Páginas

domingo, 27 de novembro de 2016

Sul-Americanas em Mundiais Femininos: O tabu continua

Historicamente a América do Sul divide com a Europa o posto de principal força continental do planeta em se tratando de futebol, embora nos últimos anos os europeus vêm se sobressaindo em relação aos sul-americanos, como podemos ver nas três últimas Copas do Mundo e também no Mundial de Clubes da FIFA.
Mas há um porém: desde que o futebol feminino ganhou força a partir dos anos 90 com a criação dos campeonatos a nível mundial, as seleções sul-americanas jamais ganharam um edição sequer, seja na categoria principal ou nas de base. A única exceção fica por conta da última edição Mundial de Clubes Feminino disputada em 2014 onde as brasileiras do São José (São José dos Campos-SP) venceram a competição ao baterem na decisão as europeias do Arsenal Ladyes-ING. Mas em se tratando de seleções, o tabu continuou após a seleção brasileira ser eliminada na última quinta-feira pelo Japão nas quartas de final do Mundial Feminino Sub-20 da Papua Nova Guiné. No geral apenas seleções da Europa, Ásia (mais precisamente do Leste Asiático) e América do Norte (representado apenas pelos EUA) faturaram alguma edição de Mundial Feminino, seja da categoria principal ou de base, incluindo aí também os Jogos Olímpicos:


Copa do Mundo

ANO/SEDE
CAMPEÃ
MELHOR SUL-AMERICANA
1991 - China
Estados Unidos
Brasil (9° lugar – 1ª fase)
1995 - Suécia
Noruega
Brasil (9° lugar – 1ª fase)
1999 - EUA
Estados Unidos
Brasil (3° lugar - semifinais)
2003 - EUA
Alemanha
Brasil (5° lugar - quartas)
2007 - China
Alemanha
Brasil (vice-campeão)
2011 - Alemanha
Japão
Brasil (5° lugar – quartas)
2015 - Canadá
Estados Unidos
Brasil (9° lugar – oitavas)


Jogos Olímpicos

ANO/SEDE
CAMPEÃ (OURO)
MELHOR SUL-AMERICANA
1996 – Atlanta(EUA)
Estados Unidos
Brasil (4° lugar – semifinais)
2000 – Sidney (AUS)
Noruega
Brasil (4° lugar – semifinais)
2004 – Atenas (GRE)
Estados Unidos
Brasil (prata – final)
2008 – Pequim (CHN)
Estados Unidos
Brasil (prata – final)
2012 – Londres (ING)
Estados Unidos
Brasil (6° lugar – quartas)
2016 – Rio de Janeiro (BRA)
Alemanha
Brasil (4° lugar – semifinais)



Mundial Sub-20

ANO/SEDE
CAMPEÃ
MELHOR SUL-AMERICANA
2002 – Canadá
Estados Unidos
Brasil (4° lugar – semifinais)
2004 - Tailândia
Alemanha
Brasil (4° lugar – semifinais)
2006 - Rússia
Coréia do Norte
Brasil (3° lugar – semifinais)
2008 - Chile
Estados Unidos
Brasil (5° lugar – quartas)
2010 - Alemanha
Alemanha
Colômbia (4° lugar – semifinais)
2012 - Japão
Estados Unidos
Brasil (12° lugar – 1ª fase)
2014 - Canadá
Alemanha
Paraguai (10° lugar – 1ª fase)


Mundial Sub-17

ANO/SEDE
CAMPEÃ
MELHOR SUL-AMERICANA
2008 – Nova Zelândia
Coréia do Norte
Colômbia (13° lugar – 1ª fase)
2010 – Trinidad Tobago
Coréia do Sul
Brasil (8° lugar – quartas)
2012 - Azerbaijão
França
Brasil (8° lugar – quartas)
2014 – Costa Rica
Japão
Venezuela (4° lugar – semifinais)
2016 - Jordânia
Coréia do Norte
Venezuela (4° lugar – semifinais)



sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Chapecoense x Nacional-COL na final da Copa Sul-Americana

Pela primeira vez brasileiros e colombianos decidem o título de uma edição da Copa Sul-Americana, representados respectivamente por Chapecoense e Nacional. Somando-se a outras competições internacionais essa será a terceira final envolvendo clubes dos dois países, a primeira nesse século. A última foi em 1999 quando Palmeiras e Deportivo Cáli decidiram a Copa Libertadores daquele ano, curiosamente entre dois times alviverdes, como agora. Quatro anos antes a primeira final Brasil x Colômbia, com o Grêmio batendo o próprio Nacional quando ambos brigavam pelo bi da Libertadores.
Em se tratando apenas de Copa Sul-Americana, essa será a quarta final e a terceira seguida com a presença de um clube colombiano, após o vice do Nacional em 2014 e do título do Santa Fé ano passado. O clube de Medellín inclusive chega a sua terceira decisão (2002, 2014 e 2016), tornando-se o clube com mais finais da competição.
Se para a Chapecoense a final é inédita, o mesmo não se pode dizer a clubes brasileiros. Além dos títulos de Internacional em 2008 e São Paulo em 2012, tivemos também os vices de Fluminense (2009), Goiás (2010) e Ponte Preta (2013). Portanto, essa será a sexta final de Sul-Americana com clubes brasileiros.
Tanto Chapecoense quanto Nacional obtiveram vaga para a final da mesma forma, isto é, empatando por um gol fora e depois novo empate, mas sem gols em casa. E a primeira partida da finalíssima será já semana que vem dia 30 em Medellín, com a volta ficando para o dia 07 de dezembro em Curitiba-PR, pois o estádio em Chapecó não atende a capacidade mínima de 40 mil pessoas exigida em decisões das competições organizadas pela Conmebol.


semifinais - jogos de volta

23/11 quarta-feira
Chapecoense 0x0 San Lorenzo-ARG

24/11 quinta-feira
Nacional-COL 0x0 Cerro Porteño-PAR


final - jogo de ida

30/11 quarta-feira
Nacional-COL x Chapecoense


final - jogo de volta

07/12 quarta-feira
Chapecoense x Nacional-COL





quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Uma volta pelos campeonatos nacionais da América do Sul

Alguns campeonatos nacionais do nosso continente estão na reta final, e o blog preparou um resumo para que você fique por dentro do que anda acontecendo em cada país filiado à Conmebol:


Argentina (Primera División)
Liderança nas mãos do Estudiantes

Em um campeonato de trinta times, já tivemos um terço das rodadas e a liderança é do Estudiantes, 26 pontos e único invicto da competição. San Lorenzo e Newell’s Old Boys dividem a segundo colocação com 21 pontos. Ainda na zona de classificação para a Copa Libertadores de 2018 aparecem Boca (19) e Racing (18).


Bolívia (Torneo Apertura)
Título deve ficar em La Paz

Na Bolívia a temporada é dividida em dois torneios curtos (Apertura e Clausura). O líder do Apertura 2016 é o Bolívar com 32 pontos, três a mais que seu arquirrival The Strongest. Na terceira posição está o Oriente Petrolero, com 24 pontos e faltando oito rodadas para o fim dificilmente o título deixará de ir pra capital. Atual campeão, o Wilstermann é apenas o nono colocado entre doze participantes.


Brasil (Série A)
Palmeiras a um ponto do título

A torcida do Palmeiras conta os minutos para soltar o grito de campeão preso desde a última conquista há 22 anos, pois a diferença para o vice-líder Santos é de seis pontos (74 a 68). E faltando apenas duas rodadas para o término do campeonato o time verde e branco só deixa o título escapar se perder os dois jogos que restam e o Santos também vencer os dois, pois se ambos empatarem em pontos o ex-time de Neymar leva o caneco, pois terminaria com mais vitórias, primeiro critério de desempate.


Chile (Torneo Apertura)
Equilíbrio total

A diferença do líder Deportes Iquique para o quarto colocado O’Higgins é de apenas quatro pontos (24 a 20). Entre os dois aparecem a Universidad Católica com 22 e o Unión Española com 21. Faltando apenas três rodadas para o término do Apertura tudo pode acontecer, tanto algum time conquistar o título por antecipação como ficar tudo para a última rodada.


Colômbia (Torneo Finalización)
Inicio dos mata-matas

A primeira fase em que os vinte times se enfrentaram em turno único e os oito melhores avançaram a fase de mata-matas terminou nesse final de semana com o Nacional terminando na liderança geral (37 pontos), três a mais que o vice-líder Deportivo Cali. Agora os classificados se enfrentam em jogos de ida e volta com os vencedores avançando as semifinais. De um lado da chave teremos o tira-teima entre os times de Medellín e Bogotá com os confrontos entre Nacional x Millonarios e Santa Fé x Indepediente Medellín. Do outro lado o Deportivo Cali enfenta o Atlético Bucaramanga enquanto que Tolima x Patriotas completam as quartas de final.


Equador (Série A)
Título do Barcelona pode ser sobre o arquirrival

Campeão do primeiro turno e já classificado para a final, o Barcelona lidera também o segundo com sete pontos de vantagem para o segundo colocado e arquirrival Emelec, isso faltando apenas três rodadas para o fim. Como as duas equipes se enfrentam no próximo final de semana e somente ambos brigam pelo título do segundo turno (chamado no país de etapa) basta apenas um ponto para o Barcelona festejar seu 14° Campeonato Equatoriano, já que não há final caso um clube vença os dois turnos.


Paraguai (Torneo Clausura)
Somente Guarani e Olímpia na disputa

Faltando quatro rodadas para o término do Clausura 2016, a liderança pertence ao Guarani (42 pontos), cinco a mais que o segundo colocado Olímpia e treze do Libertad, clube que ocupa a terceira posição. Nesse caso somente os dois primeiros colocados estão na disputa do título. Somando os pontos do Clausura com o Apertura, que é o que determina as vagas para as competições continentais, o Cerro Porteño aparece apenas na quinta posição e sem chances matemáticas de participar da Libertadores do ano que vem.


Peru (Descentralizado)
Definidos os semifinalistas

Em sua centésima edição, o campeonato desse ano é disputado sob um regulamento pra lá de confuso: dois turnos (Apertura e Clausura), uma fase onde os dezesseis times são divididos em dois grupos de oito cada, chamada de Liguilla e ao final de tudo isso os  quatro melhores colocados somando a pontuação das três fases avançam as semifinais (1° x 4° e 2° x 3°) onde aí sim os vencedores decidem o título.
Faltando uma rodada para o fim da tal Liguilla os semifinalistas da edição de número cem do Campeonato Peruano já estão definidos: Sporting Cristal, Melgar, Universitário e Deportivo Municipal.


Uruguai (Transición)
Nacional x pequenos

A edição do Campeonato Uruguaio – Transición 2016 será curta e sendo realizado somente nesse semestre para ajustar a temporada do ano que vem, já que o calendário europeu será abolido, voltando então a ocupar o ano todo como era até 2005. Por isso o nome Transición, que será classificatório apenas para a Copa Sul-Americana do ano que vem, pois os representantes o país na próxima Libertadores foram definidos na temporada 2015-2016. E no Transición o Nacional divide a liderança com o Danúbio (25 pontos). Wanderers e Liverpool vêm juntos na terceira posição com três pontos atrás da dupla de líderes. Já o Peñarol amarga apenas o nono lugar e sem chance de título.


Venezuela (Primera División)
Zamora espera seu adversário na final

O Campeonato Venezuelano é decidido entre os campeões dos dois torneios curtos (Apertura e Clausura). Ambos são disputados no sistema todos contra todos em um único turno onde os oito primeiros avançam aos mata-matas dentro do próprio torneio curto até que se chegue ao campeão. Vencedor do Apertura, o Zamora já está na final do Campeonato Venezuelano e espera apenas o vencedor do Clausura para decidir o título, torneio esse que terá sua final na próxima semana entre Zulia e Deportivo Táchira.



terça-feira, 22 de novembro de 2016

Copa Sul-Americana: Jogos de volta das semifinais

Entre amanhã e quinta-feira serão jogadas as partidas de volta da Copa Sul-Americana 2016: Chapecoense x San Lorenzo-ARG e Nacional-COL x Cerro Porteño-PAR. Dos quatro, apenas argentinos e colombianos já estiveram em uma final de Sul-Americana, inclusive decidindo o título da primeira edição em 2002 com vitória do San Lorenzo. Já Chapecoense e Cerro lutam para estarem em suas primeiras finais internacionais. Em ambos os jogos de ida o resultado foi o mesmo (1x1). Com isso, basta um empate sem gols para Chapecoense e Nacional  decidirem o título; igualdade por dois ou mais gols favorecem os visitantes Cerro e San Lorenzo.
E se depender da escrita brasileiros e colombianos já podem comemorar, pois em toda a história da Copa Sul-Americana dez confrontos de semifinais terminaram empatados no jogo de ida. Desses, em apenas três o time que empatou em casa conseguiu avançar à final na volta: Boca Jrs-ARG em 2005, Arsenal-ARG em 2007 e Tigre-ARG em 2012, sendo que apenas o primeiro venceu no tempo normal. O Arsenal passou nos pênaltis e o Tigre ao marcar mais gols como visitante. Nas outras sete semifinais avançou quem empatou fora de seus domínios na ida.


semifinais - jogos de volta

23/11 quarta-feira
Chapecoense x San Lorenzo-ARG

24/11 quinta-feira
Nacional-COL x Cerro Porteño-PAR


Chapecoense - nos passos do São Caetano

Após longo período de ausência a Chapecoense retornou a divisão principal do Campeonato Brasileiro em 2014 e desde então o time catarinense passa longe do rebaixamento, ao contrário de alguns times chamado grandes do país. E o melhor, classificando-se para as duas últimas edições da Copa Sul-Americana e terminando sempre entre os oito melhores. Campanhas que lembram e muito a do São Caetano, clube sensação do futebol brasileiro no começo dos anos 2000 e que em apenas dois anos de primeira divisão chegou a final da Libertadores, além de enfrentar de igual pra igual as maiores forças do continente. Resta saber se o time do interior catarinense chegue a uma decisão como o time paulista.


San Lorenzo-ARG - quarta final em três anos

Campeão da Copa Libertadores em 2014, vice do Mundial de Clubes do mesmo ano e vice da Recopa em 2015, o time argentino tenta chegar a sua quarta final internacional em um período de três anos, como fez no início do século ao decidir a Mercosul de 2001, a Sul-Americana de 2002 e a Recopa um ano depois. A favor do San Lorenzo o tabu de que os argentinos jamais caíram em uma semifinal de Sul-Americana pra um time brasileiro.


Nacional-COL - um tabu a ser quebrado

Desde que a Copa Sul-Americana foi criada e passou a dividir o calendário internacional do continente com a Libertadores em 2002, jamais um time venceu as duas competições no mesmo ano. Quem chegou mais perto disso foi o Boca Jrs-ARG em 2004, quando ganhou a Sul-Americana meses depois de perder a decisão da Libertadores. Aliás, o time argentino é o único até hoje a ter chegado na final das duas competições no mesmo ano, escrita essa que o Nacional está muito próximo de alcançar, e quem sabe ser o primeiro a faturar Libertadores e Sul-Americana na mesma temporada.


Cerro Porteño-PAR - em busca da primeira final internacional

Apesar de toda a tradição no futebol sul-americano, o Cerro Porteño jamais chegou a uma final de competição internacional. Isso mesmo, o time paraguaio sempre caiu nas fases semifinais dos torneios que disputou. Foi assim em seis semifinais de Libertadores (1973, 1978, 1993, 1998, 1999 e 2011) e uma da Sul-Americana (2009). E em sua oitava tentativa o time mais popular do Paraguai e um dos maiores da América do Sul luta para enfim entrar no grupo dos que um dia estiveram em decisões de torneios organizados pela Conmebol.





segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Mundial Feminino Sub-20 2016: Brasil nas quartas; Venezuela eliminada



Terminou hoje pela manhã a primeira fase do Mundial Feminino Sub-20 que está sendo realizado na Papua Nova Guiné. Das duas representantes do continente apenas as brasileiras avançaram, e ainda graças ao saldo de gols enquanto que as venezuelanas voltam pra casa com três derrotas e nenhum ponto ganho.
Além do Brasil continuam na briga pelo título Coreia do Norte, que terminou líder do Grupo A, o mesmo das brasileiras; Japão e Espanha no Grupo B; Estados Unidos e França no C e por fim no Grupo D Alemanha e México.
Os confrontos das quartas de final ocorrem entre quinta e sexta-feira: o adversário do Brasil será o Japão, e quem vencer pega quem passar de Alemanha x França; do outro lado da chave duelam Coreia do Norte x Espanha e Estados Unidos x México.


jogos das sul-americanas

13/11 domingo 
Brasil 9x0 Papua Nova Guiné

14/11 segunda-feira 
Venezuela 1x3 Alemanha

16/11 quarta-feira
Brasil 2x4 Coreia do Norte

17/11 quinta-feira
Venezuela 0x3 Coreia do Sul

20/11 domingo
Brasil 1x1 Suécia

21/11 segunda-feira (hoje)
Venezuela 2x3 México


quartas de final - jogo das sul-americanas

24/11 quinta-feira
Brasil x Japão




domingo, 20 de novembro de 2016

Chapecoense x San Lorenzo: Pequenos brasileiros x grandes argentinos

O Boca de Tévez enfrentando o São Caetano no ABC paulista em 2004.
Na próxima quarta-feira teremos o confronto de volta das semifinais da Copa Sul Americana entre a Chapecoense, clube brasileiro que está em sua terceira temporada seguida na primeira divisão nacional e o San Lorenzo, campeão da Copa Libertadores há dois anos atrás e de enorme tradição em seu país. No jogo de ida empate por um gol em Buenos Aires, resultado que classifica o time brasileiro caso não tome gol em casa. Além desse confronto, ao longo das competições sul-americanas ocorreram outros entre pequenos brasileiros e grandes argentinos, como podem ver na lista abaixo:


1988 Libertadores - Guarani x San Lorenzo
o primeiro confronto pelas oitavas

Entre 1971 e 1987 a Libertadores foi disputada por duas fases de grupos antes da decisão. Mata-matas só houveram em algumas edições lá pelos anos 60, e resumidas a quartas de final e semifinais. E o primeiro confronto Brasil x Argentina na recém criada fase de oitavas de final foi entre Guarani e San Lorenzo. Na ida em Buenos Aires empate por um gol. Em Campinas, bastava uma vitória simples para os paulistas avançarem, mas os argentinos não se intimidaram e venceram pela contagem mínima, para tristeza dos bugrinos que desde então nunca mais se classificaram para a Libertadores.


2003 Libertadores - Paysandu x Boca Jrs
e o Papão deu um susto no Boca


Jornais do Pará destacam a façanha do Paysandu em plena Bombonera
Antes da participação do time paraense apenas Santos em 1963 e Cruzeiro em 1994 haviam derrotado o Boca em seu temível estádio. E não é que o Paysandu conseguiria alcançar tal feito? Candidato a saco de pancadas, o até hoje único representante da Região Norte do país em Libertadores terminou na liderança de seu grupo invicto e com quatro vitórias, incluindo um 6 a 2 diante do Cerro Porteño-PAR fora de casa. Nas oitavas o adversário seria o Boca e aí o clube entraria de vez para a história ao vencer em plena Bombonera por um a zero. Na volta porém, os argentinos fizeram prevalecer o peso da camisa e eliminaram os paraenses (4x2).
Autor do gol histórico, o atacante Iarley seria contratado pelo time de Buenos Aires e no final do mesmo ano seria campeão do último mundial conquistado por um clube da Argentina.


2004 Libertadores - São Caetano x Boca Jrs
se existisse o critério do gol fora...

Vice da Libertadores dois anos antes, o São Caetano era no início do século (acreditem!) um dos principais times brasileiros na competição. Chegando em mais uma quartas de final seu adversário seria o Boca, atual campeão continental e do mundo. E o clube do ABC paulista não se intimidou: empates nas duas partidas levaram a ver quem seria semifinalista através das penalidades. Aí deu Boca, que não perdia uma decisão por pênaltis há muito tempo. Implantado no ano seguinte, se o critério do gol fora de casa tivesse valendo em 2004 os brasileiros é que teriam avançado, pois empataram sem gols em casa e por um a um fora.


2006 Libertadores - Paulista x River Plate
a única vitória foi justamente sobre os argentinos

Ao conquistar de maneira surpreendente a Copa do Brasil de 2005 sendo até hoje o único campeão a bater somente adversários da primeira divisão desde as fases iniciais, o Paulista caiu em um grupo equilibrado onde tinha River Plate-ARG, Libertad-PAR e o El Nacional, do Equador. No final o time do interior de São Paulo terminou na lanterna de seu grupo com apenas uma vitória, e curiosamente sobre os argentinos (2x1) em casa. Se tivesse vencido outros dois jogos que empatou como mandante contra adversários menos tradicionais que o time argentino poderia ter seguido adiante.


2006 Libertadores - Goiás x Estudiantes
aqui o critério de gols fora prejudicou

Líder de seu grupo com apenas uma derrota, o Goiás já havia batido um argentino (3x0 diante do Newell's) antes de encarar o Estudiantes nas oitavas de final. Ausente havia 26 anos da Libertadores, o time de La Plata bateu os goianos por dois a zero, com os gols saindo apenas nos últimos dez minutos. Em Goiânia os donos da casa devolviam o placar até os 30 do segundo tempo, levando a vaga para ser decidida nos pênaltis quando um golzinho do Estudiantes obrigou o Goiás a marcar mais dois. Com o tempo curto o time goiano fez apenas um já nos acréscimos e acabou dando adeus a competição. Se dois anos antes o critério de gols fora de casa poderia ter ajudado o São Caetano, nesse caso se não existisse talvez o classificado poderia ter sido o time brasileiro.


2010 Copa Sul-Americana - Goiás x Independiente
o título escapou nos pênaltis

Goianos lamentam a derrota e a perda do título nos pênaltis.
O Goiás viveu situação no mínimo estranha em 2010: rebaixado à segunda divisão nacional e ao mesmo tempo finalista da Copa Sul-Americana. Depois de eliminar Peñarol-URU e Palmeiras na casa do adversário, a final seria diante do Independiente, ausente das decisões internacionais desde os anos 90. Mesmo diante de um gigante mundial, o time goiano não tomou conhecimento e venceu a ida por dois a zero. Na volta, derrota por três a um (todos os gols dos dois jogos marcados no primeiro tempo) levou a decisão para as penalidades, e após uma única cobrança errada (de Felipe para o Goiás) a taça ficaria mesmo em Avellaneda.


2013 Copa Sul-Americana - Ponte Preta x Velez Sarsfield
a primeira eliminação argentina

Apesar de algumas vitórias, em todos os casos acima nenhum clube brasileiro havia eliminado um argentino. A escrita porém, seria quebrada pela Ponte Preta em sua primeira aparição em torneios internacionais. Depois de empatar sem gols em casa, nem o mais fanático ponte-pretano poderia crer em vitória em Buenos Aires, e foi exatamente o que aconteceu: com gols de Elias e Fernando Bob o time brasileiro não só venceria como também garantiria vaga nas semifinais onde eliminaria outro grande continental, o São Paulo e cairia somente na final diante do Lanús.


2015 Copa Sul-Americana - Chapecoense x River Plate
o campeão da América quase cai em Chapecó

Campeão da Copa Sul-Americana do ano anterior, o River Plate entraria na edição de 2015 somente nas oitavas de final. Mas antes do início do torneio o time argentino havia faturado outras duas competições continentais: a Recopa em fevereiro e a Copa Libertadores em agosto, entrando na Sul-Americana como o grande favorito ao bicampeonato.
Nas quartas o adversário do time argentino seria a Chapecoense, que havia passado pelo Libertad-PAR nas oitavas. Em Buenos Aires vitória do River por 3 a 1, resultado que daria a vaga para as semifinais até mesmo em caso de derrota na volta, desde que por um gol de diferença. E no interior do Estado de Santa Catarina o quase improvável aconteceu: o time brasileiro venceu (2x1) o supercampeão River Plate, faltando um gol para a decisão por pênaltis.


2016 Copa Sul-Americana - Chapecoense x Independiente
Davi x Golias

Danilo goleiro da Chapecoense: quatro pênaltis defendidos...
De um lado um time que conquistou sete Libertadores, dois Mundiais, duas Supercopas, três Interamericanas, uma Recopa e dezesseis Campeonatos Argentinos, além da fama de ser um dos maiores clubes do mundo de todos os tempos. Do outro lado, um time que jamais foi campeão nacional de qualquer divisão brasileira e que conquistou apenas cinco campeonatos estaduais, um verdadeiro confronto entre Davi x Golias. Mas nas oitavas de final desse ano essa enorme diferença entre os dois não foi vista em campo: empate sem gols nas duas partidas e a decisão da vaga ficou na disputa de pênaltis onde venceu o time brasileiro com quatro defesas do goleiro Danilo, fazendo com que o pequeno Chapecoense entrasse para a história do futebol sul-americano!




quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Resultados da 12ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo 2018

Ontem tivemos a rodada de número doze das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo 2018. Após um início irregular, a seleção brasileira venceu os últimos seis jogos e saltou da sexta para a primeira posição e com oito pontos de vantagem para o quinto colocado, somente um desastre tira os brasileiros da Copa. Com a derrota para o Chile, os uruguaios mantiveram o segundo lugar, mas agora com quatro pontos de desvantagem em relação ao Brasil, e mesmo que vença o próximo confronto contra o líder ainda permanecerá na segunda posição.
A terceira colocação pertence ao Equador, que voltou a vencer após duas rodadas ao bater a Venezuela, que com a derrota retornou a lanterna graças também a vitória da Bolívia diante do Paraguai. Os paraguaios que ao vencerem a Argentina fora de casa perderam as duas últimas partidas, permanecendo assim na sétima colocação.
E por falar em Argentina, a seleção de Messi finalmente voltou a vencer após quatro jogos de jejum (dois empates e duas derrotas) e subiu para a quinta colocação, jogando a Colômbia (até então terceira colocada) para fora da zona de classificação.
A próxima rodada será apenas no ano quem no mês de março.


15/11 terça-feira
Bolívia 1x0 Paraguai 
Equador 3x0 Venezuela 
Chile 3x1 Uruguai 
Argentina 3x0 Colômbia 
Peru 2x0 Brasil 


classificação (em vermelho na Copa; em azul na repescagem)

Brasil 27, Uruguai 23, Equador e Chile 20, Argentina 19, Colômbia 18, Paraguai 15, Peru 14, Bolívia 7 e Venezuela 5




domingo, 13 de novembro de 2016

Mundial Feminino Sub-20 2016



Começou hoje na Papua Nova Guiné a oitava edição do Campeonato Mundial de Futebol Feminino Sub-20. O país da Oceania sediará o torneio com quatro sedes em apenas uma cidade, Port Moresby. Dezesseis seleções estarão na briga pelo título e apenas duas são do nosso continente: Brasil e Venezuela.
Apenas três seleções conquistaram uma das sete edições do Mundial Feminino Sub-20 desde que a competição passou a ser disputada: Estados Unidos e Alemanha com três conquistas cada e Coreia do Norte, que foi campeã uma vez. Desde 2008 porém apenas norte-americanas e alemãs vêm se revezando no posto mais alto do pódio. A Alemanha é a atual campeã ao bater na final da última edição a Nigéria repetindo a decisão de 2010.
Como fazemos em todas as competições de seleções de base tanto no masculino quanto no feminino realizadas fora da América do Sul, acompanharemos somente as partidas dos representantes sul-americanos, no caso de Brasil e Venezuela.



Grupo A Papua Nova Guiné, Brasil, Coreia do Norte e Suécia
Grupo B Japão, Espanha, Canadá e Nigéria
Grupo C Estados Unidos, França, Gana e Nova Zelândia
Grupo D Alemanha, Venezuela, México e Coreia do Sul


jogos das sul-americanas

13/11 domingo (hoje)
Brasil 9x0 Papua Nova Guiné

14/11 segunda-feira (amanhã)
Venezuela x Alemanha

16/11 quarta-feira
Brasil x Coreia do Norte

17/11 quinta-feira
Venezuela x Coreia do Sul

20/11 domingo
Brasil x Suécia

21/11 segunda-feira
Venezuela x México

as campeãs

3 Estados Unidos (2002, 2008 e 2012)
   Alemanha (2004, 2010 e 2014)
1 Coreia do Norte (2006)


O blog postará os resultados das seleções sul-americanas sempre ao final de cada fase conforme vão avançando. As postagens serão nos dias 22/11, 26/11, 30/11 e 04/12.



sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Resultados da 11ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa 2018

Brasil e Uruguai se distanciaram das outras seleções na classificação das Eliminatórias Sul-Americanas graças as vitórias que ambas obtiveram: os brasileiros diante dos arquirrivais argentinos e os uruguaios diante do Equador. Já pelas outras partidas, Colômbia x Chile terminaram empatados sem gols e mantiveram-se entre os cinco primeiros; o Peru surpreendeu e goleou o Paraguai fora de casa e de virada, entrando de vez na briga pois a diferença para o quarto colocado encurtou em três pontos. Já a Venezuela goleou a Bolívia por sonoros 5 a 0, conquistando a primeira vitória nas eliminatórias e de quebra deixando a lanterna para os bolivianos.
A 12ª rodada será toda ela jogada na próxima terça-feira dia 15 e depois as Eliminatórias retornam somente no ano que vem. Antes, veja quais os jogos da semana que vem, a classificação, o histórico desses mesmos confrontos em Eliminatórias e também uma novidade do blog, o placar do confronto no primeiro turno entre parênteses:


10/11 quinta-feira 
Colômbia 0x0 Chile
Uruguai 2x1 Equador
Paraguai 1x4 Peru
Venezuela 5x0 Bolívia
Brasil 3x0 Argentina


próxima rodada

15/11 terça-feira
Bolívia x Paraguai (1x2)
Equador x Venezuela (3x1)
Chile x Uruguai (0x3)
Argentina x Colômbia (1x0)
Peru x Brasil (0x3)


classificação (em vermelho na Copa; em azul na repescagem)

Brasil 24, Uruguai 23, Colômbia 18, Equador e Chile 17, Argentina 16, Paraguai 15, Peru 14, Venezuela 5 e Bolívia 4


retrospecto dos confrontos em Eliminatórias


Bolívia x Paraguai
17 jogos – 10 vitórias do Paraguai, 3 empates e 4 vitórias do Bolívia

Equador x Venezuela
13 jogos – 7 vitórias do Equador, 2 empates e 4 vitórias da Venezuela

Chile x Uruguai
15 jogos – 8 vitórias da Uruguai, 4 empates e 3 vitórias do Chile

Argentina x Colômbia
15 jogos – 9 vitórias da Argentina, 3 empates e 3 vitórias da Colômbia

Peru x Brasil

10 jogos – 6 vitórias do Brasil e 4 empates



quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo 2018

Amanhã dia 10/11 teremos a rodada de número onze (ou a segunda rodada do returno) das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018 a ser jogada na Rússia. Todos os cinco jogos serão nessa quinta-feira, com destaque para o grande clássico mundial entre Brasil x Argentina. Outro jogo que promete será Uruguai x Equador, confronto entre o segundo e terceiro colocados. Completam a rodada Colômbia x Chile (4° x 5° colocado), Paraguai x Peru e por fim Venezuela x Bolívia, encontro entre os dois últimos colocados.
E por falar em Bolívia, devido a escalação de um jogador em condição irregular a seleção acabou punida com a perda de quatro pontos obtidos nos duelos diante de Peru e Chile, onde os bolivianos haviam vencido o primeiro jogo e empatado o segundo. Com isso, a Conmebol declarou peruanos e chilenos vencedores pelo placar de 3 a 0, mexendo em toda a classificação geral das eliminatórias.
Segue abaixo as partidas da rodada, a classificação atualizada e o retrospecto dos confrontos da semana:


10/11 quinta-feira (amanhã)
Colômbia x Chile
Uruguai x Equador
Paraguai x Peru
Venezuela x Bolívia
Brasil x Argentina



classificação (em vermelho na Copa; em azul na repescagem)

Brasil 21, Uruguai 20, Equador e Colômbia 17, Chile e Argentina 16,  Paraguai 15, Peru 11, Bolívia 4 e Venezuela 2


retrospecto dos confrontos em Eliminatórias


Colômbia x Chile
13 jogos – 5 vitórias da Colômbia, 4 empates e 4 vitórias do Chile

Paraguai x Peru
13 jogos – 5 vitórias do Paraguai, 3 empates e 5 vitórias do Peru

Uruguai x Equador
19 jogos – 11 vitórias do Uruguai, 5 empates e 3 vitórias do Equador

Venezuela x Bolívia
17 jogos – 9 vitórias da Bolívia, 2 empates e 6 vitórias da Venezuela

Brasil x Argentina
7 jogos – 3 vitórias do Brasil, 2 empates e 2 vitórias da Argentina




segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Clubes brasileiros e argentinos em semifinais de competições internacionais


O confronto entre Chapecoense x San Lorenzo-ARG semana passada foi o de número vinte em semifinais de competições internacionais envolvendo clubes brasileiros e argentinos. Até aqui em dezenove encontros valendo vaga para a final os times da Argentina avançaram em onze oportunidades contra oito dos brasileiros. Times dos dos países se enfrentaram pela Libertadores, Sul-Americana e as extintas Supercopa, Copa Conmebol e Mercosul.
A primeira semifinal Brasil x Argentina foi na Copa Libertadores de 1964, fase essa que o Santos iniciou a competição por ser o campeão da edição anterior. Seu adversário foi o Independiente, que com duas vitórias avançou a final conquistando o primeiro de seus sete títulos de Libertadores.
Ainda pela principal competição sul-americana, clubes dos dos países voltaram a se enfrentar numa semifinal somente em 1998, dez anos depois da volta dos mata-matas, já que entre 1971 e 1987 a Libertadores era decidida entre os campeões dos dois triangulares (grupos de três times). Naquele ano deu Vasco sobre o River Plate, time argentino que perderia na mesma fase para o Palmeiras na edição seguinte.
Em 2001 deu Boca sobre o Palmeiras, empatando o confronto. Desde então só deu brasileiro seguindo adiante, com o São Paulo em 2005, Fluminense em 2008 e Atlético Mineiro em 2013. Dos sete times citados anteriormente, apenas o tricolor carioca não acabou campeão.
Pelas outras competições os brasileiros tem vantagem também na extinta Copa Mercosul com três classificações e apenas uma eliminação; já os argentinos se sobressaem na Copa Conmebol, com um triunfo no único confronto; na Supercopa onde avançaram em todas as cinco oportunidades e nas duas vezes em que decidiram vaga na final da Sul-Americana, sendo a último confronto há doze anos atrás:


semifinais internacionais envolvendo brasileiros e argentinos


Libertadores (Brasil 5x2 Argentina)

1964 Independiente x Santos (3x2 e 2x1)
1998 Vasco x River Plate (1x0 e 1x1)
1999 Palmeiras x River Plate (0x1 e 3x0)
2001 Boca Jrs x Palmeiras (2x2, 2x2 e 3x2 pênaltis)
2005 São Paulo x River Plate (2x0 e 3x2)
2008 Fluminense x Boca Jrs (2x2 e 3x1)
2013 Atlético Mineiro x Newell’s Old Boys (0x2, 2x0 e 3x2 pênaltis)


Sul-Americana (Argentina 2x0 Brasil)

2003 River Plate x São Paulo (3x1, 0x2 e 4x2 pênaltis)
2004 Boca Jrs x Internacional (4x2 e 0x0)


Mercosul (Brasil 3x1 Argentina)

1998 Cruzeiro x San Lorenzo (1x0 e 1x1)
1999 Palmeiras x San Lorenzo (0x1 e 3x0)
2000 Vasco x River Plate (4x1 e 1x0)
2001 San Lorenzo x Corinthians (1x2 e 4x1)


Conmebol (Argentina 1x0 Brasil)

1998 Rosário Central x Atlético Mineiro (1x1 e 1x0)


Supercopa (Argentina 5x0 Brasil)

1989 Boca Jrs x Grêmio (0x0 e 2x0)
1992 Racing x Flamengo (3x3 e 1x0)
1994 Independiente x Cruzeiro (0x1 e 4x0)
         Boca Jrs x São Paulo (2x0 e 0x1)
1996 Velez Sarsfield x Santos (1x0 e 2x0)





sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Copa Sul-Americana: Empate nos jogos de ida das semifinais

Nacional-COL e Chapecoense se deram bem nas jogos de ida das semifinais da Copa Sul-Americana: as duas equipes alviverdes empataram por um gol fora de casa contra respectivamente Cerro Porteño-PAR e San Lorenzo-ARG e com isso jogam por um empate sem gols para avançarem, isto é, basta a dupla não sofrer gol para decidirem o título da competição.
Devido a pausa para as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018 os jogos de volta das semifinais serão jogados somente no final do mês, mais precisamente entre os dias 23 e 24:


semifinais - jogos de ida 

01/11 terça-feira
Cerro Porteño-PAR 1x1 Nacional-COL

02/11 quarta-feira
San Lorenzo-ARG 1x1 Chapecoense


jogos de volta

23/11 quarta-feira
Chapecoense x San Lorenzo-ARG

24/11 quinta-feira
Nacional-COL x Cerro Porteño-PAR