Páginas

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Campeonato Sul-Americano Feminino Sub-17 2016

Começa amanhã na Venezuela a quinta edição do Campeonato Sul-Americano Feminino Sub-17. O torneio apontará as três seleções que representarão o continente no mundial da categoria que será realizado na Jordânia entre os meses de setembro e outubro.
As dez seleções estarão divididas em dois grupos de cinco cada, com as duas primeiras avançando para a fase final, onde voltam a se enfrentar. Quem somar mais pontos é a campeã e se classificará para o mundial juntamente com as outras duas melhores colocadas.
Nas outras quatro edições o Brasil levantou o título duas vezes enquanto que Colômbia e Venezuela (coincidentemente a primeira e a atual campeã) venceram uma vez cada. Além disso, as brasileiras são líderes absolutas no ranking da categoria tendo deixado de vencer apenas três de 24 jogos que fez pelo torneio na história.
Todos os jogos dessa quinta edição acontecerão na cidade de Barquisimeto, no estádio Metropolitano de Lara.


Grupo A 
Argentina, Chile, Paraguai, Peru e Venezuela

Grupo B
Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador e Uurguai


jogos da primeira fase

01/03 terça-feira
Paraguai x Chile
Venezuela x Argentina

02/03 quarta-feira
Colômbia x Bolívia
Brasil x Uruguai

03/03 quinta-feira
Argentina x Chile
Venezuela x Peru

04/03 sexta-feira
Uruguai x Bolívia
Brasil x Equador

05/03 sábado
Paraguai x Peru
Venezuela x Chile

06/03 domingo
Colômbia x Equador
Brasil x Bolívia

07/03 segunda-feira
Chile x Peru
Paraguai x Argentina

08/03 terça-feira
Bolívia x Equador
Colômbia x Uruguai

09/03 quarta-feira
Argentina x Peru
Venezuela x Paraguai

10/03 quinta-feira
Uruguai x Equador
Brasil x Colômbia


fase final

14/03 segunda-feira
1° do A x 2° do B
1° do B x 2° do A

17/03 quinta-feira
1° do B x 2° do B
1° do A x 2° do A

20/03 domingo
2° do A x 2° do B
1° do A x 1° do B


O blog trará os resultados apenas no fim de cada fase, ou seja, nos dias 11 e 21 de março.


os campeões

2 Brasil (2010 e 2012)
1 Colômbia (2008)
   Venezuela (2013)






sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Libertadores: Resultados de 23 a 25 de Fevereiro



Na semana em que os times argentinos estrearam tivemos os mesmos vencendo, empatando e perdendo tanto em casa quanto fora. River e Racing golearam, Boca e Rosário empataram enquanto que os rivais San Lorenzo e Huracán estrearam com derrota na fase de grupos.
Tivemos ainda as vitórias de Atlético e Colo Colo, clubes que já despontam como os favoritos do Grupo 5; o empate entre argentinos e uruguaios no grupo do Palmeiras; a recuperação do Emelec e a vitória do Cerro Porteño sobre o Cobresal, que começou a Libertadores com o status de único invicto na história da competição e que já perdeu as duas partidas que fez nesse ano.


23/02 terça-feira
LDU-EQU 2x0 San Lorenzo-ARG
Huracán-ARG 0x2 Nacional-COL

24/02 quarta-feira
Racing-ARG 4x1 Bolívar-BOL
Deportivo Cali-COL 0x0 Boca Jrs-ARG
Atlético Mineiro 1x0 Independiente del Valle-EQU
Colo Colo-CHI 1x0 Melgar-PER

25/02 quinta-feira
Rosário Central-ARG 1x1 Nacional-URU
Trujillanos-VEN 0x4 River Palte-ARG
Emelec-EQU 2x0 Deportivo Táchira-VEN
Cerro Porteño-PAR 2x1 Cobresal-CHI


próximos jogos

01/03 terça-feira
Nacional-COL x Sporting Cristal-PER
Peñarol-URU x Huracán-ARG
Melgar-PER x Independiente del Valle-EQU
Olímpia-PAR x Pumas-MEX

02/03 quarta-feira
The Strongest-BOL x Trujillanos-VEN
Nacional-URU x River Plate-URU
San Lorenzo-ARG x Toluca-MEX
Grêmio x LDU-EQU
Corinthians x Santa Fé-COL

03/03 quinta-feira
Palmeiras x Rosário Central
Boca Jrs-ARG x Racing-ARG
Bolívar-BOL x Deportivo Cali-COL



  • Ao perder para a LDU o San Lorenzo soma quatro jogos seguidos sem vencer no Equador em Libertadores.
  • Foi a segunda derrota do Huracán em onze jogos como mandante enquanto que o Nacional chega a sua vitória de número 21 fora de casa, tendo empatado 22 e perdido outros 29 jogos.
  • Contando com o jogo de quarta já são três vitórias e doze gols marcados nos três jogos que fez contra o Bolívar em Libertadores. Somando-se aos outros confrontos diante de times bolivianos em casa o Racing chegou a quarta vitória e um aproveitamento de 100%. Foi a derrota de número dezessete em 19 jogos do Bolívar em solo argentino.
  • Deportivo Cali e Boca se enfrentaram pela nona vez em Libertadores e esse foi o quarto empate. Dos outros cinco jogos os argentinos haviam vencido quatro e perdido apenas um.
  • Pela primeira vez o Atlético enfrenta um time do Equador em Libertadores.
  • Foi a quarta vitória do Colo Colo em seis jogos diante de times peruanos atuando no Chile. 
  • Não só foi o primeiro confronto entre Rosário e Nacional na história como foi também a primeira vez que o time argentino enfrenta um adversário do Uruguai em Libertadores. Com o empate o Nacional completou oito jogos sem vitória como visitante.
  • No jogo de número 150 como visitante em Libertadores o atual campeão River Plate agora soma  47 vitórias, 44 empates e 59 derrotas e dessas, nenhuma na Venezuela.
  • Foi a quarta vitória seguida do Emelec em casa enquanto que o Táchira agora possui 29 derrotas em 39 jogos fora de casa, tendo vencido apenas dois e empatado outros oito.
  • Como até a semana passada era o único invicto da história da Libertadores e acabou perdendo a invencibilidade em casa, essa foi a primeira derrota do Cobresal como visitante.



quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Leonardo Silva (Atlético MG) no Top 10 dos brasileiros com mais partidas de Libertadores

O zagueiro Leonardo Silva entrou em campo ontem a noite pela 57ª vez em Libertadores e com isso entrou no grupo dos dez jogadores brasileiros com mais partidas pela competição. O defensor do Atlético Mineiro já havia deixado o meia Elano para trás e agora empatou em número de jogos com o Marcos, ex-goleiro do Palmeiras. Ao todo foram 57 jogos por três times diferentes: 25 jogos pelos rivais de Belo Horizonte Atlético (desde 2013) e Cruzeiro (entre 2009 e 2010) e outros sete jogos pelo Palmeiras, ainda em 2006.
Como todos sabem, o recorde brasileiro pertence ao agora ex-goleiro Rogério Ceni com 90 jogos, sendo o quarto na história da Libertadores. Onze jogos atrás está o corintiano Danilo, o único com chances de ultrapassá-lo ainda nessa edição.
Confira a seguir a lista dos jogadores brasileiros com mais de 50 partidas de Libertadores e o número de jogos por clube que atuou:


Os dez jogadores brasileiros com mais partidas de Libertadores

90 jogos - Rogério Ceni (goleiro)
Todos pelo São Paulo

79 jogos – Danilo (meia)
Corinthians (39) e São Paulo (40)

73 jogos - Manga (goleiro)
Nacional-URU (52), Internacional (16) e Botafogo (5)

69 jogos - Roger (lateral esquerdo)
Grêmio (57) e Fluminense (12)

68 jogos - Kleber (lateral esquerdo)
Internacional (29), Santos (21) e Corinthians (18)

64 jogos – Fábio (goleiro)
Cruzeiro (62) e Vasco (2)

60 jogos - Henrique (volante)
Cruzeiro (49) e Santos (11)

58 jogos - Jorge Wagner (meia)
São Paulo (24), Internacional (12), Cruzeiro (8), Botafogo (8) e Corinthians (6)

57 jogos - Marcos (goleiro)
Todos pelo Palmeiras

57 jogos - Leonardo Silva (zagueiro)
Atlético Mineiro (25), Cruzeiro (25) e Palmeiras (7)


Outros jogadores com mais de 50 partidas de Libertadores

55 jogos - Elano (meia)
Santos (43) e Grêmio (12)

53 jogos - Danrlei (goleiro)
Todos pelo Grêmio

52 jogos - Richarlyson (volante)
São Paulo (35), Atlético Mineiro (12) e Santo André (5)

51 jogos - Tinga (volante)
Grêmio (27), Internacional (22) e Cruzeiro (2)

50 jogos - Paulo Nunes (atacante)
Grêmio (27), Palmeiras (14) e Flamengo (9)



terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Os brasileiros que enfrentaram times dos onze países participantes da Libertadores

Ao enfrentar o Independiente del Valle do Equador amanhã, o Atlético Mineiro se tornará o oitavo clube brasileiro a enfrentar times dos onze países que disputam a Copa Libertadores. Nessa mesma edição os mineiros já haviam enfrentado time peruano pela primeira vez, e agora será diante de um equatoriano.
O primeiro time brasileiro a alcançar tal feito foi o Palmeiras em 2000 quando enfrentou o Atlas do México. Se formos considerar apenas os países da Conmebol o feito do time paulista foi alcançado em 1995 ao enfrentar o El Nacional do Equador, três anos antes dos mexicanos estrearem em Libertadores. Somente cinco anos depois é que seu feito fora igualado por outro brasileiro, no caso o São Paulo.
Por outro lado apenas Corinthians e Vasco dentre os campeões ainda não enfrentaram times de todos os países: os paulistas faltam jogar contra peruanos e os cariocas ainda faltam estrear diante de times da Bolívia. Os outros três times brasileiros que chegaram a final, mas acabaram com vice (São Caetano, Fluminense e Atlético Paranaense) ainda não enfrentaram times de dois países cada.
Segue abaixo os oito times brasileiros que alcançaram o feito juntamente com qual adversário de estréia e a edição:



Palmeiras

1961 Independiente-ARG, Santa Fé-COL e Peñarol-URU
1968 Náutico-BRA, Deportivo Galícia-VEN, Universidad Católica-CHI e Guarani-PAR
1971 Universitário-PER
1974 Jorge Wilstermann-BOL
1995 El Nacional-EQU
2000 Atlas-MEX


São Paulo

1972 Atlético Mineiro-BRA, Olímpia-PAR, Barcelona-EQU e Independiente-ARG
1974 Jorge Wilstermann-BOL, Millonarios-COL e Defensor Lima-PER
1978 Palestino-CHI
1982 Defensor-URU
2004 Deportivo Táchira-VEN
2005 Tigres-MEX


Santos

1962 Deportivo Municipal-BOL, Cerro Porteño-PAR, Universidad Católica-CHI e Peñarol-URU
1963 Botafogo-BRA e Boca Jrs-ARG
1965 Universitário-PER
1984 Junior-COL
2003 El Nacional-EQU e Cruz Azul-MEX
2007 Caracas-VEN


Cruzeiro

1967 Deportivo Galícia-VEN, Universitário-PER e Nacional-URU
1975 Vasco-BRA, Deportivo Cali-COL e Rosário Central-ARG
1976 Sportivo Luqueño-PAR e LDU-EQU
1994 Unión Española-CHI
2004 Santos Laguna-MEX
2008 Real Potosí-BOL


Grêmio

1982 São Paulo-BRA e Defensor-URU
1983 Blooming-BOL, Estudiantes-ARG e América-COL
1984 Universidad Los Andes-VEN
1990 Olímpia-PAR
1995 Emelec-EQU
1997 Alianza Lima-PER
1998 Chivas Guadalajara-MEX
2009 Universidad de Chile-CHI


Flamengo

1981 Atlético Mineiro-BRA, Cerro Porteño-PAR, Deportivo Cali-COL, Jorge Wilstermann-BOL e Cobreloa-CHI
1982 Peñarol-URU e River Plate-ARG
1984 Universidad Los Andes-VEN
2008 Coronel Bolognesi-PER e América-MEX
2012 Emelec-EQU


Internacional

1976 Cruzeiro-BRA e Olímpia-PAR
1977 Deportivo Cuenca-EQU e Portuguesa-VEN
1980 Velez Sarsfield-ARG, América-COL e Nacional-URU
2006 Pumas-MEX
2011 Jorge Wilstermann-BOL
2012 Juan Aurich-PER
2015 Universidad de Chile-CHI


Atlético Mineiro

1972 São Paulo-BRA e Cerro Porteño-PAR
1978 Unión Española-CHI e Boca Jrs-ARG
2000 Bolívar-BOL e Bella Vista-URU
2013 Tijuana-MEX
2014 Zamora-VEN e Santa Fé-COL
2016 Melgar-PER e Independiente del Valle-EQU


Vasco falta enfrentar times da Bolívia
Corinthians falta enfrentar times do Peru
São Caetano falta enfrentar times da Colômbia e Venezuela
Atlético Paranaense falta enfrentar times do Chile e Venezuela
Fluminense falta enfrentar times da Bolívia e Peru





sábado, 20 de fevereiro de 2016

Primeira vitória do The Strongest no Brasil

Depois de 36 anos os bolivianos voltam a vencer fora de casa pela Libertadores.

Demorou mas enfim o The Strongest sai do Brasil sem ser derrotado, e o melhor, com uma vitória frente ao São Paulo. Desde que estreou em solo brasileiro em 2000 os bolivianos jamais haviam sequer empatado um jogo, foram derrotados nas doze oportunidades que jogaram aqui, com direito a algumas goleadas sofridas.
A vitória entrou para a história também pelo fato de que o Strongest não vencia como visitante desde 1982 quando bateu o também boliviano Jorge Wilstermann por dois a um. O time somava apenas quatro vitórias em 67 jogos fora de casa até vencer o São Paulo, pondo fim a uma sequencia de 45 jogos sem vitórias longe de La Paz (40 derrotas e 5 empates).
Por outro lado foi a primeira derrota do São Paulo para times bolivianos, a quinta para times estrangeiros e a nona no geral atuando como mandante.



As cinco vitórias do The Strongest fora de casa

1965 Deportivo Quito-EQU (1X0) 1ª fase
1971 Oriente Petrolero-BOL (2x1) 1ª fase
1981 Técnico Universitário-EQU (2x1) 1ª fase
1982 Jorge Wilstermann-BOL (2x1) 1ª fase
2016 São Paulo (1x0) 1ª fase


Os jogos do The Strongest no Brasil

2000 Palmeiras (0x4) 1ª fase
         Juventude (0x4) 1ª fase
2003 Corinthians (1x4) 1ª fase
2004 São Caetano (2x4) 1ª fase
2005 São Paulo (0x3) 1ª fase
2006 Goiás (0x2) 1ª fase
2012 Internacional (0x5) 1ª fase
         Santos (0x2) 1ª fase
2013 São Paulo (1x2) 1ª fase
         Atlético Mineiro (1x2) 1ª fase
2014 Atlético Paranaense (0x1) 1ª fase
2015 Internacional (0x1) 1ª fase
2016 São Paulo (1x0) 1ª fase


As nove derrotas do São Paulo em casa 

1978 Atlético Mineiro (1x2) 1ª fase
         Palestino-CHI (1x2) 1ª fase
1982 Peñarol-URU (0x1) 1ª fase
1987 Colo Colo-CHI (1x2) 1ª fase
2006 Chivas Guadalajara-MEX (1x2) 1ª fase
         Internacional (1x2) final
2009 Cruzeiro (0x2) quartas de final
2013 Atlético Mineiro (1x2) oitavas de final
2016 The Strongest-BOL (0x1) 1ª fase


São Paulo contra bolivianos em casa

1974 Deportivo Municipal (3x3) 1ª fase
         Jorge Wilstermann (5x0) 1ª fase
1992 San José (1x1) 1ª fase
         Bolívar (2x0) 1ª fase
2005 The Strongest (5x0) 1ª fase
2013 Bolívar (5x0) fase Pré
         The Strongest (2x1) 1ª fase
2016 The Strongest (0x1) 1ª fase






sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Libertadores: Resultados de 16 a 18 de Fevereiro



E nessa primeira semana de jogos valendo pela fase de grupos da Copa Libertadores 2016 tivemos a estreia dos clubes brasileiros no torneio. Corinthians e Atlético venceram seus adversários teoricamente mais fracos fora de casa e largaram na frente rumo as oitavas, já que as outras partidas de seus respectivos grupos terminaram empatadas. O Palmeiras empatou enquanto que Grêmio e São Paulo perderam.
Os três paulistas foram responsáveis por alguns acontecimentos históricos: tanto o time do Morumbi perdeu pela primeira vez na história para um time boliviano quanto o The Strongest também pela primeira vez saiu do Brasil sem ser derrotado. E com a derrota para o Corinthians o Cobresal deixou de ser o único invicto da história da Libertadores, passando o posto para o esteante River Plate-URU que empatou com o Palmeiras.


16/02 terça-feira
River Plate-URU 2x2 Palmeiras
Deportivo Táchira-VEN 2x1 Olímpia-PAR
Santa Fé-COL 0x0 Cerro Porteño-PAR

17/02 quarta-feira
São Paulo 0x1 The Srongest-BOL
Melgar-PER 1x2 Atlético Mineiro
Toluca-MEX 2x0 Grêmio
Cobresal-CHI 0x1 Corinthians

18/02 quinta-feira
Sporting Cristal-PER 1x1 Peñarol-URU
Independiente del Valle-EQU 1x1 Colo Colo-CHI
Pumas-MEX 4x2 Emelec-EQU


próximos jogos

23/02 terça-feira
LDU-EQU x San Lorenzo-ARG
Huracán-ARG x Nacional-COL

24/02 quarta-feira
Racing-ARG x Bolívar-BOL
Deportivo Cali-COL x Boca Jrs-ARG
Atlético Mineiro x Independiente del Valle-EQU
Colo Colo-CHI x Melgar-PER

25/02 quinta-feira
Rosário Central-ARG x Nacional-URU
Trujillanos-VEN x River Palte-ARG
Emelec-EQU x Deportivo Táchira-VEN
Cerro Porteño-PAR x Cobresal-CHI


  • Com a derrota do Cobresal o River Plate agora é o único invicto da história da Libertadores (2 empates e uma vitória) enquanto que o Palmeiras chega ao sétimo jogo seguido sem vitória como visitante.
  • Foi a primeira derrota do Olímpia na Venezuela em Libertadores.
  • Pela primeira vez o Santa Fé não vence em casa um time paraguaio enquanto que o Cerro Porteño chega ao seu jogo de número doze sem vencer como visitante.
  • Depois de perder todos os treze jogos que fez no Brasil finalmente o The Strongest consegue vencer uma. A vítima foi o São Paulo, que jamais havia perdido pra times bolivianos em Libertadores. Foi também a primeira vitória do time de La Paz fora de casa desde 1982.
  • Essa foi a quarta derrota em sete jogos do Melgar em casa. Já o Atlético saiu-se bem no primeiro confronto que teve contra times peruanos em Libertadores.
  • Pela terceira vez o Toluca vence um ex-campeão da Libertadores em casa, já que havia vencido Naciona-URU e Boca Jrs-ARG em 2013 enquanto que o Grêmio chega a sua terceira derrota em quatro partidas que fez no México pela competição.
  • E o Cobresal conhece sua primeira derrota em Libertadores após sete jogos de invencibilidade (uma vitória e cinco empates).
  • Esse foi o quinto empate entre Sporting Cristal e Peñarol em cinco confrontos. Os dois times já haviam empatado em jogos válidos pelas edições de 1968 e 1996. Com isso, os peruanos continuam saber o que é vencer um time uruguaio em casa pela Libertadores, já que empatou quatro e perdeu duas vezes em seis partidas.
  • No jogo de número 110 como visitante o Colo Colo soma agora 23 vitórias, 29 empates e 58 derrotas. Seu adversário de ontem continua invicto em casa com três vitórias e três empates.
  • Com a derrota para o Pumas o Emelec continua sem pontuar jogando no México, já que havia perdido todas as três partidas que jogou naquele país.






quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

As distancias que cada time percorrerá na Libertadores 2016

Fazendo uma pesquisa no site da ESPN - a quem nós damos os créditos - sobre as distancias que cada um dos 32 times participantes da fase de grupos da Copa Libertadores 2016 percorrerá, chegamos a conclusão que nenhum time viajará mais que o mexicano Toluca: ao todo serão 36.286 Km em ida e volta para enfrentar Grêmio, San Lorenzo-ARG e LDU-EQU.
Depois do Toluca aparecem pela ordem Olímpia-PAR, Pumas-MEX, Grêmio e San Lorenzo-ARG, todos dos Grupos 6 e 7. Já os que menos viajarão são os times do Grupo 2, com destaque para a dupla de Montevidéu Nacional e River Plate, que viajarão apenas quatro mil quilômetros para encarar Palmeiras e Rosário Central-ARG, ou seja, nove vezes menos que a maratona do Toluca!


As distancias que cada time percorrerá na fase de grupos

36286 Toluca-MEX (Grupo 6)
28454 Olímpia-PAR (Grupo 7)
26162 Pumas-MEX (Grupo 7)
25599 Grêmio (Grupo 6)
25256 San Lorenzo-ARG (Grupo 6)
24872 Trujillanos-VEN (Grupo 1)
23900 Nacional-COL (Grupo 4)
23871 LDU-EQU (Grupo 6)
23382 Deportivo Cali-COL (Grupo 3)
23190 Santa Fé-COL (Grupo 8)
20662 Atlético Mineiro (Grupo 5)
20132 Independiente del Valle-EQU (Grupo 5)
17433 Colo Colo-CHI (Grupo 5)
17169 Deportivo Táchira-VEN (Grupo 7)
17044 Peñarol-URU (Grupo 4)
17942 River Plate-ARG (Grupo 1)
17095 São Paulo (Grupo 1)
16976 Sporting Cristal-PER (Grupo 4)
16480 Huracán-ARG (Grupo 4)
16211 Emelec-EQU (Grupo 7)
15591 Corinthians (Grupo 8)
15002 The Strongest-BOL (Grupo 1)
14059 Cobresal-CHI (Grupo 8)
13762 Boca Jrs-ARG (Grupo 3)
13762 Bolívar-BOL (Grupo 3)
13762 Racing-ARG (Grupo 3)
13570 Melgar-PER (Grupo 5)
12243 Cerro Porteño-PAR (Grupo 8)
 9706 Palmeiras (Grupo 2)
 5320 Rosário Central-ARG (Grupo 2)
 4065 Nacional-URU (Grupo 2)
 4065 River Plate-URU (Grupo 2)


Se listarmos as distancias dos times de acordo com os grupos o que terá a maior distancia somada será o Grupo 6, que tem os quatro times da chave entre os oito que mais viajarão no total.


Total de distancias por grupo

Grupo 1  74911 km
Grupo 2  23156 km
Grupo 3  64668 km
Grupo 4  74400 km
Grupo 5  71797 km
Grupo 6  111012 km
Grupo 7  87996 km
Grupo 8  65083 km





terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Palmeiras: dois uruguaios no mesmo grupo 43 anos depois


Palmeiras x Peñarol na final de 1961: o confronto mais importante.

Quis o destino que dois times uruguaios caíssem no grupo do Palmeiras nessa Copa Libertadores: o gigante Nacional e o nanico River Plate, curiosamente adversários em amistosos disputados pelo time paulista no começo do ano. A única vez que isso ocorreu foi em 1973 com Peñarol e Nacional caindo no mesmo grupo dos palmeirenses.
Como irá jogar duas vezes contra os dois times, ao final da fase de grupos o Palmeiras terá enfrentado clubes uruguaios por vinte vezes em competições oficiais. Em Libertadores são catorze jogos com seis vitórias do Palmeiras, quatro empates e quatro derrotas. Oito desses jogos foram contra o Peñarol e os outros seis diante do Nacional, os dois únicos times uruguaios que o time paulista enfrentou na história. Há ainda dois confrontos pela extinta Copa Mercosul com duas vitórias do Palmeiras diante do Nacional (5x0 e 3x1).


Palmeiras x clubes uruguaios no geral

16 jogos – 8 vitórias, 4 empates e 4 derrotas
14 jogos pela Copa Libertadores (6 vitórias, 4 empates e 4 derrotas)
 2 jogos por outras competições – Copa Mercosul (2 vitórias)


Em Libertadores

Peñarol (8J – 5V, 1E, 2D)
Nacional (6J – 1V, 3E, 2D)

Como mandante (7J – 3V, 3E, 1D)
Como visitante (7J – 3V, 1E, 3D)

Mata-matas
4 confrontos – 2 classificações e 2 eliminações


Todos os confrontos em Libertadores

1961 Peñarol (0x1 e 1x1) final
1968 Peñarol (1x0 e 2x1) semifinal
1971 Nacional (0x3 e 1x3) fase semifinal
1973 Peñarol (2x0 e 2x0) 1ª fase
         Nacional (1x1 e 2x1) 1ª fase
2000 Peñarol (0x2, 3x1 e 3x2 pênaltis) oitavas
2009 Nacional (1x1 e 0x0) quartas


Palmeiras e Peñarol fizeram a final da segunda edição da Copa Libertadores, com o título ficando com os uruguaios após vencerem pelo placar mínimo no Centenário e segurar o empate em um gol no Pacaembu. Seis anos mais tarde ambos se reencontraram nas semifinais e com duas vitórias os paulistas avançaram a mais uma final, mas novamente ficariam com o vice.
Em 1971 os primeiros confrontos com o Nacional, válido pelo grupo semifinal que ainda tinha o Universitário do Peru. O Palmeiras perderia as duas partidas, ficando em segundo do grupo e fora da final, sendo que uma dessas derrotas foi a primeira para um time estrangeiro atuando no Brasil.
Dois anos depois Palmeiras enfrentou a dupla de Montevidéu pela fase de grupos e se saiu bem: três vitórias e um empate. Mas acabou fora das semifinais após perder a partida-desempate para o Botafogo depois das duas equipes terem terminado com o mesmo número de pontos.
Já os últimos encontros foram nos anos 2000, e em mata-matas. Um favorável, no confronto diante do Peñarol: após uma vitória para cada lado a vaga para as quartas de final acabou vindo nos pênaltis. E em 2009 empate nos dois jogos diante do Nacional e a eliminação veio no gol que os uruguaios marcaram fora de casa.



São Paulo campeão da Copa Libertadores Sub-20 2016


No último domingo dia 14 o São Paulo sagrou-se campeão da terceira edição da Copa Libertadores Sub-20. O torneio foi disputado no Paraguai e contou com a participação de doze times: os campeões nacionais ou de campeonatos de maior importância de cada um dos dez países filiados a Conmebol mais o campeão da última edição e ainda um time do país anfitrião. Divididos em três grupos de quatro times, se classificaram para as semifinais o primeiro de cada grupo mais o melhor segundo colocado. Depois os vencedores decidiram o título.
O torneio foi disputado pela primeira vez em 2011 no Peru e após a edição do ano seguinte (também no Peru) houve uma paralisação voltando somente quatro anos depois. O último campeão havia sido o River Plate-ARG, coincidentemente o time que também detém o título da Libertadores na categoria principal. Já o título da primeira edição ficou com o Universitário do Peru.
Como estávamos preparando o material para o guia da Copa Libertadores 2016 deixamos "passar batido" a Libertadores Sub-20, mas como falamos de tudo sobre o futebol sul-americano hoje posto todos os resultados da competição:




Grupo A - Luque (Feliciano Cáceres) e Assunção (Defensores del Chaco)
Bolívar-BOL, Cerro Porteño-PAR, Lanús-ARG e Liverpool-URU

Grupo B - Assunção (Dr. Nicolas Leóz)
Independiente del Valle-EQU, Libertad-PAR, Melgar-PER e São Paulo

Grupo C - Assunção (Manuel Ferreira)
Cortuluá-COL, Deportivo La Guaíra-VEN, Huachipato-CHI e River Plate-ARG


primeira fase

30/01 sábado
Bolívar 0x2 Lanús
Cerro Porteño 1x2 Liverpool

31/01 domingo
Melgar 1x1 Independiente del Valle
São Paulo 1x1 Libertad

01/02 segunda-feira
Deportivo La Guaíra 0x2 Huachipato
River Plate 3x2 Cortuluá

02/02 terça-feira
Liverpool 0x3 Lanús
Cerro Porteño 3x2 Bolívar

03/02 quarta-feira
São Paulo 8x0 Independiente del Valle
Libertad 3x1 Melgar

04/02 quinta-feira
Cortuluá 4x2 Huachipato
River Plate 1x0 Deportivo La Guaíra

05/02 sexta-feira
Bolívar 0x12 Liverpool
Cerro Porteño 3x1 Lanús

06/02 sábado
Melgar 0x3 São Paulo
Libertad 1x2 Indepediente del Valle

07/02 domingo
Deportivo La Guaíra 0x3 Cortuluá
River Plate 0x1 Huachipato


classificação da primeira fase

Grupo A 
Liverpool, Lanús e Cerro Porteño 6, Bolívar 0

Grupo B
São Paulo 7, Libertad e Independiente del Valle 4, Melgar 1

Grupo 6
Cortuluá, Huachipato e River Plate 6, Deportivo La Guaíra 0

Obs: No Grupo A o Liverpool ficou em primeiro pois terminou com saldo de dez gols, contra três do Lanús e dois do Cerro Porteño. No C o Cortuluá terminou na liderança após somar quatro gols de saldo contra apenas um de Huachipato e River. O time argentino ficou atrás dos chilenos pois marcou um gol a menos. E para definir o melhor segundo colocado o Lanús teve saldo de gols melhor que o Huachipato (3 a 1).


semifinais - Assunção (Manuel Ferreira)

11/02 quinta-feira
Liverpool 0x0 Cortuluá (7x6 nos pênaltis)
São Paulo 3x2 Lanús


disputa terceiro lugar - Assunção (Dr. Nicolás Leoz)

14/02 domingo
Lanús 0x1 Cortuluá


final - Assunção (Dr. Nicolás Leoz)

14/02 domingo
São Paulo 1x0 Liverpool


todos os campeões

2011 Universitário-PER (vice Boca Jrs-ARG)
2012 River Plate-ARG (vice Defensor-URU)
2016 São Paulo (vice Liverpool-URU)


Universitário faturou a taça em casa após bater o Boca nos pênaltis.

River campeão de 2012: 1 a 0 sobre o Defensor no campo do Alianza Lima.

E por fim o São Paulo festejando o título conquistado no domingo em Assunção.



segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Grupos 7 e 8 da Copa Libertadores 2016

Grupo 7 - Olímpia-PAR, Emelec-EQU, Deportivo Táchira-VEN e Pumas-MEX 
Nivelados por baixo

Único grupo com apenas um campeão sul-americano, é o mais fraco da Libertadores: de volta a competição após o vice de 2013, o Olímpia é um dos favoritos a vaga ao lado do Emelec, que vem fazendo boas campanhas nos últimos anos. O Pumas corre por fora enquanto que os venezuelanos do Deportivo Táchira devem terminar na lanterna do grupo.



37 participações – 3 títulos
282 jogos – 112 vitórias, 82 empates e 88 derrotas
403 gols a favor e 350 contra (saldo de 53 gols)
418 pontos – 5° no ranking (1° entre os paraguaios)

Campeão 1979, 1990 e 2002
Vice 1960, 1989, 1991 e 2013
Semifinal 1961, 1980, 1982, 1986 e 1994
Quartas de final 1969 e 1993
Oitavas de final 1995, 1998 e 2003
Primeira fase 1963, 1966, 1970, 1972, 1973, 1974, 1975, 1976, 1977, 1981, 1983, 1984, 1987, 1988, 1996, 1999, 2000, 2001, 2004 e 2012

Freguês Boca Jrs-ARG (eliminou em três mata-matas – 1979, 1990 e 2002)
Algoz Peñarol-URU (3 empates e 5 derrotas em 8 jogos)
Mais enfrentou Cerro Porteño-PAR (32J – 11V, 12E, 9D)

Você sabia?
O Olímpia é o único time sul-americano presente em pelo menos uma final de Libertadores por década: vice em 1960, campeão em 1979, vice em 1989, campeão em 1990, vice em 1991, campeão em 2002 e vice em 2013.



24 participações
184 jogos – 58 vitórias, 35 empates e 91 derrotas
193 gols a favor e 263 contra (saldo negativo de 70 gols)
209 pontos – 22° no ranking (2° entre os equatorianos)

Semifinal 1995
Quartas de final 1968, 1990 e 2015
Oitavas de final 1994, 1999, 2001, 2012 e 2013
Primeira fase 1962, 1966, 1967, 1971, 1973, 1980, 1989, 1997, 2000, 2002, 2003, 2007, 2010, 2011 e 2014

Freguês Olímpia-PAR ( 2 vitórias e 2 empates em 4 jogos)
Algoz Nacional-URU (1 vitória e 7 derrotas em 8 jogos)
Mais enfrentou Barcelona-EQU (10J – 4V, 2E, 4D)

Você sabia?
Das 39 partidas que fez como visitante em onze edições que participou nesse século, o time equatoriano venceu apenas três, e todos pela fase de grupos: 1x0 no Sporting Cristal-PER em 2001, 3x2 no Olímpia-PAR em 2012 e 1x0 na Universidad de Chile-CHI no ano passado.


17 participações
105 jogos – 18 vitórias, 30 empates e 57 derrotas
93 gols a favor e 188 contra (saldo negativo de 95 gols)
84 pontos – 52° no ranking (1° entre os venezuelanos)

Quartas de final 2004
Oitavas de final 1989 e 1991
Primeira fase 1980, 1982, 1983, 1985, 1987, 1988, 2001, 2005, 2009 e 2015
Fase Pré 2006, 2007 e 2010

Freguês Marítimo-VEN (3 vitórias e 3 empates em 6 jogos)
Algoz Palmeiras (4 derrotas em 4 jogos)
Mais enfrentou Marítimo-VEN (6J – 3V, 3E), Tolima-COL (6J – 1V, 2E, 3D) e Cerro Porteño-PAR (6J – 1V, 2E, 3D)

Você sabia?
Das 52 partidas que fez como visitante em Libertadores o Táchira venceu apenas quatro, sendo que três em seu próprio país: 3x1 no Deportivo Petare em 1985; 3x0 no Estudiantes de Mérida em 1987 e 1x0 no Marítimo em 1989. A única vitória fora da Venezuela foi em 2009 quando venceu o Guarani-PAR por 2 a 1.



2 participações
14 jogos – 3 vitórias, 2 empates e 9 derrotas
12 gols a favor e 21 contra (saldo negativo de 9 gols)
11 pontos – 143° no ranking (16° entre os mexicanos)

Oitavas de final 2003
Primeira fase 2006

Você sabia?
Um dos times mais vitoriosos do México com três Ligas dos Campeões da Concacaf conquistadas, o Pumas ainda não se fez prevalecer de sua grandeza em Libertadores: foram apenas duas presenças sem empolgar.


Confrontos entre os times do Grupo 7 em Libertadores

2001 Olímpia x Emelec (1x1 e 2x2) 1ª fase
2012 Emelec x Olímpia (1x0 e 3x2) 1ª fase


Grupo 8 - Corinthians, Cerro Porteño-PAR, Cobresal-CHI e Santa Fé-COL
Velhos conhecidos, o único invicto e o campeão da Sul-Americana

Encontro de invictos: o Corinthians, campeão sem ser derrotado em 2012 e o Cobresal, que nunca perdeu uma partida sequer no torneio. Após o desmanche do time paulista o favoritismo passou para o Santa Fé, campeão da Sul-Americana. O time deve brigar pela outra vaga com o Cerro.




12 participações – 1 título
104 jogos – 55 vitórias, 23 empates e 26 derrotas
180 gols a favor e 104 contra (saldo de 76 gols)
188 pontos – 26° no ranking (6° entre os brasileiros)

Campeão 2012
Semifinal 2000
Quartas de final 1996 e 1999
Oitavas de final 1991, 2003, 2006, 2010, 2013 e 2015
Primeira fase 1977
Fase Pré 2011

Freguês Universidad Catolica-CHI (3 vitórias e 1 empate em 4 jogos)
Algoz River Plate-ARG (4 derrotas em 4 jogos)
Mais enfrentou Palmeiras (6J – 3V, 3D) e Boca Jrs-ARG (6J – 1V, 3E, 2D)

Você sabia?
Nas quarenta primeiras edições da Libertadores (de 1960 a 1999) o Corinthians esteve em apenas quatro: 1977, 1991, 1996 e 1999. Tudo mudou de 2000 pra cá, quando o time paulista esteve em metade das dezesseis edições desse século, o que dá uma média de uma participação a cada duas edições.

O melhor Corinthians de todos os tempos na Libertadores
O time é formado pelos jogadores das duas melhores campanhas da história do clube: a defesa do time campeão invicto de 2012, o meio de campo do time semifinalista de 2000 e o ataque com um jogador de cada campanha.

Cássio – Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos – Vampeta, Rincón, Marcelinho Carioca e Ricardinho – Emerson Sheik e Luisão. Técnico: Tite



37 participações
281 jogos – 99 vitórias, 84 empates e 98 derrotas
371 gols a favor e 372 contra (saldo negativo de 1 gol)
381 pontos – 6° no ranking (2° entre os paraguaios)

Semifinal 1973, 1978, 1993, 1998, 1999 e 2011
Quartas de final 1969, 1991 e 1992
Oitavas de final 1990, 1995, 1996, 2000, 2001, 2003, 2005 e 2014
Primeira fase 1962, 1964, 1967, 1971, 1972, 1974, 1975, 1980, 1981, 1985, 1988, 1994, 1997, 2002, 2006, 2007, 2010 e 2013
Fase Pré 2008 e 2015

Freguês times venezuelanos (12 vitórias, 6 empates e 2 derrotas em 20 jogos)
Algoz times brasileiros em mata-mata (5 eliminações em 5 confrontos)
Mais enfrentou Olímpia-PAR (32J – 9V, 12E, 11D)

Você sabia?
O Cerro é o time que mais participou da Libertadores sem chegar a uma final: em 37 presenças o máximo que conseguiu foi ser semifinalista por seis vezes.



1 participação
6 jogos – 1 vitória e 5 empates
6 gols a favor e 5 contra (saldo de 1 gol)
8 pontos – 149° no ranking (13° entre os chilenos)

Primeira fase 1986

Você sabia?
O Cobresal é o único time invicto da história da Libertadores: foram cinco empates e uma vitória nos seis jogos que fez na edição de 1986, sua única participação no torneio.




9 participações
75 jogos – 30 vitórias, 16 empates e 29 derrotas
102 gols a favor e 102 contra (saldo de zero gol)
106 pontos – 45° no ranking (6° entre os colombianos)

Semifinal 1961 e 2013
Quartas de final 2015
Oitavas de final 2006
Primeira fase 1967, 1972, 1976, 1980 e 2014

Freguês Real Garcilaso-PER (3 vitórias e 1 empate em 4 jogos)
Algoz times argentinos (2 vitórias, 2 empates e 8 derrotas em 12 jogos)
Mais enfrentou Atlético Mineiro (4J – 1E, 3D), Real Garcilaso-PER (4J – 3V, 1E) e Estudiantes-ARG (4J – 2V, 2D)

Você sabia?
Dos times que foram semifinalistas alguma vez, o Santa Fé foi o que mais demorou a voltar a uma semifinal: foram  52 anos de espera entre 1961 a 2013.


Confrontos entre os times do Grupo 8 em Libertadores

1999 Corinthians x Cerro Porteño (8x2 e 0x3) 1ª fase
2010 Corinthians x Cerro Porteño (1x0 e 2x1) 1ª fase
2013 Santa Fé x Cerro Porteño (2x1 e 1x0) 1ª fase




domingo, 14 de fevereiro de 2016

Grupos 5 e 6 da Copa Libertadores 2016

Grupo 5 - Atlético Mineiro, Colo Colo-CHI, Melgar-PER e Independiente del Valle-EQU
Alvinegros em busca do bi

Ex-campeões da Libertadores, Atlético e Colo Colo são amplo favoritos em um grupo que conta ainda com Melgar e Independiente del Valle, que devem ser meros participantes.





7 participações – 1 título
63 jogos – 26 vitórias, 20 empates e 17 derrotas
91 gols a favor e 72 contra (saldo de 19 gols)
98 pontos – 49° no ranking (10° entre os brasileiros)

Campeão 2013
Semifinal 1978
Quartas de final 2000
Oitavas de final 2014 e 2015
Primeira fase 1972 e 1981

Freguês São Paulo (1 derrota em 8 jogos)
Algoz times mexicanos (nenhuma vitória em 4 jogos)
Mais enfrentou São Paulo (8J – 4V, 3E, 1D)

Você sabia?
Em 31 jogos que fez como mandante em Libertadores os mineiros perderam apenas duas: para o Boca Jrs (1x2) válido pela fase semifinal de 1978 e para o Atlas-MEX (0x1) na fase de grupos do ano passado, quebrando uma invencibilidade de vinte jogos em casa iniciada justamente após a derrota para o Boca.

O melhor Atlético de todos os tempos na Libertadores
Como a única campanha de destaque na história da competição foi a do título, selecionamos todos que estiveram presentes na conquista de 2013:

Vitor – Marcos Rocha, Rever, Leonardo Silva e Júnior César – Pierre, Leandro Donizete e Ronaldinho Gaúcho – Bernard, Jô e Diego Tardelli. Técnico: Cuca





30 participações – 1 título
217 jogos – 88 vitórias, 48 empates e 81 derrotas
320 gols a favor e 306 contra (saldo de 14 gols)
312 pontos – 8° no ranking (1° entre os chilenos)

Campeão 1991
Vice 1973
Semifinal 1964, 1967 e 1997
Oitavas 1988, 1990, 1992, 1994, 1998, 1999 e 2007
Primeira fase 1961, 1971, 1974, 1980, 1982, 1983, 1985, 1987, 1989, 2003, 2004, 2008, 2009, 2010, 2011 e 2015
Fase Pré 2005 e 2006

Freguês times venezuelanos (18 vitórias em 18 jogos)
Algoz Barcelona-EQU (2 eliminações em 2 mata-matas – 1992 e 1998)
Mais enfrentou Universidad Católica-CHI (16J – 6V, 5E, 5D)

Você sabia?
De 2000 pra cá o Colo Colo só passou da primeira fase na edição de 2007, quando caiu já nas oitavas. Foram sete eliminações na fase de grupos e duas na Pré entre as dez participações do time chileno no período.





2 participações
12 jogos – 5 vitórias e 7 derrotas
14 gols a favor e 21 contra (saldo negativo de 7 gols)
15 pontos – 117° do ranking (10° entre os peruanos)

Primeira fase 1982 e 1984

Você sabia?
Campeão peruano depois de 36 anos, o Melgar pôs fim a outro jejum ao retornar a uma Libertadores após 32 anos de ausência. E nas doze partidas que fez na história da competição o clube peruano jamais empatou: foram cinco vitórias e sete derrotas.





2 participações
8 jogos – 3 vitórias, 2 empates e 3 derrtoas
11 gols a favor e 14 contra (saldo negativo de 3 gols)
11 pontos – 140° no ranking (10° entre os equatorianos)

Primeira fase 2014
Fase Pré 2015

Você sabia?
Fundado como Indepedniente Jose Teran em 1958, o time equatoriano disputou a primeira divisão nacional pela primeira vez somente em 2010 e de três anos pra cá vem participando de torneios organizados pela Conembol.


Confrontos entre os times do Grupo 5 em Libertadores

2015 Atletico x Colo Colo (0x2 e 2x0) 1ª fase


Grupo 6 - San Lorenzo-ARG, Grêmio, LDU-EQU e Toluca-MEX
Três ex-campeões e o perigoso mexicano

Único grupo com três ex-campeões de Libertadores, promete ser o mais equilibrado já que o outro integrante é um mexicano, país na qual seus clubes sempre fazem boas campanhas. A princípio brasileiros e argentinos são favoritos, mas não será surpresa nenhuma se um dos dois caírem na fase de grupos.




14 participações – 1 título
110 jogos – 41 vitórias, 30 empates e 39 derrotas
140 gols a favor e 109 contra (saldo de 31 gols)
153 pontos – 32° no ranking (6° entre os argentinos)

Campeão 2014
Semifinal 1960, 1973 e 1988
Quartas de final 1992, 1996 e 2008
Primeira fase 2000, 2001, 2002, 2005, 2009 e 2015

Freguês times brasileiros em mata-matas (4 vitórias em 4 confrontos)
Algoz Newell’s Old Boys-ARG ( 1 vitória em 9 jogos)
Mais enfrentou Peñarol-URU (9J – 3V, 3E, 3D) e Newell’s Old Boys (9J – 1V, 3E, 5D)

Você sabia?
O San Lorenzo foi semifinalista nas três primeiras edições de Libertadores que participou (1960, 1973 e 1988) e só não foi nas duas seguintes pois caiu nas quartas (1992 e 1996) ambas para clubes argentinos. Depois disso só avançou da fase de grupos em duas das oito vezes que participou: em 2008 no ano de seu centenário e na campanha do título em 2014.





15 participações – 2 títulos
147 jogos – 74 vitórias, 32 empates e 41 derrotas
221 gols a favor e 137 contra (saldo de 84 gols)
254 pontos – 16° no ranking (4° entre os brasileiros)

Campeão 1983 e 1995
Vice 1984 e 2007
Semifinal 1996, 2002 e 2009
Quartas de final 1997, 1998 e 2003
Oitavas de final 2011, 2013 e 2014
Primeira fase 1982 e 1990

Freguês times paulistas em mata-matas (4 vitórias em 4 confrontos)
Algoz times argentinos em finais (2 derrotas em 2 decisões)
Mais enfrentou Olímpia-PAR (8J - 5V, 1E, 2D)

Você sabia?
O Grêmio é o único time da história da Libertadores a eliminar os quatro grandes paulistas em mata-mata. Primeiro foi o Palmeiras, eliminado nas quartas de final da edição de 1995; um ano depois o Corinthians nessa mesma fase e por fim os outros dois no ano de 2007: São Paulo nas oitavas e o Santos nas semifinais. O próximo que chega perto é o Boca, que eliminou três dos quatro paulistas.

O melhor Grêmio de todos os tempos na Libertadores
O time é formado por jogadores que estiveram no bicampeonato.

Danrlei – Arce, Adílson, Hugo de Leon e Roger – Casemiro, Luis Carlos Goiano e Caio – Renato Gaúcho, Jardel e Tarciso. Técnico: Luis Felipe Scolari




16 participações – 1 título
130 jogos – 50 vitórias, 30 empates e 50 derrotas
186 gols a favor e 179 contra (saldo de 7 gols)
180 pontos – 30° no ranking (4° entre os equatorianos)

Campeão 2008
Semifinal 1975 e 1976
Quartas de final 1970 e 2006
Oitavas de final 1991, 1999, 2004, 2005 e 2011
Primeira fase 1978, 1982, 2000, 2007 e 2009
Fase Pré 2013

Freguês Nacional-COL (2 vitórias, 1 empate e 1 derrota em 4 jogos)
Algoz Velez Sarsfield-ARG (1 empate e 3 derrotas em 4 jogos)
Mais enfrentou River Plate-ARG (8J – 2V, 3E, 3D) e Colo Colo-CHI (8J – 1V, 3E, 4D)

Você sabia?
A LDU foi o segundo time na história da Libertadores a ser eliminado ainda na fase de grupos um ano após conquistar o título do torneio. Terminou na lanterna da chave que tinha os brasileiros Palmeiras e Sport Recife além do Colo Colo do Chile na edição de 2009.





2 participações
14 jogos – 7 vitórias, 2 empates e 5 derrotas
21 gols a favor e 22 contra (saldo negativo de 1)
23 pontos – 95° no ranking (8° entre os mexicanos)

Oitavas de final 2007
Primeira fase 2013

Você sabia?
Nas duas vezes em que participou da Libertadores o Toluca enfrentou o Boca Jrs e não se intimidou: em quatro jogos foram três vitórias e apenas uma derrota, com direito a um triunfo em plena Bombonera (2x1) em 2013.


Confronto entre os times do Grupo 6 em Libertadores

2008 LDU x San Lorenzo (1x1, 1x1 e 5x3 pênaltis) quartas
2013 Grêmio x LDU (0x1, 1x0 e 5x4 pênaltis) fase Pré
2014 San Lorenzo x Grêmio (1x0, 0x1 e 4x2 pênaltis) oitavas





sábado, 13 de fevereiro de 2016

Grupos 3 e 4 da Copa Libertadores 2016

Grupo 3 - Boca Jrs-ARG, Bolívar-BOL, Deportivo Cali-COL e Racing-ARG
Assim como em 2004

Boca, Deportivo Cali e Bolívar voltam a estar em um mesmo grupo, como em 2004. Campeão nacional e da copa de seu país, o Boca é favorito disparado a uma das vagas. Seu maior rival deverá ser o conterrâneo Racing, que pela segunda vez na história disputa uma Libertadores por dois anos seguidos. Correm por fora o Bolívar com a famosa altitude a favor e os colombianos do Deportivo Cali, duas vezes vice da Libertadores perdendo inclusive uma final para o próprio Boca.



25 participações – 6 títulos
254 jogos – 135 vitórias, 59 empates e 60 derrotas
391 gols a favor e 229 contra (saldo de 162 gols)
464 pontos – 4° do ranking (2° entre os argentinos)

Campeão 1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007
Vice 1963, 1979, 2004 e 2012
Semifinal 1965, 1966, 1991 e 2008
Quartas de final 1970, 2002, 2005 e 2013
Oitavas de final 1989, 2009 e 2015
Primeira fase 1971, 1982, 1986 e 1994

Freguês Peñarol-URU (7 vitórias e 3 empates em 10 jogos)
Algoz Olímpia-PAR (eliminado em três mata-matas – 1979, 1989 e 2002)
Mais enfrentou River Plate (24J – 10V, 7E,7D)

Você sabia?
O Boca mais ganhou do que perdeu como visitante. Em 125 jogos fora de casa o time argentino venceu 48, empatou 30 e perdeu 47. A marca foi atingida ano passado quando venceu todas as três partidas que fez como visitante pela fase de grupos.

O melhor Boca de todos os tempos na Libertadores
Quase todo o time é formado por jogadores que ganharam tudo nos anos 2000 com exceção de “três intrusos” – dois presentes no bicampeonato de 1977/1978 e um na campanha do vice de 1963:

Hugo Gatti – Ibarra, Bermudez, Francisco Sá e Arruabarrena – Battaglia, Rattín e Riquelme – Guillermo Schelotto, Palermo e Carlitos Tévez. Técnico: Carlos Bianchi



31 participações
217 jogos – 87 vitórias, 47 empates e 83 derrotas
322 gols a favor e 327 contra (saldo negativo de 5 gols)
308 pontos – 9° no ranking (1° entre os bolivianos)

Semifinal 1986 e 2014
Quartas de final 1994, 1997, 1998 e 2000
Oitavas de final 1988, 1989, 1991, 1992, 1993, 1995 e 2012
Primeira fase 1967, 1969, 1970, 1976, 1977, 1979, 1983, 1984, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2010
Pré-Libertadores 2011 e 2013

Freguês times bolivianos (20 vitórias, 12 empates e 6 derrotas em 38 jogos)
Algoz Olímpia-PAR (2 vitórias em 11 jogos)
Mais enfrentou Olímpia-PAR (11J – 2V, 2E, 7D)

Você sabia?
O Bolívar jamais caiu na primeira fase entre os anos de 1988 e 1999 quando se classificavam três times para as oitavas, avançando as nove edições que participou das doze com o sistema antigo. Foi a formula de disputa mudar para apenas dois por grupo a partir de 2000 que o clube de La Paz avançou somente em três oportunidades das doze edições que participou.




19 participações
148 jogos – 61 vitórias, 29 empates e 58 derrotas
210 gols a favor e 188 contra (saldo de 22 gols)
212 pontos – 21° no ranking ( 2° entre os colombianos)

Vice 1978 e 1999
Semifinal 1977 e 1981
Quartas de final 1969 e 2004
Oitavas de final 2003
Primeira fase 1968, 1970, 1971, 1973, 1975, 1979, 1986, 1987, 1997, 2001, 2006 e 2014

Freguês Oriente Petrolero-BOL (5 vitórias e 1 derrota em 6 jogos)
Algoz Boca Jrs-ARG (1vitória em 8 jogos)
Mais enfrentou Boca Jrs-ARG (8J – 1V, 3E, 4D), River Plate-ARG (8J – 4V, 4D) e Millonarios-COL (8J – 2V, 3E, 3D)

Você sabia?
Na partida Deportivo Cali 3x2 Quilmes válido pela fase de grupos da edição de 1979 em Cáli-COL, dois dos três gols da vitória dos colombianos foram olímpicos.




7 participações – 1 título
67 jogos – 34 vitórias, 16 empates e 17 derrotas
114 gols a favor e 72 contra (saldo de 42 gols)
115 pontos – 42° no ranking (8° entre os argentinos)

Campeão 1967
Semifinal 1968 e 1997
Quartas de final 2015
Oitavas de final 1989 e 2003
Primeira fase 1962

Freguês Nacional-URU (1 derrota em 7 jogos)
Algoz clubes colombianos em mata-matas (2 eliminações em 2 confrontos)
Mais enfrentou Sporting Cristal-PER (8J – 5V,3D) e Universitário-PER (8J – 4V,2E,2D)

Você sabia?
Sete edições de Libertadores, 67 jogos e jamais o Racing jogou contra times do Brasil. Os outros confrontos na história foram válidos por outros torneios sul-americanos, como a extinta Supercopa.


Confrontos entre os times do Grupo 3 em Libertadores

1967 Racing x Bolívar (2x0 e 6x0) 1ª fase
1970 Boca Jrs x Bolívar (3x2 e 2x0) 1ª fase
1977 Deportivo Cali x Bolívar (0x3 e 3x0) 1ª fase
         Boca Jrs x Deportivo Cali (1x1 e 1x1) fase semifinal
1978 Boca Jrs x Deportivo Cali (0x0 e 4x0) final
1989 Boca Jrs x Racing (0x0, 2x3 e 3x1 desempate) 1ª fase
1991 Bolívar x Boca Jrs (2x0 e 0x0) 1ª fase
2001 Boca Jrs x Deportivo Cali (2x1 e 0x3) 1ª fase
2004 Boca Jrs x Deportivo Cali (1x0 e 3x0) 1ª fase
         Boca Jrs x Bolívar (1x3 e 3x0) 1ª fase
         Deportivo Cali x Bolívar (3x1 e 0x1) 1ª fase
2007 Boca Jrs x Bolívar (0x0 e 7x0) 1ª fase



Grupo 4 - Peñarol-URU, Nacional-COL, Sporting Cristal-PER e Huracán-ARG
Ex-campeões e times que podem surpreender

Pentacampeão da Libertadores, o Peñarol passou vários anos sem fazer boas campanhas até o vice de 2011. Desde então ficou apenas nisso, ao contrário do Nacional que divide com o Santa Fé o status de melhor time colombiano do momento, apesar da eliminação surpreendente do ano passado. Com a classificação do Huracán da fase Pré o grupo tornou-se um dos mais equilibrados que pode ter ainda o Sporting Cristal entre os classificados.



42 participações – 5 títulos
339 jogos – 153 vitórias, 75 empates e 111 derrotas
515 gols a favor e 405 contra (saldo de 110 gols)
534 pontos – 2° no ranking (2° entre os uruguaios)

Campeão 1960, 1961, 1966, 1982 e 1987
Vice 1962, 1965, 1970, 1983 e 2011
Semifinal 1963, 1967, 1968, 1969, 1972, 1974, 1976, 1979, 1981 e 1985
Quartas de final 1988, 1997, 1998 e 2002
Oitavas de final 1989, 1995, 1996 e 2000
Primeira fase 1971, 1973, 1975, 1977, 1978, 1986, 2001, 2003, 2004, 2012, 2013 e 2014
Fase Pré 2005 e 2009

Freguês times venezuelanos (17 vitórias e 7 empates em 24 jogos)
Algoz Santos (duas derrotas em finais – 1962 e 2011)
Mais enfrentou Nacional-URU (38J – 13V, 15E, 10D)

Você sabia?
Todos os cinco títulos do Peñarol em Libertadores foram conquistados fora de casa: Defensores del Chaco em Assunção-PAR (1960); Pacaembu em São Paulo (1961) e Estádio Nacional de Santiago-CHI (1966, 1982 e 1987).

O melhor Peñarol de todos os tempos na Libertadores
Com cinco títulos, o time-base é todo ele formado por jogadores campeões:

Maidana – William Martinez, Nelson Gutiérrez, Juan Lezcano e Diogo – Nestor Gonçalves, Sasía e Pedro Rocha – Luis Cubilla, Alberto Spencer e Fernando Morena. Técnico: Roberto Scarone




17 participações – 1 título
142 jogos – 56 vitórias, 38 empates e 48 derrotas
186 gols a favor e 168 contra (saldo de 18 gols)
206 pontos – 23° no ranking (3° entre os colombianos)

Campeão 1989
Vice 1995
Semifinal 1990 e 1991
Quartas de final 1992 e 2014
Oitavas de final 1993, 2006, 2008, 2012 e 2015
Primeira fase 1972, 1974, 1975, 1977, 1982 e 2000

Freguês Peñarol-URU (4 vitórias em 4 jogos)
Algoz Grêmio (1 empate e 3 derrotas em 4 jogos)
Mais enfrentou América-COL (11J – 4V, 1E, 6D)

Você sabia?
Nacional e Olímpia-PAR se enfrentaram por três mata-matas seguidos de Libertadores: o time colombiano venceu a final de 1989 e perdeu as semifinais de 1990 e 1991. É até hoje o único confronto de mata-mata de Libertadores a acontecer por mais de duas edições consecutivas.




31 participações
203 jogos – 61 vitórias, 54 empates e 88 derrotas
261 gols a favor e 309 contra (saldo negativo de 48 gols)
237 pontos – 18° no ranking (2° entre os peruanos)

Vice 1997
Quartas de final 1968, 1993 e 1995
Oitavas de final 1992, 1996 e 2004
Primeira fase 1962, 1969, 1971, 1973, 1974, 1978, 1980, 1981, 1984, 1989, 1990, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2005, 2006, 2013 e 2015
Fase Pré 2007, 2009 e 2014

Freguês Bolívar-BOL (4 vitórias em 6 jogos)
Algoz River Plate-ARG (1 vitória e 5 derrotas em 6 jogos)
Mais enfrentou Universitário-PER (14J – 4V, 6E, 4D)

Você sabia?
O recorde de invencibilidade da história da Libertadores pertence ao Sporting Cristal. O clube peruano ficou dezesseis jogos sem perder entre as edições de 1962, 1968 e 1969.




2 participações
19 jogos – 8 vitórias, 7 empates e 4 derrotas
29 gols a favor e 19 contra (saldo de 10 gols)
31 pontos – 83° no ranking (14° entre os argentinos)

Semifinal 1974
Primeira fase 2015

Você sabia?
Finalista da última Copa Sul-Americana, o Huracán perdeu apenas duas das oito partidas que fez fora da Argentina, coincidente as duas últimas que fez pelo torneio, e ambas na Venezuela: 3 a 0 para o Mineros de Guayana no ano passado e 2 a 1 para o Caracas na terça-feira.



Confrontos entre os times do Grupo 4 em Libertadores

1968 Peñarol x Sporting Cristal (0x0 e 1x1) quartas
1974 Peñarol x Huracán (1x1 e 3x0) fase semifinal
1992 Nacional x Sporting Cristal (1x0 e 3x0) 1ª fase
1995 Nacional x Peñarol (3x1 e 3x1) oitavas
1996 Peñarol x Sporting Cristal (3x3 e 1x1) 1ª fase
2012 Nacional x Peñarol (4x0 e 3x0) 1ª fase