Páginas

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Copa Sul-Americana 2015: Definidos os semifinalistas

River Plate-ARG, Huracán-ARG, Santa Fé-COL e Sportivo Luqueño-PAR. Esses são os quatro times dentre os 47 que iniciaram a competição que continuam na briga pelo título da Copa Sul-Americana 2015. Assim como na edição passada, novamente teremos dois argentinos e um colombiano entre os semifinalistas. Completam o quarteto um time paraguaio, o Sportivo Luqueño que bateu os brasileiros do Atlético Paranaense por 2 a 0 em casa, impedindo que tivéssemos os mesmos países da edição passada representados nas semifinais. O Sportivo tornou-se o terceiro paraguaio semifinalista, juntando-se a Cerro Porteño (em 2009) e Libertad dois anos atrás.
O atual campeão River perdeu para a Chapecoense mas passou graças ao saldo de gols. Com isso, o time argentino vai para a sua quarta semifinal (a segunda seguida) igualando-se a LDU e São Paulo como os maiores semifinalistas da competição. Seu adversário será o Huracán, que despachou os uruguaios do Defensor e em sua primeira participação na Copa Sul-Americana terminará no mínimo entre os quatro melhores. E ainda de quebra se garantiu na Libertadores do ano que vem, já que seu país destina uma vaga para o melhor classificado do torneio. Como o River é o atual campeão continental a vaga ficou com o Huracán. Completam o time de semifinalistas o Santa Fé, que passou sobre o Independiente-ARG ao empatar em casa e assim quem sabe colocar o futebol colombiano pela primeira vez em duas finais seguidas de Sul-Americana.
No cruzamento original o River enfrentaria o Sportivo Luqueño enquanto que na outra chave Huracán e Santa Fé decidiriam uma vaga para a final, mas como teremos dois times do mesmo país, ambos os argentinos terão que se enfrentar.
Como as datas das semifinais ainda não estão definidas o blog posta pra você os resultados dos jogos de volta das quartas de final e assim que houver uma definição postaremos um resumo dos semifinalistas:


jogos de volta das quartas de final

20/10 terça-feira
Defensor-URU 0x0 Huracán-ARG

21/10 quarta-feira
Sportivo Luqueño-PAR 2x0 Atlético Paranaense
Chapecoense 2x1 River Plate-ARG

22/10 quinta-feira
Santa Fé-COL 1x1 Independiente-ARG


confrontos das semifinais (sem data definida)

River Plate-ARG x Huracán-ARG
Santa Fé-COL x Sportivo Luqueño-PAR

Mundial Sub-17 2015: Quartas de final



Após a rodada das oitavas de final disputada entre quarta e ontem foram definidos os quadrifinalistas do Mundial Sub-17, coincidentemente duas seleções por confederação: Brasil e Equador (América do Sul), Nigéria e Mali (África), Croácia e Bélgica (Europa) e por fim México e Costa Rica (Concacaf).
Dentre os sul-americanos o Brasil classificou-se graças a um pênalti marcado já nos acréscimos da partida diante da Nova Zelândia (1x0) enquanto que os equatorianos golearam os russos por 4 a 1, mesmo placar da derrota dos anfitriões chilenos para o México.
Agora os brasileiros encaram na próxima fase a Nigéria, no confronto entre os maiores campeões do torneio. Além dos dois, apenas o México dentre os classificados para as quartas já levantou a taça, enquanto que nenhuma das outras cinco seleções sequer chegaram a uma semifinal.
A rodada de quartas de final será jogada entre domingo e segunda com os vencedores fazendo as semifinais na quinta-feira. Dois dias antes, na terça-feira (dia 03) o blog traz os resultados das quartas de final pra você:


oitavas de final

28/10 quarta-feira
Brasil 1x0 Nova Zelândia (Viña del Mar)
Chile 1x4 México (Chillán)
Nigéria 6x0 Austrália (Viña del Mar)
Coréia do Sul 0x2 Bélgica (La Serena)

29/10 quinta-feira
Croácia 2x0 Alemanha (Concepción)
Mali 3x0 Coréia do Norte (Talca)
Equador 4x1 Rússia (Concepción)
França 0x0 Costa Rica - 3x5 pênaltis (Puerto Montt)


jogos das quartas de final

01/11 domingo
Brasil x Nigéria (Viña del Mar)
Croácia x Mali (Chillán)

02/11 segunda-feira
Equador x México (Coquimbo)
Bélgica x Costa Rica (Concepción)




quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Especial 02 - Os cinco melhores times por década: Anos 70

Os anos 70 ficaram conhecidos como a década argentina devido aos times do país terem estado em todas as decisões de Libertadores do período, ganhando sete delas. A década que começou com o tricampeonato do Estudiantes, pelas primeiras conquistas de Nacional-URU e Cruzeiro, passou pelo tetra do Independiente, pelo bi do Boca e terminou com o Olímpia quebrando um tabu de ser o primeiro time fora do trio Argentina-Brasil-Uruguai a levantar a Libertadores.


os cinco maiores times dos anos 70






Mundial Interclubes 1973
Libertadores 1972 1973, 1974 e 1975
Interamericana 1973, 1974 e 1976

outras finais disputadas
vice Mundial em 1972 e 1974



Foi na década de 70 que o Indepediente tornou-se o maior campeão da história da Libertadores, com quatro conquistas consecutivas em sete disputadas, sendo ainda semifinalista em duas edições. Além desses títulos, faturou ainda três Copas Interamericanas e o Mundial Interclubes de 1973 na sua quarta tentativa, igualando-se ao rival Racing como os únicos argentinos campeões do mundo até então.






Mundial Interclubes 1977
Libertadores 1977 e 1978

outras finais disputadas
vice Libertadores em 1979
vice Interamericana em 1978




O primeiro título do Boca Jrs veio por coincidência na primeira Libertadores decidida nos pênaltis diante do então campeão Cruzeiro. Depois vieram a conquista do Mundial e no ano seguinte o bi da Libertadores. Na sua terceira final seguida porém o clube viria a chance do tri consecutivo ir embora ao ser derrotado pelo Olímpia.





Mundial Interclubes 1971
Libertadores 1971
Interamericana 1972





Depois de perder três finais de Libertadores em um período de seis anos (1964, 1967 e 1969) e de assistir o domínio do rival Peñarol nos anos 60, o Nacional enfim conquista sua primeira Libertadores ao bater na decisão o Estudiantes, time que o havia derrotado dois anos antes. De quebra o time uruguaio venceria também o Mundial Interclubes e a Interamericana no ano seguinte, entrando definitivamente para o rol dos maiores clubes do mundo.







Mundial Interclubes 1979
Libertadores 1979






Até hoje o Olímpia é o único clube paraguaio campeão de competições internacionais. E tudo começou em 1979 ao derrotar o então bicampeão Boca Jrs e no mesmo ano conquistar o Mundial, tornando-se também o primeiro fora do trio Argentina-Brasil-Uruguai campeão internacional.






Libertadores 1976

outras finais disputadas
vice Mundial em 1976
vice Libertadores em 1977



Cruzeiro e Estudiantes conquistaram os mesmos títulos e perderam as mesmas finais, mas os brasileiros aparecem no Top 5 devido a terem participado de mais Libertadores na década. Com 46 gols marcados, o Cruzeiro é até hoje o time que mais gols fez numa única edição de Libertadores, além de ter vencido onze dos treze jogos que fez. Mas no mesmo ano perderia a final do Mundial para o Bayern-ALE e no ano seguinte o sonho do bicampeonato seria adiado pelo Boca.


outros campeões da década 


Estudiantes-ARG

Libertadores 1970

outras finais disputadas
vice Mundial 1970
vice Libertadores 1971


outros finalistas da década

Universitário-PER
vice da Libertadores em 1972

Colo Colo-CHI
vice da Libertadores em 1973

São Paulo
vice da Libertadores em 1974

Unión Española-CHI
vice da Libertadores em 1975

River Plate-ARG
vice da Libertadores em 1976

Deportivo Cali-COL
vice da Libertadores em 1978



terça-feira, 27 de outubro de 2015

Copa Libertadores Feminina

Começa amanhã dia 28 a sétima edição da Copa Libertadores Feminina. Pela primeira vez realizada fora do Brasil, a edição desse ano terá como país organizador a Colômbia. Três cidades sediarão o torneio: Medellín (com dois estádios), Girardota e Envigado.
Doze times participarão do torneio, sendo os campeões nacionais dos dez países filiados a Conmebol mais o atual campeão e um representante do país-sede. Na primeira fase estão divididas em três grupos com quatro times cada, classificando-se para as semifinais o campeão de cada grupo mais o melhor segundo colocado.
Veja a seguir a tabela completa da sétima edição da Copa Libertadores Feminina:


Grupo A
São José-BRA, Real Passion-COL, Cerro Porteño-PAR e Estudiantes de Guaricó-VEN

Grupo B 
UAI Urquiza-ARG, Ferroviária-BRA, Espuce-EQU e Cólon-URU

Grupo C
Formas Íntimas-COL, Colo Colo-CHI, Universitário-PER e San Martín de Porres-BOL


jogos da primeira fase

28/10 quarta-feira
Colo Colo-CHI X Universitário-PER
Formas Íntimas-COL x San Martín de Porres-BOL

29/10 quinta-feira
Ferroviária x Espuce-EQU
UAI Urquiza-ARG x Cólon-URU
Real Passión-COL x Cerro Porteño-PAR
São José x Estudiantes de Guaricó-VEN

30/10 sexta-feira
Colo Colo-CHI x San Martín de Porres-BOL
Formas Íntimas-COL x Universitário-PER

31/10 sábado
Ferroviária x Cólon-URU
UAI Urquiza-ARG x Espuce-EQU
Real Passion-COL x Estudiantes de Guaricó-VEN
São José x Cerro Porteño-PAR

01/11 domingo
Universitário-PER x San Martín de Porres-BOL
Formas Íntimas-COL x Colo Colo-CHI

02/11 segunda-feira
Cerro Porteño-PAR x Estudiantes de Guaricó-VEN
São José x Real Passion-COL
Espuce-EQU x Cólon-URU
UAI Urquiza-ARG x Ferroviária


semifinais

05/11 quinta-feira
1° do Grupo A x 1° do Grupo B
1° do Grupo C x Melhor 2° colocado


disputa 3° lugar

08/11 domingo
Perdedor Jogo 01 x Perdedor Jogo 02


final

08/11 domingo
Vencedor jogo 01 x Vencedor Jogo 02

O blog irá trazer os resultados ao final de cada fase com postagens nos dias 03 (terça-feira), 06 (sexta-feira) e 09 (segunda-feira).


todas as campeãs

3 São José (2011, 2013 e 2014)
2 Santos (2009 e 2010)
1 Colo Colo-CHI (2012)





segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Mundial Sub-17 2015: Oitavas de final



Terminou ontem a fase de grupos do Campeonato Mundial Sub-17 que está sendo disputado no Chile. Dos cinco sul-americanos que iniciaram a competição somente Brasil, Chile e Equador continuam na briga pelo título. Argentina (com três derrotas em três jogos) e Paraguai (com uma vitória e duas derrotas) estão fora. Brasileiros e equatorianos se classificaram como segundos colocados de seus grupos enquanto que o Chile avançou como melhor terceiro no geral.
A fase de oitavas de final terá quatro jogos na quarta e quatro na quinta, com os vencedores fazendo as quartas de final entre domingo e segunda que vem. Confira abaixo os classificados, as partidas da próxima fase e como ficaram os cruzamentos, lembrando que o blog trará os resultados das oitavas na sexta-feira:


jogos dos sul-americanos da terceira rodada

23/10 sexta-feira
Brasil 3x1 Guiné (Viña del Mar)
Chile 4x1 Estados Unidos (Viña del Mar)

24/10 sábado
Equador 2x0 Bélgica (Talca)
Argentina 1x2 Austrália (Chillán)

25/10 domingo
Paraguai 1x2 Nova Zelândia (Puerto Montt)


classificação 

Grupo A Nigéria 6, Croácia 5, Chile 4 e Estados Unidos 1
Grupo B Coréia do Sul 7, Brasil 6, Inglaterra 2 e Guiné 1
Grupo C México 7, Alemanha 6, Austrália 4 e Argentina 0
Grupo D Mali 7, Equador 6, Bélgica 4 e Honduras 0
Grupo E Rússia 7, Costa Rica e Coréia do Norte 4, África do Sul 1
Grupo F França 9, Nova Zelândia 4, Paraguai 3 e Síria 1


os confrontos das oitavas de final

28/10 quarta-feira
Brasil x Nova Zelândia (Viña del Mar)
Chile x México (Chillán)
Nigéria x Austrália (Viña del Mar)
Coréia do Sul x Bélgica (La Serena)

29/10 quinta-feira
Croácia x Alemanha (Concepción)
Mali x Coréia do Norte (Talca)
Equador x Rússia (Concepción)
França x Costa Rica (Puerto Montt)


Nas quartas de final teremos o seguinte cruzamento: o vencedor de Brasil x Nova Zelândia pega o vencedor de Nigéria x Austrália; quem vencer de Chile x México pega quem passar de Equador x Rússia; o vitorioso de França x Costa Rica enfrenta o vencedor de Coréia do Sul x Bélgica e por fim quem passar de Croácia x Alemanha enfrenta nas quartas o classificado de Mali x Coréia do Norte.






domingo, 25 de outubro de 2015

Cem anos do clássico San Lorenzo x Huracán



Completou ontem dia 24 de outubro exatos cem anos do clássico entre San Lorenzo x Huracán, conhecido como o "maior clássico de bairro do mundo". E o blog traz para você um pouco dessa rivalidade, desconhecida até para nós mesmos brasileiros:


fundados no mesmo ano e na mesma região

Curiosamente os dois rivais foram fundados no ano de 1908 e em ambos no dia primeiro do respectivo mês: o Club Atlético San Lorenzo de Almagro em abril e o Club Atlético Huracán em novembro. Provenientes da empobrecida Zona Sul de Buenos Aires, os dois têm suas origens no bairro portenho de Nueva Pompeia. O Huracán hoje possui seu estádio localizado em Parque de los Patricios enquanto que o campo do San Lorenzo era nesse bairro até que em 2007 houve uma mudança dos limites das "comunas" e desde então passou a fazer parte do bairro de Flores, embora o reduto sanlorencista seja em Boedo, todos bairros próximos, daí a rivalidade.


o primeiro clássico

Foi no dia 24 de outubro de 1915 - sete anos depois da fundação de ambos - que houve o primeiro confronto entre as duas equipes, que terminou com vitória do San Lorenzo por 3 a 1 no estádio do Ferro Carril Oeste. Marcaram para o time de Boedo Mariano Perazzo (duas vezes) e Francisco Xarau com José Laguna descontando para o Huracán. Laguna aliás, foi o primeiro presidente e representante do clube na seleção argentina, e quinze anos depois treinaria o Paraguai na Copa de 1930.


as décadas de ouro

Tanto Huracán como San Lorenzo tiveram seus melhores momentos juntos nos anos 20 e 70. Na terceira década do século passado o "time do Papa" venceu três campeonatos nacionais (1923, 1924 e 1927) e foi vice em dois (1925 e 1926). Seu rival faturou os nacionais de 1921, 1922, 1925 e 1928. Já nos anos 70 o San Lorenzo fora campeão argentino duas vezes em 1972 (Nacional e Metropolitano) e em 1974 (Nacional) enquanto que o Huracán deu a volta olímpica no intervalo dessas duas conquistas, em 1973. Ainda nessa década ambos alcançaram as semifinais da Libertadores.


anos 80: o pior para ambos

Foram os piores anos para a dupla, com o rebaixamento inédito dos dois times: San Lorenzo em 1981 (retornando no ano seguinte) e do Huracán em 1986. Mas este permaneceria por quatro anos na divisão de acesso voltando apenas em 1990. Foi a década com menos clássicos devido aos rebaixamentos.


as maiores goleadas

A favor do San Lorenzo: 5x0 em 1995 foi também a maior goleada já registrada do clássico. Jogando na casa do rival teve um 4 a 0 em 2002 e em campo neutro um 5 a 1 em 1971. Já pelos lados do Huracán a maior vitória foi um 5x1 em casa no longínquo ano de 1944, e fora um 5x2 cinco anos antes.


torcidas

Atualmente o San Lorenzo ocupa a quarta colocação entre os clubes mais populares do país, atrás de Boca, River e Independiente. Em algumas pesquisas aparece em quinto após o Racing. Já o Huracán é bastante popular somente na capital e diferente de seu rival não tem torcida espalhada por todo o país.


jogadores que atuaram pelos dois times

Um total de 39 jogadores vestiram a camisa dos dois rivais. O mais importante deles, Luis Monti é o único a jogar duas finais de Copa do Mundo por duas seleções diferentes: vice com a Argentina em 1930 e campeão com a Itália quatro anos depois. Junto com seu irmão Enrique são os dois únicos campeões pelos dois rivais. Tivemos também Héctor Vieira, tido como maior ídolo da história do San Lorenzo.
Quatro técnicos passaram pelos dois times: Guillermo Stábile, Oswaldo Zubeldia, Delém e Alfio Basile. Já entre os jogadores conhecidos dos brasileiros podemos destacar Buttice, goleiro com passagem pelo Corinthians na época da fila e Doval, campeão carioca por Flamengo e Fluminense.


cem anos do clássico

O último confronto deu Huracán 1x0 em seu estádio no dia 12 de setembro.

Curiosamente no ano em que se comemora o centenário do clássico ambos voltam a se enfrentar após um hiato de quatro anos, já que o Globo estava na segunda divisão. O San Lorenzo venceu por 3 a 1 em casa no dia 15 de março e o troco do Huracán veio em 12 de setembro pelo placar mínimo (1x0).Além disso, pela primeira vez jogaram uma edição de Libertadores juntos, embora somente os dois dos seis argentinos participantes não tenham passado da fase de grupos. Ambos vem de títulos conquistados em 2014, o San Lorenzo com a sonhada Libertadores e o Huracán com a Copa e Supercopa Argentinas, encerrando um jejum de quarenta e um anos sem nenhum título.


os números de Huracán x San Lorenzo

É sem dúvida um dos clássicos mais desiguais da Argentina, com vantagem de 38 vitórias para o San Lorenzo, além do clube de Boedo ter em seu favor as maiores goleadas, sequencias de triunfos tanto fora como em casa e de invencibilidade. A única vantagem do Huracán diz-se a respeito de vitórias seguidas em uma mesma temporada (cinco em 1976). Veja a seguir os números do clássico:


192 jogos entre 24/10/1915 a 12/09/2015

88 vitórias do San Lorenzo
52 vitórias do Huracán
52 empates

342 gols marcados pelo San Lorenzo
245 gols marcados pelo Huracán

47 vitórias do San Lorenzo em casa
36 vitórias do San Lorenzo fora
  5 vitórias do San Lorenzo em campo neutro

25 vitórias do Huracán em casa
20 vitórias do Huracán fora
  7 vitórias do Huracán em campo neutro



títulos de San Lorenzo e Huracán

San Lorenzo conquista a tão sonhada Copa Libertadores de 2014.




Libertadores 2014
Sul-Americana 2002
Mercosul 2001
Campeonato Argentino 1923, 1924, 1927, 1933, 1936, 1946, 1959, 1968 - Metropolitano, 1972 - Nacional, 1972 - Metropolitano, 1974 - Nacional, 1995 - Clausura, 2001 - Clausura, 2007 - Clausura e 2013 - Inicial








Campeonato Argentino 1921, 1922, 1925, 1928 e 1973 - Metropolitano
Copa Argentina 2014
Supercopa Argentina 2014









sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Copa Sul-Americana 2015:Resultados dos jogos de ida das quartas de final



Nenhum empate nas quatro partidas de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana 2015. River Plate foi o único a vencer por dois gols de diferença e com isso pode até perder por um gol que estará nas semifinais. Outro time que ficou numa situação confortável foi o Santa Fé, que bateu o Independiente fora de casa e agora joga por um simples empate diante de sua torcida para avançar. Atlético Paranaense e Huracán também venceram pela contagem mínima e precisam somente empatar fora para se garantirem nas semifinais, ou até mesmo uma derrota serve, desde que seja por um gol de diferença e marcando gols na casa dos adversários.
Portanto restam aos perdedores vencerem por pelo menos dois gols de diferença para avançarem as semifinais.


quartas de final - jogos de ida

20/10 terça-feira
Huracán-ARG 1x0 Defensor-URU

21/10 quarta-feira
River Plate-ARG 3x1 Chapecoense
Atlético Paranaense 1x0 Sportivo Luqueño

22/10 quinta-feira
Independiente-ARG 0x1 Santa Fé-COL



jogos de volta

27/10 terça-feira
Defensor-URU x Huracán-ARG

28/10 quarta-feira
Chapecoense x River Plate-ARG
Sportivo Luqueño-PAR x Atlético Paranaense

29/10 quinta-feira
Santa Fé-COL x Independiente-ARG



Mundial Sub-17 2015: Jogos dos sul-americanos da segunda rodada



Na segunda rodada do Campeonato Mundial Sub-17 realizado no Chile tivemos apenas o Brasil vencendo dentre as seleções sul-americanas enquanto que todas as outras saíram-se derrotadas, com destaque negativo para as goleadas sofridas por chilenos e argentinos, este último já eliminado com duas derrotas até aqui. Após duas rodadas quatro seleções se garantiram nas oitavas: Nigéria no Grupo A, Coréia do Sul no Grupo B, Alemanha no C e França no F.
Para a última rodada que se iniciou hoje só um milagre classificam os donos da casa, lanterna de seu grupo com apenas uma ponto enquanto que Brasil, Equador e Paraguai dependem ainda de suas próprias forças.


20/10 terça-feira
Chile 1x5 Nigéria (Viña del Mar)
Brasil 1x0 Inglaterra (La Serena)

21/10 quarta-feira
Argentina 0x4 Alemanha (Chillán)
Equador 1x2 Mali (Talca)

22/10 quinta-feira
Paraguai 3x4 França (Puerto Montt)


jogos dos sul-americanos da terceira rodada

23/10 sexta-feira (hoje)
Brasil x Guiné (Viña del Mar)
Chile x Estados Unidos (Viña del Mar)

24/10 sábado
Equador x Bélgica (Talca)
Argentina x Austrália (Chillán)

25/10 domingo
Paraguai x Nova Zelândia (Puerto Montt)


Os resultados dessa terceira rodada com os jogos já iniciados antes da postagem do blog serão publicados na segunda-feira dia 26.




quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Pequenos brasileiros x grandes argentinos


O Boca de Tévez enfrentando o São Caetano no ABC paulista em 2004.

Hoje a noite acontecerá o inusitado confronto em partida válida pelas quartas de final da Copa Sul Americana entre a Chapecoense, clube brasileiro que está em sua segunda temporada seguida na primeira divisão nacional e o River Plate, atual campeão dos três torneios sul-americanos. Um verdadeiro confronto Davi x Golias, pequenos brasileiros diante de grandes argentinos que já ocorreu por algumas vezes, como podem ver na lista abaixo:



1988 Libertadores - Guarani x San Lorenzo
o primeiro confronto pelas oitavas

Até 1987 a Libertadores era disputada por duas fases de grupos antes da decisão. Mata-matas só houveram em algumas edições lá pelos anos 60, e resumidas a quartas e semifinais. E o primeiro confronto Brasil x Argentina na recém criada fase de oitavas de final foi entre Guarani e San Lorenzo. Na ida em Buenos Aires, empate por um gol. Em Campinas bastava uma vitória simples para os paulistas avançarem, mas os argentinos não se intimidaram e venceram pela contagem mínima, para tristeza dos bugrinos que desde então nunca mais se classificaram para a Libertadores.


2003 Libertadores - Paysandu x Boca Jrs
e o Papão deu um susto no Boca


Jornais do Pará destacam a façanha do Paysandu em plena Bombonera

Antes da participação do time paraense apenas Santos em 1963 e Cruzeiro em 1994 haviam derrotado o Boca em seu temível estádio. E não é que o Paysandu conseguiria alcançar tal feito? Candidato a saco de pancadas, o até hoje único representante da Região Norte do país em Libertadores terminou na liderança de seu grupo invicto e com quatro vitórias, incluindo um 6 a 2 diante do Cerro Porteño fora de casa. Nas oitavas o adversário seria o Boca e aí o clube entraria de vez para a história ao vencer em plena Bombonera por um a zero. Na volta porém, os argentinos fizeram prevalecer o peso da camisa e eliminaram os paraenses (4x2).
Autor do gol histórico, o atacante Iarley seria contratado pelo time de Buenos Aires e no final do mesmo ano seria campeão do último mundial conquistado por um clube da Argentina.


2004 Libertadores - São Caetano x Boca Jrs
se existisse o critério do gol fora...

Vice da Libertadores dois anos antes, o São Caetano era no início do século (acreditem!) um dos principais times brasileiros na competição. Chegando em mais uma quartas de final seu adversário seria o Boca, atual campeão continental e do mundo. E o clube do ABC paulista não se intimidou: empates nas duas partidas levaram a ver quem seria semifinalista através das penalidades. Aí deu Boca, que não perdia uma decisão por pênaltis há muito tempo. Implantado no ano seguinte, se o critério do gol fora de casa tivesse valendo em 2004 os brasileiros é que teriam avançado, pois empataram sem gols em casa e por um a um fora.


2006 Libertadores - Paulista x River Plate
a única vitória foi justamente sobre os argentinos

Ao conquistar de maneira surpreendente a Copa do Brasil de 2005 sendo até hoje o único campeão a bater somente adversários da primeira divisão desde as fases iniciais, o Paulista caiu em um grupo equilibrado onde tinha River Plate, Libertad e o El Nacional, do Equador. No final o time do interior de São Paulo terminou na lanterna de seu grupo com apenas uma vitória, e curiosamente sobre os argentinos (2x1) em casa. Se tivesse vencido outros dois jogos que empatou como mandante contra adversários menos tradicionais que o time argentino poderia ter seguido adiante.


2006 Libertadores - Goiás x Estudiantes
aqui o critério de gols fora prejudicou

Líder de seu grupo com apenas uma derrota, o Goiás já havia batido um argentino (3x0 diante do Newell's) antes de encarar o Estudiantes nas oitavas de final. Ausente havia 26 anos da Libertadores, o time de La Plata bateu os goianos por dois a zero, com os gols saindo apenas nos últimos dez minutos. Em Goiânia os donos da casa devolviam o placar até os 30 do segundo tempo, levando a vaga para ser decidida nos pênaltis quando um golzinho do Estudiantes obrigou o Goiás a marcar mais dois. Com o tempo curto o time goiano fez apenas um já nos acréscimos e acabou dando adeus a competição. Se dois anos antes o critério de gols fora de casa poderia ter ajudado o São Caetano, nesse caso se não existisse talvez o classificado poderia ter sido o time brasileiro.


2010 Copa Sul-Americana - Goiás x Independiente
o título escapou nos pênaltis

Goianos lamentam a derrota e a perda do título nos pênaltis.

O Goiás viveu situação no mínimo estranha em 2010: rebaixado à segunda divisão nacional e ao mesmo tempo finalista da Copa Sul-Americana. Depois de eliminar Peñarol e Palmeiras na casa do adversário, a final seria diante do Independiente, ausente das decisões internacionais desde os anos 90. Mesmo diante de um gigante mundial, o time goiano não tomou conhecimento e venceu a ida por dois a zero. Na volta, derrota por três a um (todos os gols dos dois jogos marcados no primeiro tempo) levou a decisão para as penalidades, e após uma única cobrança errada (de Felipe para o Goiás) a taça ficaria mesmo em Avellaneda.


2013 Copa Sul-Americana - Ponte Preta x Velez Sarsfield
a única eliminação argenitna

Apesar de algumas vitórias, em todos os casos acima nenhum clube brasileiro havia eliminado um argentino. A escrita porém, seria quebrada pela Ponte Preta em sua primeira aparição em torneios internacionais. Depois de empatar sem gols em casa, nem o mais fanático ponte-pretano poderia crer em vitória em Buenos Aires, e foi exatamente o que aconteceu: com gols de Elias e Fernando Bob o time brasileiro não só venceria como também garantiria vaga nas semifinais onde eliminaria outro grande continental, o São Paulo e cairia somente na final diante do Lanús.





terça-feira, 20 de outubro de 2015

Mundial Sub-17 2015: Jogos dos sul-americanos da primeira rodada



Na primeira rodada do Campeonato Mundial Sub-17 tivemos apenas duas das cinco seleções sul-americanas vencendo: Equador e Paraguai. Os anfitriões chilenos empataram enquanto que Brasil e Argentina perderam seus jogos.
Vamos aos resultados e também os jogos dos sul-americanos da segunda rodada:


17/10 sábado
Chile 1x1 Croácia (Santiago)
Brasil 0x1 Coréia do Norte (Coquimbo)

18/10 domingo
Argentina 0x2 México (Chillán)
Equador 3x1 Honduras (Talca)

19/10 segunda-feira
Paraguai 4x1 Síria (Puerto Montt)


jogos dos sul-americanos da segunda rodada

20/10 terça-feira (hoje)
Chile x Nigéria (Viña del Mar)
Brasil x Inglaterra (La Serena)

21/10 quarta-feira
Argentina x Alemanha (Chillán)
Equador x Mali (Talca)

22/10 quinta-feira
Paraguai x França (Puerto Montt)


Os resultados da segunda rodada publicaremos na sexta-feira.



Copa Sul-Americana 2015: Jogos de ida das quartas de final



Depois de uma pausa de quase um mês em razão das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo 2018, teremos hoje a volta da Copa Sul-Americana com os jogos de ida das quartas de final. Além dos jogos iremos postar a campanha de cada um dos quadrifinalistas até aqui:


quartas de final - jogos de ida

20/10 terça-feira
Huracán-ARG x Defensor-URU

21/10 quarta-feira
River Plate-ARG x Chapecoense
Atlético Paranaense x Sportivo Luqueño-PAR

22/10 quinta-feira
Independiente-ARG x Santa Fé-COL



campanha dos quadrifinalistas até aqui

River Plate-ARG 
2x0 e 0x1 LDU-EQU

Huracán-ARG
5x2 e 1x0 Tigre-ARG
1x1 e 3x0 Sport

Independiente-ARG
1x1 e 1x0 Arsenal-ARG
1x0 e 0x0 Olímpia-PAR

Chapecoense
1x1 e 3x0 Ponte Preta
1x1 e 1x1 (5x3 pênaltis) Libertad-PAR

Atlético Paranaense
2x0 e 1x0 Joinville
1x0 e 0x0 Brasília

Defensor-URU
3x0 e 0x2 Bolívar-BOL
3x0 e 1x0 Universitário-PER
1x1 e 1x1 (5x3 pênaltis) Lanús-ARG

Santa Fé-COL
0x0 e 3x0 LDU Loja-EQU
2x0 e 0x1 Nacional-URU
1x2 e 1x0 Emelec-EQU

Sportivo Luqueño-PAR
2x1 e 5x1 Aurora-BOL
1x1 e 4x0 Deportivo La Guaíra-VEN
1x1 e 1x0 Tolima-COL




sábado, 17 de outubro de 2015

Campeonato Mundial Sub-17 2015



Começa hoje mais um Campeonato Mundial Sub-17. A edição de número dezesseis será jogada no Chile em oito cidades: Santiago, Concepción, Viña del Mar, Coquimbo, La Serena, Chillán, Puerto Montt e Talca. Participarão no total 24 seleções que na primeira fase estão divididas em seis grupos de quatro. Classificam-se para a fase seguinte os dois primeiros colocados de cada grupo mais os quatro melhores terceiros. A partir daí os jogos serão no sistema de mata-mata até que se cheguem aos dois finalistas que decidem o título no dia 8 de novembro. Apenas a África do Sul estará no mundial pela primeira vez.
Além do anfitrião Chile representarão a América do Sul mais quatro seleções: Argentina, Brasil, Equador e Paraguai. Na edição passada disputada nos Emirados Árabes o título ficou com a Nigéria ao bater o México por 3 a 0 na decisão. Ao terminar em quarto lugar, a Argentina foi a seleção sul-americana melhor colocada.
No ranking de campeões os nigerianos ultrapassaram o Brasil graças ao título de 2013 e agora somam quatro conquistas, contra três dos brasileiros. Logo a seguir vêm Gana e México com dois títulos enquanto que Rússia (como União Soviética), Arábia Saudita, França e Suíça conquistaram o Mundial Sub-17 uma única vez.
Assim como nos outros mundiais das categorias de base, o blog acompanhará somente os sul-americanos. Veja a seguir como ficaram os grupos e os jogos da primeira rodada das seleções do nosso continente, lembrando que traremos os resultados ao final de cada rodada ou fase:


Grupo A Chile, Estados Unidos, Nigéria e Croácia
Grupo B Brasil, Inglaterra, Guiné e Coréia do Sul
Grupo C Argentina, Austrália, Alemanha e México
Grupo D Equador, Bélgica, Mali e Honduras
Grupo E África do Sul, Coréia do Norte, Costa Rica e Rússia
Grupo F Paraguai, França, Síria e Nova Zelândia


jogos da primeira rodada dos sul-americanos

17/10 sábado (hoje)
Chile x Croácia (Santiago)
Brasil x Coréia do Sul (Coquimbo)

18/10 domingo
Argentina x México (Chillán)
Equador x Honduras (Talca)

19/10 segunda-feira
Paraguai x Síria (Puerto Montt)


todos os campeões

4 Nigéria (1985, 1993, 2007 e 2013)
3 Brasil (1997, 1999 e 2003)
2 Gana (1991 e 1995)
   México (2005 e 2011)
1 Rússia (1987)
   Arábia Saudita (1989)
   França (2001)
   Suíça (2009)


os sul-americanos ao longo do tempo

De longe o Brasil é a melhor seleção sul-americana na competição com três títulos e dois vices em cinco finais disputadas, além de ter sido semifinalista outras duas vezes e ter ficado de fora do Mundial uma única vez, na edição de 1993. Fora os brasileiros apenas o Uruguai chegou a uma decisão, mas acabou com o vice ao perder para o México em 2011. Argentina (por cinco vezes), Colômbia (duas) e Chile (uma vez) chegaram nas semifinais mas não conseguiram avançar à final. Todas as outras cinco seleções filiadas a Conmebol já disputaram pelo menos uma edição do Mundial (Bolívia, Equador, Paraguai, Peru e Venezuela).


ranking do Mundial Sub-17

Ao todo 78 seleções participaram pelo menos de uma edição do torneio. Brasil e Estados Unidos estiveram em catorze das quinze edições. Ausentes em 2013, os norte-americanos haviam até então disputado todos os mundiais. Argentina com doze e México e Austrália com onze estão entre as seleções que mais participaram.
Dentre as seleções não-campeãs a Espanha é a que tem mais presenças em finais, com três: foi derrotada nas decisões de 1991, 2003 e 2007. Mesmo assim é a seleção europeia melhor ranqueada, na frente até das outras ex-campeãs do continente Rússia, França e Suíça. Com um título a menos que a Nigéria, o Brasil lidera o ranking de pontos e também foi a seleção que mais jogou, venceu e que mais anotou gols. Os nigerianos porém estiveram em mais finais (sete contra cinco do Brasil). Gana com quatro e México e Espanha com três, são os países com mais de duas finais.
Nigéria, Argentina, Gana, México, Espanha, Alemanha, Estados Unidos, Austrália e Uruguai completam o Top 10 do ranking de pontos.


algumas curiosidades


  • Campeã em 2009, a Suíça é a única seleção com aproveitamento de 100% na história do torneio, já que ganhou todos os sete jogos da campanha vitoriosa. O mais curioso é que foi a única participação dos suíços na competição.
  • O México é outra seleção que também venceu todas as partidas numa única edição (2011) e a única a vencer em casa. Escócia em 1989 e Nigéria em 2009 chegaram a decisão como anfitriões mas acabaram sendo derrotados respectivamente por Arábia Saudita e Suíça.
  • Todos os quatro títulos da Nigéria foram conquistados na Ásia, sendo que nas outras vezes em que chegou a decisão em outro continente acabou perdendo.
  • Apenas uma final se repetiu: Brasil x Gana decidiram os mundiais de 1995 e 1997. Os africanos venceram a primeira e os brasileiros deram o troco dois anos depois.
  • Há vinte anos os asiáticos não chegam a uma semifinal. A última vez foi o Omã em 1995 na edição realizada no quase vizinho Catar.
  • A final de 1993 entre Gana e Nigéria foi a única entre seleções do mesmo continente.
  • Gana foi a seleção que mais vezes disputou finais consecutivas (quatro entre 1991 a 1997) seguida do Brasil com três entre 1995 a 1999. Com duas decisões seguidas aparecem Nigéria (1985 e 1987 e 2007 e 2009), Brasil (2003 e 2005) e México, finalista das duas últimas edições.
  • Na edição de 2011 saíram o primeiro gol olímpico (Jonathan Espiricueta-MEX) e o primeiro gol de goleiro (Quillan Roberts-CAN).
  • Dois filhos de ex-jogadores estarão em ação no Chile, e curiosamente dois goleiros: Luca Zidane-FRA, filho de nada mais nada menos que Zinedine Zidane e José Cevallos-EQU, homônimo do pai, o ex-goleiro da LDU e seleção equatoriana Cevallos.
  • Vários foram os jogadores que se destacaram no Mundial Sub-17 e depois conquistaram a Copa do Mundo, mas apenas um foi campeão das duas competições: trata-se de Ronaldinho Gaúcho, que levantou a taça do Mundial Sub-17 em 1997 e cinco anos depois o penta na Copa do Mundo. 





quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Resultados da 2ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa 2018



Ontem tivemos a realização da segunda rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. E com apenas uma partida terminando empatada, tivemos Chile, Equador e Uruguai vencendo novamente enquanto que Bolívia, Peru e Venezuela somaram a segunda derrota seguida. E depois de perder para o campeão da Copa América o Brasil vence pela primeira vez nessas eliminatórias.
Segue abaixo os resultados dos jogos da segunda rodada e lembrando que os próximos confrontos serão disputados novamente em rodada dupla entre os dias 12 e 17 de novembro, com destaque para o clássico entre Brasil x Argentina.


2ª rodada

13/10 terça-feira
Equador 2x0 Bolívia
Uruguai 3x0 Colômbia
Paraguai 0x0 Argentina
Brasil 3x1 Venezuela
Peru 3x4 Chile


classificação após duas rodadas

Uruguai, Equador e Chile 6, Paraguai 4, Brasil e Colômbia 3, Argentina 1, Peru, Venezuela e Bolívia 0






segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Primeira derrota do Brasil em estreia de Eliminatórias

Ao perder para a seleção chilena por dois a zero na noite de quinta-feira em Santiago, os brasileiros conheceram a sua primeira derrota numa estreia de Eliminatória para a Copa do Mundo. Até então havíamos vencido seis e empatado outros cinco dos onze jogos de estreia. Cinco dessas partidas foram contra a Colômbia enquanto que Chile (curiosamente o primeiro e o último confronto) e Venezuela enfrentamos duas vezes. Peru, Bolívia e Equador apenas uma vez. Jamais estreamos contra Argentina, Paraguai e Uruguai. Outra curiosidade é que a seleção brasileira sempre estreou fora de casa.
Veja a seguir a lista com os jogos de estreia do Brasil e só lembrando que o país não jogou as eliminatórias das Copas de 1930 (não houve), 1934 e 1938 (por desistência dos adversários), 1950 e 2014 (por ser país-sede) enquanto que em 1962, 1966, 1974 e 1978 era o detentor do título:


os doze jogos de estreia do Brasil em eliminatórias

22/02/1954 Chile 0x2 Brasil (Santiago-CHI) Copa 1954
13/04/1957 Peru 1x1 Brasil (Lima-PER) Copa 1958
06/08/1969 Colômbia 0x2 Brasil (Bogotá-COL) Copa 1970
20/02/1977 Colômbia 0x0 Brasil (Bogotá-COL) Copa 1978
08/02/1981 Venezuela 0x1 Brasil (Caracas-VEN) Copa 1982
26/05/1985 Bolívia 0x2 Brasil (La Paz-BOL) Copa 1986
30/06/1989 Venezuela 0x4 Brasil (Caracas-VEN) Copa 1990
18/07/1993 Equador 0x0 Brasil (Guayaquil-EQU) Copa 1994
20/03/2000 Colômbia 0x0 Brasil (Bogotá-COL) Copa 2002
07/07/2003 Colômbia 1x2 Brasil (Barranquilla-COL) Copa 2006
14/10/2007 Colômbia 0x0 Brasil (Bogotá-COL) Copa 2010
08/10/2015 Chile 2x0 Brasil (Santiago-CHI) Copa 2018






sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Resultados da 1ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa 2018



Iniciou-se ontem as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018 que será jogada na Rússia. E nas cinco partidas disputadas, nenhum empate sendo que Equador, Uruguai e Paraguai triunfaram fora de casa. Na próxima terça-feira teremos a segunda rodada e no dia seguinte publicaremos os resultados pra você.


1ª rodada

08/10 quinta-feira
Chile 2x0 Brasil
Argentina 0x2 Equador
Colômbia 2x0 Peru
Venezuela 0x1 Paraguai
Bolívia 0x2 Uruguai

 rodada 

13/10 terça-feira
Equador x Bolívia
Uruguai x Colômbia
Paraguai x Argentina
Brasil x Venezuela
Peru x Chile



terça-feira, 6 de outubro de 2015

História das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo

Quinta-feira próxima começam as eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2018 a ser realizada na Rússia. Serão dez seleções brigando por quatro vagas diretas e uma na repescagem. A fórmula de disputa é simples, com todos jogando contra todos e as quatro seleções que somarem mais pontos se garantem no Mundial enquanto que o quinto colocado enfrenta o representante asiático na repescagem internacional. E é claro, o nosso blog irá acompanhar e trazer tudo pra você.
Conheçam agora um pouco da história das eliminatórias sul-americanas com os classificados por cada edição:

1930 Uruguai
Não houve eliminatórias, já que todas as seleções foram convidadas. Representaram a América do Sul além dos anfitriões Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Peru.

1934 Itália
O Uruguai, campeão da edição anterior não quis disputar a Copa. Apenas quatro seleções sul-americanas se inscreveram, sendo que pouco antes Peru e Chile desistiram e Argentina e Brasil classificaram-se automaticamente.

1938 França
Apenas três seleções se inscreveram: Brasil, Argentina e Colômbia. Com a desistência dos dois últimos a vaga caiu no colo dos brasileiros, os únicos representantes da Conmebol na França.

1950 Brasil
Os brasileiros estavam garantidos como anfitriões. Outras sete seleções se inscreveram mas com as desistências de Argentina, Equador e Peru os classificados foram Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai.

1954 Suíça
Apenas três seleções brigaram por uma única vaga, que acabou ficando com o Brasil ao superar Paraguai e Chile. Os uruguaios já tinham a vaga por defenderem o título.

1958 Suécia
Oito seleções filiadas a Conmebol disputaram as eliminatórias (menos Equador e Venezuela). Eram dois grupos de três e um de apenas dois. Os campeões das chaves - Brasil, Argentina e Paraguai - carimbaram o passaporte para a Suécia.

1962 Chile
Brasileiros e chilenos, um detentor do título e outro organizador da Copa, ficaram de fora das eliminatórias. O Paraguai, por decisão da FIFA já estava garantido na repescagem contra o representante da Concacaf, e acabou perdendo para o México e ficando de fora. As outras seis seleções inscritas (só a Venezuela ficou de fora) foram divididas em três chaves eliminatórias, na qual avançaram Argentina, Uruguai e Colômbia.

1966 Inglaterra
Como atual campeão, novamente os brasileiros não precisaram jogar as eliminatórias. Todas as outras nove seleções do continente se inscreveram, sendo divididas em três grupos de três, onde os campeões de cada grupo foram à Inglaterra: Argentina, Chile e Uruguai.

1970 México
Pela primeira vez todas as dez seleções filiadas da Conmebol estiveram presente numa eliminatória. Assim como no ano anterior foram divididas em três grupos, mas dessa vez um com quatro e os outros dois com três seleções. Brasil, Peru e Uruguai se classificaram.

1974 Alemanha
Brasil e Venezuela ficaram de fora, um por ser o campeão e o outro por não ter se inscrito. Com isso, as outras oito seleções foram divididas em três grupos (dois com três e um com dois) sendo que nos grupos de três os campeões (Argentina e Uruguai) se classificaram direto enquanto que no grupo de dois times o campeão, no caso o Chile, disputaria uma repescagem contra um time da UEFA, na época a extinta União Soviética. Como esse se recusou a enfrentar os chilenos por questões políticas, a vaga ficou com os sul-americanos.

1978 Argentina
Com os argentinos organizando o Mundial e as outras nove seleções filiadas a Conmebol presentes, as eliminatórias tiveram duas fases: a primeira como vinha sendo (três grupos) mas ao invés de irem pra Copa, essas três seleções formaram novamente um grupo com os dois primeiros (Brasil e Peru) se classificando enquanto que o terceiro colocado (Bolívia) disputava a repescagem contra um país da Europa. No final, os bolivianos acabariam perdendo.

1982 Espanha
Com os argentinos campeões em casa, as eliminatórias tiveram como na disputa anterior nove seleções distribuídas em três grupos com os primeiros carimbando o passaporte à Copa: Brasil, Chile e Peru.

1986 México
Sem anfitrião ou detentor do título, as eliminatórias da Copa de 1986 tiveram todas as dez seleções sul-americanas. Divididos em três grupos (um com quatro e os outros dois com três), os campeões automaticamente avançaram para a Copa: Argentina, Uruguai e Brasil. Os segundos colocados mais o terceiro do grupo com três seleções fizeram um mata-mata onde o vencedor também se classificava. A quarta vaga acabou ficando com o Paraguai.

1990 Itália
Com a Argentina campeã de fora, as outras nove seleções foram divididas em três grupos de três. Os dois melhores campeões avançaram direto (Brasil e Uruguai) enquanto que o pior dos campeões teve que ir para a repescagem contra o vencedor da Oceania. E ao vencer Israel (que jogava pela OFC) a Colômbia também foi à Itália.

1994 Estados Unidos
O único a ficar de fora foi o Chile, devido a problemas na eliminatória anterior e que estava suspenso pela FIFA. Diferente dos outros anos, dessa vez as outras nove seleções form divididas em dois grupos (e não três): um com cinco onde os dois primeiros garantiriam a vaga e outro com quatro, com apenas o campeão se classificando. O segundo colocado disputaria a repescagem contra um time da Oceania. Do grupo de cinco saíram Bolívia e Brasil e do outro apenas a Colômbia. Os argentinos tiveram que jogar contra a Austrália e também foram ao Mundial.

1998 França
A partir desse Mundial as eliminatórias sul-americanas passaram a ser disputadas no sistema de todos contra todos em turno e returno com os quatro melhores colocados se classificando. Com o Chile voltando de suspensão e o Brasil de fora por ser campeão da Copa, os sul-americanos presentes na França foram Argentina, Chile, Colômbia e Paraguai.

2002 Coréia do Sul e Japão
Pela primeira vez todas as dez seleções da Conmebol presentes no novo sistema. Outra novidade fica por conta do quinto colocado jogar a repescagem internacional. Argentina, Brasil, Equador e Paraguai se classificaram direto enquanto que o Uruguai através da repescagem, graças a vitória frente a Austrália.

2006 Alemanha
Mesmo campeão, o Brasil teve que disputar as eliminatórias. Assim como no ano anterior, curiosamente os classificados foram os mesmos (Argentina, Brasil, Equador e Paraguai) com o Uruguai indo mais uma vez para a repescagem. Mas as coincidências param por aí: novamente tiveram a Austrália no caminho mas ao contrário de 2002, dessa vez os eliminados seriam os uruguaios.

2010 África do Sul
A única mudança em relação as eliminatórias anteriores foi o Chile ficar com a vaga do Equador. De novo Argentina, Brasil e Paraguai ficaram entre os quatro primeiros e os uruguaios pela terceira vez seguida jogando a repescagem, mas dessa vez contra o representante da Concacaf. E acabou garantindo participação na Copa ao vencer a Costa Rica.

2014 Brasil
Com os brasileiros organizando a Copa, tivemos nove seleções após três eliminatórias com os dez filiados. Argentina, Chile, Colômbia e Equador se classificaram automaticamente enquanto que, adivinhem: o Uruguai precisou de novo da repescagem para vir ao Brasil. A vítima dessa vez dos uruguaios foi a Jordânia, representante asiático.




sábado, 3 de outubro de 2015

Especial 01 - Os cinco melhores times por década: Anos 60

Hoje começaremos mais um especial aqui no nosso blog. Falaremos dos cinco maiores times por década, desde os anos 60 até os dias de hoje. Serão seis capítulos (dois por mês), cada um abordando uma década onde postaremos os títulos e as finais disputadas. Nesse mês de outubro falaremos dos anos 60 e 70, em novembro dos anos 80 e 90 e por fim em dezembro dos anos 2000 em diante.
Começando pelos anos 60 com o início da então Taça Libertadores, que dava ao campeão o direito de disputar contra o vencedor da Copa dos Campeões da Europa a Taça Intercontinental, chamada pelos sul-americanos de Mundial Interclubes. Já no fim dos anos 60 surgiria outro torneio intercontinental, a Taça Interamericana que colocava frente a frente os vencedores da Libertadores e da Copa dos Campeões da Concacaf.


os cinco maiores times dos anos 60





Mundial Interclubes 1961 e 1966
Libertadores 1960, 1961 e 1966

outras finais disputadas
vice Mundial em 1960
vice Libertadores em 1962 e 1965




Nenhum time na América do Sul foi tão vitorioso como o Peñarol nos anos 60. Campeão de três edições da Copa Libertadores, o time uruguaio venceu ainda por duas vezes o Mundial Interclubes. Disputou nove das dez edições do torneio sul-americano no período, sendo semifinalista em todas e em cinco delas chegou à decisão.








Mundial Interclubes 1962 e 1963
Libertadores 1962 e 1963





Um dos maiores esquadrões de todos os tempos, o "time de Pelé" foi bi da Libertadores e do Mundial nos anos de 1962 e 1963, época em que também ganhou tudo que disputava no Brasil. Se não fosse a ganância de seus dirigentes que preferiram excursionar pela Europa atrás de dinheiro do que levar a Libertadores a sério, o time brasileiro teria sem dúvida mais do que duas Libertadores conquistadas na década.






Mundial Interclubes 1968
Libertadores 1968 e 1969
Interamericana 1969

outras finais disputadas
vice Mundial em 1969



O grande Estudiantes, tricampeão entre 1968 e 1970 ficou conhecido como o time que praticava o anti-jogo. Mas não era só a catimba, o clube de La Plata também tinha em seu plantel ótimos jogadores como Carlos Bilardo e Juan Verón, pai do atual presidente e também ex-jogador do Estudiantes, Verón.







Mundial Interclubes 1967
Libertadores 1967






Primeiro clube argentino campeão mundial, o Racing de 1967 suou para conquistar os dois títulos. Em ambas as finais a taça veio somente na terceira partida: na Libertadores diante do Nacional-URU e na decisão do Mundial frente ao Celtic, da Escócia.









Libertadores 1964 e 1965

outras finais disputadas
vice Mundial em 1964 e 1965




O Independiente foi o pioneiro entre os clubes argentinos a levantar a Libertadores. E foi logo bicampeão, igualando a Peñarol e Santos, que haviam dividido entre si as quatro primeiras edições. Nas duas finais bateu a dupla de Montevidéu (Nacional em 1964 e Peñarol em 1965). Pena que no Mundial o time argentino não teve a mesma sorte: em ambas as finais fora derrotado pelos italianos da Internazionale, então bicampeões europeus.



outros finalistas da década

Nacional-URU
vice da Libertadores em 1964, 1967 e 1969

Palmeiras
vice da Libertadores em 1961 e 1968

Olímpia-PAR
vice da Libertadores em 1960

Boca Jrs-ARG
vice da Libertadores em 1963

River Plate-ARG
vice da Libertadores em 1966



sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Quartas de final da Copa Sul-Americana 2015


E na primeira postagem do mês de outubro falaremos dos jogos de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana realizados nessa semana com os classificados à próxima fase: River Plate, Independiente e Huracán (Argentina), Atlético Paranaense e Chapecoense (Brasil), Santa Fé (Colômbia), Sportivo Luqueño (Paraguai) e Defensor (Uruguai).
Dos quatro times que venceram na ida apenas o Emelec não se classificou, já que perdeu na volta para o Santa Fé e acabou eliminado pelo critério do gol marcado fora de casa, que favoreceu os colombianos. Independiente e Atlético empataram fora enquanto que o River perdeu, mas eliminou a LDU no saldo.
Já nos outros quatro confrontos que terminaram empatados tivemos o Sportivo Luqueño e Huracán vencendo em casa. Chapecoense e Defensor eliminaram nas penalidades Libertad e Lanús respectivamente após empatarem em casa pelo mesmo placar da ida.
Devido a rodada das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo 2018 a Sul-Americana terá uma pausa retornando somente no dia 20 com os jogos de ida das quartas de final, que você confere como ficaram:


oitavas de final - jogos de volta

29/09 terça-feira
Sportivo Luqueño-PAR 1x0 Tolima-COL
Santa Fé-COL 1x0 Emelec-EQU

30/09 quarta-feira
LDU-EQU 1x0 River Plate-ARG
Brasília 0x0 Atlético Paranaense
Huracán-ARG 3x0 Sport
Olímpia-PAR 0x0 Independiente-ARG

01/10 quinta-feira
Chapecoense 1x1 Libertad-PAR (5x3 pênaltis)
Defensor-URU 0x0 Lanús-ARG (5x3 pênaltis)


quartas de final - jogos de ida

20/10 terça-feira
Huracán-ARG x Defensor-URU

21/10 quarta-feira
Atlético Paranaense x Sportivo Luqueño-PAR
River Plate-ARG x Chapecoense

22/10 quinta-feira
Independiente-ARG x Santa Fé-COL