Páginas

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Nacional-COL: Campeão com mais pontos e vitórias desde 2000

Ao conquistar a Copa Libertadores pela segunda vez, o Nacional-COL quebrou o recorde de pontos de um campeão nesse século. De 2000 pra cá o time que havia somado mais pontos em uma campanha vitoriosa havia sido o Boca Jrs-ARG em 2003 com 32 pontos. O time colombiano terminou essa edição com um ponto a mais, já que em catorze partidas venceu dez, empatou três e perdeu apenas uma.
Outro recorde do time colombiano diz respeito a vitórias: desde o próprio Boca em 2003 nenhum time havia vencido dez partidas de Libertadores. Outros quatro campeões bateram na trave ao levantarem a taça com nove vitórias (Boca em 2001, São Paulo em 2005, Estudiantes-ARG em 2009 e Atlético Mineiro em 2013).
Veja a seguir a campanha de todos os campeões da Libertadores desde 2000:


2000 Boca Jrs-ARG 25 pontos (7V, 4E, 3D)
2001 Boca Jrs-ARG 30 pontos (9V, 3E, 2D)
2002 Olímpia-PAR 27 pontos (8V, 3E, 2D)
2003 Boca Jrs-ARG 32 pontos (10V, 2E, 2D)
2004 Once Caldas-COL 25 pontos (6V, 7E, 1D)
2005 São Paulo 31 pontos (9V, 4E, 1D)
2006 Internacional 29 pontos (8V, 5E, 1D)
2007 Boca Jrs-ARG 26 pontos (8V, 2E, 4D)
2008 LDU-EQU 20 pontos (5V, 5E, 4D)
2009 Estudiantes-ARG 30 pontos (9V, 3E, 2D)
2010 Internacional 27 pontos (8V, 3E, 3D)
2011 Santos 27 pontos (7V, 6E, 1D)
2012 Corinthians 30 pontos (8V, 6E)
2013 Atlético Mineiro 29 pontos (9V, 2E, 3D)
2014 San Lorenzo-ARG 22 pontos (6V, 4E, 4D)
2015 River Plate-ARG 21 pontos (5V, 6E, 2D)
2016 Nacional-COL 33 pontos (10V, 3E, 1D)



quinta-feira, 28 de julho de 2016

Nacional-COL campeão da Copa Libertadores 2016




E a América volta a ser verde e branca! Pela segunda vez o Nacional-COL conquista a Copa Libertadores, o que o coloca no grupo dos clubes que venceram a competição por mais de uma vez. O título veio após uma vitória simples, 1 a 0 sobre o Independiente del Valle-EQU com gol marcado por Miguel Borja, eleito o melhor jogador da competição.
Essa que foi a melhor campanha de um campeão da Libertadores desde a adoção da fase de mata-matas após a fase de grupos em 1988: dez vitórias, três empates e uma derrota em catorze partidas. Marcou 25 gols e sofreu apenas seis, sendo que a defesa fora vazada pela primeira vez somente no jogo de volta das oitavas de final.
Com a conquista, o Nacional classificou-se para representar a América do Sul no Mundial de Clubes da FIFA em dezembro no Japão, tornando-se o primeiro time colombiano a participar do torneio. Além disso, garantiu vaga na decisão da Recopa Sul-Americana de 2017.
Parabéns ao Club Atlético Nacional, o grande campeão da Copa Libertadores 2016!


final

27/07 quarta-feira
Nacional-COL 1x0 Independiente del Valle-EQU




a campanha do campeão

Já no começo o Nacional dava mostras de que poderia ir longe. Na fase de grupos o time colombiano terminou com a melhor campanha no geral com cinco vitórias e um empate nos seis jogos que disputou e sem levar um gol sequer, igualando o feito do Boca Jrs-ARG em 1977. Nas oitavas teria de novo pela frente o Huracán-ARG, time que já havia enfrentado na fase de grupos. Com um empate sem gols fora e vitória por 4 a 2 em seus domínios, o time colombiano se garantia entre os oito melhores.
Nas quartas o adversário foi outro argentino, o Rosário Central-ARG. Talvez esse tenha sido o rival que mais deu trabalho, pois por muito pouco os colombianos não foram eliminados, já que perdeu o jogo de ida pela contagem mínima fora de casa, sendo essa a sua única derrota na competição. As coisas ficaram mais difíceis ainda quando os argentinos abriram o placar no comecinho da partida em Medellín, o que fez com que o Nacional precisasse marcar no mínimo três gols. Após empatar ainda na primeira etapa e virar no começo do segundo tempo, o gol salvador foi marcado no último lance da partida, colocando o time colombiano numa semifinal de Libertadores 21 anos depois.
O adversário na fase seguinte seria o São Paulo, que até então vinha de uma primeira fase ruim, mas que havia crescido nos mata-matas. Com duas vitórias, a classificação para a grande final veio até com certa tranquilidade. Na decisão o adversário seria o surpreendente Independiente del Valle, que havia eliminado nos mata-matas a dupla de arquirrivais argentinos River Plate (oitavas) e Boca Jrs (semifinais). Ao empatar fora de casa na ida em um jogo que poderia ter saído com a vitória, que escapou faltando poucos minutos para o fim do jogo, a confiança era grande para a partida de volta. Com o estádio Atanásio Girardot completamente lotado, o Nacional fez o simples: venceu pela contagem mínima e conquistou a Copa Libertadores 2016.


14 jogos - 10 vitórias, 3 empates e 1 derrota

Huracán-ARG (2x0 e 0x0)
Sporting Cristal-PER (3x0 e 1x0)
Peñarol-URU (2x0 e 4x0)
Huracán-ARG (0x0 e 4x2)
Rosário Central-ARG (0x1 e 3x1)
São Paulo (2x0 e 2x1)
Independiente del Valle-EQU (1x1 e 1x0)


os artilheiros

5 gols 
Miguel Borja

4 gols 
Orlando Berrío

3 gols 
Marlos Moreno
Alejandro Guerra
Jonathan Copete

2 gols 
Daniel Bocanegra
Víctor Ibarbo

1 gol 
Luiz Ruiz
Davinson sanchez
Macnelly Torres


Nas próximas postagens falaremos mais dessa edição da Copa Libertadores (números, curiosidades, estatísticas, escritas quebradas e mantidas etc).



quarta-feira, 27 de julho de 2016

Hoje sai o campeão da Copa Libertadores 2016




É hoje! Depois de seis meses de competição chega ao fim mais uma edição de Copa Libertadores com a finalíssima entre Nacional-COL x Independiente del Valle-EQU. De um lado os colombianos, campeões em 1989, vice em 1995 e um dos clubes mais vitoriosos dentro e fora de seu país; do outro, um time que está apenas em sua terceira participação de Libertadores e que jamais venceu um torneio nacional, e já de cara chega a uma final desse tamanho, feito que muito time tradicional da América do Sul ainda não alcançou.
Logo mais a América conhecerá mais um clube para o seleto grupo de bicampeões ou o 26° campeão continental. Será o terceiro título para a Colômbia ou serão igualados pelo Equador? Veremos logo mais...


final 

27/07 (hoje)
Nacional-COL x Independiente del Valle-EQU




terça-feira, 26 de julho de 2016

Empates no jogo de ida da final: O que houve na volta


Estudiantes-ARG em 2009: o último campeão a empatar em casa na ida.

Ao empatar com o Independiente del Valle-EQU fora de casa após estar vencendo até aos 43 minutos do segundo tempo, muitos já dão como vencida a Libertadores pelo Nacional-COL, afinal basta uma vitória simples diante de seus torcedores para que os colombianos conquistem o bicampeonato. Mas em se tratando de Libertadores tudo pode acontecer, inclusive deixar o título escapar na volta mesmo tendo empatado como visitante na ida, porém a história mostra-se a favor do time de Medellín...
Em dezoito decisões em que os visitantes conseguiram empatar a primeira partida fora, apenas cinco não terminaram com o mandante do jogo da volta campeão: 1967, 1973, 1982, 2000 e 2009. Nas duas primeiras houve a realização do terceiro jogo, já que no segundo ocorreu novo empate. Em 1982 e em 2009 os visitantes conseguiram vencer após empatarem a ida em casa enquanto que na edição de 2000 o campeão foi conhecido nos pênaltis após dois empates.
Veja a seguir a lista com as dezoito decisões de Libertadores em que houve empate no jogo de ida e em vermelho as finais em que o clube mandante deixou escapar o título em casa:


1964 Nacional-URU 0x0 Independiente-ARG
      Independiente-ARG 1x0 Nacional-URU

1967 Racing-ARG 0x0 Nacional-URU
      Nacional-URU 0x0 Racing-ARG
      Nacional-URU 1x2 Racing-ARG

1972 Universitário-PER 0x0 Independiente-ARG
      Independiente-ARG 2x1 Universitário-PER

1973 Independiente-ARG 1x1 Colo Colo-CHI
      Colo Colo-CHI 0x0 Independiente-ARG
      Colo Colo-CHI 1x2 Independiente-ARG

1978 Deportivo Cali-COL 0x0 Boca Jr-ARG
      Boca Jr-ARG 4x0 Deportivo Cali-COL

1980 Internacional 0x0 Nacional-URU
      Nacional-URU 1x0 Internacional

1982 Peñarol-URU 0x0 Cobreloa-CHI
      Cobreloa-CHI 0X1 Peñarol-URU

1983 Peñarol-URU 1x1 Grêmio
      Grêmio 2x1 Peñarol-URU

1991 Olímpia-PAR 0x0 Colo Colo-CHI
      Colo Colo-CHI 3x0 Olímpia-PAR

1997 Sporting Cristal-PER 0x0 Cruzeiro
      Cruzeiro 1x0 Sporting Cristal-PER

2000 Boca Jr-ARG 2x2 Palmeiras
      Palmeiras 0x0 Boca Jr-ARG (2x4 nos pênaltis)

2004 Boca Jr-ARG 0x0 Once Caldas-COL
      Once Caldas-COL 1x1 Boca Jr-ARG (2x0 nos pênaltis)

2005 Atlético PR 1x1 São Paulo
      São Paulo 4x0 Atlético PR

2009 Estudiantes-ARG 0x0 Cruzeiro
      Cruzeiro 1x2 Estudiantes-ARG

2011 Peñarol-URU 0x0 Santos
      Santos 2x1 Peñarol-URU

2012 Boca Jr-ARG 1x1 Corinthians
      Corinthians 2x0 Boca Jr-ARG

2014 Nacional-PAR 1x1 San Lorenzo-ARG
      San Lorenzo-ARG 1x0 Nacional-PAR

2015 Tigres-MEX 0x0 River Plate-ARG
      River Plate-ARG 3x0 Tigres-MEX


domingo, 24 de julho de 2016

Especial Campeonato Mexicano 2016 (Torneo Apertura)



No nosso especial sobre os campeonatos nacionais abriremos uma exceção hoje ao falarmos do Campeonato Mexicano. Apesar de não ser um país sul-americano, o México vêm participando dos campeonatos organizados pela Conmebol, tanto a nível de seleção quanto de clube.
A edição desse ano que começou no domingo passado será a de número 96 de uma competição iniciada em 1943-1944, e desde 1996-1997 passou a ter dois torneios por temporada: o Torneo Invierno, no segundo semestre de um ano e o Torneo Verano, realizado no primeiro semestre do ano seguinte. De 2002 em diante passou a se chamar respectivamente Apertura e Clausura.
Participam dezoito times que se enfrentam em turno único, onde os oito primeiros colocados avançam para as quartas de final no cruzamento olímpico (1° x 8°, 2° x 7° e assim por diante). Os vencedores fazem as semifinais e os dois vitoriosos dessa fase decidem o título do Apertura 2016, tudo no sistema ida e volta.


participantes da edição 2016 (divididos por entidade federativa)

Distrito Federal América, Cruz Azul e Pumas UNAM (Cidade do México)
Jalisco Atlas e Chivas Guadalajara (Guadalajara)
Nuevo León Monterrey e Tigres (Monterrey)
Aguascalientes Necaxa (Aguascalientes)
Baja Califórnia Tijuana (Tijuana)
Coahuila Santos Laguna (Torreón)
Estado de México Toluca (Toluca de Lerdo)
Guanajuato León (León)
Hidalgo Pachuca (Pachuca)
Michoacán Morelia (Morelia)
Puebla Puebla (Puebla de Zaragoza)
Querétaro Querétaro (Santiago de Querétaro)
Veracruz Veracruz (Veracruz)

atual campeão Pachuca (Clausura 2016)

subiu da Liga de Ascenso 2015-2016 para a Primera División 2016-2017 
Necaxa (Aguascalientes)

caiu da Primera División 2015-2016 para a Liga de Ascenso 2016-2017
Dorados de Sinaloa (Culiacán)


histórico do Campeonato Mexicano

A primeira edição do Campeonato Mexicano foi realizada em 1943 com término na temporada seguinte, como no calendário europeu. O sistema adotado foi o de pontos corridos, isto é, quem somasse mais pontos era aclamado campeão. Um jogo-desempate era realizado quando dois times terminassem com o mesmo número de pontos, como ocorreram nas edições de 1943-1944, 1948-1949 e 1955-1956. A partir da temporada 1970-1971 a competição deixou de ser no sistema de pontos corridos e passou a ter uma fase final (chamada de Liguilla) com vários formatos (grupos, mata-matas, etc) até que se chegasse aos finalistas que decidiam o título. Tivemos três torneios curtos antes da adoção do formato (comum nos países latino-americanos) na temporada 1996-1997: Prode 1985 e México 1986, que fizeram parte da temporada 1985-1986 e México 1970, este último em homenagem a Copa do Mundo realizada no mesmo ano.


temporada completa (1944-1996)

Antes do desmembramento em dois torneios por temporada a partir de 1997 o grande campeão foi o Chivas Guadalajara com nove títulos, seguido do América com oito. Além dos dois mais populares, outros dezoito times conquistaram ao menos uma edição do Campeonato Mexicano no período.

9 Chivas Guadalajara (1957, 1959, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1970 e 1987)
8 América (1966, 1971, 1976, 1984, 1985, 1985-P, 1988 e 1989)
7 Cruz Azul (1969, 1970-M, 1972, 1973, 1974, 1979 e 1980)
5 León (1948, 1949, 1952, 1956 e 1992)
3 Toluca (1967, 1968 e 1975)
  Pumas UNAM (1977, 1981 e 1991)
2 Veracruz (1946 e 1950)
  Zacatepec (1955 e 1958)
  Tigres (1978 e 1982)
  Puebla (1983 e 1990)
  Atlante (1947 e 1993)
  Necaxa (1995 e 1996)
1 Asturias (1944)
  España (1945)
  Atlas (1951)
  Tampico (1953)
  Marte (1954)
  Oro (1963)
  Monterrey (1986-M)
  Universidad Guadalajara (1994)


torneios curtos (1997-2016)

A partir de 1997 com o desmembramento em dois torneios curtos por temporada, Toluca (sete) e Pachuca (seis) passaram a ser os maiores vitoriosos desde então. O atual Apertura chamava-se Invierno até 2001 e o Clausura era chamado de Verano de 1997 a 2002 com exceção de 2010, que recebeu o nome de Bicentenario. O único a vencer os dois torneios curtos na mesma temporada foi o León (Apertura 2013 e Clausura 2014) enquanto que no mesmo ano mas em temporadas diferentes tivemos somente o Pumas em 2004.

7 Toluca (1998-V, 1999-V, 2000-V, 2002-A, 2005-A, 2008-A e 2010-B)
6 Pachuca (1999-I, 2001-I, 2003-A, 2006-C, 2007-C e 2016-C)
5 Santos Laguna (1996-I, 2001-V, 2008-C, 2012-C e 2015-C)
4 Pumas UNAM (2004-C, 2004-A, 2009-C e 2011-C)
  América (2002-V, 2005-C, 2013-C e 2014-A)
3 Monterrey (2003-C, 2009-A e 2010-A)
2 Chivas Guadalajara (1997-V e 2006-A)
  León (2013-A e 2014-C)
  Tigres (2011-A e 2015-A)
1 Cruz Azul (1997-I)
  Necaxa (1998-I)
  Morelia (2000-I)
  Atlante (2007-A)
  Tijuana (2012-A)


todos os campeões mexicanos (1944-2016)

Os dois times mais populares do país lideram a lista entre os 25 campeões mexicanos. Em se tratando de períodos, o León foi vitorioso entre os anos 40 e 50; o Chivas foi o time a ser batido no fim dos anos 50 até a metade dos anos 60; o Cruz Azul dominou os anos 70 e o América os 80. Com o desmembramento em torneios curtos a supremacia passou a ser dividida entre Pachuca, Santos Laguna e Toluca, este último se juntando a América e Chivas como os únicos a ganharem o Campeonato Mexicano por dez vezes ou mais.

12 títulos
América (1966, 1971, 1976, 1984, 1985, 1985-P, 1988, 1989, 2002-V, 2005-C, 2013-C e 2014-A)

11 títulos 
Chivas (1957, 1959, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1970, 1987, 1997-V e 2006-A)

10 títulos 
Toluca (1967, 1968, 1975, 1998-V, 1999-V, 2000-V, 2002-A, 2005-A, 2008-A e 2010-B)

8 títulos 
Cruz Azul (1969, 1970-M, 1972, 1973, 1974, 1979, 1980 e 1997-I)

7 títulos 
Pumas  (1977, 1981 e 1991, 2004-C, 2004-A, 2009-C e 2011-C)
León (1948, 1949, 1952, 1956, 1992, 2013-A e 2014-C)

6 títulos 
Pachuca (1999-I, 2001-I, 2003-A, 2006-C, 2007-C e 2016-C)

5 títulos 
Santos Laguna (1996-I, 2001-V, 2008-C, 2012-C e 2015-C)

4 títulos 
Monterrey (1986-M, 2003-C, 2009-A e 2010-A)
Tigres  (1978, 1982, 2011-A e 2015-A)

3 títulos 
Atlante (1947, 1993 e 2007-A)
Necaxa (1995, 1996 e 1998-I)

2 títulos
Veracruz (1946 e 1950)
Zacatepec (1955 e 1958)
Puebla (1983 e 1990)

1 título 
Asturias (1944)
España (1945)
Atlas (1951)
Tampico (1953)
Marte (1954)
Oro (1963)
Universidad Guadalajara (1994)
Morelia (2000-I)
Tijuana (2012-A)


mais vezes entre os dois primeiros 

Os dois maiores vencedores empatam nesse quesito com vinte vezes cada. Cruz Azul, Toluca, Pumas, León e Santos Laguna são os únicos times a terminar nas duas primeiras colocações por no mínimo dez vezes.

20 Chivas Guadalajara
    América
18 Cruz Azul
16 Toluca
14 Pumas UNAM
12 León
10 Santos Laguna

campeões por entidade federativa

Como era de se esperar, os maiores campeões são do Distrito Federal, onde se situa a capital (Cidade do México). Logo a seguir vêm Jalisco (graças ao Chivas) e Estado do México. Nuevo León e Hidalgo completam o Top 5.

32 Distrito Federal (Cidade do México)
14 Jalisco
10 Estado do México
 8 Nuevo León
   Hidalgo
 7 Guanajuato


tabela histórica de pontos

Único time a romper a barreira dos três mil pontos, o América empata com o Chivas em número de jogos (2378 cada). Além disso é o time que mais venceu (1006), marcou gols (3833) e com o melhor saldo (758). O time de Guadalajara é segundo nos quesitos jogos, vitórias e gols marcados e o Cruz Azul (quarto na tabela) tem o segundo melhor saldo, com apenas um gol atrás do América. Por outro lado o Atlas foi o que mais perdeu, com 840 derrotas.

3027 América
2917 Chivas Guadalajara
2671 Toluca
2488 Cruz Azul
2487 Atlas
2431 Atlante
2323 Pumas UNAM
2278 Monterrey
2121 León
2002 Puebla


mais participações

Ao todo 56 times participaram de pelo menos uma edição do Campeonato Mexicano. Somente América e Chivas estiveram presentes em todas as edições. O Atlas ficou de fora de apenas três e o Atlante de seis. Além dos dois maiores clubes mexicanos, outros seis times jamais foram rebaixados (entre parênteses o ano de estreia): Toluca (1953), Pumas (1962), Cruz Azul (1964), Santos Laguna (1988), Chiapas (2002) e Tijuana (2011).

95 América
    Chivas
92 Atlas
89 Atlante
85 Toluca
80 Monterrey
76 Pumas
75 Puebla
74 Cruz Azul
71 León




sexta-feira, 22 de julho de 2016

Algumas curiosidades dos finalistas da Copa Libertadores 2016


Nacional-COL e Independiente del Valle-EQU já entraram para a história pela inusitada decisão entre si, embora ambos tivessem jogado o melhor futebol do torneio e merecidamente estão na final. Além de ser a primeira decisão de Libertadores entre clubes colombianos e equatorianos, é também a primeira entre países banhados pelo Oceano Pacífico. Essas e mais outras curiosidades envolvendo os dois times você vê agora:






  • O Nacional tornou-se o primeiro time a vencer na Argentina (2x0 Huracán), no Brasil (2x0 São Paulo) e no Uruguai (4x0 Peñarol) numa mesma edição. E o melhor, sem sofrer um único gol sequer.
  • Caso tivesse vencido o Independiente del Valle no Equador igualaria o feito do Boca Jrs-ARG em 2001, o único time a vencer em seis países diferentes.
  • Foi o segundo time na história da Libertadores a vencer como visitante por dois ou mais gols de diferença em uma semifinal, igualando o Estudiantes em 1969 (3 a 1 na Universidad Católica-CHI). 
  • A vitória sobre o São Paulo nas semifinais foi apenas a segunda do Nacional contra brasileiros em casa sendo que a primeira vitória havia sido uma partida antes, em 2014 diante do Atlético Mineiro válido pelas oitavas de final, que acabou eliminando o time brasileiro. Antes dos dois triunfos os colombianos haviam empatado quatro partidas (1x1 Vasco em 1975, 0x0 Internacional em 1993, 1x1 Grêmio em 1996 e 1x1 São Paulo em 2008) e perdido outras cinco (1x2 Cruzeiro em 1975, 0x1 Flamengo em 1993, 1x2 Palmeiras em 2006, 1x2 Fluminense em 2008 e 0x2 Grêmio em 2014). 
  • Primeiro colombiano a atingir nove vitórias numa mesma edição deixando pra trás América em 1996 e Santa Fé em 2013 (oito vitórias cada).
  • Foi a segunda vez que um colombiano vence um jogo de mata-mata no Brasil por dois gols de diferença. A primeira foi em 2011 quando o Once Caldas venceu o Cruzeiro por 2 a 0 em Minas. 
  • A última vez que o Nacional havia vencido os dois jogos de mata-mata de Libertadores antes de enfrentar o São Paulo foi em 1995 sobre o Peñarol-URU. Foi também a primeira vez que o São Paulo perde os dois jogos de mata-mata para um time estrangeiro.




  • Foi a segunda semifinal de Libertadores entre argentinos e equatorianos e novamente os times do Equador se classificaram. A outra vez foi em 1990 quando o Barcelona eliminou o River Plate.
  • Antes do Indepediente del Valle somente o Santos em 1963 é que havia vencido o Boca tanto na ida quanto na volta de uma fase de mata-mata.
  • O time equatoriano foi a terceira equipe a vencer Boca e River numa mesma edição de Libertadores, igualando-se a Bolívar-BOL em 1991 e Cruz Azul em 2001. Porém foi o primeiro a eliminar a dupla de qualquer competição internacional.
  • O del Valle é o primeiro equatoriano a vencer oito partidas de uma única edição de Libertadores, superando o El Nacional em 1985 que havia vencido sete.
  • O time do Equador marcou gols em todos os doze jogos que fez em casa na Libertadores somando todas as três participações (2014, 2015 e 2016).
  • Desde que a fase Pré-Libertadores passou a existir em 2005, o time equatoriano é o terceiro a chegar em uma decisão vindo dessa fase, como fizeram Estudiantes-ARG em 2009 e Olímpia-PAR em 2013.
  • É o terceiro finalista da história da Libertadores sem título nacional. Antes apenas o São Paulo em 1974 e o São Caetano em 2002 eram donos do feito.



quinta-feira, 21 de julho de 2016

Libertadores 2016: Empate no primeiro jogo da final



Assim como nos últimos anos, a primeira partida da final da Copa Libertadores terminou sem que houvesse vencedor: Independiente del Valle-EQU e Nacional-COL empataram por 1 a 1 em jogo realizado em Quito ontem à noite. No jogo da volta na próxima quarta-feira em Medellín novo empate leva a decisão para a prorrogação; se não houver vencedor teremos disputa de pênaltis. Quem vencer no tempo normal será o campeão da Copa Libertadores 2016!



final - jogo de ida

20/07 quarta-feira
Independiente del Valle-EQU 1x1 Nacional-COL


jogo de volta

27/07 quarta-feira
Nacional-COL x Independiente del Valle-EQU




quarta-feira, 20 de julho de 2016

Libertadores: Todos os 42 finalistas da história

Ao eliminar o Boca Jrs-ARG nas semifinais, o Independiente del Valle-EQU tornou-se o 42° time a estar em uma decisão de Copa Libertadores. E como não poderia deixar de ser o blog listou pra você todos os finalistas da competição e também quantos times por países tiveram esse privilégio de estar em uma final de Libertadores:


10 finais
Peñarol-URU (1960, 1961, 1962, 1965, 1966, 1970, 1982, 1983, 1987 e 2011)
Boca Jrs-ARG (1963, 1977, 1978, 1979, 2000, 2001, 2003, 2004, 2007 e 2012)

7 finais
Independiente-ARG (1964, 1965, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1984)
Olímpia-PAR (1960, 1979, 1989, 1990, 1991, 2002 e 2013)

6 finais
Nacional-URU (1964, 1967, 1969, 1971, 1980 e 1988)
São Paulo (1974, 1992, 1993, 1994, 2005 e 2006)

5 finais
Estudiantes-ARG (1968, 1969, 1970, 1971 e 2009)
River Plate-ARG (1966, 1976, 1986, 1996 e 2015)

4 finais
América-COL (1985, 1986, 1987 e 1996)
Palmeiras (1961, 1968, 1999 e 2000)
Grêmio (1983, 1984, 1995 e 2007)
Cruzeiro (1976, 1977, 1997 e 2009)
Santos (1962, 1963, 2003 e 2011)

3 finais
Internacional (1980, 2006 e 2010)
Nacional-COL (1989, 1995 e 2016)

2 finais
Cobreloa-CHI (1981 e 1982)
Colo Colo-CHI (1973 e 1991)
Newell's Old Boys-ARG (1988 e 1992)
Barcelona-EQU (1990 e 1998)
Deportivo Cali-COL (1978 e 1999)

1 final
Racing-ARG (1967)
Universitário-PER (1972)
Unión Española-CHI (1975)
Flamengo (1981)
Argentinos Jrs-ARG (1985)
Universidad Católica-CHI (1993)
Velez Sarsfield-ARG (1994)
Sporting Cristal-PER (1997)
Vasco (1998)
Cruz Azul-MEX (2001)
São Caetano (2002)
Once Caldas-COL (2004)
Atlético Paranaense (2005)
LDU-EQU (2008)
Fluminense (2008)
Chivas Guadalajara-MEX (2010)
Corinthians (2012)
Atlético Mineiro (2013)
San Lorenzo-ARG (2014)
Nacional-PAR (2014)
Tigres-MEX (2015)
Independiente del Valle-EQU (2016)


número de finalistas por país

13 Brasil (10 campeões e 3 vices)
 9 Argentina (8 campeões e 1 vice)
 4 Colômbia (2 campeões e 2 vices)
    Chile (1 campeão e 3 vices)
 3 México (3 vices)
 2 Uruguai (2 campeões)
    Paraguai (1 campeão e 1 vice)
    Equador (1 campeão e 1 vice)
    Peru (2 vices)


Dos países que disputam a Libertadores apenas clubes da Bolívia e Venezuela jamais decidiram o título, enquanto que o Independiente del Valle é o terceiro equatoriano, e caso conquiste a Libertadores fará com que seu país empate em número de clubes campeões com Colômbia e Uruguai.



domingo, 17 de julho de 2016

Especial Campeonato Paraguaio 2016 (Torneo Clausura)




No fim de semana passado começou mais um Campeonato Paraguaio, o Torneo Clausura 2016. Essa será a edição de número 115 da quarta melhor liga da América do Sul e a 10ª do mundo, segundo o ranking da IFFHS. Doze times se enfrentarão em turno e returno e o campeão será aquele que somar o maior número de pontos ao final das 22 rodadas. Os dois piores times na média dos três últimos campeonatos serão rebaixados para a División Intermediária, sgundo nível do futebol local.
O campeão do Clausura se juntará ao Libertad, vencedor do Apertura na fase de grupos da Copa Libertadores 2017.


participantes da edição 2016 (dividido por cidades)

Asunción Cerro Porteño, General Caballero, Guaraní, Libertad, Nacional, Olímpia, River Plate, Rubio Ñu e Sol de América

Luque Gerenal Díaz e Sportivo Luqueño

Capiatá Deportivo Capiatá


atual campeão Libertad (Apertura 2016)

subiram da División Intermediaria 2015 para a Primera División 2016
River Plate e General Caballero (Asunción)

caíram da Primera División 2015 para a División Intermediaria 2016
Deportivo Santaní (San Estanislao) e San Lorenzo (San Lorenzo)


histórico do Campeonato Paraguaio

O Campeonato Paraguaio foi disputado pela primeira vez em 1906, não sendo realizado nos anos de 1908, 1922 e entre 1932 a 1934. Após essa última paralisação chegou ao fim a Era Amadora e de 1935 em diante começou a Era Profissional. E por fim, desde 2008 dividiu-se em dois torneios independentes por ano: o Apertura no primeiro semestre e o Clausura no segundo.


Era Amadora (1906-1931)

O maior vencedor dessa época foi o Olímpia, com oito conquistas. Curiosamente, outras quatro equipes campeãs aparecem empatadas, e todas com quatro títulos: Cerro Porteño, Libertad, Guaraní e Nacional.

8 Olímpia (1912, 1914, 1916, 1925, 1927, 1928, 1929 e 1931)
4 Cerro Porteño (1913, 1915, 1918 e 1919)
   Guaraní (1906, 1907, 1921 e 1923)
   Nacional (1909, 1911, 1924 e 1926)
   Libertad (1910, 1917, 1920 e 1930)


Era Profissional - Temporada completa (1935-2007)

A partir da implantação do profissionalismo em 1935 os dois clubes mais populares do país - Olímpia e Cerro Porteño - passaram a dominar o cenário futebolístico paraguaio, emendando por várias vezes conquistas consecutivas. Libertad, Guaraní e principalmente Nacional viram seus títulos rarearem ao longo do tempo. Na Era Profissional também surgiram mais três novos campeões.

30 Olímpia (1936, 1937, 1938, 1947, 1948, 1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1962, 1965, 1968, 1971, 1975, 1978, 1979, 1980, 1981, 1982, 1983, 1985, 1988, 1989, 1993, 1995, 1997, 1998, 1999 e 2000)
23 Cerro Porteño (1935, 1939, 1940, 1941, 1944, 1950, 1954, 1961, 1963, 1966, 1970, 1972, 1973, 1974, 1977, 1987, 1990, 1992, 1994, 1996, 2001, 2004 e 2005)
 8 Libertad (1943, 1945, 1955, 1976, 2002, 2003, 2006 e 2007)
 5 Guaraní (1949, 1964, 1967, 1969 e 1984
 2 Nacional (1942 e 1946)
    Sportivo Luqueño (1951 e 1953)
    Sol de América (1986 e 1991)
 1 Presidente Rayes (1952)


Torneios Curtos (Apertura e Clausura desde 2008)

Outrora supercampeão, o Olímpia foi vitorioso em apenas duas oportunidades após o desmembramento em Apertura e Clausura, perdendo terreno principalmente para o Libertad. Guaraní e Nacional encerraram longos jejuns nessa fase.

7 Libertad (2008-A, 2008-C, 2010-C, 2012-C, 2014-A, 2014-C e 2016-A)
4 Cerro Porteño (2009-A, 2012-A, 2013-C e 2015-A)
3 Nacional (2009-C, 2011-A e 2013-A)
2 Olímpia (2011-C e 2015-C)
1 Guaraní (2010-A)


todos os campeões paraguaios (1906-2016)

Apenas oito times conquistaram o Campeonato Paraguaio ao longo de 114 edições. Com quarenta títulos, o Olímpia lidera a lista dos campeões com certa folga, embora tenha levantado a taça em apenas três oportunidades nesse século. Segundo no ranking, o Cerro Porteño poderia ter se aproximado mais do seu arquirrival, mas acabou tropeçando no Libertad, que deu um salto espetacular após conquistar onze títulos nos últimos dezesseis anos.


Localização dos cinco maiores campeões paraguaios na capital Asunción.

40 títulos
Olímpia (1912, 1914, 1916, 1925, 1927, 1928, 1929, 1931, 1936, 1937, 1938, 1947, 1948, 1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1962, 1965, 1968, 1971, 1975, 1978, 1979, 1980, 1981, 1982, 1983, 1985, 1988, 1989, 1993, 1995, 1997, 1998, 1999, 2000, 2011-C e 2015-C)

31 títulos
Cerro Porteño (1913, 1915, 1918, 1919, 1935, 1939, 1940, 1941, 1944, 1950, 1954, 1961, 1963, 1966, 1970, 1972, 1973, 1974, 1977, 1987, 1990, 1992, 1994, 1996, 2001, 2004, 2005, 2009-A, 2012-A, 2013-C e 2015-A)

19 títulos
Libertad (1910, 1917, 1920, 1930, 1943, 1945, 1955, 1976, 2002, 2003, 2006, 2007, 2008-A, 2008-C, 2010-C, 2012-C, 2014-A, 2014-C e 2016-A)

10 títulos
Guaraní (1906, 1907, 1921, 1923, 1949, 1964, 1967, 1969, 1984 e 2010-A)

9 títulos
Nacional (1909, 1911, 1924, 1926, 1942, 1946, 2009-C, 2011-A e 2013-A)

2 títulos
Sportivo Luqueño (1951 e 1953)
Sol de América (1986 e 1991)

1 título
Presidente Rayes (1952)


mais vezes entre os dois primeiros colocados

Graças ao vice do Apertura no primeiro semestre o Olímpia voltou a liderar isolado esse quesito, terminando nas duas primeiras colocações por 62 vezes (40 títulos e 22 vices), um a mais que o Cerro Porteño (31 títulos e 30 vices). Libertad, Guaraní e Nacional completam o Top 5. Mas o que mais chama a atenção é o fato do Sol de América aparecer entre os dois primeiros colocados em catorze oportunidades com apenas dois títulos e as outras doze delas como vice, sendo a última vez em 1991.

62 Olímpia
61 Cerro Porteño
39 Libertad
25 Guaraní
19 Nacional
14 Sol de América
 6 Sportivo Luqueño
 3 Atlântida
 1 Presidente Rayes
   12 de Octubre


participações

O Olímpia é o único time a participar de todas as edições do Campeonato Paraguaio seguido do Guaraní, que ficou de fora de apenas uma edição (1912). Além dos dois, Cerro Porteño (que estreou em 1913), Deportivo Capiatá e General Díaz (ambos estreantes na primeira divisão em 2013) jamais caíram para a segunda divisão nacional.

106 Olímpia
105 Guaraní
100 Cerro Porteño
 99 Libertad
 98 Nacional
    Sol de América
 82 Sportivo Luqueño



sábado, 16 de julho de 2016

Finalistas da Libertadores com 100% de aproveitamento nas semifinais

Finalistas da edição desse ano, Nacional-COL e Independiente del Valle-EQU venceram seus adversários nas semifinais tanto na ida quanto na volta, fato raríssimo e que só havia ocorrido em duas ocasiões: 1964 e 2003.
Na primeira vez, os finalistas Independiente-ARG e Nacional-URU despacharam respectivamente Santos e Colo Colo-CHI com duas vitórias nas semifinais. Quase quarenta anos depois, foi a vez de Boca Jrs-ARG e Santos eliminarem a dupla colombiana América e Independiente Medellín e decidirem pela segunda vez na história a Copa Libertadores.
Já em se tratando de apenas um dos finalistas, tivemos ao longo da história apenas nove times que se classificaram vencendo as duas partidas, sendo que o último a atingir tal feito foi o Estudiantes-ARG em 2009.
E o blog listou pra você todos os finalistas com 100% de aproveitamento em semifinais no estilo de mata-mata (ida e volta) jogado de 1960 a 1965, 1968 a 1970 e desde 1988, desconsiderando as semifinais decididas no jogo-desempate (terceira partida):


dois finalistas com 100% de aproveitamento nas semifinais

1964 Independiente-ARG x Santos (3x2 e 2x1)
       Nacional-URU x Colo Colo-CHI (4x2 e 4x2)
2003 Boca Jrs-ARG x América-COL (2x0 e 4x0)
       Santos x Independiente Medellín-COL (1x0 e 3x2)
2016 Nacional-COL x São Paulo (2x0 e 2x1)
       Independiente del Valle-EQU x Boca Jrs-ARG (2x1 e 3x2)


um dos finalistas com 100% de aproveitamento nas semifinais

1961 Peñarol-URU x Olímpia-PAR (3x1 e 2x1)
1963 Boca Jrs-ARG x Peñarol-URU (2x1 e 1x0)
1968 Palmeiras x Peñarol-URU (1x0 e 2x1)
1969 Estudiantes-ARG x Universidad Catolica-CHI (3x1 e 3x1)
1970 Estudiantes-ARG x River Plate-ARG (1x0 e 3x1)
1988 Newell's Old Boys-ARG x San Lorenzo-ARG (1x0 e 2x1)
2005 São Paulo x River Plate-ARG (2x0 e 3x2)
2006 São Paulo x Chivas Guadalajara-MEX (1x0 e 3x0)
2009 Estudiantes-ARG x Nacional-URU (1x0 e 2x1)




sexta-feira, 15 de julho de 2016

Final da Copa Libertadores 2016



Das 38 equipes que começaram a Copa Libertadores, apenas Nacional-COL e Independiente del Valle-EQU sobreviveram para disputar o título da edição 2016. O time colombiano luta pelo bicampeonato para por fim ao jejum de 27 anos e entrar no seleto grupo daqueles que conquistaram a Libertadores por mais uma vez enquanto que o time equatoriano tenta uma conquista inédita, tornando-se assim o 26° sul-americano campeão. Tanto Nacional quanto o Independiente del Valle venceram nas semifinais tanto na ida quanto na volta, fato esse que não ocorria desde 2003. Além disso, teremos pela primeira vez uma final entre clubes colombianos e equatorianos.
Hoje o blog posta pra você os resultados dos jogos de volta das semifinais, as partidas que decidirão o título da Copa Libertadores 2016 e o retrospecto dos países finalistas. Nos próximos dias falaremos mais da decisão:


semifinais - jogos de volta

13/07 quarta-feira
Nacional-COL 2x1 São Paulo

14/07 quinta-feira
Boca Jrs-ARG 2x3 Independiente del Valle-EQU


final - jogo de ida

20/07 quarta-feira
Independiente del Valle-EQU x Nacional-COL


jogo de volta

27/07 quarta-feira
Nacional-COL x Independiente del Valle-EQU


retrospecto dos finalistas

Essa será a quarta vez que o Nacional enfrenta um time do Equador em fase eliminatória. Até aqui o time de Medellín venceu apenas o primeiro confronto, sendo inclusive eliminado da última edição por um equatoriano (Emelec nas oitavas). Já seu rival Independiente del Valle enfrentará um time da Colômbia pela primeira vez, e justo em uma final.


Nacional x times equatorianos

no geral 12 jogos - 5 vitórias, 3 empates e 4 derrotas
em mata-matas 1 classificação e 2 eliminações

1991 LDU (2x2 e 2x0) oitavas
2006 LDU (0x4 e 0x1) oitavas
2015 Emelec (0x2 e 1x0) oitavas


Independiente del Valle x times colombianos
nunca enfrentou


mata-matas entre os países finalistas

Na história da Copa Libertadores, pouquíssimas foram as vezes em que times colombianos e equatorianos se cruzaram em mata-matas: apenas quatro vezes, e todas pelas oitavas de final com duas vitórias para cada lado.

mata-matas entre clubes colombianos e equatorianos 
2 vitórias dos colombianos
2 vitória dos equatorianos

1991 Nacional x LDU (2x2 e 2x0) oitavas
2004 Once Caldas x Barcelona (0x0, 1x1 e 4x2 pênaltis) oitavas
2006 LDU x Nacional (4x0 e 1x0) oitavas
2015 Emelec x Nacional (2x0 e 0x1) oitavas


segunda-feira, 11 de julho de 2016

Edições de Libertadores com três ex-campeões semifinalistas

Os três ex-campeões  com o "intruso" Independiente del Valle-EQU.

Ter ex-campeões entre os semifinalistas de uma Libertadores é mais do que comum. Excetuando a primeira edição onde todos os participantes eram inéditos e no período em que as semifinais eram disputadas em forma de grupos (1966 e 1967 e de 1971 a 1987), tivemos nenhum ex-campeão por apenas duas vezes. Onze edições contou com apenas um ex-campeão entre os semifinalistas. Já outras catorze oportunidades dois times que um dia levantaram a taça terminaram entre os quatro primeiros. E três ex-campeões, como a atual edição, quantas vezes tivemos na história? O blog responde pra você.
A primeira vez foi já na sexta edição em 1965, que contou com o Independiente-ARG, que defendia o título e Peñarol-URU e Santos, que haviam sido bicampeões até então. Com a volta dos mata-matas no fim dos anos 80, tivemos três ex-campeões de novo somente em 1990 com Nacional-COL, Olímpia-PAR e River Plate-ARG. Desde então, o feito repetiu-se mais seis vezes antes dessa edição, sendo a última em 2011 com Santos, Peñarol-URU e Velez Sarsfield-ARG entre os quatro primeiros colocados.
E você deve estar se perguntando: e semifinais com quatro ex-campeões, tivemos? Sim, apenas uma única vez, e foi em 2009. Numa das semifinais um encontro entre os tricampeões Estudiantes-ARG e Nacional-URU e na outra os bicampeões brasileiros Cruzeiro e Grêmio.
Veja a seguir as edições de Libertadores que contaram com três ex-campeões entre os semifinalistas:


semifinais de Libertadores com três ex-campeões

1965 Independiente-ARG, Peñarol-URU e Santos 
1990 Olímpia-PAR, Nacional-COL e River Plate-ARG
1991 Olímpia-PAR, Nacional-COL e Boca Jrs-ARG
1995 Grêmio, Nacional-COL e River Plate-ARG
1997 Cruzeiro, Colo Colo-CHI e Racing-ARG
2004 Boca Jrs-ARG, River Plate-ARG e São Paulo
2007 Boca Jrs-ARG, Grêmio e Santos
2011 Santos, Peñarol-URU e Vélez Sarsfield-ARG
2016 Nacional-COL, Boca Jrs-ARG e São Paulo



domingo, 10 de julho de 2016

Especial Campeonato Colombiano 2016 (Torneo Finalización)



Começou no final de semana passado mais um Campeonato Colombiano, o Torneo Finalización 2016. Serão vinte times que se enfrentarão em turno único mais uma rodada de clássicos, totalizando vinte jogos para cada clube. Ao final dessa fase inicial, os oito primeiros colocados avançam para as quartas de final com os vencedores se classificando para as semifinais e posteriormente com os times que avançarem decidindo o título.
O campeão do Finalización, juntamente com o campeão do Apertura (Independiente Medellín) e o time mais bem pontuado somando os dois torneios representarão o país na Copa Libertadores 2017.


participantes da edição 2016 (divididos por departamentos)

Antioquia Nacional e Independiente Medellín (Medellín), Envigado (Envigado) e Rionegro Águilas (Rionegro)

Bogotá Millonarios, Santa Fé, La Equidad e Fortaleza (Bogotá)

Boyacá Boyacá Chicó e Patriotas Boyacá (Tunja)

Santander Atletico Bucaramanga (Bucaramanga) e Alianza Petrolera (Barrancabermeja)

Valle del Cauca Deportivo Cali (Cali) e Cortuluá (Tuluá)

Atlántico Junior (Barranquilla)

Caldas Once Caldas (Mañizales)

Córdoba Jaguares (Montería)

Huila Atlético Huila (Neiva)

Nariño Deportivo Pasto (Pasto)

Tolima Tolima (Ibagué)

atual campeão
Independiente Medellín (Apertura 2016)

subiram da Primera B 2015 para a Primera A 2016
Atlético Bucaramanga (Bucaramanga) e Fortaleza (Bogotá)

caíram da Primera A 2015 para a Primera B 2016 
Cúcuta (Cúcuta) e Uniautónoma (Barranquilla)


histórico do Campeonato Colombiano

Terceira liga mais forte da América do Sul e a 11ª do planeta segundo o ranking de 2015 da IFFHS, o Campeonato Colombiano foi disputado pela primeira vez em 1948 e desde 2002 a temporada é dividida em dois torneios independentes: Apertura e Finalización, passando assim a ter dois campeões nacionais por ano. Excetuando-se a edição de 1989 que fora suspensa após o assassinato de um árbitro de futebol, já são 68 anos de competição, sendo 53 no sistema tradicional e os últimos 28 de dois torneios por temporada, totalizando 81 edições de Campeonato Colombiano.
O maior campeão do país é o Nacional, com quinze títulos. Millonarios com catorze e América com treze também são os únicos a vencerem por mais de dez vezes. Além dos dois maiores campeões, o Santa Fé completa o seleto grupo de times que jamais foram rebaixados, isto é, estiveram em todas as edições.


Temporada completa (1948-2001)

Antes da implantação dos torneios curtos em 2002 (Apertura e Finalización) o Campeonato Colombiano teve várias fórmulas para que se chegasse ao campeão: pontos corridos, mata-matas ou grupos finais após a fase inicial, campeão dos turnos decidindo o título etc. Nesse período o maior campeão foi o Millonarios, com treze conquistas.

13 Millonarios (1949, 1951, 1952, 1953, 1959, 1961, 1962, 1963, 1964, 1972, 1978, 1987 e 1988)
11 América (1979, 1982, 1983, 1984, 1985, 1986, 1990, 1992, 1997, 2000 e 2001)
 7 Nacional (1954, 1973, 1976, 1981, 1991, 1994 e 1999)
    Deportivo Cali (1965, 1967, 1969, 1970, 1974, 1996 e 1998)
 6 Santa Fé (1948, 1958, 1960, 1966, 1971 e 1975)
 4 Junior (1977, 1990, 1993 e 1995)
 2 Independiente Medellín (1955 e 1957)
 1 Once Caldas (1950)
   Deportes Quindío (1956)
   Unión Magdaleña (1968)


Torneios curtos (desde 2002)

De 2002 pra cá o campeonato passou a ser disputado em dois torneios independentes: o Apertura, jogado no primeiro semestre e o Finalización no segundo. Maiores campeões antes do desmembramento, Millonarios e América tiveram poucas conquistas desde então, com ambos sendo ultrapassados pelo Nacional. O time de Medellín dobrou o número de títulos, passando a ser o maior campeão colombiano. Outro time que se deu bem com a mudança foi seu rival Independiente Medellín, campeão em quatro oportunidades.

8 Nacional (2005-A, 2007-A, 2007-F, 2011-A, 2013-A, 2013-F, 2014-A e 2015-F)
4 Independiente Medellín (2002-F, 2004-A, 2009-F e 2016-A)
3 Once Caldas (2003-A, 2009-A e 2010-F)
   Junior (2004-F, 2010-A e 2011-F)
2 América (2002-A e 2008-F)
   Santa Fé (2012-A e 2014-F)
   Deportivo Cali (2005-F e 2015-A)
1 Tolima (2003-F)
   Deportivo Pasto (2006-A)
   Cúcuta (2006-F)
   Boyacá Chicó (2008-A)
   Millonarios (2012-F)
 
 
todos os campeões colombianos (1948-2016)

No total catorze clubes diferentes já faturaram o Campeonato Colombiano. Desses, oito conquistaram nas duas versões, isto é, antes e depois do desmembramento. O Millonarios foi o maior vitorioso das décadas de 50 e 60 enquanto que o América dominou os anos 80 e dividiu a hegemonia da década de 90 com Nacional e Junior. Após a criação dos torneios Apertura e Finalización no começo dos anos 2000, a dupla de Medellín (Independiente Medellín e Nacional) passaram a dominar o futebol colombiano nos últimos dezesseis anos, com o primeiro sendo líder de conquistas na primeira década do século e o segundo na atual.

Escudo dos maiores vencedores do Campeonato Colombiano.

15 títulos
Nacional (1954, 1973, 1976, 1981, 1991, 1994, 1999, 2005-A, 2007-A, 2007-F, 2011-A, 2013-A, 2013-F, 2014-A e 2015-F)

14 títulos
Millonarios (1949, 1951, 1952, 1953, 1959, 1961, 1962, 1963, 1964, 1972, 1978, 1987, 1988 e 2012-F)

13 títulos
América (1979, 1982, 1983, 1984, 1985, 1986, 1990, 1992, 1997, 2000, 2001, 2002-A e 2008-F)

9 títulos
Deportivo Cali (1965, 1967, 1969, 1970, 1974, 1996, 1998, 2005-F e 2015-A)

8 títulos
Santa Fé (1948, 1958, 1960, 1966, 1971, 1975, 2012-A e 2014-F)

7 títulos
Junior (1977, 1990, 1993, 1995, 2004-F, 2010-A e 2011-F)

6 títulos
Independiente Medellín (1955, 1957, 2002-F, 2004-A, 2009-F e 2016-A)

4 títulos
Once Caldas (1950, 2003-A, 2009-A e 2010-F)

1 título
Deportes Quindío (1956)
Unión Magdaleña (1968)
Tolima (2003-F)
Deportivo Pasto (2006-A)
Cúcuta (2006-F)
Boyacá Chicó (2008-A)


mais vezes entre os dois primeiros colocados

Nesse quesito a liderança também pertence ao Nacional, que além dos quinze títulos terminou vice em dez oportunidades. Millonarios, Deportivo Cali, América e Junior fecham o Top 5. No ranking dos vice-campeões aparece o Deportivo Cali, com treze. Se tivesse vencido pelo menos a metade das decisões que perdeu teria ultrapassado o Nacional em número de títulos.

25 Nacional
23 Millonarios
22 Deportivo Cali
20 América
16 Junior
15 Independiente Medellín
12 Santa Fé
 6 Once Caldas
    Tolima
 3 Deportes Quindio
   Deportivo Pasto
   La Equidad
 2 Cúcuta
   Boca Jrs de Cali
   Atlético Huila
 1 Unión Magdaleña
   Boyacá Chicó
   Atlético Bucaramanga
   Real Cartagena


títulos por departamento

Departamento na Colômbia é equivalente aos nossos Estados Brasileiros. Dois estão empatados na liderança: Valle del Cauca e Bogotá, ambos com 22 títulos. Um a menos está o departamento de Antioquia. Os três departamentos possuem cinco dos seis maiores vencedores do Campeonato Colombiano.

22 Valle del Cauca (13 América e 9 Deportivo Cali)
     Bogotá (14 Millonarios e 8 Santa Fé)
21 Antioquia (15 Nacional e 6 Independiente Medellín)
 7 Atlántico (7 Junior)
 4 Caldas (4 Once Caldas)
 1 Tolima (Tolima)
    Quindio (Deportes Quindio)
    Nariño (Deportivo Pasto)
    Norte de Santander (Cúcuta)
    Magdaleña (Unión Magdaleña)
    Boyacá (Boyacá Chicó)


classificação histórica

Um total de 37 times diferentes já participaram de pelo menos uma edição do Campeonato Colombiano. A liderança de pontos ganhos pertence ao Millonarios, único a romper a barreira dos cinco mil pontos. Deportivo Cali e Nacional provavelmente serão os próximos a atingir a marca.

5081 Millonarios
4948 Deportivo Cali
4929 Nacional
4516 América
4465 Santa Fé
4137 Independiente Medellín
3993 Junior
3545 Once Caldas
3312 Deportes Quindio
3303 Tolima


participações 

Apenas três clubes estiveram em todas as edições: Millonarios, Nacional e Santa Fé. Na segunda divisão nacional desde 2011 (Primera B) o América acabou ultrapassado recentemente por Tolima e Deportes Quindio.

83 Millonarios
   Nacional
   Santa Fé
81 Deportivo Cali
79 Independiente Medellín
75 Tolima
74 Deportes Quindio
73 América
70 Junior
68 Deportivo Pereira






sexta-feira, 8 de julho de 2016

Semifinais da Libertadores: Nacional-COL e Independiente del Valle-EQU saem na frente




E o Nacional-COL nem tomou conhecimento da mística do estádio do Morumbi - onde o São Paulo conquistou mais de 80% dos pontos - e venceu os donos da casa por 2 a 0, levando para Medellín uma enorme vantagem, podendo até perder por um gol que estará em sua terceira final de Libertadores.
Na outra partida semifinal o Boca Jrs-ARG saiu na frente mas permitiu a virada do surpreendente time do Independiente del Valle-EQU, resultado esse que pôs fim a invencibilidade de dez jogos do time argentino nessa edição. Com isso, o time equatoriano vai para Buenos Aires precisando de apenas um empate para chegar a uma inédita final; já o Boca somente a vitória interessa.


semifinais - jogos de ida

06/07 quarta-feira
São Paulo 0x2 Nacional-COL

07/07 quinta-feira
Independiente del Valle-EQU 2x1 Boca Jrs-ARG


jogos de volta

13/07 quarta-feira
Nacional-COL x São Paulo

14/07 quinta-feira
Boca Jrs-ARG x Independiente del Valle-EQU



terça-feira, 5 de julho de 2016

Super Raio-X das Semifinais da Copa Libertadores 2016



E a Copa Libertadores está de volta após a pausa devido a Copa América Centenário com as semifinais. De 38 times que começaram a competição, apenas São Paulo, Nacional-COL, Boca Jrs-ARG e Independiente del Valle-EQU continuam na briga pelo título.
E o blog, claro, traz pra você um pequeno resumo das semifinais da Copa Libertadores 2016:




semifinais - jogos de ida

06/07 quarta-feira
São Paulo x Nacional-COL

O time colombiano tem a melhor campanha até aqui, sendo que não sofreu um gol sequer na fase de grupos e vem com moral após eliminar dois argentinos (Huracán e Rosário Central) enquanto que o São Paulo, que começou mal com apenas dois pontos nas três primeiras rodadas, recuperou-se e vem jogando os mata-matas com o regulamento debaixo do braço: vence em casa na ida e perde fora na volta marcando gols.


07/07 quinta-feira
Independiente del Valle-EQU x Boca Jrs-ARG

Sempre favorito, os argentinos são os únicos invictos dessa edição com cinco vitórias e cinco empates até aqui e tem tudo pra conseguir o sétimo título e igualar-se ao Independiente-ARG como os maiores vencedores da Libertadores. Já seu adversário equatoriano chega em sua primeira semifinal após eliminar o atual campeão River Plate, arquirrival do Boca e o mexicano Pumas, que havia feito boa campanha na fase de grupos. Tanto Boca quando Independiente se classificaram através da disputa de pênaltis.


raio- x dos mata-matas 


Final desde 1960
Semifinais 1960 a 1965, 1968 a 1970 e desde 1988
Quartas de final 1960 a 1961 e desde 1988
Oitavas de final desde 1988

46 mata-matas 
Boca Jrs-ARG - 34 classificações e 12 eliminações

36 mata-matas
São Paulo – 26 classificações e 10 eliminações

25 mata-matas
Nacional-COL – 15 classificações e 10 eliminações

2 mata-matas
Independiente del Valle-EQU - 2 classificações


semifinalistas desde 1988

A fase de mata-matas após a fase de grupos começou na edição de 1988, e desde então o time argentino é o que mais vezes esteve entre os semifinalistas (oito) seguido de perto do São Paulo, com um a menos. Os colombianos estiveram em apenas quatro ocasiões e o Independiente del Valle faz sua estreia:

8 vezes 
Boca Jrs-ARG (6 classificações  e 2 eliminações)

7 vezes
São Paulo (5 classificações e 2 eliminações)

4 vezes
Nacional-COL (2 classificações e 2 eliminações)


retrospecto dos semifinalistas

Pela primeira vez o Boca enfrenta um time equatoriano em mata-mata sem ser o El Nacional, adversário em duas ocasiões e em ambas as vezes válido pelas oitavas enquanto que o time equatoriano volta a enfrentar um argentino nessa edição. No outro confronto o Nacional terá pela quinta vez um time brasileiro como adversário em mata-mata, sendo que classificou-se apenas no primeiro confronto. Pior é o São Paulo, que na única vez que encarou colombianos em fases eliminatórias acabou se dando mal: derrota para o Once Caldas em 2004, curiosamente numa semifinal e sendo essa a última eliminação para um time de fora do país.



(2°) Boca Jrs-ARG x Independiente del Valle-EQU (3°)


Boca x times equatorianos

No geral 16 jogos – 11 vitórias, 4 empates e 1 derrota
Em mata-mata 2 classificações

2000 El Nacional (0x0 e 5x3) oitavas
2002 El Nacional (0x0 e 2x0) oitavas


Independiente del Valle x times argentinos

No geral 6 jogos – 2 vitórias, 1 empate e 3 derrotas
Em mata-matas 1 classificação

2016 River Plate (2x0 e 0x1) oitavas


(1°) Nacional-COL x São Paulo (4°)

2008 Nacional 1x1 São Paulo / São Paulo 1x0 Nacional (1ª fase)

Nacional x times brasileiros

No geral 22 jogos – 4 vitórias, 6 empates e 12 derrotas
Em mata-mata 1 classificação e 3 eliminações

1990 Vasco (0x0 e 1x0) quartas
1995 Grêmio (1x3 e 1x1) final
2008 Fluminense (1x2 e 0x1) oitavas
2015 Atlético Mineiro (1x0 e 1x1) oitavas

São Paulo x times colombianos

No geral 12 jogos – 5 vitórias, 4 empates e 3 derrotas
Em mata-mata 1 eliminação

2004 Once Caldas (0x0 e 1x2) semifinais


mata-matas entre os países semifinalistas

Argentinos e equatorianos se enfrentaram por onze vezes em mata-matas de Libertadores e a vantagem é dos clubes da Argentina, porém na única semifinal entre os dois países deu Equador. Já os brasileiros estão em desvantagem em relação aos colombianos no geral, embora nas duas finais entre os dois países tenha dado Brasil (1995 e 1999):


mata-matas entre argentinos e equatorianos
7 vitórias dos argentinos
4 vitórias dos equatorianos

1990 Barcelona x River Plate (1x0, 0x1 e 3x4 pênaltis) semifinais
1992 San Lorenzo x Valdez (2x0 e 2x0) oitavas
1999 River Plate x LDU (1x0, 0x1 e 5x4 pênaltis) oitavas
2000 Boca Jrs x El Nacional (0x0 e 5x3) oitavas
2001 River Plate x Emelec (0x2 e 5x0) oitavas
2002 Boca Jrs x El Nacional (0x0 e 2x0) oitavas
2005 River Plate x LDU (1x2 e 4x2) oitavas
2008 LDU x Estudiantes (2x0 e 1x2) oitavas
      LDU x San Lorenzo (1x1, 1x1 e 5x3) quartas
2011 Velez Sarsfield x LDU (3x0 e 2x0) oitavas
2016 Indepediente del Valle x River Plate (2x0 e 0x1) oitavas


mata-matas entre colombianos e brasileiros
9 vitórias dos colombianos
8 vitórias dos brasileiros

1960 Palmeiras x Santa Fé (2x2 e 4x1) semifinais
1990 Nacional x Vasco (0x0 e 1x0) quartas
1995 Grêmio x Nacional (3x1 e 1x1) final
1996 América x Grêmio (0x1 e 3x1) semifinais
1999 Palmeiras x Deportivo Cali (0x1, 2x1 e 4x3 pênaltis) final
2003 Independiente Medellín x Grêmio (2x2 e 1x0) quartas
      Santos x Independiente Medellín (1x0 e 3x2) semifinais
2004 Deportivo Cali x Cruzeiro (1x0, 1x2 e 3x0 pênaltis) oitavas
      Once Caldas x Santos (1x1 e 1x0) quartas
      Once Caldas x São Paulo (0x0 e 2x1) semifinais
2008 Fluminense x Nacional (2x1 e 1x0) oitavas
      Santos x Cúcuta (2x0 e 2x0) oitavas
2011 Once Caldas x Cruzeiro (1x2 e 2x0) oitavas
      Santos x Once Caldas (1x0 e 1x1) quartas
2013 Santa Fé x Grêmio (1x2 e 1x0) oitavas
2014 Nacional x Atlético Mineiro (1x0 e 1x1) oitavas
2015 Internacional x Santa Fé (0x1 e 2x0) quartas