Libertadores de 1976, Supercopa de 1991 e por fim a Recopa de 1998 jogada no ano seguinte. Além disso, o Cruzeiro eliminou o time argentino em outras três competições. Freguesia total...

13 jogos
10 vitórias do Cruzeiro
  3 vitórias do River Plate

1976 Libertadores 4x1, 1x2 e 3x2 final
1991 Supercopa 0x2 e 3x0 final
1992 Supercopa 2x0 e 0x2 (5x4 pênaltis) quartas
1998 Mercosul 2x1 e 2x0 quartas
1999 Mercosul 2x0 e 3x0 1ª fase
         Recopa 2x0 e 3x0 final


Independiente-ARG x Peñarol-URU
Só jogos decisivos

Até o “surgimento” do Boca Jrs como superpotência futebolística nos anos 2000, Independiente e Peñarol ocupavam as duas primeiras posições como os maiores vencedores da Libertadores. E ambos tiveram embates históricos e sempre decisivos, como a final de 1965 vencida pelos argentinos e as quatro semifinais entre os anos 70 e 80. Somente os dois últimos encontros foram por fase de grupos.

15 jogos
  9 vitórias do Independiente
  2 empates
  4 vitórias do Peñarol

1965 Libertadores 1x0, 1x3 e 4x1 final
1974 Libertadores 3x2 e 1x1 fase semifinal
1976 Libertadores 1x0 e 1x0 fase semifinal
1979 Libertadores 0x0 e 1x0 fase semifinal
1987 Libertadores 0x3 e 2x4 fase semifinal
1995 Libertadores 2x1 e 0x1 1ª fase
2011 Libertadores 3x0 e 1x0 1ª fase


Olímpia-PAR x Boca Jrs-ARG
Freguesia nos mata-matas de Libertadores

A primeira vez que se cruzaram foi ainda na fase de grupos da Libertadores de 1963, com resultado favorável ao Boca, que avançaria e terminaria vice. Mas a partir daí a balança começou a pender pro lado dos paraguaios em Libertadores: na final de 1979, nas oitavas dez anos depois e por fim pelas quartas de 2002, além da Supercopa de 1995. Quando se enfrentaram em mata-mata pela principal competição sul-americana o time paraguaio terminou finalista. Já a única supremacia boquense foi na Mercosul de 2000 com vitória nos dois jogos da primeira fase.

12 jogos
  5 vitórias do Olímpia
  3 empates
  4 vitórias do Boca

1963 Libertadores 1x0 e 3x5 1ª fase
1979 Libertadores 2x0 e 0x0 final
1989 Libertadores 2x0 e 3x5 (7x6 pênaltis) oitavas
1995 Supercopa 1x1 e 2x1 1ª fase
2000 Mercosul 0x1 e 2x5 1ª fase
2002 Libertadores 1x1 e 1x0 quartas


River Plate-ARG x Peñarol-URU
Um dos confrontos mais freqüentes da América do Sul

Junto com Cruzeiro x Colo Colo, ninguém mais de enfrentou em solo sul-americano como River e Peñarol. Foram nada mais nada menos que dezenove jogos, quinze somente pela Libertadores. Embora todos se lembrem da final ganha pelos uruguaios em 1966, a vantagem no geral é do River com três vitórias a mais e vantagem nos mata-matas.

19 jogos
  9 vitórias do River
  4 empates
  6 vitórias do Peñarol

1966 Libertadores 0x2, 3x2 e 2x4 final
1976 Libertadores 0x1 e 3x0 fase semifinal
1977 Libertadores 2x1 e 2x2 1ª fase
1982 Libertadores 2x4 e 1x2 fase semifinal
1986 Libertadores 2x0 e 3x1 1ª fase
1987 Libertadores 0x0 e 1x0 fase semifinal
1991 Supercopa 2x0 e 3x1 semifinal
1995 Libertadores 1x1 e 1x1 1ª fase
         Supercopa 3x2 e 2x3 (7x6 pênaltis) 1ª fase


Estudiantes-ARG x Nacional-URU
Primeira decisão de Libertadores a se repetir

Dois anos. Esse foi o espaço de tempo para que uma final de Libertadores pudesse repetir. Estudiantes e Nacional fizeram a final de 1969 e novamente em 1971, com vitória para cada lado. A marca permaneceu inatingível por 25 anos quando River x América repetiram a decisão de 1986. Nos anos 90 se encontraram por duas vezes em mata-mata de Supercopa com vantagem uruguaia em ambas. O troco do time de La Plata veio nas semifinais da Libertadores de 2009 com vitória nas duas partidas.

11 jogos
  5 vitórias do Estudiantes
  3 empates
  3 vitórias do Nacional

1969 Libertadores 1x0 e 2x0 final
1971 Libertadores 1x0, 0x1 e 0x2 final
1990 Supercopa 0x0 e 0x0 (3x5 pênaltis) semifinais
1995 Supercopa 0x4 e 2x2 1ª fase
2009 Libertadores 1x0 e 2x1 semifinais




sexta-feira, 17 de abril de 2015

Libertadores: Resultados de 14 a 16 de Abril



E na penúltima semana da fase de grupos da Copa Libertadores 2015 tivemos o encerramento de três grupos e com isso mais classificados. Pelo Grupo 5 além do Boca garantiu a vaga o Montevideu Wanderers. No Grupo 6, o River se juntou de forma dramática ao Tigres, que já havia se garantido anteriormente e por fim no Grupo 8 passaram Racing e Guaraní. Dos outros grupos o Corinthians também confirmou sua classificação para as oitavas. Quinze times ainda brigam pelas nove vagas restantes: no Grupo 1 os quatro brigam por duas vagas; no Grupo 2 duas equipes e nos Grupos 3, 4 e 7 a briga pelas duas vagas é entre três times. Dez já disseram adeus, incluindo todos os representantes venezuelanos e peruanos.
Ah, e um confronto das oitavas já está definido: nada mais nada menos que Boca x River, um dos maiores clássicos do planeta, já que o Boca terminou com a melhor campanha enquanto que o River com sete pontos será o pior entre os classificados, pois os outros segundos colocados terminarão no mínimo com oito pontos.
Confira a seguir os jogos da última semana da fase de grupos e os resultados da rodada passada com a classificação dos grupos e as chances que cada time tem para seguir adiante:

14/04 terça-feira
Huracán-ARG 3x1 Cruzeiro
Universitário de Sucre-BOL 2x0 Mineros-VEN
Sporting Cristal-PER 1x1 Guaraní-PAR
Racing-ARG 3x2 Táchira-VEN

15/04 quarta-feira
The Strongest-BOL 1x0 Emelec-EQU
River Plate-ARG 3x0 San José-BOL
Juan Aurich-PER 4x5 Tigres-MEX
Danúbio-URU 1x2 São Paulo
Atlas-MEX 1x0 Atlético Mineiro
Colo Colo-CHI 0x3 Santa Fé-COL

16/04 quinta-feira
Corintihans 0x0 San Lorenzo-ARG
Universidad de Chile-CHI 0x4 Internacional
Zamora-VEN 0x3 Montevideu Wanderers-URU
Boca Jrs-ARG 2x0 Palestino-CHI


próximos jogos

21/04 terça-feira
Cruzeiro x Universitário de Sucre-BOL
Mineros-VEN x Huracán-ARG
Nacional-COL x Libertad-PAR
Barcelona-EQU x Estudiantes-ARG

22/04 quarta-feira
Emelec-EQU x Universidad de Chile-CHI
Internacional x The Strongest-BOL
Atlético x Colo Colo-CHI
Santa Fé-COL x Atlas-MEX
San Lorenzo-ARG x Danúbio-URU
São Paulo x Corinthians

classificação e as chances de cada time

Grupo 1 Santa Fé e Colo Colo 9, Atlético e Atlas 6
Em um grupo onde não houve empates sendo que cada time venceu e perdeu em casa e fora, tanto Santa Fé quanto Colo Colo se garantem com um empate. Já o Atlético precisa vencer por dois gols de diferença pra não depender de nenhum resultado. Situação complicada está o Atlas, que além de vencer tem que golear os colombianos por no mínimo quatro gols de diferença, e fora de casa.

Grupo 2 Corinthians 13, São Paulo 9, San Lorenzo 7 e Danúbio 0
Aqui a briga é pela segunda vaga do grupo entre São Paulo e San Lorenzo. Um empate pode classificar o time paulista desde que os argentinos não vençam por quatro gols de diferença. Até uma derrota garante vaga no caso de derrota dos argentinos. Resta ao atual campeão vencer o já eliminado Danúbio e torcer por derrota são-paulina. Os uruguaios, que perderam as três partidas em casa por 2 a 1 e as duas como visitante por 4 a 0 apenas cumprem tabela.

Grupo 3 Universitário 9, Cruzeiro 8, Huracán 7 e Mineros 1
Um simples empate garante os bolivianos na próxima fase. O Cruzeiro avança em caso de vitória e se empatar terá que torcer por tropeço do Huracán, pois pode ser ultrapassado no saldo. Já o time argentino se vencer classifica independente do outro jogo. Em caso de empate, só passa em caso de derrota cruzeirense.

Grupo 4 Internacional 10, The Strongest 9, Emelec 7 e Universidad de Chile 3
Só um desastre tira o Inter das oitavas: teria que perder pro The Strongest e ainda ver o Emelec golear a Universidad de Chile por mínimo por três gols de diferença. Já o time boliviano um empate serve caso o Emelec não vença, pois o time do Equador tem saldo melhor. Ao Emelec basta vencer por vitória simples no caso de triunfo brasileiro, caso contrário só passa se vencer por goleada. Semifinalista de 2012, os chilenos da Universidad acumulam três eliminações seguidas na fase de grupos desde então.

Grupo 5 Boca 18, Wanderers 10, Palestino 7 e Zamora 0
Desde 2007 um time não conseguia 100% de aproveitamento na fase de grupos. Por outro lado, desde 2011 não tínhamos ninguém terminando na lanterna com zero ponto como o Zamora nessa edição.

Grupo 6 Tigres 14, River 7, Juan Aurich 6 e San José 4
Tudo definido com as classificações de Tigres e River e as eliminações de Juan Aurich e San José.

Grupo 7 Nacional e Libertad 8, Estudiantes 7 e Barcelona 4
Apenas o Barcelona não tem mais chances. Nacional e Libertad se enfrentam e ambos só se classificam juntos em caso de derrota do Estudiantes. Quem vencer se classifica e o empate nesse jogo no caso de vitória do Estudiantes põe o time colombiano nas oitavas. Caso o Estudiantes vença, garante a vaga independente do resultado da outra partida.

Grupo 8 Racing 12, Guaraní 9, Sporting Cristal 7 e Táchira 3
Racing e Guaraní nas oitavas.




São Paulo x Corinthians: Mais um confronto estadual em Libertadores

Quarta que vem teremos mais um confronto entre São Paulo x Corinthians. Uma vitória simples põe os são-paulinos nas oitavas enquanto que o campeão de 2012 já tem até a primeira colocação do grupo assegurada.
E novamente clubes paulistas voltam a se enfrentar, fato corriqueiro em se tratando de confrontos estaduais. Até aqui, apenas um confronto não envolveu paulistas: foi em 1985 quando Fluminense e Vasco se cruzaram ainda na fase de grupos. Confrontos entre times de outros Estados brasileiros como gaúchos ou mineiros, por exemplo, ainda é inédito.
Ninguém mais enfrentou times do mesmo Estado como o Palmeiras: o time verde e branco jogou contra cinco paulistas dos sete (com ele oito) que estiveram na Libertadores. Só não enfrentou Santos e o Paulista. Por outro lado, o Corinthians foi o único a ter enfrentado todos os seus três grandes rivais, o Palmeiras em 1999 e 2000, o Santos em 2011 e o São Paulo nesse ano.
Veja a seguir todos as edições de Libertadores em que tivemos mais que um clube do mesmo Estado e os confrontos estaduais:

1974 Palmeiras e São Paulo
A primeira vez em que dois clubes do mesmo Estado se enfrentaram foi em 1974 pela fase de grupos: com duas vitórias (2x0 e 2x1) o São Paulo se classificou e terminaria com o vice-campeonato.

1979 Guarani e Palmeiras
Assim como na final do Brasileirão do ano anterior, o Guarani voltou a vencer os dois jogos frente ao Palmeiras. Primeiro um sonoro 4 a 1 no Morumbi e depois pelo placar mínimo em Campinas. Classificado para as semifinais, o time do interior paulista cairia frente ao futuro campeão Olímpia.

1985 Fluminense e Vasco
Numa das piores participações brasileiras em Libertadores, Fluminense e Vasco fizeram até hoje o único confronto estadual sem time paulista. Dois empates no Maracanã (3x3 e 0x0) selaram a sorte carioca na competição pois foram ultrapassados pelo Argentinos Jrs, que viria a ser o campeão. A dupla do Rio, aliás, sequer venceram partida alguma: ambos terminaram com três empates e três derrotas.

1987 São Paulo e Guarani
No Brinco de Ouro em Campinas deu Guarani 3 a 1. No Morumbi, empate por dois gols e no final das contas a única vaga do grupo ficou com os chilenos do Cobreloa.

1994 São Paulo e Palmeiras
No primeiro mata-mata estadual tivemos empate sem gols no Pacaembu. Na volta, vitória são-paulina por 2 a 1 com dois gols de Euller, que depois viria a ser campeão pelo próprio Palmeiras cinco anos depois. Ao eliminar o Verdão, o São Paulo seguiu até a final onde acabaria com o vice.

1999 Corinthians e Palmeiras
Os dois maiores rivais de São Paulo se encontraram em duas oportunidades: a primeira foi ainda na fase de grupos com vitória palmeirense por um a zero e troco corintiano por dois a um. Nas quartas de final, vitória por dois a zero para cada lado levou a decisão da vaga para as penalidades onde o Palmeiras eliminaria seu arquirrival e caminharia rumo ao tão sonhado título.

2000 Palmeiras e Corinthians
Pra muitos, o maior confronto entre brasileiros em Libertadores. Pelas semifinais de 2000 foram marcados doze gols nos dois jogos. No primeiro, vitória do Corinthians por 4 a 3. Na volta em um jogo marcado por viradas, triunfo do então detentor do título por 3 a 2 e assim como no ano anterior a vaga foi decidida nos pênaltis, e de novo deu Palmeiras.

2001 Palmeiras e São Caetano
Aqui o confronto foi pelas oitavas. Com uma vitória mínima pra cada lado, a decisão da vaga foi parar nas penalidades com vitória palmeirense.

2003 Santos e Corinthians
Pela primeira vez não tivemos confrontos entre clubes do mesmo Estado, mesmo tendo dois representantes paulistas. O Corinthians caiu ainda nas oitavas enquanto que o Santos terminou vice.

2004 Santos, São Paulo e São Caetano
Aqui não houve enfrentamentos, mas um fato curioso chamou a atenção: os três paulistas chegaram as quartas de final fazendo com que pela primeira vez e única vez na história tivéssemos mais que dois times do mesmo Estado nessa fase. O futuro campeão Once Caldas eliminou o Santos nas quartas e impediu o clássico San-São nas semifinais, já que enfrentou o Tricolor antes de decidir o título com o Boca, que havia tirado o São Caetano também nas quartas.

2005 Santos, São Paulo, Palmeiras e Santo André
Por duas vezes o Palmeiras enfrentou paulista: o Santo André na fase de grupos onde empatou em casa (1x1) e perdeu no ABC (1x2) e depois nas oitavas de final quando perdeu duas vezes para o futuro campeão São Paulo (0x1 e 0x2).

2006 São Paulo, Corinthians e Palmeiras
De novo São Paulo e Palmeiras em um mata-mata e de novo o Tricolor eliminaria o Verdão, mas dessa vez foi mais difícil: após empate por 1 a 1 no antigo Parque Antártica, a vitória são-paulina por dois a um veio a apenas três minutos do fim em um pênalti pra lá de polêmico. Pela quarta vez o São Paulo elimina seu rival e dessas três termina vice. Será praga de palmeirense?

2007 São Paulo e Santos/ Internacional e Grêmio
Sem enfrentamentos na primeira vez que a dupla do Rio Grande do Sul participa junta. Se não tivesse caído nas oitavas diante do Grêmio o São Paulo poderia ter enfrentado nas semifinais o Santos, adversário do time gaúcho na decisão pela vaga na final.

2008 São Paulo e Santos/ Flamengo e Fluminense
Sem confrontos tanto de paulistas como de cariocas.

2009 São Paulo e Palmeiras
Sem enfrentamentos dos dois rivais da capital paulista como ocorreu nas vezes em que atuaram na mesma edição.

2010 São Paulo e Corinthians
Pelo quarto ano seguido nada de confronto estadual.

2011 Santos e Corinthians/ Internacional e Grêmio
Entre os paulistas o Corinthians caiu ainda na fase Pré enquanto que o time santista acabaria campeão. Já pelos lados do Sul por muito pouco não tivemos um Gre-Nal nas quartas: os dois times foram eliminados por Peñarol-URU e Universidad Catolica-CHI que acabaram se enfrentando na fase seguinte.

2012 Santos e Corinthians/ Flamengo, Fluminense Vasco
Foi pelas semifinais que os paulistas se enfrentaram, naquele confronto que seria entre o atual e o futuro campeão. Com uma vitória pela contagem mínima na Vila Belmiro, bastava um empate no Pacaembu para o Corinthians decidir pela primeira vez uma Libertadores. E ele veio (1x1) e por final o alvinegro da capital terminaria campeão invicto. Entre os cariocas, nada de confronto.

2013 São Paulo, Palmeiras e Corinthians
Os três times do chamado “Trio de Ferro” da capital paulista sucumbiram já nas oitavas de final.

2014 Atlético e Cruzeiro/ Botafogo e Flamengo
Pela primeira vez dois mineiros jogam a mesma edição, mas nada de se encontrarem, o mesmo da dupla carioca, eliminados ainda na fase de grupos.

2015 Atlético e Cruzeiro/ Corinthians e São Paulo
Na primeira rodada vitória corintiana por dois a zero. Clássico mineiro poderá ocorrer no mata-mata.





River Plate de 2015 imitando o San Lorenzo de 2014

Dia nove de abril de 2014, última rodada do Grupo 2 da Copa Libertadores. Com o Unión Española já classificado, Independiente del Valle, San Lorenzo e Botafogo disputavam entre si a segunda vaga da chave. Como as partidas foram jogadas simultaneamente, a emoção era enorme pois um jogo dependia do resultado do outro e conforme os gols iam saindo a classificação mudava de mãos. Os três times estiveram com um pé nas oitavas, mas no final a vaga ficou com os argentinos a dois minutos do fim graças a vitória por 3 a 0, já que no outro confronto os equatorianos venceram por 5 a 4. O San Lorenzo avançou graças ao saldo de gols e o final da história todo mundo sabe...
Pois bem, pouco mais de um ano a mesma rodada eletrizante de 2014 se repetiu, e novamente envolvendo um clube argentino. Dessa vez foi o River Plate que se classificou na "bacia das almas" ao vencer o San José da Bolívia por 3 a 0 assim como seu rival naquela ocasião, e por fim acabou ajudado graças a vitória do já classificado Tigres-MEX sobre o Juan Aurich no Peru e coincidentemente pelo mesmo placar do outro jogo daquela rodada de 2014: 5 a 4!
A rodada começou com o Tigres garantido nas oitavas com onze pontos, Juan Aurich com seis e tanto River quanto San José, quatro. A tarefa do atual campeão da Sul-Americana não era das mais fáceis: teria que vencer os bolivianos e torcer por um triunfo dos já classificados mexicanos fora de casa diante dos peruanos. Nem o empate no jogo do Peru poderia ajudar aos argentinos.
Ainda estava 0 a 0 em Buenos Aires quando saíram dois gols em Chiclayo, mas um para cada lado. Pouco depois o Tigres marcava mais um, o que deixava o time argentino da dependência de uma vitória simples. Mas aí simultaneamente o Aurich empatou e o River abriu o marcador, mas mesmo assim dava a vaga ao time peruano. O drama argentino aumentou quando o Tigres levou a virada no mesmo momento em que o River ampliava o marcador.
Mas aí o inexplicável aconteceria a favor do time argentino: em um intervalo de quinze minutos o Tigres marcou três gols e fez com que a vaga caísse no colo do River. Nem mesmo o susto no final com o Aurich descontando fez a alegria diminuir no Monumental de Nuñez. Com o San Lorenzo no ano passado, depois da tempestade veio a bonança... será o mesmo com o River? Veremos nos mata-matas.



Centenário do mês: Campinense/PB


Completou cem anos no último domingo o Campinense Clube. Rubro-negro, o time tem sua sede na cidade de Campina Grande, interior do Estado da Paraíba.
Campeão paraibano por dezenove vezes, é o único time hexa e penta estadual. Apesar disso, ganhou apenas cinco Campeonatos Paraibanos nos últimos trinta anos. Sua maior conquista, porém foi a Copa do Nordeste de 2013.
Tem a terceira maior torcida entre os clubes paraibanos atrás do Botafogo, da capital João Pessoa e do Treze, seu arquirrival e que juntos fazem o Clássico dos Maiorais, um dos maiores do interior do país. Uma curiosidade cerca o clube: devido ao nome do rival o Campinense não possui o número treze em suas camisas.
Participou de onze edições do Brasileirão sendo a última em 1981. Esteve em sete edições da Série B e desde 2009 vem alternando entre as Séries C e D. Jogou ainda sete Copas do Brasil.
O clube também é conhecido por seu pioneirismo, pois foi o primeiro paraibano a participar da extinta Taça Brasil, das Séries A e B, de conquistar a Copa do Nordeste e de ser o único do Estado a vencer uma partida de Copa do Brasil como visitante nesse século.



Campinense Clube

Fundado 12/04/1915
Sede Campina Grande, Paraíba, Brasil
Estádio Governador Ernani Sátiro (Amigão), 35000 pessoas
Uniforme camisas e meiões com listras horizontais em preto e vermelho e calções pretos

Títulos
Copa do Nordeste 2013
Campeonato Paraibano 1960, 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1967, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975, 1979, 1980, 1991, 1993, 2004, 2008 e 2012




Os 50 maiores confrontos sul-americanos (Parte 3)

Na terceira parte do especial sobre os 50 maiores confrontos sul-americanos postaremos cinco dos Top 10 enquanto que na semana que vem será a vez dos confrontos restantes:


Peñarol-URU x Olímpia-PAR
Os pioneiros na América do Sul

Os dois times decidiram a primeira final de Libertadores da história, com vitória uruguaia. Na edição seguinte novo confronto, dessa vez pelas semifinais e novamente deu Peñarol. Em 1969 e em 1974 os jogos foram pela fase de grupos e o time uruguaio deixou o Olímpia para trás de novo. Somente em 1990 pelas semifinais da Supercopa que os paraguaios obtiveram a primeira vitória no confronto, e com juros: um sonoro 6 a 0 que valeu a classificação para a final. Depois, mais dois encontros pela Mercosul em 1998 e 1999 com mais três triunfos paraguaios.

14 jogos
7 vitórias do Peñarol
3 empates
4 vitórias do Olímpia

1960 Libertadores 1x0 e 1x1 final
1961 Libertadores 3x1 e 2x1 semifinal
1969 Libertadores 1x1 e 1x0 1ª fase
1974 Libertadores 0x0 e 2x0 1ª fase
1990 Supercopa 2x1 e 0x6 semifinal
1998 Mercosul 2x4 e 2x3 1ª fase
1999 Mercosul 0x1 e 3x0 quartas


Racing-ARG x Nacional-URU
Primeira final por dois torneios diferentes

A primeira vez que Racing x Nacional se enfrentaram foi pela fase de grupos da Libertadores de 1962. Cinco anos depois, os dois decidiram a competição em uma melhor de três, com o time argentino campeão. Em 1989 novo encontro, dessa vez decidindo a recém-criada Recopa Sul-Americana, dando ao confronto o status de primeiro a se repetir por dois torneios diferentes. Mas ao contrário de 22 anos atrás, dessa vez deu Nacional campeão. Ainda houveram mais dois confrontos: pela extinta Supercopa de 1993 e pela Libertadores dez anos depois.

11 jogos
3 vitórias do Racing
5 empates
3 vitórias do Nacional

1962 Libertadores 2x3 e 2x2 1ª fase
1967 Libertadores 0x0, 0x0 e 2x1 (desempate) final
1989 Recopa 1x0 e 0x0 final
1993 Supercopa 1x1 e 1x3 1ª fase
2003 Libertadores 2x1 e 4x1 1ª fase


Santos x Peñarol-URU
Velhos rivais

Esse confronto foi nos anos 60 um dos maiores não só da América do Sul, mas também do mundo. Na década citada os dois times somados tinham cinco Libertadores e quatro Mundiais conquistados. Decidiram a Libertadores de 1962 com triunfo santista e três anos depois deu Peñarol (também em uma melhor de três) nas semifinais. Depois de um bom tempo voltaram a se encontrar nos anos 90 pela Supercopa e em três oportunidades: em 1990 e em 1991 deu Peñarol e em 1966 foi a vez do time brasileiro eliminar os uruguaios. Em 2011 novo embate, dessa vez na final da Libertadores e assim como cinqüenta anos atrás deu Santos campeão.

14 jogos
6 vitórias do Santos
4 empates
4 vitórias do Peñarol

1962 Libertadores 2x1, 2x3 e 3x0 (desempate) final
1965 Libertadores 5x4, 2x3 e 1x2 (desempate) semifinal
1990 Supercopa 0x0 e 2x2 (2x4 pênaltis) 1ª fase
1991 Supercopa 2x3 e 0x0 quartas
1996 Supercopa 2x1 e 3x0 1ª fase
2011 Libertadores 0x0 e 2x1 final


Cruzeiro x Colo Colo-CHI
O confronto que mais se repetiu e por torneios diferentes

Ninguém na América do Sul se enfrentaram mais vezes e por competições diferentes tanto quanto Cruzeiro x Colo Colo. Foram dezenove jogos por Supercopa, Recopa, Libertadores e Mercosul. E tudo isso em um intervalo de apenas vinte anos! Na única final entre ambos, a Recopa de 1992 deu Colo Colo campeão. Porém, nos outros mata-matas a vantagem é do time brasileiro, que jamais fora eliminado pelos chilenos.

19 jogos
8 vitórias do Cruzeiro
8 empates
3 vitórias do Colo Colo

1991 Supercopa 0x0 e 0x0 (4x3 pênaltis) 1ª fase
1992 Recopa 0x0 (4x5 pênaltis) final
1993 Supercopa 6x1 e 3x3 1ª fase
1995 Supercopa 1x0 e 0x0 1ª fase
1996 Supercopa 3x2 e 4x0 semifinal
1997 Libertadores 1x0 e 2x3 (4x1 pênaltis) semifinal
         Supercopa 2x4 e 2x0 1ª fase
1998 Copa Mercosul 1x2 e 5x0 1ª fase
2001 Copa Mercosul 1x1 e 0x0 1ª fase
2010 Libertadores 4x1 e 1x1 1ª fase


Boca Jrs-ARG x Peñarol-URU
Freguesia em Libertadores entre os gigantes

Dos catorze jogos que Boca e Peñarol fizeram até hoje, o time uruguaio venceu apenas dois. Se contarmos somente partidas de Libertadores pior ainda: nenhuma vitória nos dez jogos entre as duas equipes. Foram sete vitórias do Boca e três empates, com direito ao time argentino eliminar o Peñarol das edições de 1963 (semifinais), 1977 (1ª fase), 1979 (semifinais) e em 1986 (1ª fase), mas aqui ambos morreram abraçados pois o triunfo boquense ajudou seu arquirrival River Plate. O último encontro em Libertadores aconteceu em 2000 na fase de grupos onde ambos seguiram adiante. A única vez que o Peñarol conseguiu eliminar o Boca de um torneio foi pelas quartas de final da Supercopa de 1990, quebrando um tabu de oito jogos sem vitória sobre o time argentino.

14 jogos
9 vitórias do Boca Jrs
3 empates
2 vitórias do Peñarol

1963 Libertadores 2x1 e 1x0 semifinal
1977 Libertadores 1x0 e 1x0 1ª fase
1979 Libertadores 1x0 e 0x0 fase semifinal
1986 Libertadores 2x1 e 1x1 1ª fase
1990 Supercopa 1x0 e 0x2 quartas
1994 Supercopa 0x1 e 4x1 1ª fase
2000 Libertadores 0x0 e 3x1 1ª fase


E aí, sentiram falta de algum confronto até aqui? Semana que vem (dia 24) postaremos os cinco que completam nosso Top 10.