Páginas

quarta-feira, 30 de março de 2016

Resultados da 6ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa 2018



E as eliminatórias tem um novo líder: é o Uruguai, que venceu o Peru em casa e contou com o tropeço do Equador, derrotado pela seleção da Colômbia, para assumir a liderança. Argentina e Chile venceram seus jogos e completam o G4, com os colombianos na quinta colocação. No único empate de ontem o Paraguai vencia o Brasil por 2 a 0 mas acabou cedendo o empate no fim da partida, resultado ruim para ambos que estão fora da zona de classificação para a Copa.
As Eliminatórias Sul-Americanas voltam apenas no segundo semestre com duas rodadas em setembro, duas em outubro e outras duas em novembro. Passado um terço da competição confira os resultados da rodada e a classificação:


29/03 terça-feira
Colômbia 3x1 Equador
Uruguai 1x0 Peru
Venezuela 1x4 Chile
Argentina 2x0 Bolívia
Paraguai 2x2 Brasil


classificação

Uruguai e Equador 13, Argentina 11, Chile e Colômbia 10, Brasil e Paraguai 9, Peru 4, Bolívia 3 e Venezuela 1




domingo, 27 de março de 2016

Brasil: O único invicto em Eliminatórias Sul-Americanas

O empate diante do Uruguai foi o 12° em 50 partidas disputadas pelo Brasil em casa na história das Eliminatórias Sul-Americanas já que as outras 38 terminaram em vitória. Isso mesmo, o Brasil jamais perdeu uma partida sequer jogando em casa, sendo a única seleção sul-americana a ostentar tal feito.
Dentre as outras seleções a Argentina é a que mais chega perto, com apenas três derrotas em sessenta jogos, seguida do Uruguai com oito, mas em 68 partidas. Na contramão da história aparece a Venezuela, a única com mais derrotas que vitórias em casa: 34, exatamente o dobro de triunfos (17).
Já em se tratando de invencibilidade atual a seleção equatoriana é a que está há mais tempo sem perder: onze jogos, sendo que a última derrota como mandante foi ainda nas Eliminatórias para a Copa da África, mesmo caso dos uruguaios, só que estes com dez jogos somados desde então. Só nessas eliminatórias seis das dez seleções já foram derrotadas em seus domínios, escapando apenas essas duas seleções mais Brasil e Paraguai.
Segue a lista do histórico das dez seleções sul-americanas em eliminatórias jogando em casa juntamente com as 50 partidas do Brasil:


histórico das seleções sul-americanas jogando em casa

69 jogos
Paraguai  45 vitórias, 9 empates e 15 derrotas

68 jogos
Colômbia  35 vitórias, 15 empates e 18 derrotas

67 jogos
Chile  38 vitórias, 15 empates e 14 derrotas
Bolívia  33 vitórias, 18 empates e 16 derrotas
Peru  29 vitórias, 20 empates e 18 derrotas

66 jogos 
Uruguai  43 vitórias, 15 empates e 8 derrotas

65 jogos
Equador  36 vitórias, 19 empates e 10 derrotas

63 jogos
Venezuela 17 vitórias, 12 empates e 34 derrotas

60 jogos
Argentina  42 vitórias, 15 empates e 3 derrotas

50 jogos
Brasil  38 vitórias e 12 empates


todos os 50 jogos do Brasil em casa

1954 Suíça
Brasil 1x0 Chile
Brasil 4x1 Paraguai

1958 Suécia
Brasil 1x0 Peru

1970 México
Brasil 6x2 Colômbia
Brasil 6x0 Venezuela
Brasil 1x0 Paraguai

1978 Argentina
Brasil 6x0 Colômbia
Brasil 1x1 Paraguai
Brasil 1x0 Peru
Brasil 8x0 Bolívia

1982 Espanha
Brasil 3x1 Bolívia
Brasil 5x0 Venezuela

1986 México
Brasil 1x1 Paraguai
Brasil 1x1 Bolívia

1990 Itália
Brasil 6x0 Venezuela
Brasil 1x0 Chile

1994 Estados Unidos
Brasil 2x0 Equador
Brasil 6x0 Bolívia
Brasil 4x0 Venezuela
Brasil 2x0 Uruguai

2002 Japão e Coréia do Sul
Brasil 3x2 Equador
Brasil 1x1 Uruguai
Brasil 3x1 Argentina
Brasil 5x0 Bolívia
Brasil 1x0 Colômbia
Brasil 1x1 Peru
Brasil 2x0 Paraguai
Brasil 2x0 Chile
Brasil 3x0 Venezuela

2006 Alemanha
Brasil 1x0 Equador
Brasil 3x3 Uruguai
Brasil 3x1 Argentina
Brasil 3x1 Bolívia
Brasil 0x0 Colômbia
Brasil 1x0 Peru
Brasil 4x1 Paraguai
Brasil 5x0 Chile
Brasil 3x0 Venezuela

2010 África do Sul
Brasil 5x0 Equador
Brasil 2x1 Uruguai
Brasil 0x0 Argentina
Brasil 0x0 Bolívia
Brasil 0x0 Colômbia
Brasil 3x0 Peru
Brasil 2x1 Paraguai
Brasil 4x2 Chile
Brasil 0x0 Venezuela

2018 Rússia
Brasil 3x1 Venezuela
Brasil 3x0 Peru
Brasil 2x2 Uruguai







sábado, 26 de março de 2016

Resultados da 5ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa 2018



Tivemos três empates nos cinco jogos da quinta rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. Apenas Argentina e Colômbia venceram, e fora de casa: os argentinos deram o troco no adversário que os venceram na final da última Copa América enquanto que os colombianos bateram o time da Bolívia em plena altitude de La Paz. Todos os outros três jogos que terminaram empatados o resultado foi o mesmo (2x2), sendo que Peru e Uruguai perdiam por dois a zero e foram buscar o empate enquanto que o Equador abriu o placar, sofreu a virada e buscou o empate nos acréscimos, resultado que os deixaram tranquilos na liderança das eliminatórias.
Todos os jogos da sexta rodada acontecem na próxima terça-feira dia 29 e o blog posta essas partidas com os últimos resultados, a classificação atual e o histórico dos confrontos entre os times que irão se enfrentar:


24/03 quinta-feira 
Bolívia 2x2 Colômbia
Equador 2x2 Paraguai
Chile 1x2 Argentina
Peru 2x2 Venezuela

25/03 sexta-feira
Brasil 2x2 Uruguai


classificação
Equador 13, Uruguai 10, Brasil, Paraguai e Argentina 8, Chile e Colômbia 7, Peru 4, Bolívia 3 e Venezuela 1


próxima rodada

29/03 terça-feira
Colômbia x Equador
Uruguai x Peru
Venezuela x Chile
Argentina x Bolívia
Paraguai x Brasil



Colômbia x Equador
16 jogos - 6 vitórias da Colômbia, 6 empates e 4 vitórias do Equador

Uruguai x Peru
16 jogos - 9 vitórias do Uruguai, 3 empates e 4 vitórias do Peru

Venezuela x Chile
12 jogos - 9 vitórias do Chile, 2 empates e 1 vitória da Venezuela

Argentina x Bolívia
18 jogos - 11 vitórias da Argentina, 3 empates e 4 vitórias da Bolívia

Paraguai x Brasil
14 jogos - 9 vitórias do Brasil, 3 empates e 2 vitórias do Paraguai





quinta-feira, 24 de março de 2016

Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo 2018



Entre hoje e amanhã teremos a quinta rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018 a ser disputada na Rússia. Serão quatro partidas hoje e uma amanhã, com destaque em particular para dois jogos: Chile x Argentina e Brasil x Uruguai.
A seguir você terá os jogos dessa rodada, a classificação até aqui e o retrospecto de cada confronto em Eliminatórias Sul-Americanas:


24/03 quinta-feira (hoje)
Bolívia x Colômbia
Equador x Paraguai
Chile x Argentina
Peru x Venezuela

25/03 sexta-feira
Brasil x Uruguai


classificação
Equador 12, Uruguai 9, Brasil, Paraguai e Chile 7, Argentina 5, Colômbia 4, Bolívia e Peru 3, Venezuela 0


Bolívia x Colômbia
10 jogos - 6 vitórias da Colômbia, 3 empates e 1 vitória da Bolívia

Equador x Paraguai
14 jogos - 7 vitórias do Paraguai, 1 empate e 6 vitórias do Equador

Chile x Argentina
12 jogos - 8 vitórias da Argentina, 3 empates e 1 vitória do Chile

Peru x Venezuela
14 jogos - 9 vitórias do Peru, 1 empate e 4 vitórias da Venezuela

Brasil x Uruguai
8 jogos - 3 vitórias do Brasil, 4 empates e 1 vitória do Uruguai






terça-feira, 22 de março de 2016

Três dos últimos quatro treinadores campeões da Libertadores estão em São Paulo


Tite (2012), Cuca (2013) e Bauza (2014): campeões no Trio de Ferro Paulista.
Com a ida de Cuca para o Palmeiras no lugar do Marcelo Oliveira, demitido após a derrota frente ao Nacional em casa (1x2), os três rivais de São Paulo que estão na Libertadores desse ano agora possuem três dos quatro últimos técnicos campeões da competição.
Tite havia ganho com o próprio Corinthians em 2012, campanha essa que terminou invicta. No ano seguinte foi a vez de Cuca (agora no Palmeiras) vencer no comando do Atlético Mineiro e depois Edgardo Bauza faturar o bicampeonato com o San Lorenzo em 2014, seis anos depois do primeiro título vencido no comando da LDU-EQU e que tenta seu tricampeonato particular no comando do São Paulo. Curiosamente todos campeões com clubes que jamais haviam ganho a Libertadores, e todas as conquistas em sequencia. Além dos três paulistas apenas um time dos outros 29 participantes da fase de grupos tem um treinador campeão da Libertadores: trata-se do argentino Marcelo Gallardo, vitorioso com o River Plate ano passado e que ainda continua no clube.
Veja a seguir o histórico dos treinadores de Edgardo Bauza, Tite e Cuca em Libertadores já contando com a edição atual:



Edgardo Bauza (São Paulo)

10 participações – 2 títulos
80 jogos – 31 vitórias, 23 empates e 26 derrotas

2000 Rosário Central (oitavas) 8 jogos– 3 vitórias, 3 empates e 2 derrotas
2001 Rosário Central (semifinais) 12 jogos – 6 vitórias, 3 empates e 3 derrotas
2002 Velez Sarsfield (1ª fase) 6 jogos – 2 vitórias, 2 empates e 2 derrotas
2007 LDU (1ª fase) 8 jogos – 3 vitórias, 3 empates e 2 derrotas
2008 LDU (campeão) 14 jogos – 5 vitórias, 5 empates e 4 derrotas
2011 LDU (oitavas) 8 jogos – 3 vitórias, 1 empate e 4 derrotas
2013 LDU (fase Pré) 2 jogos – 1 vitória e 1 derrota
2014 San Lorenzo (campeão) 14 jogos – 6 vitórias, 4 empates e 4 derrotas
2015 San Lorenzo (1ª fase) 6 jogos – 2 vitórias, 1 empate e 3 derotas
2016 São Paulo (edição atual) 2 jogos – 1 empate e 1 derrota



Tite (Corinthians)

8 participações – 1 título
61 jogos – 34 vitórias, 14 empates e 13 derrotas

2002 Grêmio (semifinais) 12 jogos – 8 vitórias, 1 empate e 3 derrotas
2003 Grêmio (quartas) 10 jogos – 5 vitórias, 2 empates e 3 derrotas
2004 São Caetano (quartas) 1 jogo – 1 vitória
2011 Corinthians (fase Pré) 2 jogos – 1 empate e 1 derrrotas
2012 Corinthians (campeão) 14 jogos – 8 vitórias e 6 empates
2013 Corinthians (oitavas) 8 jogos – 4 vitórias, 2 empates e 2 derrotas
2015 Corintihans (oitavas) 10 jogos – 5 vitórias, 2 empates e 3 derrotas
2016 Corinthians (edição atual) 4 jogos – 3 vitórias e 1 derrota


Cuca (Palmeiras)

4 participações – 1 título
35 jogos – 23 vitórias, 4 empates e 8 derrotas

2004 São Paulo (semifinais) 12 jogos – 8 vitórias, 1 empate e 3 derrotas
2011 Cruzeiro (oitavas) 8 jogos – 6 vitórias, 1 empate e 1 derrota
2013 Atlético Mineiro (campeão) 14 jogos – 9 vitórias, 2 empates e 3 derrotas
2016 Palmeiras (edição atual) 1 jogo  – 1 derrota





segunda-feira, 21 de março de 2016

Venezuela campeã do Sul-Americano Feminino Sub-17 2016



Festa das venezuelanas com o título conquistado em casa.

E as donas da casa venezuelanas terminaram campeãs, ou melhor, bicampeãs do Campeonato Sul-Americano Feminino Sub-17 com 100% de aproveitamento. Foram quatro vitórias na fase de grupos e depois outras três na fase final marcando 27 gols e sofrido apenas três. Além da campeã Venezuela, Brasil e Paraguai também se classificaram para o Mundial Feminino Sub-17 que será disputado em setembro na Jordânia.


fase final

14/03 segunda-feira
Brasil 1x0 Paraguai
Venezuela 4x0 Colômbia

17/03 quinta-feira
Brasil 2x0 Colômbia
Venezuela 6x2 Paraguai

20/03 domingo
Paraguai 2x1 Colômbia
Venezuela 1x0 Brasil


as campeãs

2 Brasil (2010 e 2012)
   Venezuela (2013 e 2016)
1 Colômbia (2008)


domingo, 20 de março de 2016

Vexames brasileiros diante de times venezuelanos

Na quarta-feira o São Paulo empatou com o Trujillanos por um gol fora de casa, resultado esse que foi considerado como um dos maiores tropeços da história do clube paulista, em virtude das circunstâncias atuais e também da fragilidade do adversário, que retornou a Libertadores após 21 anos da sua única participação. Devido a disparidade futebolística entre os dois países, qualquer resultado negativo é considerado tropeço e o de quarta não foi o único, pois alguns times brasileiros já acabaram dando uma escorregada frente a times da Venezuela e o blog irá relembrar esses tropeços.
Times brasileiros e venezuelanos já duelaram por 93 vezes e a vantagem esmagadora é nossa: 71 vitórias contra apenas oito derrotas e catorze empates. Jogando em solo brasileiro os times da Venezuela não voltaram derrotados pra casa em apenas dois dos 45 jogos que fizeram por aqui: em 1971 quando o Deportivo Itália (hoje Deportivo Petare) bateu o Fluminense por 1 a 0 em pleno Maracanã e em 2009 quando o Caracas arrancou um empate sem gols diante do Grêmio no antigo estádio Olímpico.
Veja os principais vexames dos times brasileiros diante dos venezuelanos:


1964 - Deportivo Itália 2x1 Bahia (fase preliminar)
O primeiro tropeço brasileiro

Vice da extinta Taça Brasil de 1963, o Bahia disputou a Libertadores herdando a vaga do campeão Santos, que havia ganho além do Nacional a Libertadores. E entrou na fase preliminar contra o Deportivo Itália onde quem vencesse avançava para a fase de grupos. Graças a um acordo entre os times os dois jogos foram na Venezuela e após um empate sem gols na primeira partida o Deportivo Itália venceu a segunda e avançou.


1971 - Fluminense 0x1 Deportivo Itália (1ª fase)
O "Maracanazo" venezuelano.

Na edição de 1971 o time carioca vinha de quatro vitórias seguidas, sendo três fora de casa. No quinto jogo o adversário era o Deportivo Itália, que já havia levado de seis do Fluminense na Venezuela. O que era pra ser outra goleada tornou-se uma das maiores zebras da história da competição, jogo esse que ficou conhecido como o "Maracanazo venezuelano". Na última rodada os cariocas perderiam a partida e a vaga para a fase seguinte pro Palmeiras.


1977 - Portuguesa 3x0 Internacional (fase semifinal)
A maior derrota brasileira

O Inter havia feito uma boa campanha na fase de grupos onde deixou pra trás Corinthians e os equatorianos El Nacional e Deportivo Cuenca. Nas semifinais encararia Cruzeiro, campeão da edição passada e a frágil Portuguesa, da Venezuela. E foi contra esse time que os gaúchos sofreriam uma de suas maiores derrotas em Libertadores: 3 a 0 e a vaga na final ficaria com os mineiros.


1980 - Deportivo Galícia 2x1 Internacional ( fase)
De novo mais um vexame colorado

Três anos depois novamente o Internacional sucumbiria para um time venezuelano. Dessa vez o algoz foi o Deportivo Galícia e menos mal que mesmo com a derrota o time gaúcho chegaria a decisão, onde ficaria com o vice.


1989 - Deportivo Táchira 1x0 Internacional ( fase)
Virou freguês...

Embora tenha crescido nos mata-matas onde eliminou Peñarol (com direito a um 6x2), Bahia e só parou nos pênaltis diante do Olímpia, o Inter sofreu novamente diante de quem? De times venezuelanos, claro. Com um empate e uma derrota fora para o Táchira os gaúchos terminaram em terceiro, e só seguiram adiante por que os três primeiros avançavam. Até aí o Inter havia somado três derrotas em dez confrontos, sendo até hoje o brasileiro com pior retrospecto diante de venezuelanos.


2009 - Grêmio 0x0 Caracas (quartas de final)
Graças ao gol marcado fora de casa

Tudo bem que era a melhor campanha do Caracas na história da Libertadores com o time venezuelano chegando pela primeira vez as quartas de final, mas isso não é desculpa para o tropeço do Grêmio. Afinal os gaúchos terminaram líderes na classificação geral e somadas aos triunfos diante do Universidad de San Martín-PER nas oitavas chegaram a sete vitórias (todas seguidas) em oito jogos. A sequencia seria quebrada após dois empates frente ao Caracas e a classificação só veio graças ao empate por um gol fora, já que em casa o time gaúcho não saiu do zero a zero.


2013 - Caracas 2x1 Grêmio ( fase)
Vaga no sufoco

Deve ser sina da dupla Gre-Nal tropeçar diante de venezuelanos. Em 2013 o Grêmio era um dos times brasileiros favoritos ao título e mesmo assim já havia passado sufoco na fase Pré ao passar pela LDU-EQU nos pênaltis. Em um grupo com Fluminense e dois times mais fracos (Caracas e Huachipato-CHI) foi graças ao time carioca que venceu os venezuelanos na última rodada que o Grêmio avançou as oitavas pois perdeu tanto para o time chileno quanto para o Caracas, vitória essa que não vinha de um venezuelano sobre brasileiros desde 2005 quando o Deportivo Táchira venceu o Santo André.






sexta-feira, 18 de março de 2016

Libertadores: Resultados de 15 a 17 de Março



E já temos o primeiro classificado para a próxima fase da Copa Libertadores 2016: é o Nacional-COL, que venceu todos os quatro jogos que fez e sem sofrer gols. Atlético Mineiro e Corinthians também venceram seus jogos contra adversários diretos e estão próximos da classificação, sendo que só mesmo um desastre para tirá-los das oitavas. Nacional e Pumas são outros que estão bem confortáveis na tabela.
Já os outros brasileiros, São Paulo e Palmeiras se complicaram de vez e não podem mais perder pontos caso queiram passar de fase enquanto que o Grêmio tá vivo graças ao empate conseguido no fim da partida, gol esse que entrou para a história do futebol brasileiro (mais detalhes nas curiosidades de cada jogo). Outro grande sul-americano que ainda respira é o Olímpia que venceu o Emelec de virada.
Por outro lado duas equipes já deram adeus as oitavas: Melgar e Cobresal, que haviam disputado a Libertadores pela última vez na metade dos anos 80 e perderam todos os jogos até aqui.
Agora a Libertadores dá uma pausa devidos as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, retornando daqui a duas semanas, mais precisamente no começo de abril.



15/03 terça-feira
Peñarol-URU 0x4 Nacional-COL
Independiente del Valle-EQU 1x0 Melgar-PER
San Lorenzo-ARG 1x1 Grêmio
Santa Fé-COL 3x0 Cobresal-CHI

16/03 quarta-feira
The Strongest-BOL 1x1 River Plate-ARG
Trujillanos-VEN 1x1 São Paulo
Atlético Mineiro 3x0 Colo Colo-CHI
Corinthians 2x0 Cerro Porteño-PAR

17/03 quinta-feira
River Plate-URU 1x3 Rosário Central-ARG
Nacional-URU 1x0 Palmeiras
Deportivo Cali-COL 2x2 Racing-ARG
Olímpia-PAR 4x2 Emelec-EQU
Pumas-MEX 4x1 Deportivo Táchira-VEN


classificação

Grupo 1 The Strongest 7, River Plate 5, São Paulo 2 e Trujillanos 1
Grupo 2 Nacional 8, Rosário Central 7, Palmeiras 4 e River Plate 2
Grupo 3 Racing 5, Bolívar 4, Boca Jrs 3 e Deportivo Cali 2
Grupo 4 Nacional 12, Sporting Cristal 4, Huracán 3 e Peñarol 1
Grupo 5 Atlético 10, Independiente del Valle 7, Colo Colo 5 e Melgar 0
Grupo 6 Toluca 7, Grêmio 5, San Lorenzo e LDU 3
Grupo 7 Pumas 9, Deportivo Táchira 6, Olímpia e Emelec 4 
Grupo 8 Corinthians 9, Santa Fé e Cerro Porteño 7, Cobresal 0



  • E o Nacional continua com 100% de aproveitamento nos confrontos diante do Peñarol, tendo vencido todos os seis jogos entre os dois times. Essa foi a segunda vez que os colombianos derrotam o time uruguaio por 4 a 0 em Montevidéu.
  • Na sua sétima partida em casa na história da Libertadores o Independiente del Valle continua invicto: quatro vitórias e três empates.
  • Ao anotar o gol de empate para o Grêmio o atacante Lincoln passou a ser o brasileiro mais jovem a marcar em uma partida de Libertadores: com 17 anos e quatro meses, o jovem gremista passou nada mais nada menos que Ronaldo, que detinha o recorde desde 1994 ao marcar pelo Cruzeiro diante do Velez Sarsfield. Na época o " Fenômeno" tinha 17 anos e cinco meses.
  • Foi a vitória de número 22 em quarenta jogos do Santa Fé em casa e o quinto jogo seguido como mandante sem sofrer gols.
  • Pela primeira vez em cinco jogos houve empate entre The Strongest e River Plate, interrompendo uma seqüência de dez jogos com vitória dos bolivianos em casa. Já o River chega ao oitavo jogo seguido de invencibilidade como visitante.
  • Enquanto o Trujillanos continua sem saber o que é vitória como mandante o São Paulo volta pra casa sem vencer na Venezuela pela primeira vez.
  • Foi a quarta vitória do Corinthians em seis confrontos diante do Cerro Porteño.
  • No primeiro jogo em solo uruguaio pela Libertadores o Rosário Central voltou para casa com vitória.
  • Pela quarta vez em oito jogos o Nacional bate o Palmeiras, que com a derrota em Montevidéu chegou ao oitavo jogo sem vencer fora de casa. E uma curiosidade é que o árbitro do jogo de ontem foi o mesmo que havia apitado o confronto de volta entre os dois times nas quartas de final de 2009 também no Uruguai.
  • Foi o quinto jogo do Racing em Libertadores na Colômbia que agora soma duas vitórias, dois empates e apenas uma derrota. Todos os cinco confrontos foram diante de adversários diferentes.
  • Em 142 jogos como mandante o Olímpia agora possui 80 vitórias graças a vitória sobre o Emelec, que chega a marca de seis derrotas seguidas fora de casa.
  • Esse foi o jogo de número 40 do Táchira como visitante e a 31ª derrota. Dos outros nove jogos empatou oito e venceu somente uma, sobre o conterrâneo Deportivo Petare ainda em 1985. Portanto, continua sem vencer fora da Venezuela.



quinta-feira, 17 de março de 2016

Brasileiros e argentinos jogando na Argentina

No começo da semana postamos sobre os confrontos entre clubes brasileiros e argentinos jogando no Brasil. Hoje faremos o contrário, falaremos um pouco dos confrontos entre os times dos dois países, mas jogando em território argentino.
Pra começar, brasileiros e argentinos se enfrentaram no país vizinho em 89 oportunidades e a vantagem é deles: 55 vitórias contra apenas dezesseis dos times do Brasil, sendo que os outros dezoito jogos terminaram empatados. Dos times que receberam os brasileiros por no mínimo cinco vezes os únicos invictos são os arquirrivais de Rosário, Newell's Old Boys e Rosário Central (cinco jogos). Outros invictos mas com menos jogos são: Ferro Carril Oeste e Lanús (dois jogos) enquanto que Huracán, Banfield, Quilmes e Tigre jogaram apenas uma vez.
Já do lado dos brasileiros o time que mais vezes se apresentou em solo argentino foi o Cruzeiro (quinze vezes). São Paulo e Palmeiras, outros dois times com mais confrontos obtiveram apenas uma vitória. Com bom retrospecto temos o Fluminense (três vitórias em oito jogos), Santos (duas vitórias em cinco jogos) e é claro, os que voltaram para o Brasil invictos: São Caetano, Guarani e Paysandu.


brasileiros e argentinos jogando na Argentina

89 jogos
55 vitórias dos argentinos
16 vitórias dos brasileiros
18 empates


argentinos que receberam times brasileiros

20 jogos
Boca Jrs (11 vitórias, 5 empates e 4 derrotas)

12 jogos
River Plate (6 vitórias, 2 empates e 4 derrotas)

9 jogos
San Lorenzo (5 vitórias, 3 empates e 1 derrota)

8 jogos
Velez Sarsfield (7 vitórias e 1 derrota)
Estudiantes ( 5 vitórias, 2 empates e 1 derrota)

6 jogos
Independiente (5 vitórias e 1 derrota)

5 jogos
Rosário Central (4 vitórias e 1 empate)
Newell's Old Boys (3 vitórias e 2 empates)

4 jogos
Arsenal (2 vitórias e 2 derrotas)

3 jogos
Argentinos Jrs (1 vitória, 1 empate e 1 derrota)

2 jogos
Ferro Carril Oeste (2 vitórias)
Lanús (1 vitória e 1 empate)

1 jogo
Huracán (1 vitória)
Banfield (1 vitória)
Tigre (1 vitória)
Quilmes (1 empate)
Gimnasia y Esgrima (1 derrota)


brasileiros jogando na Argentina

15 jogos
Cruzeiro (3 vitórias, 2 empates e 10 derrotas)

12 jogos
São Paulo (1 vitória, 2 empates e 9 derrotas)

9 jogos
Palmeiras (1 vitória, 3 empates e 5 derrotas)

8 jogos
Fluminense (3 vitórias, 1 empate e 4 derrotas)

7 jogos
Grêmio (1 vitória, 3 empates e 3 derrotas)
Corinthians (1 vitória, 1 empate e 5 derrotas)

5 jogos
Santos (2 vitórias e 3 derrotas)
Vasco (2 empates e 3 derrotas)

4 jogos
Atlético Mineiro (1 vitória e 3 derrotas)
Internacional (1 vitória e 3 derrotas)

3 jogos
Flamengo (1 vitória, 1 empate e 1 derrota)

2 jogos
Goiás (1 empate e 1 derrota)

1 jogo
Paysandu (1 vitória)
Guarani (1 empate)
São Caetano (1 empate)
Coritiba (1 derrota)
Paulista (1 derrota)
Botafogo (1 derrota)
Atlético Paranaense (1 derrota)
Bahia (1 derrota)






segunda-feira, 14 de março de 2016

Brasileiros e argentinos jogando no Brasil

Grêmio 1x1 San Lorenzo foi o 90° jogo entre brasileiros e argentinos no Brasil.

Nessa edição tivemos dois confrontos entre times brasileiros e argentinos no Brasil: Palmeiras x Rosário Central e Grêmio x San Lorenzo. E ainda teremos São Paulo x River Plate que vão se enfrentar no mês que vem. Pensando no assunto o blog resolveu listar para você os brasileiros que receberam os argentinos e também quais os times do país vizinho que vieram jogar aqui.
Ao todo brasileiros e argentinos jogaram nos estádios daqui por 90 vezes e a vantagem é dos mandantes, com 54 vitórias. Os times da Argentina voltaram para casa vitoriosos em dezoito oportunidades, mesmo número de empates. Dos times que receberam argentinos por no mínimo cinco vezes apenas São Paulo (onze jogos) e Palmeiras (dez) estão invictos. Outros times que jamais perderam, mas com menos jogos são: Internacional (4 jogos), Flamengo (três), Goiás e São Caetano (dois jogos) e por fim Coritiba, Paulista e Botafogo com um jogo cada.
Do lado de lá nenhum time veio tanto ao Brasil quanto o Boca. Ao todo foram vinte jogos e um bom retrospecto, tendo o mesmo número de vitórias e derrotas (sete) e seis empates, além de voltar para Buenos Aires com três títulos dos seis que faturou na história. Já o Estudiantes perdeu sete dos oito jogos que fez por aqui e a única vitória foi na finalíssima de 2009. Argentinos Jrs, Ferro Carril Oeste e Huracán são os únicos times da Argentina que jamais perderam atuando no Brasil.


brasileiros x argentinos jogando no Brasil


90 Jogos 
54 vitórias dos brasileiros
18 vitórias dos argentinos
18 empates


brasileiros que receberam times argentinos


15 jogos 
Cruzeiro (9 vitórias, 3 empates e 3 derrotas)

11 jogos 
São Paulo (10 vitórias e 1 empate)

10 jogos 
Palmeiras (7 vitórias e 3 empates)

8 jogos 
Fluminense (3 vitórias, 3 empates e 2 derrotas)

7 jogos 
Corinthians (3 vitórias, 2 empates e 2 derrotas)
Grêmio (3 vitórias, 2 empates e 2 derrotas)

5 jogos 
Santos (3 vitórias e 2 derrotas)
Vasco (2 vitórias e 3 derrotas)

4 jogos 
Internacional (3 vitórias e 1 empate)
Atlético Mineiro (3 vitórias e 1 derrota)

3 jogos 
Flamengo (3 vitórias)

2 jogos 
Goiás (2 vitórias)
São Caetano (2 empates)

1 jogo 
Coritiba (1 vitória)
Paulista (1 vitória)
Botafogo (1 vitória)
Atlético Paranaense (1 derrota)
Guarani (1 derrota)
Paysandu (1 derrota)
Bahia (1 derrota)


argentinos jogando no Brasil

20 jogos
Boca Jrs (7 vitórias, 6 empates e 7 derrotas)

11 jogos
River Plate (3 vitórias e 8 derrotas)

9 jogos
San Lorenzo (1 vitória, 3 empates e 5 derrotas)

8 jogos
Velez Sarsfield (1 vitória, 2 empates e 5 derrotas)
Estudiantes (1 vitória e 7 derrotas)

7 jogos
Independiente (2 vitórias, 1 empate e 4 derrotas)

6 jogos
Rosário Central (1 empate e 5 derrotas)

5 jogos
Newell's Old Boys (1 empate e 4 derrotas)

4 jogos
Arsenal (1 empate e 3 derrotas)

3 jogos
Argentinos Jrs (2 vitórias e 1 empate)

2 jogos
Ferro Carril Oeste (1 vitória e 1 empate)
Lanús (2 derrotas)

1 jogo
Huracán (1 empate)
Banfield (1 derrota)
Gimnasia y Esgrima (1 derrota)
Quilmes (1 derrota)
Tigre (1 derrota)


cidades e estádios que receberam os confrontos

Ao todo catorze cidades diferentes do país sediaram as 90 partidas sendo que só São Paulo recebeu quase um terço (29 jogos) seguida do Rio de Janeiro (dezenove), Belo Horizonte (dezessete) e Porto Alegre (onze). A cidade de Santos sediou apenas dois dos cinco jogos que o time homônimo fez contra argentinos já que os outros três jogos do time santista foram realizados em São Paulo (um jogo) e no Rio de Janeiro (dois) enquanto que duas cidades que jamais tiveram time algum também sediaram jogos, e do Cruzeiro: Sete Lagoas e Ipatinga, ambas de Minas Gerais. 
Já em se tratando de estádios, o Mineirão é o recordista tendo sido palco de dezesseis jogos seguido do Morumbi (com treze) e Pacaembu e Maracanã, ambos com nove. O estádio do São Paulo recebeu jogos dos quatro grandes do Estado e o Pacaembu dos três da capital. Curiosamente o Maracanã foi palco de partidas de três dos quatro cariocas e de um paulista, o Santos. E o único da cidade que jamais enfrentou argentinos no "ex-maior do mundo" foi o Vasco, que jogos todos os seus cinco jogos em São Januário.
O Boca foi o que mais jogou por estádios diferentes: dez no total. Logo a seguir vem San Lorenzo (nove), River Plate (oito) e Velez Sarsfield (sete). Em se tratando de cidades inverte-se a ordem e o "time do Papa" é que aparece primeiro com sete cidades diferentes, deixando o Boca pra trás com seis junto com o Velez. River, Estudiantes e Independiente vêm logo a seguir com cinco cada.


29 jogos
São Paulo (13 no Morumbi, 9 no Pacaembu, 6 no Parque Antártica / Allianz Parque e 1 na Arena Corinthians)

19 jogos
Rio de Janeiro (9 no Maracanã, 5 em São Januário e 5 no Engenhão)

17 jogos
Belo Horizonte (16 no Mineirão e 1 no Independência)

11 Jogos
Porto Alegre (5 no Olímpico, 4 no Beira-Rio e 2 na Arena Grêmio)

2 jogos
Santos (2 na Vila Belmiro)
São Caetano do Sul (2 no Anacleto Campanella)
Curitiba (1 no Couto Pereira e 1 na Vila Capanema)
Goiânia ( 2 no Serra Dourada)

1 jogo
Jundiaí (Jaime Cintra)
Campinas (Brinco de Ouro)
Belém (Mangueirão)
Salvador (Fonte Nova)
Sete Lagoas (Arena do Jacaré)
Ipatinga (Ipatingão)





sábado, 12 de março de 2016

Vitória dos uruguaios no Brasil



A vitória do Nacional sobre o Palmeiras na quarta-feira foi a terceira em 23 partidas jogadas no Brasil. Antes o time uruguaio já havia vencido o próprio Palmeiras em 1971 e o Vasco na edição de 2012.
Ao todo oito times diferentes do Uruguai jogaram no Brasil em um total de 57 jogos sendo que voltaram vitoriosos para casa em oito oportunidades. Empataram outras onze partidas e perderam 38.
Quem mais visitou o Brasil foi o Nacional com 23 jogos, seguido do Peñarol com dezessete, Defensor com oito, Danúbio com três e mais quatro times com apenas um jogo (Fénix, Racing, Cerro e Liverpool). Apenas os três que mais jogaram aqui foram os que saíram com vitória: Peñarol com quatro, Nacional com três e Defensor com uma. Todos os outros times voltaram derrotados para casa.
Peñarol e Defensor foram os que mais visitaram o Brasil em uma mesma edição: três vezes cada. O Peñarol em 1982 quando caiu no grupo de São Paulo e Grêmio e depois enfrentou o Flamengo nas semifinais e o Defensor em 2007 ao enfrentar o Santos na fase de grupos e Flamengo e Grêmio nos mata-matas. A maior vítima dos uruguaios em casa é o Palmeiras, com duas derrotas e ambas para o Nacional.



1962 Santos 2x3 Peñarol (final)
1971 Palmeiras 0x3 Nacional (fase semifinal)
1982 São Paulo 0x1 Peñarol (1ª fase)
         Grêmio 1x2 Defensor (1ª fase)
         Flamengo 0x1 Peñarol (fase semifinal)
2011 Internacional 1x2 Peñarol (oitavas)
2012 Vasco 1x2 Nacional (1ª fase)
2016 Palmeiras 1x2 Nacional (1ª fase)


Em 1962 Santos e Peñarol decidiram a Libertadores numa melhor de três sendo que o time brasileiro venceu no Uruguai, perdeu e casa e depois voltou as vencer em campo-neutro. Nove anos depois foi a vez do Palmeiras perder em casa para o Nacional na fase semifinal que ainda tinha o Universitário-PER. No ano de 1982 os uruguaios jogaram cinco vezes no Brasil e voltaram para casa com três vitórias. Depois disso os brasileiros só voltariam a perder em casa para um time uruguaio quase trinta anos depois quando o Internacional foi eliminado nas oitavas pelo Peñarol, sendo essa a única eliminação brasileira em mata-matas para times do Uruguai e as últimas vitórias do Nacional diante de Vasco e Palmeiras foram válidas pela fase de grupos. Esse ano o River Plate estreiará no Brasil quando enfrentar o Palmeiras em abril.



sexta-feira, 11 de março de 2016

Fase final do Sul-Americano Feminino Sub-17 2016

Terminou ontem na Venezuela a primeira fase do Sul-Americano Feminino Sub-17. Classificaram-se do Grupo A a anfitriã e atual campeã Venezuela junto com o Paraguai enquanto que no Grupo B avançaram para a fase final Brasil e Colômbia.
Agora as quatro seleções se enfrentam em um quadrangular onde quem somar mais pontos será a seleção campeã e as três primeiras garantirão vaga para o Mundial Sub-17 no segundo semestre.


Grupo A 
Argentina, Chile, Paraguai, Peru e Venezuela

Grupo B
Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador e Uurguai


jogos da primeira fase

01/03 terça-feira
Paraguai 3x0 Chile
Venezuela 3x0 Argentina

02/03 quarta-feira
Colômbia 1x0 Bolívia
Brasil 5x3 Uruguai

03/03 quinta-feira
Argentina 1x1 Chile
Venezuela 8x0 Peru

04/03 sexta-feira
Uruguai 1x0 Bolívia
Brasil 3x1 Equador

05/03 sábado
Paraguai 4x1 Peru
Venezuela 2x0 Chile

06/03 domingo
Colômbia 3x0 Equador
Brasil 4x0 Bolívia

07/03 segunda-feira
Chile 4x0 Peru
Paraguai 5x1 Argentina

08/03 terça-feira
Bolívia 0x2 Equador
Colômbia 0x1 Uruguai

09/03 quarta-feira
Argentina 0x1 Peru
Venezuela 3x1 Paraguai

10/03 quinta-feira
Uruguai 0x0 Equador
Brasil 0x0 Colômbia


classificação 

Grupo A
Venezuela 12, Paraguai 9, Chile 4, Peru 3 e Argentina 1

Grupo B
Brasil 10, Colômbia e Uruguai 7, Equador 4 e Bolívia 0


fase final

14/03 segunda-feira
Brasil x Paraguai
Venezuela x Colômbia

17/03 quinta-feira
Brasil x Colômbia
Venezuela x Paraguai

20/03 domingo
Paraguai x Colômbia
Venezuela x Brasil

No dia 21 o blog traz os resultados da fase final.





Libertadores: Resultados de 08 a 10 de Março



Semana nada boa para os times brasileiros, com derrotas de Palmeiras e Corinthians e empates de Grêmio, São Paulo e Atlético, embora esses dois últimos obtiveram um bom resultado dentro das circunstâncias.
Tivemos ainda a bela vitória do Nacional-COL com três vitórias e nenhum gol sofrido; o primeiro triunfo do Sporting Cristal que vencendo por 3 a 0 quase cede o empate para o Huracán; o Olimpia deixando uma vitória fora de casa escapar no finzinho; a goleada do Rosário Central fazendo cair o único invicto da história da Libertadores; o Táchira vencendo pela segunda vez; Cobresal perdendo a terceira; o Toluca vencendo a LDU no Equador e por fim o Boca que depois de dois empates por zero a zero finalmente marcou um golzinho, o de empate nos acréscimos diante do Bolívar em La Paz.
Confira abaixo os resultados da semana, a classificação e os próximos jogos:


08/03 terça-feira
Nacional-COL 2x0 Peñarol-URU
Sporting Cristal-PER 3x2 Huracán-ARG
Emelec-EQU 2x2 Olímpia-PAR

09/03 quarta-feira
Rosário Central-ARG 4x1 River Plate-URU
Palmeiras 1x2 Nacional-URU
Grêmio 1x1 San Lorenzo-ARG
Deportivo Táchira-VEN 2x0 Pumas-MEX
Cobresal-CHI 1x2 Santa Fé-COL
Cerro Porteño-PAR 3x2 Corinthians

10/03 quinta-feira
River Plate-ARG 1x1 São Paulo
Bolívar-BOL 1x1 Boca Jrs-ARG
Colo Colo-CHI 0x0 Atlético Mineiro
LDU-EQU 1x2 Toluca-MEX


classificação

Grupo 1 The Strongest 6, River Plate 4, São Paulo 1 e Trujillanos 0
Grupo 2 Nacional 5, Palmeiras e Rosário Central 4 e River Plate 2
Grupo 3 Racing e Bolívar 4, Boca Jrs 3 e Deportivo Cali 1
Grupo 4 Nacional 9, Sporting Cristal 4, Huracán 3 e Peñarol 1
Grupo 5 Atlético 7, Colo Colo 5, Independiente del Valle 4 e Melgar 0
Grupo 6 Toluca 7, Grêmio 4, LDU 3 e San Lorenzo 2
Grupo 7 Pumas e Deportivo Táchira 6, Emelec 4 e Olímpia 1
Grupo 8 Cerro Porteño 7, Corinthians 6, Santa Fé 4 e Cobresal 0


próximos jogos

15/03 terça-feira
Peñarol-URU x Nacional-COL
Independiente del Valle-EQU x Melgar-PER
San Lorenzo-ARG x Grêmio
Santa Fé-COL x Cobresal-CHI

16/03 quarta-feira
The Strongest-BOL x River Plate-ARG
Trujillanos-VEN x São Paulo
Atlético Mineiro x Colo Colo-CHI
Corinthians x Cerro Porteño-PAR

17/03 quinta-feira
River Plate-URU x Rosário Central-ARG
Nacional-URU x Palmeiras
Deportivo Cali-COL x Racing-ARG
Olímpia-PAR x Emelec-EQU
Pumas-MEX x Deportivo Táchira-VEN



  • Essa foi a quinta vitória do Nacional em cinco jogos diante do Peñarol.
  • Depois de quatro jogos o Sporting Cristal volta a ganhar em casa, já que não havia ganho nenhum dos três jogos que fez na edição passada e empatado na estreia.
  • Pela quarta vez seguida o Olímpia é derrotado fora de casa e somando os empates já são seis jogos sem vitória.
  • Com a derrota do River Plate não temos mais nenhum time invicto em Libertadores.
  • Foi a terceira vitória do Nacional em 23 jogos como visitante no Brasil enquanto que o Palmeiras chega a sua décima derrota em 75 jogos atuando em casa.
  • O Grêmio continua sem saber o que é perder para times argentinos em casa sem contar as derrotas em finais (1984 e 2007). 
  • Enquanto o Deportivo Táchira chega a sua décima vitória em 41 jogos que fez em casa o Puma conhece a sua sétima derrota em nove jogos fora do México.
  • Somando com a única participação em 1985 o Cobresal ainda não sabe o que é vencer em casa. Já o Santa Fé continua 100% jogando no Chile.
  • Essa foi a segunda derrota em cinco confrontos do Corinthians diante do Cerro Porteño e a segunda derrota seguida jogando no Paraguai.
  • O jogo diante do São Paulo foi o de número 150 em casa do River Plate em Libertadores. O atual campeão da competição venceu 101, empatou 31 e perdeu apenas 18 venzes atuando em seus domínios.
  • O empate entre Bolívar e Boca foi o terceiro em onze jogos entre os dois times. Dos outros oito os argentinos venceram cinco e perderam três. Apesar do empate o Bolívar manteve a invencibilidade, que agora é de doze jogos.
  • No retrospecto entre Colo Colo e Atlético tudo empatado: uma vitória por dois a zero pra cada lado e um empate sem gols, o de ontem.
  • Terceira vez que a LDU recebe mexicanos e ainda não sabe o que é vitória já que havia empatado as outras duas vezes. Agora o Toluca tem mais vitórias que derrotas como visitante (4 a 3).




quinta-feira, 10 de março de 2016

Ex-campeões de Libertadores que ainda não se enfrentaram

Ontem publicamos uma lista com quais os times brasileiros ex-campeões da Libertadores enfrentaram os ex-campeões de outros países e quais ainda não haviam enfrentado. Pois hoje postamos a lista completa dos outros sul-americanos juntamente com os brasileiros, mas de modo diferente: quantos ex-campeões cada um dos 25 clubes que levantaram a Libertadores enfrentaram e quais ainda não se confrontaram.
E eis que o atual campeão River Plate foi o que mais enfrentou ex-campeões (22 no total) faltando apenas jogar contra Internacional e Santos. Logo a seguir aparece o uruguaio Nacional, que ainda não duelou contra três times.
Então vamos à lista com o número de confrontos e qual adversário cada um dos 25 ex-campeões ainda não enfrentou:




enfrentou 22 times

River Plate-ARG 
Falta enfrentar Internacional e Santos (BRA)


enfrentou 21 times

Nacional-URU 
Falta enfrentar Atlético Mineiro (BRA); Once Caldas (COL) e LDU (EQU)


enfrentou 20 times

Peñarol-URU
Falta enfrentar Argentinos Jrs (ARG); Atlético Mineiro e Corinthians (BRA) e Once Caldas (COL)


enfrentou 19 times

São Paulo 
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Boca Jrs e Racing (ARG); Santos e Vasco (BRA)

Olímpia-PAR
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Racing, San Lorenzo e Vélez Sarsfield (ARG) e Santos (BRA)


enfrentou 18 times

Cruzeiro 
Falta enfrentar Argentinos Jrs e Racing (ARG); Atlético Mineiro, Corinthians, Flamengo e Santos (BRA)


enfrentou 17 times

Boca Jrs-ARG
Falta enfrentar Argentinos Jrs, San Lorenzo e Estudiantes (ARG); São Paulo e Internacional (BRA); Nacional-COL e LDU (EQU)

Independiente-ARG
Falta enfrentar Racing (ARG); Atlético Mineiro, Corinthians, Flamengo, Internacional e Vasco (BRA) e Once Caldas (COL)

Grêmio 
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Racing e Vélez Sarsfield (ARG); Atlético Mineiro e Internacional (BRA); Colo Colo (CHI) e Once Caldas (COL)

Nacional-COL 
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Boca Jrs e San Lorenzo (ARG); Corinthians e Santos (BRA); Colo Colo (CHI) e Once Caldas (COL)


enfrentou 16 times

Palmeiras
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Racing e San Lorenzo (ARG); Atlético Mineiro, Flamengo, Internacional e Santos (BRA) e Once Caldas (COL)

Colo Colo-CHI
Falta enfrentar Argentinos Jrs (ARG); Corinthians, Flamengo, Grêmio, Internacional e Santos (BRA); Nacional e Once Caldas (COL)

LDU-EQU
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Boca Jrs e Racing (ARG); Atlético Mineiro, Flamengo e Vasco (BRA); Once Caldas (COL) e Nacional (URU)


enfrentou 15 times


Vélez Sarsfield-ARG
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Estudiantes e San Lorenzo (ARG); Atlético Mineiro, Corinthians, Flamengo, Grêmio e Vasco (BRA) e Olímpia (PAR)

Corinthians 
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Estudiantes, Independiente, Racing e Vélez Sarsfield (ARG); Cruzeiro (BRA); Colo Colo (CHI); Nacional (COL) e Peñarol (URU)

Internacional 
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Boca Jrs, Independiente, Racing, River Plate e San Lorenzo (ARG); Grêmio e Palmeiras (BRA) e Colo Colo (CHI)


enfrentou 14 times

Estudiantes-ARG
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Boca Jrs, San Lorenzo e Vélez Sarsfield (ARG); Atlético Mineiro, Corinthians, Flamengo, Santos e Vasco (BRA) e Once Caldas (COL)


enfrentou 13 times

Flamengo 
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Estudiantes, Independiente, Racing, San Lorenzo e Vélez Sarsfield (ARG); Cruzeiro, Palmeiras e Vasco (BRA); Colo Colo (CHI) e LDU (EQU)

Vasco 
Falta enfrentar Estudiantes, Independiente, Racing, San Lorenzo e Vélez Sarsfield (ARG); Atlético Mineiro, Flamengo, Santos e São Paulo (BRA); Once Caldas (COL) e LDU (EQU)


enfrentou 11 times

San Lorenzo-ARG
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Boca Jrs, Estudiantes, Racing e Vélez Sarsfield (ARG); Atlético Mineiro, Flamengo, Internacional, Palmeiras, Santos e Vasco (BRA); Nacional (COL); Olímpia (PAR)

Santos 
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Estudiantes, Racing, River Plate e San Lorenzo (ARG); Atlético Mineiro, Cruzeiro, Palmeiras, São Paulo e Vasco (BRA); Colo Colo (CHI); Nacional (COL) e Olímpia (PAR)

Once Caldas-COL
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Estudiantes, Independiente e Racing (ARG); Atlético Mineiro, Grêmio, Palmeiras e Vasco (BRA); Colo Colo (CHI); Nacional (COL); LDU (EQU); Nacional e Peñarol (URU)


enfrentou 9 times

Atlético Mineiro
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Estudiantes, Independiente, Racing, San Lorenzo e Vélez Sarsfield (ARG); Cruzeiro, Grêmio, Palmeiras, Santos e Vasco (BRA); Once Caldas (COL); LDU (EQU); Nacional e Peñarol (URU)


enfrentou 8 times

Racing-ARG
Falta enfrentar Argentinos Jrs, Independiente e San Lorenzo (ARG); Atlético Mineiro, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Santos, São Paulo e Vasco (BRA); Once Caldas (COL); LDU (EQU) e Olímpia (PAR)



enfrentou 4 times 

Argentinos Jrs-ARG
Falta enfrentar Boca Jrs, Estudiantes, San Lorenzo e Vélez Sarsfield (ARG); Atlético Mineiro, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Santos e São Paulo (BRA); Colo Colo (CHI); Nacional e Once Caldas (COL); LDU (EQU); Olímpia (PAR) e Peñarol (URU)