Páginas

sábado, 23 de abril de 2016

Especial Libertadores 04: Curiosidades dos artilheiros


Fernando Morena: tri-artilheiro com o Peñarol-URU em 1974, 1975 e 1982.

No último especial sobre os artilheiros em Libertadores listamos alguns números, estatísticas e curiosidades:


artilheiros por mais de uma vez

Já é uma honra ser artilheiro de uma Libertadores, agora conquistar a artilharia por mais de uma vez somente cinco jogadores alcançaram tal feito: o uruguaio Fernando Morena, o equatoriano Alberto Spencer, o peruano Oswaldo Ramírez, o colombiano Nelson Scotta e o paraguaio Salvador Cabañas.
Morena é o maior recordista pois alcançou a artilharia em três oportunidades e todas com o Peñarol-URU nos anos de 1974, 1975 e 1982. Spencer foi artilheiro pelo mesmo time uruguaio em 1960 e 1962; Ramírez com o Universitário-PER em 1972 e 1975; Nelson Scotta com o Deportivo Cali-COL em 1977 e 1978 e por fim Cabañas  em 2007 e 2008 com o América do México. O que chama a atenção é que até hoje em 56 edições de Libertadores nenhum jogador conseguiu ser artilheiro por mais de uma vez atuando em times diferentes.


artilheiros campeões

Palhinha (entre dois argentinos): um dos artilheiros campeões com mais gols.

Dezessete jogadores terminaram como campeões e artilheiros enquanto que outros dezessete chegaram à final mas acabaram com o vice. Dentre os que levantaram a taça a curiosidade maior fica por conta de atacante Fernandão: falecido há quase dois anos, o ex-atacante do Internacional dividiu a artilharia da edição de 2006 com mais treze jogadores.
Segue a lista com os artilheiros campeões, e para os desavisados o Palhinha do Cruzeiro de 1976 não é o mesmo do São Paulo de 1992, sendo que esse curiosamente também venceu a Libertadores pelo time mineiro cinco anos mais tarde:

1960 Alberto Spencer-EQU Peñarol-URU (7 gols)
1962 Coutinho-BRA Santos (6 gols)
1964 Mario Rodriguez-ARG Independiente-ARG (6 gols)
1967 Norberto Raffo-ARG Racing-ARG (13 gols)
1971 Luis Artime-ARG Nacional-URU (10 gols)
1976 Palhinha-BRA Cruzeiro (13 gols)
1980 Victorino-URU Nacional-URU (6 gols)
1981 Zico-BRA Flamengo (11 gols)
1982 Fernando Morena-URU Peñarol-URU (7 gols)
1990 Samaniego-PAR Olímpia-PAR (7 gols)
1992 Palhinha-BRA São Paulo (7 gols)
1995 Jardel-BRA Grêmio (12 gols)
2003 Marcelo Delgado-ARG Boca Jrs-ARG (9 gols)
2006 Fernandão-BRA Internacional (5 gols)
2009 Mauro Boselli-ARG Estudiantes-ARG (8 gols)
2013 Jô-BRA Atlético Mineiro (7 gols)


mais gols em finais da mesma edição

Thiago Neves contra a LDU: o único a fazer um hat-trick numa final.

Apenas dois brasileiros atuando em clubes cariocas seguem com o recorde: Zico e Thiago Neves. O primeiro marcou quatro gols nas três partidas finais que seu Flamengo fez contra o Cobreloa-CHI em 1981 enquanto que Thiago Neves marcou o mesmo número de gols na decisão de 2008 quando perdeu para a LDU-EQU atuando pelo Fluminense. Apesar do vice, o jogador detém outro recorde, de ser o único da história da Libertadores a marcar três gols em um único jogo de final.


mais gols em uma mesma partida

Cabe ao argentino Juan Carlos Sanchéz o feito de ser o único a marcar seis gols numa partida de Libertadores: foi em 1985 quando o seu Blooming-BOL goleou o Deportivo Itália (hoje Deportivo Petare) da Venezuela por 8 a 0, edição essa que Sanchéz acabaria artilheiro inclusive. Dentre os brasileiros o recorde pertence a Fernando Baiano, que marcou cinco gols na vitória do Corinthians sobre o Cerro Porteño-PAR em 1999.





Nenhum comentário:

Postar um comentário