Páginas

domingo, 17 de abril de 2016

Especial Libertadores 05: Curiosidades dos jogadores

No último especial sobre os jogadores que fizeram história em Libertadores iremos abordar algumas curiosidades:


jogador com mais edições

O jogador que mais vezes esteve em Libertadores foi o ex-goleiro paraguaio Ever Hugo Almeida, também recordista em número de jogos. Almeida disputou dezesseis edições entre 1973 e 1990, despedindo-se da Libertadores após o bicampeonato frente ao Barcelona-EQU. Não há um número preciso de presenças dos jogadores que atuaram em Libertadores pois algumas fontes de pesquisas não incluem edições em que os mesmos não entraram em campo mesmo estando inscrito, como por exemplo Rogério Ceni, que foi reserva em 1993 mas que em muitos lugares constam a primeira participação somente em 2004.


jogador campeão por três times diferentes

Vitor comemora seu gol na primeira das três finais que conquistou.
Dos 36 jogadores que conquistaram a Libertadores por times diferentes, apenas um venceu por três: trata-se de Vítor, ex-lateral campeão por São Paulo, Cruzeiro e Vasco. Três ex-jogadores estiveram perto de igualar seu recorde: o uruguaio Luis Cubilla, campeão por Peñarol e Nacional e vice com o River Plate; Mauro Saralegui (também uruguaio) que após vencer por Peñarol e River foi vice com o Barcelona e por fim o argentino Rolando Schiavi, campeão por Boca e Estudiantes e vice pelo Grêmio. Dos quatro, apenas Saralegui não jogou as finais por três times diferentes, já que não estava em campo na decisão vencida pelo River em 1986.


jogador com finais seguidas por clubes diferentes

Esse recorde pertence a apenas dois jogadores: o brasileiro Vítor e o uruguaio Sosa. Vítor foi finalista com o Cruzeiro em 1997 e com o Vasco no ano seguinte, vencendo as duas decisões. Já o atual goleiro do Rosário Central não teve a mesma sorte, pois foi derrotado em ambas as finais e por clubes brasileiros. Na primeira perdeu para o Santos defendendo o Peñarol em 2011 e um ano depois defendendo o Boca Jrs entraria ainda no decorrer da partida para substituir o titular Orion, que saíra lesionado e sofreria os dois gols que deram o título ao Corinthians.


finalistas por mais de uma vez que não conquistaram títulos

Antony de Ávila: cinco vezes vice por América-COL (foto) e Barcelona-EQU.
Ninguém foi mais azarado em decisões quanto Antony de Ávila: foram quatro finais e em todas o colombiano terminou derrotado. Foram três com o América-COL em 1985, 1986 e 1996 e uma pelo Barcelona-EQU em 1998. Foi ainda vice em 1987, mas não entrou em campo na partida decisiva.
Se serve de consolo, Antony não foi o único: o argentino Ermínio Onega esteve em campo nas derrotas do River Plate em 1966 e do Peñarol quatro anos mais tarde e o já citado goleiro uruguaio Sosa, vice por Peñarol e Boca.


campeões e /ou finalistas somente por clubes estrangeiros

O uruguaio Órteman enfrentando o Boca pelo Olímpia: campeão pelos dois.
Apenas um jogador conseguiu a proeza de disputar duas decisões por clubes de fora sendo de dois países diferentes, e vencendo as duas: trata-se do uruguaio Sergio Ortemán, finalista e campeão pelo Olímpia-PAR em 2002 e  Boca Jrs-ARG em 2007. Outros seis jogadores também venceram por clubes estrangeiros, mas antes faturam por times do próprio país. E teve ainda os paraguaios Arce e Rivarola, que venceram por dois clubes diferentes de um mesmo país, no caso os brasileiros Grêmio e Palmeiras.



Nenhum comentário:

Postar um comentário