Páginas

quinta-feira, 30 de março de 2017

Bolívia iguala recorde negativo em Eliminatórias

Ao perder para a Colômbia em Barranquilla ainda na semana passada a seleção boliviana igualou um recorde pra lá de negativo que pertencia a Luxemburgo: 53 partidas seguidas sem vitória alguma fora de casa em Eliminatórias.
O pequeno país europeu permaneceu sem vitória alguma fora de casa entre 1937 a 2005, obtendo apenas um empate e perdendo todas as outras 52 partidas, tendo o tabu se encerrado após vencer a Suíça por 2 a 1 em 2008, em confronto válido pelas eliminatórias da Copa da África do Sul que seria realizada dois anos depois.
Já o recorde boliviano inciou-se em 1993, quando perdeu em Recife por 6 a 0 para o Brasil, um jogo depois de ter atropelado a Venezuela por 7 a 1. Desde então são sete empates e 46 derrotas nas últimas 53 partidas que fez como visitante.
Ao longo da história não só a Bolívia mas outras seleções permaneceram sem vencer fora de casa por várias partidas como a Venezuela (33 jogos), Equador (30) e Peru (26), este último o segundo que há mais tempo não voltava pra casa com três pontos, tabu findado após bater o Paraguai ano passado.
Pensando no assunto o blog listou pra você o maior jejum de vitórias como visitante de cada uma das seleções sul-americanas por número de partidas:


Bolívia – 53 jogos (7 empates e 46 derrotas)
Desde 28/08/1993 (0x6 Brasil)

3 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1994
8 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1998
9 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2002
9 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2006
9 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2010
8 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2014
7 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2018


Venezuela – 33 jogos (33 derrotas)
16/05/1965 (0x1 Peru) a 03/06/2001 (0x5 Bolívia)

2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1966
3 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1970
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1978
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1982
3 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1986
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1990
4 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1994
8 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1998
7 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2002
*Não disputou as Eliminatórias para a Copa de 1974


Equador – 30 jogos (4 empates e 26 derrotas)
22/08/1965 (1x3 Chile) a 03/09/2000 (0x4 Uruguai)

2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1966
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1970
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1974
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1978
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1982
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1986
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1990
4 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1994
8 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1998
4 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2002


Peru – 26 jogos (2 empates e 24 derrotas)
09/10/2004 (0x1 Bolívia) a 11/10/2016 (1x2 Chile)

6 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2006
9 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2010
8 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2014
3 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2018
*Não foi computada a vitória sobre a Bolívia por WO ano passado.


Paraguai – 13 jogos (7 empates e 6 derrotas)
20/03/1977 (1x1 Brasil) a 24/04/1996 (0x1 Colômbia)

1 jogo válido pelas Eliminatórias para a Copa 1978
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1982
4 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1986
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1990
3 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1994
1 jogo válido pelas Eliminatórias para a Copa 1998


Chile – 12 jogos (4 empates e 8 derrotas)
03/09/1989 (0x1 Brasil) a 19/07/2000 (0x1 Bolívia)

1 jogo válido pelas Eliminatórias para a Copa 1990
8 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1998
3 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2002
*Não disputou as Eliminatórias de 1994 por estar suspenso pela FIFA


Uruguai – 12 jogos (7 empates e 5 derrotas)
07/11/2001 (1x1 Equador) a 21/11/2007 (1x2 Brasil)

1 jogo válido pelas Eliminatórias para a Copa 2002
9 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2006
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2010


Colômbia – 10 jogos (4 empates e 6 derrotas)
06/03/1977 (1x1 Paraguai) a 03/09/1989 (0x0 Equador)

2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1978
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1982
4 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1986
2 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 1990


Brasil – 7 jogos (4 empates e 3 derrotas)
17/11/2004 (0x1 Equador) a 15/06/2008 (0x2 Paraguai)

4 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2006
3 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2010


Argentina – 7 jogos (2 empates e 5 derrotas)
18/06/2008 (0x0 Brasil) a 09/09/2009 (0x1 Paraguai)

7 jogos válidos pelas Eliminatórias para a Copa 2010



quarta-feira, 29 de março de 2017

Resultados da 14ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo 2018


E o Brasil é a primeira seleção sul-americana (e também do mundo) a carimbar o passaporte para a Rússia! Depois de mais uma vitória - a oitava seguida - agora diante do Paraguai por 3 a 0 em casa os brasileiros vão para mais uma Copa do Mundo, continuando a escrita de estar presente em todas as edições. Com 33 pontos, a seleção brasileira abriu treze pontos para o sexto colocado Equador e faltando apenas quatro rodadas (ou doze pontos para disputar) não poderá ser mais ultrapassada.
Quem deu uma baita subida na tabela foi a Colômbia, que antes das duas rodadas estava na sexta colocação e agora assume a vice-liderança graças as duas vitórias seguidas sobre Bolívia e Equador, seleção essa que aliás perdeu os dois jogos, saindo da zona de classificação e agora tem no encalço Peru e Paraguai, ambos com dezoito pontos (dois a menos que os equatorianos).
Além de garantir vaga na próxima Copa os brasileiros ainda comemoraram os tropeços de seus maiores rivais Argentina e Uruguai: as duas seleções perderam respectivamente para Bolívia e Peru e perderam posições na tabela, com os argentinos agora em quinto e os uruguaios em terceiro, sua pior colocação desde a terceira rodada!
Confira abaixo os resultados da 14ª rodada e a classificação, lembrando que a próxima rodada será jogada somente em agosto:


28/03 terça-feira
Bolívia 2x0 Argentina 
Equador 0x2 Colômbia
Chile 3x1 Venezuela 
Brasil 3x0 Paraguai 
Peru 2x1 Uruguai


classificação
(em vermelho na Copa; em azul na zona de classificação; em verde na repescagem)

Brasil 33, Colômbia 24, Uruguai e Chile 23, Argentina 22, Equador 20, Peru e Paraguai 18, Bolívia 10 e Venezuela 6


sexta-feira, 24 de março de 2017

Resultados da 13ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo 2018


Ontem tivemos os jogos da 13ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018 com destaque para a goleada brasileira pra cima do Uruguai em pleno estádio Centenário em Montevidéu (4x1), vitória essa que praticamente pôs o Brasil na Copa já que abriu sete pontos para o segundo colocado e dez para o quinto. Mesmo com a revés em casa o Uruguai manteve o segundo lugar na classificação geral, podendo cair até para o quarto lugar em caso de nova derrota.
Quem subiu bem na tabela foi a Argentina, que além de vencer o Chile e ultrapassá-lo na tabela ainda foi beneficiado pela derrota do Equador para o Paraguai. Com isso, passou do quinto para a terceira colocação. Mesmo perdendo e caindo na tabela os equatorianos continuam entre os cinco primeiros, a frente de Chile e do próprio Paraguai.
A Colômbia voltou a entrar no G4 ao bater a Bolívia, que praticamente deu adeus à Copa ao lado da Venezuela, que empatou em casa com o Peru, este com chances mínimas de se classificar.
A próxima rodada será jogada toda na terça-feira dia 28 e antes você fica por dentro dos resultados (entre parenteses os resultados do primeiro turno), a classificação após treze rodadas e também os histórico dos confrontos em Eliminatórias da 14ª rodada:


jogos da 13ª rodada

23/03 quinta-feira
Colômbia 1x0 Bolívia 
Uruguai 1x4 Brasil 
Paraguai 2x1 Equador 
Argentina 1x0 Chile 
Venezuela 2x2 Peru

classificação (em vermelho na Copa; em azul na repescagem)

Brasil 30, Uruguai 23, Argentina 22, Colômbia 21, Equador e Chile 20, Paraguai 18, Peru 15, Bolívia 7 e Venezuela 6


próxima rodada

28/03 terça-feira
Bolívia x Argentina (0x2)
Equador x Colômbia (1x3)
Chile x Venezuela (4x1)
Brasil x Paraguai (2x2)
Peru x Uruguai (0x1)


retrospecto dos confrontos em eliminatórias

Bolívia x Argentina
19 jogos – 12 vitórias da Argentina, 4 vitórias da Bolívia e 3 empates

Equador x Colômbia
17 jogos – 7 vitórias da Colômbia, 4 vitórias do Equador e 6 empates

Chile x Venezuela
13 jogos – 10 vitórias do Chile, 2 empates e 1 vitória da Venezuela

Brasil x Paraguai
15 jogos – 9 vitórias do Brasil, 2 vitórias do Paraguai e 4 empates

Peru x Uruguai
17 jogos – 10 vitórias do Uruguai, 4 vitórias do Peru e 3 empates




quarta-feira, 22 de março de 2017

Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo 2018

Após quatro meses as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018 estão de volta com a 13ª rodada nessa quinta-feira, com destaque para o grande clássico da América do Sul entre Uruguai x Brasil em Montevidéu, nada mais nada menos que o confronto entre os dois primeiros colocados na classificação. Caso vença, a seleção brasileira praticamente carimba o passaporte para a Rússia pois abriria no mínimo sete pontos em relação ao segundo colocado e onze para o primeiro fora da zona de classificação.
Argentina x Chile é outro jogo que chama bastante a atenção, já que os finalistas das últimas duas edições de Copa América estão separados por apenas um ponto a favor dos chilenos (20 a 19), com os argentinos na zona de repescagem. Quem perder pode terminar a rodada até em sexto lugar.
Fora do grupo dos que iriam à Copa, Colômbia e Paraguai enfrentam em casa respectivamente Bolívia e Equador e em caso de derrota as chances de irem ao Mundial da Rússia ficarão reduzidas. Pior para os paraguaios, que mesmo se vencer não entra na zona de classificação e caso percam para os equatorianos podem serem ultrapassados pelo Peru, que joga sua última cartada de se classificar para uma Copa após quase quarenta anos de ausência diante da Venezuela.
Confira abaixo os jogos da rodada (entre parenteses os resultados do 1° turno), a classificação até aqui e o histórico em Eliminatórias dos confrontos da rodada:


jogos da 13ª rodada

23/03 quinta-feira
Colômbia x Bolívia (3x2)
Uruguai x Brasil (2x2)
Paraguai x Equador (2x2)
Argentina x Chile (2x1)
Venezuela x Peru (2x2)


classificação (em vermelho na Copa; em azul na repescagem)

Brasil 27, Uruguai 23, Equador e Chile 20, Argentina 19, Colômbia 18, Paraguai 15, Peru 14, Bolívia 7 e Venezuela 5


retrospecto dos confrontos em Eliminatórias


Uruguai x Brasil
9 jogos – 3 vitórias do Brasil, 1 vitória do Uruguai e 5 empates

Colômbia x Bolívia
11 jogos – 7 vitórias da Colômbia, 1 vitória da Bolívia e 3 empates

Argentina x Chile
13 jogos – 9 vitórias da Argentina, 1 vitória do Chile e 3 empates

Paraguai x Equador
15 jogos – 7 vitórias do Paraguai, 6 vitórias do Equador e 2 empates

Venezuela x Peru
15 jogos – 9 vitórias do Peru, 4 vitórias da Venezuela e 2 empates




terça-feira, 21 de março de 2017

Clubes argentinos: vigésima vitória no Brasil


Lanús-ARG 3x1 Chapecoense: a vigésima vitória argentina no Brasil.
Ao vencer a Chapecoense em Santa Catarina na última semana o Lanús não só venceu pela primeira vez atuando no Brasil como essa também foi a primeira vitória dos clubes argentinos por aqui após duas derrotas nas outras partidas, já que San Lorenzo e Estudiantes haviam perdido respectivamente para os cariocas Flamengo e Botafogo.
Essa foi também a vigésima vitória de clubes argentinos jogando no Brasil de um total de 96 jogos, já somando os três dessa edição. Dos outros 76 jogos os brasileiros venceram 58 e dezoito terminaram empatados. Seis dessas vitórias argentinas foram em partidas válidas pela primeira fase e as outras catorze em mata-matas, incluindo aí as finais de 2003, 2007 e 2009, vitórias que valeram títulos.
Dentre os argentinos quem mais venceu em solo brasileiro foi o Boca Jrs: sete vezes, duas delas voltando para Buenos Aires com a taça na bagagem. River Plate, com três vitórias e Indepediente e Argentinos Jrs com duas completam o grupo de times que venceram por mais de uma vez. Duas das três vitórias do River Plate foram sobre o mesmo adversário brasileiro, o Corinthians em 2003 e 2006.
Já Grêmio, Cruzeiro e Vasco são os brasileiros que mais vezes foram derrotados por argentinos em casa (três), com o time carioca inclusive perdendo duas na mesma edição. Depois vêm Santos, Fluminense e Corinthians com duas derrotas cada. Dos clubes brasileiros que disputam a Libertadores com certa frequência São Paulo, Palmeiras, Internacional e Flamengo jamais perderam para os argentinos como mandante.
Em duas edições os argentinos derrotaram os brasileiros por três vezes (1985 e 2003), anos em que respectivamente Argentinos Jrs e Boca Jrs venceram por mais de uma vez. Por outro lado, os argentinos voltaram pra casa sem uma vitória sequer durante a década de 90 inteira, mais precisamente entre as edições de 1989 e 2000, sendo que nesse período foram nove derrotas e três empates nos doze jogos de times argentinos no Brasil.


vitória dos argentinos no Brasil

1964 Independiente 3x2 Santos (semifinais)
1978 Boca Jrs 2x1 Atlético Mineiro (semifinais)
1984 Independiente 1x0 Grêmio (final)
1985 Argentinos Jrs 1x0 Fluminense (1ª fase)
     Argentinos Jrs 2x1 Vasco da Gama (1ª fase)
     Ferro Carril Oeste 2x0 Vasco da Gama (1ª fase)
1988 San Lorenzo 1x0 Guarani (oitavas)
2001 Boca Jrs 1x0 Vasco da Gama (quartas)
2003 Boca Jrs 4x2 Paysandu (oitavas)
      River Plate 2x1 Corinthians (oitavas)
      Boca Jrs 3x1 Santos (final)
2006 River Plate 3x1 Corinthians (oitavas)
2007 Boca Jrs 2x0 Grêmio (final)
2008 Boca Jrs 2x1 Cruzeiro (oitavas)
2009 Estudiantes 2x1 Cruzeiro (final)
2012 Boca Jrs 2x0 Fluminense (1ª fase)
2014 Velez Sarsfield 3x1 Atlético Paranaense (1ª fase)
2015 River Plate 3x0 Cruzeiro (quartas)
2016 Rosário Central 1x0 Grêmio (oitavas)
2017 Lanús 3x1 Chapecoense (1ª fase)






segunda-feira, 20 de março de 2017

Brasil campeão Sul-Americano Sub-17 2017


Ao golear a seleção chilena por 5 a 0 ontem a noite em Rancagua, o Brasil conquistou mais um Campeonato Sul-Americano Sub-17, o 12° em dezessete edições disputadas. E o título veio de forma invicta, com sete vitórias e dois empates nos nove jogos que realizou no torneio. Dois fatos curiosos chamaram a atenção dessa edição: os dois empates do Brasil foram diante do mesmo adversário, o Paraguai, sendo uma na fase de grupos e outro na fase final e a maior goleada do torneio foi justamente no último jogo, no confronto que decidia o título, numa espécie de final.
Além dos brasileiros campeões, carimbaram o passaporte para o Mundial Sub-17 a ser realizado em outubro na Índia os anfitriões e vices chilenos, o Paraguai e a Colômbia, esta última garantindo vaga somente na rodada final.
Veja a seguir os resultados das duas últimas rodadas da fase final, a classificação final e todos os campeões:


Os brasileiros festejando o 12° título Sul-Americano Sub-17.

16/03 quinta-feira
Paraguai 3x1 Venezuela
Brasil 3x0 Colômbia
Chile 1x0 Equador

19/03 domingo
Equador 2x4 Venezuela
Colômbia 2x1 Paraguai
Chile 0x5 Brasil


classificação final (em vermelho os classificados para o Mundial)

Brasil 13, Chile 9, Paraguai 8, Colômbia 7, Venezuela 4 e Equador 1


os campeões

12 títulos
Brasil (1988, 1991, 1995, 1997, 1999, 2001, 20005, 2007, 2009, 2011, 2015 e 2017)

3 títulos
Argentina (1985, 2003 e 2013)

1 título
Bolívia (1986)
Colômbia (1993)



sexta-feira, 17 de março de 2017

Libertadores 2017: Resultados de 14 a 16 de março


Doze partidas foram realizadas entre terça e quinta pela fase de grupos da Copa Libertadores 2017, algumas ainda válidas pela primeira rodada de dois dos oito grupos da competição. Tivemos Botafogo, Palmeiras e Santos vencendo em casa enquanto que o Atlético Paranaense como visitante; a boa estreia do campeão de 2015 River Plate-ARG na Colômbia; a surpreendente derrota do detentor do título, o Atlético Nacional-COL para o Barcelona-EQU; o Flamengo perdendo no Chile; a Chapecoense sendo derrotada em casa e a zebra da semana, a derrota do Nacional-URU em Montevidéu para o Zulia-VEN. Aliás, no Grupo 7 curiosamente até aqui somente vitória dos visitantes.
Segue abaixo os resultados dos jogos da semana e um pequeno resumo de cada partida, só lembrando que a Copa Libertadores sofrerá uma pausa devidos as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa 2018, retornando somente em abril:





14/03 terça-feira
Barcelona-EQU 2x1 Atlético Nacional-COL
Botafogo 2x1 Estudiantes-ARG
Melgar-PER 1x0 Emelec-EQU

15/03 quarta-feira
Independiente Medellín-COL 1x3 River Plate-ARG
Universidad Catolica-CHI 1x0 Flamengo
San Lorenzo-ARG 0x1 Atlético Paranaense
Palmeiras 1x0 Jorge Wilstermann-BOL
Nacional-URU 0x1 Zulia-VEN

16/03 quinta-feira
Santa Fé-COL 3x0 Sporting Cristal-PER
Santos 2x0 The Strongest-BOL
Peñarol-URU 2x1 Atlético Tucumán-ARG
Chapecoense 1x3 Lanús-ARG



·        Antes dessa partida, os outros dois confrontos entre Barcelona x Atlético Nacional (realizados em 2015) haviam terminado com vitória do visitante.
·        Se por um lado o Botafogo venceu a segunda contra adversários argentinos em casa, por outro o Estudiantes perdeu a oitava em nove jogos atuando no Brasil. A única vitória foi em 2009 quando conquistou seu quarto título de Libertadores.
·        Ao vencer o Emelec em casa o Melgar continua com a escrita de não empatar em jogos de Libertadores: agora são seis vitórias e sete derrotas, sendo que havia perdido as seis últimas partidas. Já o time equatoriano não jogava no Peru pela competição desde 2001.
·        Essa foi a vitória de número 46 do River Plate como visitante, quatro a menos que seu arquirrival Boca Jrs enquanto que o Independiente Medellín sofreu a quarta derrota em cinco jogos diante de times argentinos em casa.
·        Pela primeira vez o Atlético Paranaense vence na Argentina e o San Lorenzo perde a segunda em casa para brasileiros.
·        O Palmeiras continua 100% diante de times bolivianos em casa: são seis vitórias e apenas um gol sofrido e o Jorge Wilstermann não vence uma partida de Libertadores fora de casa desde 1986, quando venceu o Universitário no Peru. De lá pra cá são dezoito jogos sem vitória (treze derrotas seguidas).
·        Se o Nacional acumula seis jogos seguidos sem perder como visitante, o mesmo não se pode dizer como mandante: ao perder para o Zulia o clube uruguaio completou quatro jogos sem vitória atuando em casa.
·        Terceiro confronto entre Santa Fé x Sporting Cristal e assim como nas outras duas partidas anteriores, essa também terminou com vitória do time colombiano.
·        Ao vencer o The Strongest em casa o Santos completou 32 jogos sem perder como mandante para clubes estrangeiros sendo que a última derrota foi na final de 2003 para o Boca Jrs-ARG. E o Strongest perdeu a 14ª partida em quinze atuando no Barsil.
·        Foi a vitória de número vinte de 68 jogos que o Peñarol fez diante de clubes argentinos em Libertadores.
·        A vitória do Lanús sobre a Chapecoense foi a primeira do time argentino jogando no Brasil, já que havia sido derrotado nas duas vezes que atuou por aqui.




quarta-feira, 15 de março de 2017

Quando um estreou enfrentando o outro em Libertadores

Semana passada tivemos um confronto entre dois clubes estreantes em Libertadores que terminou com a vitória da Chapecoense sobre o Zulia por 2 a 1 na Venezuela em partida válida pelo Grupo 7 da competição. Antes do confronto da semana passada o último havia sido há três anos com o Deportes Iquique-CHI e León-MEX estreando um contra o outro.
A primeira vez, logicamente, foi na edição inaugural da competição em 1960 com três confrontos, repetindo mais tarde nas duas edições seguintes. Dez dos vinte confrontos entre estrantes ocorreram somente nos anos 60, época em que várias equipes ainda debutavam na competição. Depois foram se tornando raro tanto que tivemos os outros dez nos últimos 47 anos. Isso deve-se ao fato de que entre a metade da década de 60 e o fim dos anos 90 havia a obrigatoriedade de clubes do mesmo país caírem no mesmo grupo, e assim diminuindo as chances de estreantes se enfrentarem.
Além disso, nem sempre estreantes caíram no mesmo grupo, e quando isso ocorria nem sempre um estreava enfrentando o outro, como o que aconteceu em 2001: um grupo reuniu três estrantes e não houve nenhum confronto inaugural entre os três: tanto Olmedo-EQU quanto Cruz Azul-MEX estrearam diante do Defensor-URU e o brasileiro São Caetano fez sua estreia na segunda partida do time mexicano.
Já entre clubes do Brasil apenas uma vez houve confronto de estreantes: foi em 1972 quando Atlético Mineiro e São Paulo empataram por 2 a 2 em Belo Horizonte.
Veja a seguir a lista com os vinte confrontos onde os dois times estrearam se enfrentando entre si:


1960 Peñarol-URU 7x1 Jorge Wilstermann-BOL
     San Lorenzo-ARG 3x0 Bahia
     Universidad de Chile-CHI 0x6 Millonarios-COL
1961 Santa Fé-COL 3x0 Barcelona-EQU
     Independiente-ARG 0x2 Palmeiras
1962 Deportivo Municipal-BOL 2x1 Cerro Porteño-PAR
     Nacional-URU 3x2 Sporting Cristal-PER
1965 Deportivo Quito-EQU 0x1 The Strongest-BOL
     Deportivo Galicia-VEN 1x2 Guaraní-PAR
1967 Bolívar-BOL 1x0 31 de Octubre-BOL
1970 América de Quito-EQU 1x1 Defensor Arica-CHI
1972 Atlético Mineiro 2x2 São Paulo
1982 Melgar-PER 2x1 Deportivo Municipal-PER
1990 Mineros de Guayana-VEN 1x0 Pepeganga-VEN
1993 Minervén-VEN 1x0 Caracas-VEN
1998 Chivas Guadalajara-MEX 0x1 América-MEX
2002 Ceinciano-PER 3x0 12 de Octubre-PAR
2004 Santos Laguna-MEX 2x2 Universidad Concepción-CHI
2013 León-MEX 1x1 Deporties Iquique-CHI
2016 Zulia-VEN 1x2 Chapecoense



terça-feira, 14 de março de 2017

Resultados da fase final do Sul-Americano Sub-17


Foram jogadas três das cinco rodadas do Campeonato Sul-Americano Sub-17 e nenhuma seleção até agora se classificou para o Mundial da Índia. A liderança pertence ao Brasil com sete pontos, seguido do Chile com seis. Paraguai com cinco e Colômbia com quatro completam o grupo dos que estariam no Mundial se o torneio terminasse hoje. Ainda com chances matemáticas, Equador e Venezuela dividem a lanterna com apenas um ponto cada.
Só um desastre tiraria uma das vagas do Brasil, que teria que perder as duas partidas e ainda ocorrer uma combinação quase que impossível de resultados. Ao contrário, tanto a vaga quanto o título podem vir já na próxima rodada caso vença a Colômbia e Chile e Paraguai percam.
Confira os resultados das três primeiras rodadas da fase final, a classificação e os próximos jogos:


fase final (Rancagua - Estádio El Teniente)

07/03 terça-feira
Colômbia 2x1 Equador
Brasil 2x2 Paraguai
Chile 1x0 Venezuela

10/03 sexta-feira
Paraguai 2x2 Equador
Brasil 4x0 Venezuela
Chile 1x0 Colômbia

13/03 segunda-feira
Colômbia 0x0 Venezuela
Brasil 3x0 Equador
Chile 0x2 Paraguai


classificação (em vermelho na zona de classificação)

Brasil 7, Chile 6, Paraguai 5, Colômbia 4, Equador e Venezuela 1


próximos jogos

16/03 quinta-feira
Paraguai x Venezuela
Brasil x Colômbia
Chile x Equador

19/03 domingo
Equador x Venezuela
Colômbia x Paraguai
Chile x Brasil




domingo, 12 de março de 2017

Jorge Wilstermann-BOL e os outros 38 times com cem jogos em Libertadores

Quis o destino que o centésimo jogo do Jorge Wilstermann-BOL em Libertadores fosse diante do mesmo adversário do seu primeiro jogo, coincidentemente também o primeiro da história da competição, o Peñarol-URU. Mas diferente daquela partida inaugural da Libertadores em abril de 1960 em que o time uruguaio goleou por 7 a 1 em Montevidéu, essa pra surpresa de todos terminou com goleada a favor do Wilstermann por incríveis 6 a 2 em Cochabamba, na Bolívia. Com isso, o time boliviano tornou-se o 39° clube sul-americano (e o quarto do país) a atingir a marca de cem jogos em Libertadores, feito alcançado pela última vez em 2015 com o Corinthians, na partida em que venceu o Danúbio-URU por 4 a 0.
O primeiro a chegar a centenária marca foi o próprio Peñarol em 1971 no clássico uruguaio diante do Nacional e que para infelicidade dos aurinegros terminou com vitória do arquirrival. Dois anos mais tarde foi a vez do mesmo Nacional completar cem jogos, em derrota para o Botafogo.
Somente nos anos 80 é que outros clubes igualariam o feito da dupla uruguaia, como o Olímpia-PAR e River Plate-ARG (1982), Universitário-PER (1983) e Independiente-ARG (1984). Mais tarde, outros dez clubes alcançariam cem jogos nos anos 90 e de 2000 pra cá mais 23 clubes, totalizando 39 com o Wilstermann na terça-feira.
Dentre os brasileiros o primeiro a chegar a marca foi o Palmeiras em 2001 (3x0 Sport Boys-PER), seguido do São Paulo (2006) e Grêmio (2007). A grande maioria dos clubes completaram cem jogos ainda na primeira fase, já alguns em momentos especiais como o Santos, na finalíssima de 2011 diante do Peñarol (de novo eles); o Indepediente-ARG, na primeira partida da final de 1984 sobre o Grêmio que lhe rendeu o sétimo e último título e o Barcelona-EQU em um jogo de quartas de final sobre seu maior adversário, o Emelec-EQU em 1990.
Confira abaixo a lista com todos os times que completaram cem jogos em Libertadores (em azul), a data da partida junto com a edição, os próximos clubes a entrarem para a lista e algumas curiosidades:


centésimo jogo em Libertadores 

30/03/1971 Peñarol-URU 0x2 Nacional-URU (1ª fase)
17/03/1973 Nacional-URU 1x2 Botafogo (1ª fase)
04/04/1982 Olímpia-PAR 1x1 Sol de América-PAR (1ª fase)
14/09/1982 River Plate-ARG 3x0 Jorge Wilstermann-BOL (1ª fase)
24/04/1983 Universitario-PER 0x2 América-COL (1ª fase)
27/07/1984 Independiente-ARG 1x0 Grêmio (final)
30/03/1990 Cerro Porteño-PAR 3x1 Grêmio (1ª fase)
11/05/1990 Colo Colo-CHI 2x0 Sporting Cristal-PER (1ª fase)
29/08/1990 Barcelona-EQU 1x0 Emelec-EQU (quartas)
05/04/1991 Boca Jrs-ARG 0x0 Oriente Petrolero-BOL (1ª fase)
17/03/1992 América-COL 1x0 Sporting Cristal-PER (1ª fase)
26/03/1993 Universidad Catolica-CHI 4x1 San Jose-BOL (1ª fase)
30/03/1993 Bolívar-BOL 1x1 Cobreloa-CHI (1ª fase)
24/02/1995 Sporting Cristal-PER 1x1 Bolívar-BOL (1ª fase)
21/02/1999 Emelec-EQU 1x4 LDU Quito-EQU (1ª fase)
04/03/1999 Deportivo Cali-COL 1x0 River Plate-ARG (1ª fase)
22/03/2000 Atlético Nacional-COL 1x5 Atlas-MEX (1ª fase)
22/03/2000 Alianza Lima-PER 1x2 Atlético Paranaense (1ª fase)
09/05/2000 El Nacional-EQU 3x5 Boca Jrs-ARG (oitavas)
11/04/2001 Palmeiras 3x0 Sport Boys-PER (1ª fase)
22/03/2005 Cobreloa-CHI 2x1 Once Caldas-COL (1ª fase)
09/02/2006 The Strongest-BOL 3x2 Newell’s Old Boys-ARG (1ª fase)
21/03/2006 São Paulo 1x2 Chivas Guadalajara-MEX (1ª fase)
02/05/2006 LDU Quito-EQU 1x0 Atlético Nacional-COL (oitavas)
02/05/2007 Grêmio 0x1 São Paulo (oitavas)
18/03/2009 Universidad de Chile-CHI 0x3 Boyacá Chico-COL (1ª fase)
23/04/2009 Cruzeiro 2x0 Deportivo Quito-EQU (1ª fase)
09/03/2011 Estudiantes-ARG 2x1 Guaraní-PAR (1ª fase)
26/04/2011 Velez Sarsfield-ARG 3x0 LDU Quito-EQU (oitavas)
22/06/2011 Santos 2x1 Peñarol-URU (final)
31/01/2012 Libertad-PAR 4x1 El Nacional-EQU (fase Pré)
16/04/2013 Oriente Petrolero-BOL 0x1 Racing-ARG (1ª fase)
02/04/2014 Flamengo 2x1 Emelec-EQU (1ª fase)
14/05/2014 San Lorenzo-ARG 1x1 Cruzeiro (quartas)
17/02/2015 Deportivo Táchira-VEN 0x5 Racing-ARG (1ª fase)
18/02/2015 Guaraní-PAR 2x2 Sporting Cristal-PER (1ª fase)
26/02/2015 Internacional 3x1 Universidad de Chile-CHI (1ª fase)
01/04/2015 Corinthians 4x0 Danúbio-URU (1ª fase)
07/03/2017 Jorge Wilstermann-BOL 6x2 Peñarol-URU (1ª fase)


próximos a completarem cem jogos

99 jogos Defensor-URU
97 jogos Caracas-VEN
96 jogos Millonarios-COL
93 jogos Unión Española-CHI


algumas curiosidades

  • Com exceção do México, todos os outros dez países já tiveram algum clube completando cem jogos: Argentina (seis clubes), Bolívia (quatro), Brasil (oito), Chile (quatro), Colômbia (três), Equador (quatro), Paraguai (quatro), Peru (três), Uruguai (dois) e Venezuela (um clube).
  • Fora da Libertadores desse ano, o futebol mexicano tem o América com o mais próximo a atingir a marca de cem jogos. O time da capital soma até aqui 88 partidas seguido por Chivas Guadalajara (64), Cruz Azul (44), Tigres e Atlas (34).
  • Países cujos clubes chegaram a cem jogos pela ordem: 1971 - Uruguai (Peñarol), 1982 - Paraguai (Olímpia), 1982 - Argentina (River Plate), 1983 - Peru (Universitario), 1990 - Chile (Colo Colo), 1990 - Equador (Barcelona), 1992 - Colômbia (América), 1993 - Bolívia (Bolívar), 2001 - Brasil (Palmeiras) e 2015 - Venezuela (Deportivo Táchira).
  • No total 21 times comemoraram a marca vencendo; doze perdendo, seis empatando e apenas um conquistando o título.
  • Cinco clubes completaram cem jogos enfrentando times do próprio país sendo que em dois desses confrontos eram clássicos (Peñarol x Nacional em 1971 e Barcelona x Emelec em 1990).
  • O ano em que houve mais clubes chegando a marca foi em 2015 (quatro times), seguido de 1990, 2000, 2006 e 2011, estes anos com três times cada. O mês mais centenário foi o de março, com catorze. Três clubes alcançaram cem jogos em Libertadores nos dias 22 de março e outros três em 30 de março, datas essas em que mais ocorreram tal feito.
  • Dois clubes completaram cem jogos em Libertadores no mesmo dia: Atlético Nacional-COL e Alianza Lima-PER alcançaram a marca no dia 22 de março de 2000.
  • O clube que mais esteve presente na centésima partida do adversário foi o Sporting Cristal-PER, por três vezes: em 1990 (Colo Colo-CHI), 1992 (América-COL) e em 2015 (Guaraní-PAR). Grêmio, LDU Quito-EQU, Emelec-EQU e Peñarol-URU foram adversários em dois centenários cada.
  • E por fim, dois times da edição desse ano poderiam chegar a marca de cem jogos de Libertadores: Millonarios-COL e Unión Española-CHI, ambos eliminados nas fases preliminares. Bastava aos colombianos se classificarem para a fase de grupos e aos chilenos avançarem no mínimo as oitavas de final.


sexta-feira, 10 de março de 2017

Libertadores 2017: Resultados de 07 a 09 de março


Entre terça e quinta-feira tivemos doze dos dezesseis jogos da primeira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores 2017 com destaque para as goleadas de Flamengo e Jorge Wilstermann-BOL. Tivemos também as estreias invictas dos outros brasileiros, como Chapecoense e Grêmio que venceram fora de casa e os empates dos dois Atléticos (um em casa e outro fora) e de Palmeiras e Santos como visitantes.
Outros destaques da rodada ficam por conta de The Strongest-BOL, que venceu a terceira partida (duas ainda das fases preliminares) e assim como as outras não sofreu gol e o Nacional-URU, que completou seis jogos seguidos sem perder fora de casa.
Na próxima semana será a vez das estreias das equipes dos Grupos 1 e 3 e da segunda rodada dos Grupos 2, 4, 5 e 7. Antes, confira os resultados, um resumo de cada confronto e os jogos da semana que vem:



07/03 terça-feira 
Atlético Paranaense 2x2 Universidad Catolica-CHI
Jorge Wilstermann-BOL 6x2 Peñarol-URU
Zulia-VEN 1x2 Chapecoense
Deportes Iquique-CHI 0x1 Guaraní-PAR

08/03 quarta-feira
Flamengo 4x0 San Lorenzo-ARG
Atlético Tucumán-ARG 1x1 Palmeiras
Godoy Cruz-ARG 1x1 Atlético Mineiro
Sport Boys-BOL 3x3 Libertad-PAR

09/03 quinta-feira
Sporting Cristal-PER 1x1 Santos
The Strongest-BOL 2x0 Santa Fé-COL
Lanús-ARG 0x1 Nacional-URU
Zamora-VEN 0x2 Grêmio


próximos jogos

14/03 terça-feira
Barcelona-EQU x Atlético Nacional-COL
Botafogo x Estudiantes-ARG
Melgar-PER x Emelec-EQU

15/03 quarta-feira
Independiente Medellín-COL x River Plate-ARG
Universidad Catolica-CHI x Flamengo
San Lorenzo-ARG x Atlético Paranaense
Palmeiras x Jorge Wilstermann-BOL
Nacional-URU x Zulia-VEN

16/03 quinta-feira
Santa Fé-COL x Sporting Cristal-PER
Santos x The Strongest-BOL
Peñarol-URU x Atlético Tucumán-ARG
Chapecoense x Lanús-ARG


  • Esse é o quinto jogo em doze que a Universidad Católica não volta derrotada do Brasil. Os outros quatro haviam sido em 2011 (2x1 Grêmio – oitavas), 2006 (2x2 Corinthians – 1ª fase) e por duas vezes em 2002 (3x1 Flamengo – 1ª fase e 2x2 São Caetano – oitavas). Já o Atlético Paranaense enfrentou um time do Chile pela primeira vez em Liberatdores.
  • Em seu centésimo jogo em Libertadores o Jorge Wilstermann enfrentou o mesmo adversário da primeira partida da história da competição, o Peñarol que por um gol não iguala a sua maior derrota em Libertadores (1x6 Real Potosí-BOL – 2002) e chega a sua oitava partida seguida sem vencer na Bolívia.
  • Zulia e Chapecoense estrearam em Libertadores um enfrentando o outro, em um caso raro de acontecer. A última vez foi em 2013 quando Deportes Iquique-CHI e Leon-MEX estrearam em Libertadores se enfrentando.
  • Em seu quinto jogo pela competição como mandante o Deportes Iquique sofreu a terceira derrota enquanto que os paraguaios conquistaram apenas a segunda vitória em onze jogos atuando no Chile.
  • E o Flamengo continua sem perder para clubes argentinos atuando em casa, tendo vencido todos os quatro jogos. Já o San Lorenzo não vence no Brasil há 29 anos (1x0 Guarani – 1988) que por sinal foi sua única vitória em gramados brasileiros.
  • Ao empatar com o Atlético Tucumán na Argentina o Palmeiras chega ao incômodo jejum de dez jogos sem vitórias como visitante, sendo essa sua pior seqüência negativa na história da competição. A última vitória fora de casa foi em 2009 frente ao Colo Colo (1x0) no Chile.
  • Foi o primeiro confronto do Godoy Cruz frente a clubes brasileiros e o Atlético conquista o segundo empate em seis jogos atuando na Argentina.
  • Na estréia do Sport Boys em Libertadores o Libertad continua invicto na Bolívia, com uma vitória e um empate nos dois jogos que fez no país vizinho.
  • Esse foi o primeiro jogo em Libertadores de Sporting Cristal x Santos. Com o empate o time brasileiro deixou de ser 100% contra times peruanos, tendo agora quatro vitórias em cinco jogos no total e o Sporting Cristal interrompeu uma seqüência de três vitórias consecutivas sobre clubes do Brasil.
  • Terceira vitória do The Strongest em casa sendo que as outras duas haviam sido sobre times uruguaios nas fases preliminares, e sem sofrer um gol sequer. Por outro lado o Santa Fé sofreu sua quarta derrota em seis jogos atuando na Bolívia.
  • Ao perder para o Nacional o Lanús deixou de ter 100% de aproveitamento diante de adversários uruguaios enquanto que o Nacional chegou a sua sexta partida seguida sem derrota fora de casa (duas vitórias e quatro empates).
  • Foi a segunda vitória do Grêmio em quatro jogos atuando na Venezuela.




quinta-feira, 9 de março de 2017

Postagem 1000: Os estreantes em Libertadores por edição


Hoje dia 09 de março de 2017 comemoramos mil postagens do nosso blog Futebol da América do Sul, blog esse que começou lá em janeiro de 2013 e que hoje é uma das referencias de pesquisa quando se trata de futebol sul-americano. Gostaria de agradecer todas as parabenizações, críticas, sugestões de matérias, elogios etc...Muito obrigado por tudo, e que possamos dobrar o número de postagens!
Pra comemorar esse feito tão especial nosso blog listou pra vocês todos os estreantes em Libertadores por edição e só lembrando que a lista excluiu os times mexicanos e venezuelanos que participaram do torneio classificatório para a Libertadores entre 1998 e 2003 já que o mesmo não se tratava de uma fase da competição:


todos os estreantes em Libertadores de 1960 a 2017


1960 - 7 times San Lorenzo (ARG), Jorge Wilstermann (BOL), Bahia (BRA),Universidad de Chile (CHI), Millonarios (COL), Olímpia (PAR) e Peñarol (URU)

1961 - 6 times Independiente (ARG), Palmeiras (BRA), Colo Colo (CHI), Santa Fé (COL), Barcelona (EQU) e Universitário (PER)

1962 - 8 times Racing (ARG), Deportivo Municipal (BOL), Santos (BRA), Universidad Católica (CHI), Emelec (EQU), Cerro Porteño (PAR), Sporting Cristal (PER) e Nacional (URU)

1963 - 4 times Boca Jrs (ARG), Botafogo (BRA), Everest (EQU) e Alianza Lima (PER)

1964 - 2 times Aurora (BOL) e Deportivo Itália (VEN)

1965 - 4 times The Strongest (BOL), Deportivo Quito (EQU), Guarani (PAR) e Deportivo Galícia (VEN)

1966 - 3 times River Plate (ARG), 9 de Octubre (EQU) e Deportivo Lara (VEN)

1967 - 5 times Cruzeiro (BRA), Independiente Medellín (COL), Bolívar e 31 de Octubre (BOL) e Sport Boys (PER)

1968 - 7 times Estudiantes (ARG), Náutico (BRA), Always Ready (BOL), Deportivo Cáli (COL), El Nacional (EQU), Libertad (PAR) e Deportivo Portugués (VEN)

1969 - 5 times Litoral (BOL), Santiago Wanderers (CHI), Unión Magdalena (COL), Juan Aurich (PER) e Deportivo Canárias (VEN)

1970 - 7 times Universitário de La Paz (BOL), América de Cáli (COL), Rangers (CHI), LDU e América (EQU), Deportivo Arica (PER) e Valência (VEN)

1971 - 5 times Rosário Central (ARG), Chaco Petrolero (BOL), Fluminense (BRA), Atlético Junior (COL) e Unión Española (CHI)

1972 - 5 times Oriente Petrolero (BOL), São Paulo e Atlético Mineiro (BRA), Unión San Felipe (CHI) e Nacional (COL)

1973 - Não houve estreantes

1974 - 4 times Huracán (ARG), Universidad Católica (EQU), Defensor Lima (PER) e Portuguesa (VEN)

1975 - 5 times Newell’s Old Boys (ARG), Vasco da Gama (BRA), Huachipato (CHI), Unión Huaral (PER) e Montevidéu Wanderers (URU)

1976 - 6 times Internacional (BRA), Guabirá (BOL), Palestino (CHI), Deportivo Cuenca (EQU), Sportivo Luqueño (PAR) e Alfonso Ugarte (PER)

1977 - 4 times Corinthians (BRA), Everton (CHI), Defensor (URU) e Estudiantes de Mérida (VEN)

1978 - 1 time Danúbio (URU)

1979 - 4 times Quilmes (ARG), Guarani (BRA), O’Higgins (CHI) e Sol de América (PAR)  

1980 - 4 times Velez Sarsfield (ARG), Universidad Católica (EQU), Atlético Chalaco (PER) e Deportivo Táchira (VEN)

1981 - 5 times Flamengo (BRA), Cobreloa (CHI), Técnico Universitário (EQU), Atlético Torino (PER) e Bella Vista (URU)

1982 - 4 times Grêmio (BRA), Tolima (COL), Melgar e Deportivo Municipal (PER)

1983 - 4 times Ferro Carril Oeste (ARG), Blooming (BOL), Nacional (PAR) e San Cristóbal (VEN)

1984 - 1 time Universidad de Los Andes (VEN)

1985 - 2 times Argentinos Jrs (ARG) e Magallanes (CHI)

1986 - 4 times Bangu e Coritiba (BRA), Cobresal (CHI) e Universidad Técnica Cajamarca (PER)

1987 - 2 times San Augustín (PER) e Progresso (URU)

1988 - 3 times Sport Recife (BRA), Filabanco (EQU) e Marítimo (VEN)

1989 - Não houve estreantes

1990 - 2 times Mineros e Pepeganga (VEN)

1991 - 2 times Deportes Concepción (CHI) e Colegiales (PAR)

1992 - 4 times San José (BOL), Criciúma (BRA), Coquimbo (CHI) e Valdez (EQU)

1993 - 2 times Minervén e Caracas (VEN)

1994 -  Não houve estreantes

1995 - 2 times Cerro (URU) e Trujillanos (PER)

1996 - 1 time Espoli (EQU)

1997 - Não houve estreantes

1998 - 4 times Cólon (ARG), Atlético Bucaramanga (COL), América e Chivas Guadalajara (MEX) 

1999 - 2 times Once Caldas (COL) e Monterrey (MEX)

2000 - 3 times  Atlético Paranaense e Juventude (BRA) e Atlas (MEX) 

2001 - 3 times São Caetano (BRA), Olmedo (EQU) e Cruz Azul (MEX)

2002 - 6 times Talleres (ARG), Real Potosí (BOL), Tuluá (COL), Morelia (MEX), 12 de Octubre (PAR) e Cienciano (PER)

2003 - 4 times Gimnasia y Esgrima (ARG), Paysandu (BRA), Pumas (MEX) e Fenix (URU)

2004 - 3 times Universidad Concepción (CHI), Santos Laguna (MEX) e Maracaibo (VEN)

2005 - 5 times Banfield (ARG), Santo André (BRA), Tigres e Pachuca (MEX) e Tacuary (PAR)

2006 - 3 times Goiás e Paulista (BRA) e Rocha (URU)

2007 - 5 times Paraná (BRA), Cúcuta e Deportivo Pasto (COL), Audax (CHI) e Toluca (MEX)

2008 - 6 times Lanús e Arsenal (ARG), La Paz (BOL), Boyacá Chicó (COL), Coronel Bolognesi e Universidad San Martín (PER)

2009 - 2 times Universitário de Sucre (BOL) e Deportivo Anzoátegui (VEN)

2010 - 2 times  Estudiantes Tecos (MEX) e Racing (URU)

2011 - 4 times Godoy Cruz (ARG), Jaguares (MEX), León Huanuco (MEX) e Liverpool (URU) 

2012 - 2 times Sport Huancayo (PER) e Zamora (VEN)

2013 - 7 times Tigre (ARG), Deportes Iquique (CHI), Tijuana e León (MEX), Universidad César Vallejo e Real Garcilaso (PER) e Deportivo Lara (VEN)

2014 - 1 time Independiente del Valle (EQU)

2015 - não houve estreantes

2016 - 2 times Puebla (MEX) e River Plate (URU)

2017 - 6 times Atlético Tucumán (ARG), Sport Boys Warnes (BOL), Chapecoense (BRA), Deportivo Capiatá (PAR), Carabobo e Zulia (VEN)


algumas curiosidades

  • A primeira vez que não tivemos nenhum estreante foi em 1973, sendo que naquela edição todos os 19 clubes já haviam disputado a Libertadores ao menos uma vez. Também não houve estreantes em outras quatro edições: 1989, 1994, 1997 e em 2015.
  • Em quatro edições tivemos apenas um único estreante: 1978, 1984, 1996 e 2014.
  • Excetuando a primeira edição tivemos quatro clubes campeões logo em suas estreias: Santos em 1962, Estudiantes-ARG em 1968, Flamengo em 1981 e por fim o Argentinos Jrs-ARG em 1985.
  • Já os vice-campeões estreantes foram: Palmeiras em 1961, Boca Jrs-ARG em 1963, River Plate-ARG em 1966, Cobreloa-CHI em 1981 e por fim o Cruz Azul-MEX em 2001. O time mexicano inclusive foi o último estreante a disputar uma final.
  • Em 57 edições de Libertadores tivemos apenas uma única final entre clubes estreantes: Flamengo e Cobreloa-CHI disputaram a Libertadores pela primeira vez em 1981 e logo de cara decidiram o título.
  • Dos onze países participantes da Libertadores aquele que está há mais tempo sem estrear um clube é a Colômbia, com o Boyacá Chico em 2008. De lá pra cá todos os outros dez países tiveram ao menos um estreante. 
  • O maior intervalo entre uma estreia e outra entre clubes do mesmo país pertence a Colômbia: depois do Tolima em 1982 um colombiano só voltou a estrear dezesseis anos depois em 1998 com o Atlético Bucaramanga.
  • E pra terminar o ano que mais clubes estrearam numa mesma edição foi em 1962 com oito entre os dez participantes.  Depois vieram as edições de 1968 e 2013 com sete estreantes cada.