Páginas

segunda-feira, 8 de junho de 2015

História da Copa América

Nascia assim o Campeonato Sul-Americano de Seleções

Torneio de seleções mais antigo do mundo, a Copa América foi jogada pela primeira vez em 1916 com o nome de Campeonato Sul-Americano de Seleções, fazendo parte das comemorações do centenário da independência da Argentina. Além do país anfitrião, participaram dessa primeira edição o Brasil, o Uruguai e o Chile. O título ficou com os uruguaios que também faturaram a edição posterior realizada em seu território no ano seguinte.

A criação da Confederação Sul-Americana de Futebol – Conmebol

Com o sucesso do torneio foi proposta a criação de uma confederação formada por Argentina, Brasil, Chile e Uruguai. Nascia aí a Confederação Sul-Americana de Futebol, ou simplesmente Conmebol. O Brasil faturaria em casa a primeira edição sob a organização da recém-criada confederação em 1919.

Década de 20: quase um campeonato por ano

Nos anos 20 tivemos nove edições; só não houve torneio em 1928. Com exceção dos brasileiros em 1922 (novamente em casa) os outros oito títulos ficaram entre argentinos e uruguaios, com quatro conquistas para cada país. A Celeste Olímpica ficou com as edições de 1920, 1923, 1924 e 1926 enquanto que a Argentina faturou em 1921, 1925, 1927 e 1929. A nível mundial as duas seleções decidiriam ainda os Jogos Olímpicos de 1928 e a primeira edição da Copa do Mundo dois anos depois em solo uruguaio.

A vez de Peru, Paraguai e Bolívia

Na década de 30 tivemos apenas três edições: as duas primeiras ficaram entre argentinos e uruguaios, mas em 1939 surgiria o quarto país campeão: o Peru, que conquistaria o título jogando em casa. Depois de um inédito tricampeonato nos anos 40 conquistado pela Argentina o Brasil venceu seu terceiro Sul-Americano (o terceiro em casa) e na edição seguinte foi a vez do Paraguai em 1953. Seis edições mais tarde o título ficou com a Bolívia, campeã em casa.
Com a conquista uruguaia em 1967 chegava ao fim o Campeonato Sul-Americano e nos anos 70 nascia a Copa América.

Supremacia da dupla Argentina-Uruguai

Das 29 edições do então Campeonato Sul-Americano, em apenas seis o título não ficou com Argentina ou Uruguai. Três dessas conquistas ficaram com o Brasil, enquanto que Peru, Paraguai e Bolívia dividiram as outras três. O grande campeão dessa fase foi a Argentina (doze) com um título a mais que o Uruguai. Mas com a mudança de Sul-Americano para Copa América essa supremacia deixaria de ser tão grande...

A Copa América

Após oito anos sem disputa, o Sul-Americano retornou com o nome atual: Copa América. Nas três primeiras edições com a nova nomenclatura o torneio foi jogado sem sede fixa, em sistema de ida e volta e com intervalo de quatro anos entre as edições.
A partir de 1987 a Conmebol adotou um rodízio de países-sede onde Paraguai, Colômbia e Venezuela puderam organizar a competição pela primeira vez. Com o rodízio, um país só poderia voltar a sediar o torneio após todos os outros nove países sul-americanos tiverem sido anfitriões.

A era brasileira e os convidados

De 1993 em diante o torneio passou a ser disputado por doze seleções: as dez sul-americanas mais dois convidados, geralmente países da Concacaf e desde então a fórmula de disputa passou a ser de três grupos de quatro com os oito melhores seguindo para os mata-matas. Em oito edições sob esse sistema apenas o México dentre os convidados esteve em todas e chegando ao vice-campeonato em duas delas.
Foi também a partir daí que o Brasil passou a ter certa hegemonia na competição: até 1989 eram apenas quatro títulos, e todos em casa. Esse número simplesmente dobrou após vencer pela primeira vez fora de seus domínios em 1997.
Com o nome de Copa América a seleção brasileira foi campeã cinco vezes, seguida pelo Uruguai (quatro) e Argentina (duas vezes).

Os grandes tabus

Dentre os campeões o que está há mais tempo sem conquistar a Copa América é a Bolívia: desde 1963, exatos 52 anos. Logo a seguir vêm Peru (40 anos) e Paraguai (36). Os argentinos, que ficaram 34 anos sem vencer (de 1959 a 1993) já estão há 22 anos sem conquistas. Curiosamente, um dos maiores vencedores da competição faturou apenas duas edições nos últimos 56 anos e com isso acabou sendo ultrapassado pelos uruguaios em número de conquistas (15 a 14).
Já os brasileiros tiveram que acabar com dois tabus: o primeiro de quarenta anos sem taças de 1949 a 1989 e o segundo de jamais ter vencido a competição fora de casa, já que as quatro primeiras conquistas foram todas como país-sede. O jejum chegou ao fim após vencer a Bolívia na casa deles na final de 1997. De lá pra cá a seleção triunfou em gramados paraguaios, peruanos e venezuelanos.
Maior vencedor da competição e atual campeão, o Uruguai não ficou grandes períodos sem conquistas já que foi campeão em quase todas as décadas. O máximo que ficou foi dezesseis anos sem títulos (de 1967 a 1983 e de 1995 a 2011).


Campeões da Copa América

15 títulos
Uruguai 1916, 1917, 1920, 1923, 1924, 1926, 1935, 1942, 1956, 1959-II, 1967, 1983, 1987, 1995 e 2011

14 títulos
Argentina 1921, 1925, 1927, 1929, 1937, 1941, 1945, 1946, 1947, 1955, 1957, 1959-I, 1991 e 1993

8 títulos
Brasil 1919, 1922, 1949, 1989, 1997, 1999, 2004 e 2007

2 títulos
Peru 1939 e 1975
Paraguai 1953 e 1979

1 título
Bolívia 1963
Colômbia 2001





Nenhum comentário:

Postar um comentário