Páginas

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Grupos 1 e 2 da Copa Libertadores 2016

Grupo 1 - River Plate-ARG, The Strongest-BOL, Trujillanos-VEN e São Paulo
Dois tricampeões, altitude e o coadjuvante venezuelano

Tricampeões da Libertadores, River Plate e São Paulo têm tudo pra ficarem com as duas vagas do grupo. Dificilmente algum dos dois cairá na primeira fase. Com a altitude de La Paz a seu favor, o Strongest corre por fora enquanto que o Trujillanos, que volta a uma Libertadores depois de 21 anos deverá ser o saco de pancadas do grupo.



31 participações – 3 títulos
305 jogos – 149 vitórias, 76 empates e 80 derrotas
492 gols a favor e 324 contra (saldo de 170 gols)
524 pontos – 3° no ranking (1° entre os argentinos)

Campeão 1986, 1996 e 2015
Vice 1966 e 1976
Semifinal 1967, 1970, 1978, 1982, 1987, 1990, 1995, 1998, 1999, 2004 e 2005
Quartas de final 2000, 2001, 2003 e 2006
Oitavas de final 1997, 2002 e 2008
Primeira fase 1973, 1977, 1980, 1981, 1991, 1993, 2007 e 2009

Freguês Corinthians (eliminou em dois mata-matas – 2003 e 2006)
Algoz Racing (4 empates e 2 derrotas em 6 jogos)
Mais enfrentou Boca Jrs-ARG (24J – 7V, 7E, 10D)
  
Você sabia?
Ao conquistar a Libertadores do ano passado, o River Plate quebrou uma escrita: de ser finalista da competição somente em anos terminados em “seis”.  A única exceção foi 2006, quando caiu nas quartas de final.

O melhor River Plate de todos os tempos na Libertadores
Tricampeão do torneio, o time argentino também conta com jogadores que não levantaram a taça, tamanho o histórico de craques que o clube teve ao longo do tempo.

Pumpido – Gordillo, Ruggeri, Ayala e Sorín –  Oscar Sanchez, Francescoli e Alzamendi  – Daniel Onega, Hernán Crespo e Oscar Más. Técnico: Ramón Diaz


21 participações
133 jogos – 45 vitórias, 22 empates e 66 derrotas
163 gols a favor e 237 contra (saldo negativo de 74)
157 pontos – 33° no ranking (2° entre os bolivianos)

Oitavas de final 1990, 1994 e 2014
Primeira fase 1965, 1971, 1975, 1978, 1980, 1981, 1982, 1987, 1989, 2000, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2012, 2013 e 2015

Freguês times venezuelanos (2 vitórias e 1 empate em 4 jogos)
Algoz times brasileiros jogando no Brasil (13 derrotas em 13 jogos)
Mais enfrentou Oriente Petrolero-BOL (8J – 4V, 4D)

Você sabia?
O Strongest não ganha uma partida fora da Bolívia pela Libertadores há 35 anos: a última vitória foi um 3x2 no Técnico Universitário-EQU pela edição de 1981. Desde então soma cinco empates e quarenta derrotas nos últimos 45 jogos que fez como visitante.



1 participação
6 jogos – 1 empate e 5 derrotas
8 gols a favor e 17 contra (saldo negativo de 9)
1 ponto – 188° no ranking (20° entre os venezuelanos)

Primeira fase 1995

Você sabia?
Uma das equipes com a pior colocação do ranking da Libertadores (188° entre 201 participantes) o Trujillanos retorna após 21 anos de sua única participação em 1995.




17 participações – 3 títulos
167 jogos – 85 vitórias, 38 empates e 44 derrotas
259 gols a favor e 157 contra (saldo de 102)
293 pontos – 10° no ranking (1° entre os brasileiros)

Campeão 1992, 1993 e 2005
Vice 1974, 1994 e 2006
Semifinal 1972, 2004 e 2010
Quartas de final 2008 e 2009
Oitavas de final 2007, 2013 e 2015
Primeira fase 1978, 1982 e 1987

Freguês Palmeiras (6 vitórias e 2 empates em 8 jogos)
Algoz Internacional (eliminado em dois mata-matas – 2006 e 2010)
Mais enfrentou Palmeiras (8J – 6V, 2E) e Atlético Mineiro (8J – 1V, 3E, 4D)

Você sabia?
Dentre os nove clubes que conquistaram a Libertadores por mais de duas vezes, o São Paulo é o que tem o melhor aproveitamento como mandante nos anos de título? Foram 17 vitórias e um empate nos dezoito jogos que fez em casa nas campanhas vitoriosas de 1992, 1993 e 2005. Um aproveitamento de 96,3% dos pontos disputados!

O melhor São Paulo de todos os tempos na Libertadores
Como não poderia deixar de ser, dez dos onze jogadores são dos times campeões de 1992, 1993 e 2005. A única exceção é o uruguaio Pedro Rocha, vice em 1974.

Rogério Ceni – Cafu, Fabão, Lugano e Júnior – Pintado, Cerezo, Pedro Rocha e Raí – Muller e Palhinha. Técnico: Telê Santana


Confrontos entre os times do Grupo 1 em Libertadores

1982 River Plate x The Strongest (0x1 e 4x1) 1ª fase
2001 River Plate x The Strongest (1x4 e 5x1) 1ª fase
2005 São Paulo x The Strongest (3x3 e 3x0) 1ª fase
         São Paulo x River Plate (2x0 e 3x2) semifinal
2013 São Paulo x The Strongest (2x1 e 1x2) 1ª fase



Grupo 2 - Nacional-URU, Palmeiras, Rosário Central-ARG e River Plate-URU
Dois uruguaios e a velha rivalidade Brasil x Argentina

Um dos grupos que contem dois times de um mesmo país promete ser também um dos mais equilibrados. Um uruguaio (Nacional) é um dos favoritos a vaga enquanto que o outro (River Plate) estréia na competição e deve ser mero figurante. Palmeiras e Rosário Central, que há anos não fazem boas campanhas em Libertadores (ambos foram semifinalistas juntos em 2001) também brigam pelas duas vagas.



42 participações – 3 títulos
349 jogos – 150 vitórias, 91 empates e 108 derrotas
508 gols a favor e 389 contra (saldo de 119 gols)
541 pontos – 1° do ranking (1° entre os uruguaios)

Campeão 1971, 1980 e 1988
Vice 1964, 1967 e 1969
Semifinal 1962, 1966, 1972, 1981, 1983, 1984 e 2009
Quartas de final 1970, 1991, 2002 e 2007
Oitavas de final 1989, 1992, 1993, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2003, 2004, 2006, 2008, 2010 e 2013
Primeira fase 1968, 1973, 1974, 1976, 1979, 1994, 2005, 2011, 2012 e 2014
Pré-Libertadores 2015

Freguês times peruanos (15 vitórias, 5 empates e 4 derrotas em 24 jogos)
Algoz Grêmio (2 empates e 4 derrotas em 6 jogos)
Mais enfrentou Peñarol-URU (38J – 10V, 15E, 13D)

Você sabia?
O Nacional está indo para sua vigésima participação consecutiva. O clube de Montevidéu ficou de fora pela última vez em 1996, ano em que o país foi representado por Peñarol e Defensor. Mas quantidade não significa qualidade, pois dessas vinte participações em apenas uma o Nacional terminou entre os quatro melhores (em 2009).

O melhor Nacional de todos os tempos na Libertadores
É formado tanto pelos jogadores que estiveram nos três títulos do clube uruguaio quanto nos vices obtidos nos anos 60:

Rodolfo Rodriguez – Ancheta, Emilio Alvarez, Hugo de Leon e Ubiña – Mujica, Espárrago, Ostolaza e Victorino – Luis Cubilla e Julio César Morales. Técnico: Washington Etchamendi





15 participações – 1 título
148 jogos – 76 vitórias, 28 empates e 44 derrotas
261 gols a favor e 171 contra (saldo de 90 gols)
256 pontos – 14° do ranking (3° entre os brasileiros)

Campeão 1999
Vice 1961, 1968 e 2000
Semifinal 1971 e 2001
Quartas de final 1995 e 2009
Oitavas de final 1994, 2005, 2006 e 2013
Primeira fase 1973, 1974 e 1979

Freguês times venezuelanos (12 vitórias em 12 jogos)
Algoz São Paulo (três eliminações em mata-matas – 1994, 2005 e 2006)
Mais enfrentou São Paulo (8J – 2E, 6D), Peñarol-URU (8J – 5V, 2E, 1D) e Cerro Porteño-PAR (8J – 3V, 4E, 1D)

Você sabia?
O Palmeiras tornou-se o primeiro time brasileiro a vencer em todos os países participantes da Libertadores como visitante. O feito foi alcançado em 2006 quando venceu o Nacional na Colômbia por 2 a 1 em partida válida pela fase de grupos.

O melhor Palmeiras de todos os tempos na Libertadores
A base é toda do time titular campeão de 1999 com exceção de Tupãzinho, artilheiro da Libertadores de 1968.

Marcos – Arce, Júnior Baiano, Roque Júnior e Júnior – César Sampaio, Alex e Zinho – Paulo Nunes, Oséas e Tupãzinho. Técnico: Luis Felipe Scolari


10 participações
76 jogos – 36 vitórias, 18 empates e 22 derrotas
130 gols a favor e 98 contra (saldo de 32 gols)
126 pontos – 38° no ranking (7° entre os argentinos)

Semifinal 1975 e 2001
Oitavas de final 2000 e 2004
Primeira fase 1971, 1972, 1974, 1981, 1987 e 2006

Freguês Olímpia-PAR (2 vitórias e 2 empates em 4 jogos)
Algoz Independiente-ARG (1 vitória, 2 empates e 3 derrotas em 6 jogos)
Mais enfrentou Independiente-ARG (6J – 1V, 2E, 3D)

Você sabia?
Em 2001 por muito pouco não tivemos a primeira final entre times do mesmo país. De um lado o Boca havia se garantido na decisão ao eliminar o Palmeiras enquanto que na outra chave Rosário e Cruz Azul do México se enfrentavam pela outra vaga na final. Com uma derrota por 2 a 0 e um empate por 3 a 3, a classificação acabou nas mãos dos mexicanos e com isso a primeira decisão entre times do mesmo país ficou mesmo para 2005 com São Paulo x Atlético Paranaense.




Nenhuma participação

Você sabia?
Estreante desse ano, o River Plate já aprontou das suas na Copa Sul-Americana. Na edição de 2009 o pequeno time uruguaio eliminou o Vitória da Bahia nas oitavas e o San Lorenzo-ARG nas quartas. Nas semifinais chegou até vencer a futura campeã LDU do Equador (2x1), mas acabou levando um humilhante 7x0 na volta e com isso ficando de fora da final.


Confrontos entre os times do Grupo 2 em Libertadores

1971 Nacional x Palmeiras (3x0 e 3x1) fase semifinal
1973 Palmeiras x Nacional (1x1 e 2x1) 1ª fase
2006 Palmeiras x Rosário Central (0x0 e 2x2) 1ª fase
2009 Nacional x Palmeiras (1x1 e 0x0) quartas




Nenhum comentário:

Postar um comentário