Páginas

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Copa Sul-Americana: Resultados dos jogos de ida da segunda fase


Foram jogadas nessa semana seis das dezesseis partidas de ida da segunda fase da Copa Sul-Americana 2017. Quatro jogos terminaram com vitória dos donos da casa enquanto os outros dois terminaram empatados, com destaque para a goleada do Fluminense sobre a Universidad Catolica-EQU por 4 a 0, resultado que praticamente o deixou já nas oitavas. Semana que vem haverá mais duas partidas, e ambas envolvendo brasileiros.
Confira abaixo os resultados dos jogos da semana:


jogos de ida da segunda fase

27/06 terça-feira
Fuerza Amarilla-EQU 1x1 Santa Fé-COL

28/06 quarta-feira
Defensa y Justicia-ARG 1x0 Chapecoense
Patriotas-COL 1x1 Corinthians

29/06 quinta-feira
Ponte Preta 1x0 Sol de América-PAR
Racing-ARG 3x1 Independiente Medellín-COL
Fluminense 4x0 Universidad Catolica-EQU


próximos jogos 

05/07 quarta-feira
Palestino-CHI x Flamengo

06/07 quinta-feira
Sport Recife x Arsenal-ARG




quinta-feira, 29 de junho de 2017

Boca Jrs campeão argentino (Primera División 2016-2017)

Com uma rodada de antecedência o Boca Jrs sagrou-se campeão argentino, conquistando o 32° título de sua história. A conquista veio ainda na outra semana, mas deixamos pra publicar depois do encerramento do campeonato.
A edição desse ano foi disputada por trinta clubes que se enfrentaram em turno único mais uma rodada de clássicos, em um total de trinta jogos para cada clube. Ao final quem somasse mais pontos ficava com o título e os demais se classificavam para as competições continentais: do vice ao quinto iriam para a Copa Libertadores e os seis subsequentes para a Copa Sul-Americana. De negativo, além do inchaço do número de clubes, teve a paralisação de mais de um mês devido a problemas entre a AFA e os jogadores.
Apenas três clubes lideraram o campeonato argentino: primeiro o River Plate nas duas primeiras rodadas, depois o Estudiantes entre a terceira e a 13ª rodada e por fim o Boca nas rodadas restantes, quando rumou ao título. Curiosamente Boca, River e Estudiantes terminaram nas três primeiras colocações.
As surpresas ficam por conta do Racing, que depois de passar quase o campeonato inteiro na zona da Sul-Americana garantiu uma vaga para a Libertadores do ano que vem; o seu rival Independiente que por pouco não se classificou junto; o Cólon que esteve o campeonato inteiro entre os que obtém vaga para as competições sul-americanas e o Defensa y Justicia, que vai para a segunda Sul-Americana seguida.
De decepções podemos listar o detentor do título Lanús, que em nenhum momento esboçou lutar pelo bicampeonato; o outrora favorito Vélez Sarsfield que chegou a ser ameaçado pelo rebaixamento e principalmente Newell's Old Boys e San Lorenzo, que brigaram pelo título e por fim sequer pegaram a Libertadores, tendo que ambos se contentarem com a Sul-Americana.
Já os rebaixados pelo promedio, que leva em conta a média de pontos das últimas quatro temporadas foram Aldovisi, Quilmes, Atlético de Rafaela e Sarmiento



Boca Jrs - 32° título argentino
1919, 1920, 1923, 1924, 1926, 1930, 1934, 1935, 1940, 1943, 1944, 1954, 1962, 1964, 1965, 1969 (Nacional), 1970 (Nacional), 1976 (Nacional), 1976 (Metropolitano), 1981 (Metropolitano), 1992 (Apertura), 1998 (Apertura), 1999 (Clausura), 2000 (Apertura), 2003 (Apertura), 2005 (Apertura), 2006 (Clausura), 2008 (Apertura), 2011 (Apertura), 2015 e 2016/2017


classificação final Primera Divión 2016-2017

63 Boca Jrs
56 River Plate
   Estudiantes
55 Racing
54 Banfield
53 Independiente
   San Lorenzo
50 Lanús
49 Newell's Old Boys
   Defensa y Justicia
   Cólon
44 Rosário Central
43 Gimnasia y Esgrima
   Godoy Cruz
42 Talleres
38 Olimpo
37 Atlético de Rafaela
   Temperley
   Vélez Sarsfield
34 Patronato
33 Atlético Tucumán
   San Martín
32 Unión
31 Tigre
29 Arsenal
26 Belgrano
25 Quilmes
   Aldosivi


artilheiro
21 gols - Dario Benedetto-ARG (Boca Jrs)

classificados para a Copa Libertadores 2018
Boca Jrs, River Plate, Estudiantes, Racing (grupos) e Banfield (fase preliminar)

classificados para a Copa Sul-Americana 2018
Independiente, San Lorenzo, Lanús, Newell's Old Boys, Defensa y Justicia e Cólon

rebaixados para a segunda divisão (Primera B Nacional 2017-2018)
Aldosivi, Quilmes, Atlético de Rafaela e Sarmiento








terça-feira, 27 de junho de 2017

Libertad campeão paraguaio (Apertura 2017)

Primeiro semestre chegando ao fim e os campeonatos nacionais sul-americanos disputados em formato de torneios curtos ou do calendário europeu começam a ser conhecidos. E no último fim de semana foi a vez do Libertad faturar o Campeonato Paraguaio - Apertura 2017, o vigésimo título de sua história.
A conquista veio na última rodada com a vitória sobre o Independiente Campo Grande por 2 a 0 com gols de Jesus Medina logo aos três minutos de jogo e o artilheiro do Apertura Santiago Salcedo aos 36 ainda da primeira etapa. Caso não vencesse o título ficaria com o Guaraní, pois a diferença final entre os dois foi de apenas um ponto (49 a 48). Em 22 jogos o Libertad venceu quinze, empatou quatro e perdeu apenas três; já o campeão de 2016 terminou com o mesmo número de vitórias tendo empatado três e perdido quatro, fator esse determinante para a perda do bicampeonato.
Das 22 rodadas o Libertad liderou por dezoito, tendo em doze delas o Guaraní na cola, sendo ultrapassado pelo mesmo em três ocasiões. Mas uma derrota inesperada para o Independiente Campo Grande por 4 a 2 na 17ª rodada pôs o Libertad novamente na liderança com um ponto de vantagem, permanecendo assim até a última rodada com os dois times vencendo todos os jogos até o final.
Esse foi o título paraguaio de número vinte do Libertad, o 12° só de 2000 pra cá, o que o torna como o maior campeão do país nesse século.


Club Libertad - 20°  título paraguaio
1910, 1917, 1920, 1930, 1943, 1945, 1955, 1976, 2002, 2003, 2006, 2007, 2008 (Apertura), 2008 (Clausura), 2010 (Clausura), 2012 (Clausura), 2014 (Apertura), 2014 (Clausura), 2016 (Apertura) e 2017 (Apertura)


classificação final do Apertura 2017

49 Libertad (campeão)
48 Guaraní
36 Olímpia
35 Cerro Porteño
34 Sol de América
29 Independiente Campo Grande
25 General Díaz
24 Deportivo Capiatá
23 Nacional
20 Rubio Ñu
17 Sportivo Luqueño
15 Sportivo Trinidense


artilheiro
15 gols - Santiago Salcedo-PAR (Libertad)


Campeão do Apertura, o Libertad já está garantido na próxima Copa Libertadores. As outras três vagas ficarão com o campeão do Clausura a ser jogado no segundo semestre, além dos dois com a melhor pontuação entre os não-campeões.




segunda-feira, 26 de junho de 2017

Semifinais da Copa das Confederações 2017

Foram definidos os semifinalistas da Copa das Confederações 2017: a partir de agora Alemanha, Chile, México e Portugal brigarão pelo título do torneio. Dos quatro apenas o México já levantou a taça, no ano de 1999 em casa; a Alemanha foi semifinalista em 2005, ano em que também quando organizou o torneio enquanto que como todos sabem, chilenos e portugueses estrearam nessa edição.
No Grupo A Portugal e México terminaram na liderança ambos com sete pontos, mas o saldo melhor (5 a 2) colocaram os portugueses em primeiro. Com três pontos, a Rússia acabou eliminada junto com a Nova Zelândia, esta com nenhum ponto ganho. Com a eliminação russa, um anfitrião voltou a ser eliminado ainda na primeira fase, o que não ocorria desde 2001 com a Coréia do Sul quando dividiu a organização do torneio com o Japão, este chegando às semifinais.
No Grupo B os alemães terminaram em primeiro com sete pontos, dois a mais que o Chile. Austrália (2 pontos) e Camarões com apenas um ficaram pelo caminho.
Nas semifinais Portugal encara o Chile e a Alemanha enfrenta o México. Confira abaixo os resultados de todos os jogos da primeira fase, os confrontos das semifinais e as seleções que terminaram entre as quatro primeiras posições desde 1997, edição em que a Copa das Confederações passou a ter o formato atual:


os jogos da primeira fase


17/06 sábado
Rússia 2x0 Nova Zelândia (São Petersburgo)

18/06 domingo
Portugal 2x2 México (Kazan)
Camarões 0x2 Chile (Moscou)

19/06 segunda-feira
Austrália 2x3 Alemanha (Sochi)

21/06 quarta-feira
Rússia 0x1 Portugal (Moscou)
México 2x1 Nova Zelândia (Sochi)

22/06 quinta-feira
Camarões 1x1 Austrália (São Petersburgo)
Alemanha 1x1 Chile (Kazan)

24/06 sábado
México 2x1 Rússia (Kazan)
Nova Zelândia 0x4 Portugal (São Petersburgo)

25/06 domingo
Alemanha 3x1 Camarões (Sochi)
Chile 1x1 Austrália (Moscou)


classificação final

Grupo A Portugal e México 7, Rússia 3 e Nova Zelândia 0
Grupo B Alemanha 7, Chile 5, Austrália 2 e Camarões 1


semifinais

28/06 quarta-feira
Portugal x Chile (Kazan)

29/06 quinta-feira
Alemanha x México (Sochi)


os semifinalistas (desde 1997)

Listamos pra você todos os semifinalistas da Copa das Confederações a partir de 1997, ano em que a competição passou a ter o formato atual (dois grupos de quatro seleções com os dois primeiros avançando as semifinais). Na primeira edição em 1992 eram apenas quatro seleções que já de cara faziam as semifinais e os vencedores a final; em 1995 o número de participantes aumentou para seis, sendo divididos em dois grupos de três com o campeão de cada grupo disputando o título.

6 semifinais
Brasil (1997, 1999, 2001, 2005, 2009 e 2013)

3 semifinais
México (1999, 2005 e 2017)

2 semifinais
Austrália (1997 e 2001)
França (2001 e 2003)
Estados Unidos (1999 e 2009)
Espanha (2009 e 2013)
Uruguai (1997 e 2013)
Alemanha (2005 e 2017)

1 semifinal
República Tcheca (1997)
Arábia Saudita (1999)
Japão (2001)
Camarões (2003)
Turquia (2003)
Colômbia (2003)
Argentina (2005)
África do Sul (2009)
Itália (2013)
Portugal (2017)
Chile (2017)



Copa Sul-Americana 2017: Jogos de ida da segunda fase



Dos dezesseis jogos da segunda fase da Copa Sul-Americana 2017, seis serão jogados nessa semana, com destaque para os confrontos envolvendo quatro dos seis brasileiros (Chapecoense, Corinthians, Fluminense e Ponte Preta).  Outros dois jogos serão realizados na próxima semana (dias 05 e 06 de julho) e o restante dos jogos de ida da segunda fase entre os dias 11 e 13 do mês que vem:


27/06 terça-feira
Fuerza Amarilla-EQU x Santa Fé-COL

28/06 quarta-feira
Defensa y Justicia-ARG x Chapecoense
Patriotas-COL x Corinthians

29/06 quinta-feira
Ponte Preta x Sol de América-PAR
Racing-ARG x Independiente Medellín-COL
Fluminense x Universidad Catolica-EQU




domingo, 25 de junho de 2017

Libertadores 2017: 30ª edição no sistema atual de mata-matas

A fase de mata-matas da Copa Libertadores que conhecemos atualmente após a fase de grupos (oitavas, quartas, semifinais e final) chega a sua 30ª edição nesse ano de 2017. Pensando no assunto, o blog listou pra você dados, números, estatísticas e algumas curiosidades:


como tudo começou

Nos anos 60 a Copa Libertadores teve vários formatos devido ao número incerto de participantes, principalmente por desistência de países de disputá-la. A partir de 1971 ficou definido que os vinte times (dois por país) fossem divididos em cinco grupos de quatro, onde apenas o campeão de cada grupo avançavam às semifinais. Os cinco classificados juntavam-se ao campeão da edição anterior formando dois grupos de três times com o vencedor de cada chave decidindo o título. Portanto, mata-mata somente na finalíssima.
Tudo mudou a partir de 1988, quando o vice de cada grupo também passou a avançar para a próxima fase. Na verdade essa edição não teve bem a fase de oitavas de final, já que os dez classificados foram divididos em cinco chaves eliminatórias, o que ao pé da letra seria uma espécie de quintas de final. Os cinco vencedores se juntavam ao detentor do título formando três chaves de dois times, das quais os três que vencessem os confrontos mais o melhor dos perdedores faziam as semifinais e posteriormente as finais. Mas para efeito de estatísticas essas duas fases após a de grupos valem como oitavas e quartas de final.
Um ano depois foi corrigido o problema, com os três de cada grupo de classificando para os mata-matas totalizando quinze times que juntando-se ao campeão da edição anterior faziam as oitavas de final com o número correto de confrontos. Mesmo com a alteração no número de participantes e de grupos em 2000 e em algumas edições co modificações pontuais com as de 1990, 2004 e 2010 o sistema perdura até hoje.


os campeões

Com quatro títulos, o Boca Jrs-ARG é o maior campeão da era dos mata-matas, tendo levantado a taça em 2000, 2001, 2003 e 2007. Logo a seguir vem o São Paulo, campeão em três oportunidades (1992, 1993 e 2005). Os dois são os únicos clubes campeões por mais de duas vezes nas últimas trinta edições. Olímpia-PAR, Internacional, River Plate-ARG e Atlético Nacional-COL são os bicampeões do período.
Por outro lado, dois dos maiores campeão da Libertadores, Independiente-ARG e Peñarol-URU com sete e cinco títulos respectivamente jamais levantaram uma taça sequer desde que os mata-matas foram implantados, sendo os dois times os únicos casos de campeões da Libertadores por mais de uma vez:

4 títulos
Boca Jrs-ARG (2000, 2001, 2003 e 2007)

3 títulos
São Paulo (1992, 1993 e 2005)

2 títulos
Olímpia-PAR (1990 e 2002)
Internacional (2006 e 2010)
River Plate-ARG (1996 e 2015)
Atlético Nacional-COL (1989 e 2016)

1 título
Nacional-URU (1988)
Colo Colo-CHI (1991)
Vélez Sarsfield-ARG (1994)
Grêmio (1995)
Cruzeiro (1997)
Vasco (1998)
Palmeiras (1999)
Once Caldas-COL (2004)
LDU Quito-EQU (2008)
Estudiantes-ARG (2009)
Santos (2011)
Corinthians (2012)
Atlético Mineiro (2013)
San Lorenzo-ARG (2014)


confrontos que mais se repetiram

Oito confrontos de mata-matas ocorreram em três oportunidades, sendo que Olímpia-PAR x Atlético Nacional-COL foi o primeiro a se repetir por mais de duas vezes e o único por três edições seguidas:

Olímpia-PAR x Atlético Nacional-COL 1989 (final), 1990 (semifinais) e 1991 (semifinais)
Nacional-URU x América-COL 1988 (semifinais), 2001 (oitavas) e 2002 (oitavas)
Grêmio x Olímpia-PAR 1995 (oitavas), 2002 (semifinais) e 2003 (oitavas)
São Paulo x Palmeiras 1994 (oitavas), 2005 (oitavas) e 2006 (oitavas)
Santos x América-MEX 2007 (quartas), 2008 (quartas) e 2011 (oitavas)
Boca Jrs-ARG x Corinthians 1991 (oitavas), 2012 (final) e 2013 (oitavas)
Boca Jrs-ARG x River Plate-ARG 2000 (quartas), 2004 (semifinais) e 2015 (oitavas)
Cruzeiro x São Paulo 2009 (quartas), 2010 (quartas) e 2015 (oitavas)


todos os participantes (1988 - 2017)

Ao todo 111 times estiveram alguma vez classificados para os mata-matas. Somando-se a atual edição o Nacional-URU é o recordista, com 21 presenças das trinta edições com esse sistema enquanto que o argentino Godoy Cruz é o único estreante desse ano. O time uruguaio esteve em todas as edições desde que a fase de mata-matas foi criado, pois a última vez em que não participou da Libertadores foi em 1987, ano do último título de seu arquirrival Peñarol. Já no quesito de participações consecutivas ninguém supera o River Plate-ARG, com doze entre 1995 a 2006:

21 edições
Nacional-URU (1988, 1989, 1991, 1992, 1993, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2013 e 2016)

17 edições
River Plate-ARG (1990, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2008, 2015, 2016 e 2017)

15 edições
Cerro Porteño-PAR (1990, 1991, 1992, 1993, 1995, 1996, 1998, 1999, 2000, 2001, 2003, 2005, 2011, 2014 e 2016)
Boca Jrs-ARG (1989, 1991, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2009, 2012, 2013, 2015 e 2016)

13 edições
São Paulo (1992, 1993 1994, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2013, 2015 e 2016)
Grêmio (1995, 1996, 1997, 1998, 2002, 2003, 2007, 2009, 2011, 2013, 2014, 2016 e 2017)

12 edições
Bolívar-BOL (1988, 1989, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1997, 1998, 2000, 2012 e 2014)
Atlético Nacional-COL (1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1995, 2006, 2008, 2012, 2014, 2015 e 2016)

11 edições
Velez Sarsfield-ARG (1994, 1995, 1997, 1999, 2006, 2007, 2010, 2011, 2012, 2013 e 2014)
Cruzeiro (1994, 1997, 1998, 2001, 2004, 2008, 2009, 2010, 2011, 2014 e 2015)
Corinthians (1991, 1996, 1999, 2000, 2003, 2006, 2010, 2012, 2013, 2015 e 2016)

10 edições
América de Cali-COL (1988, 1991, 1992, 1993, 1996, 1998, 2000, 2001, 2002 e 2003)
Olímpia-PAR (1989, 1990 1991, 1993, 1994, 1995, 1998, 2002, 2003 e 2013)
Palmeiras (1994, 1995, 1999, 2000, 2001, 2005, 2006, 2009, 2013 e 2017)

9 edições
Colo Colo-CHI (1988, 1990, 1991, 1992, 1994, 1997, 1998, 1999 e 2007)
Universidad Católica-CHI (1988, 1990, 1992, 1993, 1995, 1997, 1999, 2002 e 2011)
Peñarol-URU (1988, 1989, 1995, 1996, 1997, 1998, 2000, 2002 e 2011)
Emelec-EQU (1990, 1994, 1995, 1999, 2001, 2012, 2013, 2015 e 2017)

8 edições
Barcelona-EQU (1990, 1992, 1993, 1994, 1996, 1998, 2004 e 2017)
Santos (2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2011, 2012 e 2017)

7 edições
Universitário-PER (1988, 1989, 1991, 1993, 1994, 1999 e 2010)
LDU Quito-EQU (1991, 1999, 2004, 2005, 2006, 2008 e 2011)
América-MEX (1998, 2000, 2002, 2004, 2007, 2008 e 2011)
Defensor-URU (1990, 1993, 1994, 1996, 2007, 2009 e 2014)

6 edições
Sporting Cristal-PER (1992, 1993, 1995, 1996, 1997 e 2004)
Junior-COL (1994, 1996, 2000, 2001, 2005 e 2011)
Libertad-PAR (2006, 2007, 2009, 2010, 2011 e 2012)
Estudiantes-ARG (2006, 2008, 2009, 2010, 2011 e 2015)
Internacional (1989, 2006, 2010, 2011, 2012 e 2015)
San Lorenzo-ARG (1988, 1992, 1996, 2008, 2014 e 2017)
Atlético Mineiro (2000, 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017)

5 edições
El Nacional-EQU (1993, 1997, 2000, 2001 e 2002)
Cobreloa-CHI (1989, 1993, 2001, 2002 e 2003)
Flamengo (1991, 1993, 2007, 2008 e 2010)
Vasco (1990, 1998, 1999, 2001 e 2012)
Universidad de Chile-CHI (1996, 2005, 2009, 2010 e 2012)
Newell's Old Boys-ARG (1988, 1992, 1993, 2006 e 2013)
Racing-ARG (1989, 1997, 2003, 2015 e 2016)

4 edições
Minervén-VEN (1993, 1994, 1996 e 1997)
Chivas Guadalajara-MEX (2005, 2006, 2009 e 2010)
Once Caldas-COL (2004, 2005, 2010 e 2011)
Fluminense (2008, 2011, 2012 e 2013)
Deportivo Táchira-VEN (1989, 1991, 2004 e 2016)
Rosário Central-ARG (2000, 2001, 2004 e 2016)
The Strongest-BOL (1990, 1994, 2014 e 2017)
Lanús-ARG (2008, 2012, 2014 e 2017)

3 edições
Oriente Petrolero-BOL (1988, 1991 e 1997)
Millinarios-COL (1989, 1995 e 1997)
São Caetano (2001, 2002 e 2004)
Deportivo Cali-COL (1999, 2003 e 2004)
Independiente Medellín-COL (1994, 2003 e 2005)
Caracas-VEN (1995, 2007 e 2009)
Alianza Lima-PER (1995, 1998 e 2010)
Cruz Azul-MEX (2001, 2003 e 2012)
Unión Española-CHI (1994, 2012 e 2014)
Tigres-MEX (2005, 2006 e 2015)
Santa Fé-COL (2006, 2013 e 2015)
Atlético Paranaense (2000, 2005 e 2017)
Guaraní-PAR (1997, 2015 e 2017)

2 edições
Independiente-ARG (1990 e 1995)
Deportes Concepción-CHI (1991 e 2001)
Atlas-MEX (2000 e 2008)
Cúcuta-COL (2007 e 2008)
Banfield-ARG (2005 e 2010)
San Luis-MEX (2009 e 2010)
Deportivo Quito-EQU (1989 e 2012)
Santos Laguna-MEX (2004 e 2014)
Montevideu Wanderers-URU (2002 e 2015)
Pumas-MEX (2003 e 2016)
Toluca-MEX (2007 e 2016)
Botafogo (1996 e 2017)
Jorge Wilstermann-BOL (1999 e 2017)

1 edição
Guarani (1988)
Bahia (1989)
Sol de América-PAR (1989)
Danúbio-URU (1989)
Pepeganga-VEN (1990)
Progreso-URU (1990)
Unión Huaral-PER (1990)
Atlético Colegiales-PAR (1991)
Valdez-EQU (1992)
Marítimo-VEN (19920
Criciúma (1992)
Espoli-EQU (1996)
San José-BOL (1996)
Atlético Bucaramanga-COL (1998)
Cólon-ARG (1998)
Bella Vista-URU (1999)
Estudiantes de Mérida-VEN (1999)
Cienciano-PER (2002)
Morelia-MEX (2002)
Olmedo-EQU (2002)
Paysandu (2003)
Pachuca-MEX (2005)
Goiás (2006)
Necaxa-MEX (2007)
Paraná Clube (2007)
Sport Recife (2009)
Universidad de San Martín-PER (2009)
Deportivo Cuenca-EQU (2009)
Jaguares-MEX (2011)
Real Garcilaso-PER (2013)
Tigre-ARG (2013)
Tijuana-MEX (2013)
Arsenal-ARG (2014)
León-MEX (2014)
Nacional-PAR (2014)
Universitário de Sucre-BOL (2015)
Huracán-ARG (2016)
Independiente del Valle-EQU (2016)
Godoy Cruz-ARG (2017)




terça-feira, 20 de junho de 2017

Atlético Nacional campeão colombiano (Apertura 2017)

Terminou no último final de semana a edição de número 85 do Campeonato Colombiano, o Apertura 2017. E o grande campeão foi o Atlético Nacional, que chegou ao seu 16° título após golear em Medellín no segundo jogo da final o Deportivo Cali por 5 a 1, descontando a derrota por 2 a 0 na ida.
Precisando do resultado, o atual campeão da Libertadores partiu pra cima e com quinze minutos de jogo já havia igualado o placar da ida graças aos gols de Torres e Uribe. Ainda no primeiro tempo Duque diminuiria para o Deportivo Cali mas Ibargüen faria o terceiro para o time de Medellín.
No segundo tempo o artilheiro Daryo Moreno (de pênalti) e Quiñones dariam números finais a decisão e mais um título colombiano para o Atlético Nacional.
A campanha vitoriosa foi quase perfeita, com dezenove vitórias, cinco empates e apenas duas derrotas em 26 jogos: para o arquirrival Independiente Medellín na última rodada da primeira fase, quebrando uma invencibilidade de dezenove jogos e depois para o próprio Deportivo Cali no jogo de ida da decisão. Na primeira fase o time sobrou na liderança com 49 pontos de sessenta possíveis. Nos mata-matas as vítimas foram Jaguares (3x1 e 3x2), Millonarios (0x0 e 1x0) e por fim na finalíssima do Apertura o Deportivo Cali (0x2 e 5x1).
Essa foi apenas a segunda decisão entre os dois times, que haviam decidido o Finalización de 2013 também vencido pelo Atlético Nacional. O time de Medellín é o maior vencedor da era das finais, saindo-se vitorioso em dez das catorze disputadas, sendo recordista também nesse quesito. Já o Deportivo Cali conheceu sua sexta derrota em nove finais em que esteve presente.




Atlético Nacional - 16° título colombiano
1954, 1973, 1976, 1981, 1991, 1994, 1999, 2005 (Apertura), 2007 (Apertura), 2007 (Finalización), 2011 (Apertura), 2013 (Apertura), 2013 (Finalización), 2014 (Apertura), 2015 (Finalización) e 2017 (Apertura)


classificação final do Apertura 2017

campeão Atlético Nacional
vice Deportivo Cali
semifinalistas Millonarios e América
quartas de final Jaguares, Atlético Bucaramanga, Independiente Medellín e Deportivo Pasto

artilheiro
14 gols - Daryo Moreno-COL (Atlético Nacional)

mais assistências
8 assistências - Henry Rojas-COL (Millonarios)


tabela acumulada Apertura 2017 - Finalización 2017

62 Atlético Nacional
45 Independiente Medellín
40 Deportivo Cali
38 Millonarios
36 Deportivo Pasto
34 América de Cali
31 Jaguares
30 Atlético Bucaramanga
28 Santa Fé
27 Alianza Petrolera
24 Patriotas
23 Junior
   La Equidad
21 Rionegro Águilas
   Atlético Huila
   Once Caldas
20 Deportes Tolima
19 Tigres
18 Envigado
   Cortuluá


Campeão do Apertura, o Atlético Nacional já está na próxima edição da Copa Libertadores e também para a decisão da Superliga da Colômbia de 2018 contra o vencedor do Torneo Finalización, que também se garante na principal competição sul-americana ao lado do campeão da Copa Colômbia e do melhor colocado na soma dos dois torneios.




domingo, 18 de junho de 2017

Especial Copa das Confederações



Depois de publicarmos um mini-guia sobre a décima edição da Copa das Confederações que está sendo jogado na Rússia, hoje é a vez de você conhecer um pouco mais do torneio que reúne os campeões das confederações continentais (histórico, campeões, dados estatísticos etc).


história do torneio

Atualmente participam oito seleções, sendo os seis campeões continentais da Europa (UEFA - Eurocopa), América do Sul (Conmebol - Copa América), Américas do Norte, Central e Caribe (Concacaf - Copa Ouro), África (CAF - Copa Africana de Nações), Ásia (AFC - Copa da Ásia) e Oceania (OFC - Copa das Nações). As outras duas vagas são preenchidas pelo campeão da última Copa do Mundo e, é claro, pelo país organizador. Caso haja alguma desistência o vice-campeão ou o melhor colocado abaixo do desistente ocupa a vaga.
As duas primeiras edições levava o nome de Copa Rei Fahad e foram realizadas na Arábia Saudita. Durante uma década (de 1995 a 2005) passou a ser disputado a cada dois anos, com a FIFA oficializando o torneio a partir de 1997 e desde 2005 a cada quatro anos. E de 2001 em diante (com exceção de 2003) organizado pelo país anfitrião da Copa do Mundo do ano seguinte.


os campeões

Com quatro títulos, o Brasil de longe é o maior vencedor, tendo vencido as três últimas edições. Outra seleção que venceu por mais de uma vez é a França, com dois títulos e seguidos. Argentina, Dinamarca e México completam a lista de vencedores, sendo os mexicanos os últimos campeões tirando Brasil ou França:

4 Brasil (1997, 2005, 2009 e 2013)
2 França (2001 e 2003)
1 Argentina (1992)
   Dinamarca (1995)
   México (1999)


ranking de pontos

A liderança pertence ao Brasil com 74 pontos, mais que o dobro do segundo colocado México. Com dois títulos a França aparece em terceiro, mesmo com apenas duas participações:

74 Brasil
32 México
27 França
22 Espanha
19 Estados Unidos
18 Argentina
17 Japão


todos os participantes

Somando os três estreantes desse ano são 33 as seleções que estiveram ao menos em uma edição da Copa das Confederações. Ausentes dessa edição, os brasileiros são os que mais participaram do torneio, estando presente em sete das nove edições realizadas até aqui. O México igualou-se ao Brasil na atual edição enquanto que na terceira posição em número de participações aparece o Japão com cinco:

7 participações
Brasil (1997, 1999, 2001, 2003 , 2005, 2009 e 2013)
México (1995, 1997, 1999, 2001, 2005, 2013 e 2017)

5 participações
Japão (1995, 2001, 2003, 2005 e 2013)

4 participações 
Arábia Saudita (1992, 1995, 1997 e 1999)
Estados Unidos (1992, 1999, 2003 e 2009)
Austrália (1997, 2001, 2005 e 2017)
Nova Zelândia (1999, 2003, 2009 e 2017)

3 participações
Argentina (1992, 1995 e 2005)
Camarões (2001, 2003 e 2017)
Alemanha (1999, 2005 e 2017)

2 participações
França (2001 e 2003)
África do Sul (1997 e 2009)
Egito (1997 e 2009)
Nigéria (1995 e 2013)
Uruguai (1997 e 2013)
Espanha (2009 e 2013)
Itália (2009 e 2013)

1 participação
Costa do Marfim (1992)
Dinamarca (1995)
República Tcheca (1997)
Emirados Árabes Unidos (1997)
Bolívia (1999)
Canadá (2001)
Coreia do Sul (2001)
Colômbia (2003)
Turquia (2003)
Tunísia (2003)
Grécia (2005)
Iraque (2009)
Taiti (2013)
Chile (2017)
Portugal (2017)
Rússia (2017)


jogadores mais vezes campeões

Nada mais nada menos que 22 jogadores levantaram a taça mais de uma vez, e logicamente apenas brasileiros e franceses:

França Desailly, Landreau, Marlet, Dacourt, Coupet, Silvestre, Lizarazu, Sagnol, Pires e Wiltord
Brasil Gilberto Silva, Lúcio, Luisão, Juan, Kaká, Dida, Julio César, Robinho, Zé Roberto, Maicon, Daniel Alves e Julio Batista


mais participações

O goleiro Dida é o único a participar de cinco edições (metade do total). Quatro jogadores estiveram em quatro edições enquanto que outros 34 jogadores participaram por três vezes:

5 Dida-BRA
4 Lucio-BRA
  Pavel Pardo-MEX
  Cláudio Suárez-MEX
  Mohammed Al-Khilaiwi-ARA


mais jogos

Brasileiros e mexicanos lideram a lista no Top 5, com o goleiro Dida como o jogador que mais vezes entrou em campo pela competição: 22 vezes. Outros seis jogadores atuaram em mais de dez jogos:

22 Dida-BRA
17 Lucio-BRA
16 Pavel Pardo-MEX
14 Claudio Suárez
13 Ronaldinho Gaúcho-BRA
11 Tony Vidmar-AUS
    Emerson-BRA


maiores artilheiros

Com nove gols anotados a artilharia da Copa das Confederações pertence a dois jogadores: o mexicano Cuauhtémoc Blanco e o brasileiro Ronaldinho Gaúcho. Blanco porém precisou de apenas oito jogos, cinco a menos que o atleta do Brasil.

9 Cuauhtémoc Blanco-MEX
  Ronaldinho Baúcho-BRA
8 Fernando Torres-ESP
7 Romário-BRA
  Adriano-BRA


1992 Arábia Saudita - o último título intercontinental da Argentina

Na primeira edição da Copa das Confederações, ou Copa Rei Fahad participaram apenas quatro seleções, sendo os campeões continentais da Conmebol, Concacaf e África, além do país organizador. Disputado em semifinal e final, Argentina e Arábia Saudita decidiram o título após eliminar respectivamente Costa do Marfim e Estados Unidos. Na final deu Argentina 3 a 1 com o último gol marcado por Diego Simeone, atual técnico do Atlético de Madrid-ESP.


1995 Arábia Saudita - Dinamáquina (parte 2)

O número de participantes subiu para seis com a adição dos campeões da Ásia e Europa, sendo divididos em dois triangulares (grupos de três) onde os campeões decidiam o título. Em um grupo a Dinamarca ficou em primeiro após terminar empatado em todo os critérios com o México, sendo preciso as disputas de pênaltis para definir o finalista. Na outra chave deu Argentina, deixando pra trás Nigéria e Japão. Na decisão a Dinamarca impediu o bi argentino ao vencer por 2 a 0.


1997 Arábia Saudita - Brasil campeão no novo formato


Dois anos depois o torneio passou a ser oficializado pela FIFA e desde então passou a reunir oito seleções: o país anfitrião, o campeão da Copa do Mundo e os seis campeões continentais. Os oito times foram divididos em dois grupos de quatro classificando os dois primeiros para as semifinais e depois a final, sistema esse que perdura até hoje. Campeã da Eurocopa 1996, a Alemanha declinou do convite, sendo substituída pela República Tcheca.
No Grupo A seguiram adiante Brasil e Austrália com os anfitriões e mexicanos ficando pelo caminho enquanto que no Grupo B Uruguai e República Tcheca avançavam deixando pra trás Emirados Árabes e África do Sul. Nas semifinais os brasileiros bateram os tchecos enquanto que os uruguaios seriam eliminados surpreendentemente pela Austrália. Mas na final nada de zebra, e Brasil campeão com uma sonora goleada de 6 a 0 com três gols de Ronaldo e três de Romário.


1999 México - anfitriões campeões


A edição de 1999 da Copa das Confederações foi a primeira a ser realizada fora da Arábia Saudita, sendo o México o país escolhido. E os anfitriões não fizeram feio, conquistando o título inédito após bater o Brasil na final por 4 a 3 no lendário Estádio Azteca.
Mas voltando do início, os donos da casa ficaram em primeiro em seu grupo e avançaram junto com a Arábia Saudita. Bolívia e Egito voltaram mais cedo pra casa.
No outro grupo os brasileiros terminaram com três vitórias, uma delas por 4 a 0 sobre a poderosa Alemanha, eliminada precocemente junto com a Nova Zelândia (o outro classificado foi os Estados Unidos). Campeão do Mundo um ano antes, a França não participou do torneio e com isso a vaga ficou com o vice Brasil, campeão da Copa América de 1997. Com isso, abriu uma vaga para a América do Sul que foi preenchida pela Bolívia, derrotada em casa pelos brasileiros na já citada competição sul-americana. Outra vaga aberta foi na Concacaf para os Estados Unidos, vice da Copa Ouro pois o anfitrião México era também campeão continental.
Numa semifinal ambos os rivais da Concacaf se enfrentaram, com vitória mexicana enquanto que na outra os brasileiros massacraram os sauditas por 8 a 2, essa que por muito tempo foi a maior goleada da competição. E por fim como foi dito no começo do texto, o título acabou mesmo com os donos da casa.


2001 Coréia do Sul / Japão - tríplice coroa francesa


Pela única vez até hoje o torneio foi realizado em dois países, na Coreia do Sul e no Japão, que um ano depois organizariam em conjunto a Copa do Mundo. Dessa vez estavam todos os seis campeões continentais além dos dois países-sedes (um deles campeão asiático) e do campeão mundial de 1998, ausente dois anos antes.
Cada grupo foi disputado em um país: na Coreia do Sul três seleções terminaram empatadas com seis pontos, sendo que os critérios de desempate classificaram franceses e australianos, com os anfitriões eliminados ao lado do México, detentor do título e que voltou pra casa sem nenhum ponto; no Japão outro anfitrião avançou junto com o Brasil. Camarões e Canadá acabaram eliminados.
As duas semifinais também foram divididas em cada país, sendo que na coreana a França passou pelo Brasil assim como fez na Copa do Mundo três anos antes. E na semifinal japonesa os donos da casa não decepcionaram e eliminaram os australianos. Assim, a final de 1999 se repetiria na disputa de terceiro lugar com a Austrália se vingando e derrotando o Brasil. E pela segunda edição seguida o anfitrião chegava em uma final, mas ao contrário da edição anterior não terminaria campeão, com o título ficando com a França, sua terceira conquista diferente em apenas três anos somando-se a Copa do Mundo de 1998 e a Eurocopa de 2000.


2003 França - tragédia ofusca o bicampeonato francês


Depois do fiasco na Copa do Mundo de 2002 os franceses usaram o torneio disputado em casa pra apagar a imagem que ficou arranhada um ano antes. Mas essa edição ficaria marcada por uma grande tragédia: a morte do camaronês Marc Vivian Foe em pleno gramado durante a partida semifinal diante da Colômbia.
Novamente os brasileiros fizeram uma péssima campanha, eliminados ainda na primeira fase junto com os Estados Unidos. De seu grupo avançaram Camarões e Turquia, terceira colocada da Copa do Mundo 2002 convidada no lugar da vice Alemanha, que mais uma vez desistiu de participar do torneio. Já França e Colômbia deixou pra trás Japão e Nova Zelândia. Na semifinal europeia os donos da casa passaram pelos turcos enquanto que na fatídica partida deu Camarões. 
Na final realizada no Stade de France, palco do título mundial francês cinco anos antes deu França campeã por 1 a 0 gol de Thierry Henry e assim como o México em 1999 o título ficava com os donos da casa, mas nesse caso não houve comemorações...


2005 Alemanha - goleada em final sul-americana

A partir dessa edição ficou acertado que a Copa das Confederações passaria a ser jogada um ano antes da Copa do Mundo no país-sede do organizador do Mundial. Com isso o torneio não seria mais realizado a cada dois anos, e sim a cada quatro anos. Novamente todos os campeões continentais estavam presentes e como o Brasil era o atual campeão da Copa do Mundo e Copa América, a sua vaga no torneio continental foi ocupada pela vice Argentina.
Em um grupo alemães e argentinos seguiram juntos eliminando Tunísia e Austrália; no outro o México ficou em primeiro enquanto que o Brasil, que vencera apenas um jogo, avançou graças ao saldo de gols e com isso deixando japoneses pra trás. Outra eliminada desse grupo foi a Grécia, surpreendente campeã europeia um ano antes.
E o que poderia se transformar em um novo vexame brasileiro como ocorreu nas duas últimas edições não se concretizou: vitória nas semifinais sobre os anfitriões alemães e na decisão o melhor estaria por vir: goleada por 4 a 1 diante da arquirrival  Argentina e o segundo título da competição exatamente um ano depois da final entre ambos da Copa América, que também terminou com vitória brasileira.


2009 África do Sul - tricampeonato brasileiro em solo africano


Com nenhuma desistência tivemos todos os campeões continentais na África do Sul e com três favoritos entre os participantes: Brasil, Itália e Espanha. Em um grupo os espanhóis terminaram em primeiro com os anfitriões em segundo. Iraque e Nova Zelândia ficaram pelo caminho. Na outra chave o Brasil acabou com 100% de aproveitamento após vencer italianos, japoneses e norte-americanos, todos esses empatados com apenas três pontos (uma vitória e duas derrotas). O saldo de gols determinaria a classificação dos Estados Unidos, que nas semifinais enfrentaria e venceria de forma surpreendente a Espanha, que um ano depois seria campeã da Copa do Mundo. Já os brasileiros passariam pelos donos da casa com gol da vitória nos minutos finais.
E na decisão os brasileiros em sua quarta final e a segunda consecutiva tomaria um susto ao levar dois gols dos norte-americanos ainda no primeiro tempo, mas na etapa complementar Luis Fabiano com dois gols e o zagueiro Lúcio no fim da partida daria o terceiro título da Copa das Confederações ao Brasil.


2013 Brasil - é tetra!


Em meio aos protestos pela realização da Copa do Mundo de 2014 era jogado no Brasil um ano antes a nona edição da Copa das Confederações com a presença de quatro campeões mundiais, sendo os últimos três: Brasil (2002), Itália (2006) e Espanha (2010). O Uruguai completou o quarteto.
E os quatro não deram chances aos adversários, com Brasil e Itália se classificando no Grupo A deixando pra trás Japão e México e no Grupo B Espanha e Uruguai avançaram com Nigéria e Taiti eliminados. A goleada espanhola sobre o país da Oceania por 10 a 0 passou a ser a maior da história da competição.
Com isso tivemos duas semifinais entre seleções do mesmo continente: na sul-americana deu Brasil (2x1) diante do Uruguai e na semifinal europeia Espanha e Itália empataram sem gols e as disputas de pênaltis puseram os espanhóis na final.
Maracanã lotado no domingo dia 30 de junho viram um espetáculo brasileiro: sonoros 3 a 0 sobre os espanhóis, simplesmente atuais campeões mundiais e bi europeu. E assim os brasileiros conquistariam outro tetra dezenove anos depois, mas dessa vez o da Copa das Confederações.





sexta-feira, 16 de junho de 2017

Copa das Confederações 2017

Começa amanhã mais uma Copa das Confederações, a décima edição e que será disputada na Rússia, palco da próxima Copa do Mundo. As oito seleções que brigarão pelo título inicialmente estarão divididas em dois grupos de quatro, com os dois primeiros colocados avançando as semifinais, e posteriormente com os vencedores decidindo o título no dia 02 de julho em São Petesburgo, no novíssimo estádio Krestovsk.
Três seleções farão estreia nesse ano: Rússia, Portugal e Chile, sendo essa última a sexta  seleção a representar o continente sul-americano após Argentina, Brasil, Uruguai, Chile e Colômbia.  
Hoje você fica sabendo dos participantes e da tabela da edição 2017 e no domingo traremos um historial sobre a competição:


Os participantes

Rússia (FIFA - Europa) 
país-sede
estreante

Alemanha (FIFA - Europa) 
campeão da Copa do Mundo 2014
2 participações (1999 e 2005)

Portugal (UEFA - Europa) 
campeão da Eurocopa 2016
estreante

Chile (Conmebol – América do Sul) 
campeão da Copa América 2015
estreante

México (Concacaf – Américas do Norte, Central e Caribe) 
campeão da Copa Ouro Concacaf 2015
6 participações (1995, 1997, 1999, 2001, 2005 e 2013)

Austrália (AFC – Ásia)
campeão da Copa da Ásia 2015
3 participações (1997, 2001 e 2005)

Camarões (CAF – África)
campeão da Copa Africana de Nações 2017
2 participações (2001 e 2003)

Nova Zelândia (OFC – Oceania)
campeão da Copa das Nações da Oceania 2016
3 participações (1999, 2003 e 2009)


as sedes e os estádios

Sochi Estádio Olímpico, 48000 pessoas
Kazan Kazan Arena, 50000 pessoas
Moscou Otkrytie Arena, 60000 pessoas
São Petersburgo Estádio Krestovski, 72000 pessoas


Grupo A
México, Nova Zelândia, Rússia e Portugal

Grupo B
Alemanha, Austrália, Camarões e Chile


os jogos da primeira fase


17/06 sábado
Rússia x Nova Zelândia (São Petersburgo)

18/06 domingo
Portugal x México (Kazan)
Camarões x Chile (Moscou)

19/06 segunda-feira
Austrália x Alemanha (Sochi)

21/06 quarta-feira
Rússia x Portugal (Moscou)
México x Nova Zelândia (Sochi)

22/06 quinta-feira
Camarões x Austrália (São Petersburgo)
Alemanha x Chile (Kazan)

24/06 sábado
México x Rússia (Kazan)
Nova Zelândia x Portugal (São Petersburgo)

25/06 domingo
Alemanha x Camarões (Sochi)
Chile x Austrália (Moscou)


semifinais

28/06 quarta-feira
S1 1° do A x 2° do B (Kazan)

29/06 quinta-feira
S2 1° do B x 2° do A (Sochi)


disputa terceiro lugar

02/07 domingo
Perdedor S1 x perdedor S2 (Moscou)


final

02/07 domingo
Vencedor S1 x vencedor S2 (São Petersburgo)


os campeões

4 títulos
Brasil (1997, 2005, 2009 e 2013)

2 títulos
França (2001 e 2003)

1 titulo
Argentina (1992)
Dinamarca (1995)
México (1999)


Obs: os resultados das partidas serão publicadas no blog somente ao final de cada fase, nos dias 26 e 30 de junho e 03 de julho.



quinta-feira, 15 de junho de 2017

Mata-matas da Libertadores e Sul-Americana


Foram definidos ontem na sede da Conmebol em Luque-PAR através de sorteio os confrontos das oitavas de final da Copa Libertadores e também da segunda fase da Copa Sul-Americana. São 48 times que brigarão pelo título das duas competições: dezesseis pela Libertadores e outros 32 pela Sul-Americana.


Copa Libertadores

O sorteio foi realizado da seguinte forma: no primeiro globo estavam as bolinhas com os nomes dos clubes que ficaram em primeiro em seus respectivos grupos e no outro globo os segundos colocados. Primeiro foram retirados as bolinhas correspondente ao globo dos segundos colocados já na ordem dos confrontos (chave A, chave B etc) e posteriormente as bolinhas com os campeões de grupo, também na mesma ordem de chaveamento.
Dos seis brasileiros classificados para as oitavas de final, cinco ficaram no mesmo lado da chave e apenas o Atlético Mineiro ficou do outro lado. O mesmo ocorreu com os argentinos, onde três ficaram no mesmo lado que o time mineiro e somente um fará companhia aos outros brasileiros, o Godoy Cruz. Dentre os outros países com mais de um representante, os bolivianos ficaram juntos, podendo fazer uma das semifinais enquanto que os equatorianos caíram em chaves diferentes.
Apenas um confronto entre clubes do mesmo país será realizado nas oitavas: Santos x Atlético Paranaense, reeditando as quartas de final de 2005 quando o time do Paraná eliminou os paulistas e acabou vice. Os outros quatro brasileiros terão pela frente argentinos, uruguaios, bolivianos e equatorianos. Haverá ainda confronto entre argentinos diante de paraguaios, equatorianos e bolivianos.




oitavas de final

Chave A River Plate-ARG x Guaraní-PAR
Chave B Santos x Atlético Paranaense
Chave C Botafogo x Nacional-URU
Chave D San Lorenzo-ARG x Emelec-EQU
Chave E Lanús-ARG x The Strongest-BOL
Chave F Grêmio x Godoy Cruz-ARG
Chave G Palmeiras x Barcelona-EQU
Chave H Atlético Mineiro x Jorge Wilstermann-BOL


Nas quartas de final os cruzamentos serão da seguinte forma:

S1 vencedor A x vencedor H
S2 vencedor B x vencedor G
S3 vencedor C x vencedor F
S4 vencedor D x vencedor E


Os vencedores farão as semifinais de acordo com o seguinte cruzamento:

F1 vencedor S1 x vencedor S4
F2 vencedor S2 x vencedor S3


Copa Sul-Americana

Aqui as 32 equipes foram divididas em dois globos de dezesseis: o primeiro com os dez provenientes da Copa Libertadores (sendo os dois melhores eliminados da terceira fase preliminar e os oito terceiros colocados da fase de grupos) mais os seis melhores classificados da primeira fase. Já o segundo globo continha os nomes do restante dos classificados. Primeiro foram sorteados os times desse globo já com a ordem do chaveamento e posteriormente o do outro globo. Ficou definido também que os vencedores dos confrontos de número menor (01 ao 08) terão vantagem de jogar a segunda partida em casa a partir das oitavas de final em relação aos confrontos de maior valor (09 ao 16).
Apenas dois dos dezesseis confrontos envolverão times do mesmo país, sendo um entre colombianos (Junior x Deportivo Cali)  e outro entre paraguaios Olímpia x Nacional). Dois serão entre brasileiros e argentinos (Sport x Arsenal e Chapecoense x Defensa y Justicia). Além desses confrontos, chama a atenção mais outros três: a disputa entre Flamengo x Palestino-CHI, que voltam a se enfrentar pelo segundo ano seguido mais Independiente Medellín-ARG x Racing-ARG e LDU Quito-EQU x Bolívar-BOL, esses dois últimos com cara de Libertadores.



segunda fase 

O 01 Independiente Medellín-COL x Racing-ARG
O 02 Junior-COL x Deportivo Cali-COL
O 03 Flamengo x Palestino-CHI
O 04 Estudiantes-ARG x Nacional Potosí-BOL
O 05 Deportes Iquique-CHI x Independiente-ARG
O 06 LDU Quito-EQU x Bolívar-BOL
O 07 Sol de América-PAR x Ponte Preta
O 08 Santa Fé-COL x Fuerza Amarilla-EQU
O 09 Libertad-PAR x Huracán-ARG
O 10 Arsenal-ARG x Sport Recife
O 11 Universidad Catolica-EQU x Fluminense
O 12 Atlético Tucumán-ARG x Oriente Petrolero-BOL
O 13 Olímpia-PAR x Nacional-PAR
O 14 Chapecoense x Defensa y Justicia-ARG
O 15 Boston River-URU x Cerro Porteño-PAR
O 16 Corinthians x Patriotas-COL


Segue abaixo como serão os cruzamentos nas oitavas de final, sendo que os times classificados dos confrontos O 01 ao O 08 fazem a segunda partida em casa:

A vencedor O 01 x vencedor O 16
B vencedor O 02 x vencedor O 15
C vencedor O 03 x vencedor O 14
D vencedor O 04 x vencedor O 13
E vencedor O 05 x vencedor O 12
F vencedor O 06 x vencedor O 11
G vencedor O 07 x vencedor O 10
H vencedor O 08 x vencedor O 09


Nas quartas de final os cruzamentos serão da seguinte forma:

S1 vencedor A x vencedor H
S2 vencedor B x vencedor G
S3 vencedor C x vencedor F
S4 vencedor D x vencedor E


Os vencedores avançam as semifinais de acordo com o seguinte cruzamento:

F1 vencedor S1 x vencedor S4
F2 vencedor S2 x vencedor S3



domingo, 11 de junho de 2017

Mundial Sub-20 2017: Venezuela vice-campeã

Não deu para a seleção venezuelana na decisão do Mundial Sub-20. A equipe sul-americana foi derrotada pela Inglaterra por 1 a 0 e com isso acabou com o vice-campeonato da competição, enquanto que os ingleses conquistaram o título inédito, levando pela terceira vez seguida a taça para a Europa.
Na preliminar outra derrota sul-americana, a do Uruguai para a Itália nos pênaltis (1x4) em partida válida pela disputa de terceiro lugar.


disputa terceiro lugar

11/06 domingo
Uruguai 0x0 Itália (1x4 pênaltis)


final

11/06 domingo
Venezuela 0x1 Inglaterra


todos os campeões

6 títulos
Argentina (1979, 1995, 1997, 2001, 2005 e 2007)

5 títulos
Brasil (1983, 1985, 1993, 2003 e 2011)

2 títulos
Portugal (1989 e 1991)
Iugoslávia / Servia (1987 e 2015)

1 título
União Soviética (1977)
Alemanha (1981)
Espanha (1999)
Gana (2009)
França (2013)
Inglaterra (2017)



sexta-feira, 9 de junho de 2017

Final do Mundial Sub-20 2017: Venezuela x Inglaterra


E a surpreendente seleção venezuelana está na final do Mundial Sub-20 2017 após vencer nas semifinais o Uruguai. A partida terminou empatada em 1 a 1 com gols de De La Cruz de pênalti para os uruguaios e Sosa (cobrando falta) nos acréscimos para os venezuelanos, levando o jogo para a prorrogação. Como não houve vencedor no tempo extra a vaga para a final foi decidida nos pênaltis, com a Venezuela levando a melhor (4x3) e ironicamente após o próprio De La Cruz errando a cobrança decisiva.
O adversário do time sul-americano será a Inglaterra, que bateu a Itália na outra semifinal por 3 a 1 e assim como a Venezuela estará em uma final de Mundial Sub-20 pela primeira vez. Por falar nisso, a última decisão entre duas seleções que jamais haviam sido finalistas ocorreu em 1989 quando Portugal levantou a taça diante da Nigéria. De lá pra cá pelo menos uma das seleções já esteve decidindo o título em alguma ocasião.
Essa também será a quarta final seguida entre sul-americanos e europeus e a nona com a presença de uma seleção da América do Sul, que não ficam de fora de uma decisão desde 1999 quando Espanha e Japão decidiram o Mundial da Nigéria, terminando com título espanhol. Os brasileiros em 2003, 2009, 2011 e 2015; argentinos estiveram em 2001, 2005 e 2007;  os uruguaios em 2013 e agora os venezuelanos, que inclusive jamais haviam estado em uma decisão nem mesmo do Sul-Americano Sub-20.
A final será no próximo domingo dia 11 na cidade de Suwon.


semifinais

08/06 quinta-feira
Venezuela 1x1 Uruguai (4x3 pênaltis)
Inglaterra 3x1 Itália


disputa terceiro lugar

11/06 domingo
Uruguai x Itália


final

11/06 domingo
Venezuela x Inglaterra




quinta-feira, 8 de junho de 2017

Uma volta pela segunda divisão dos campeonatos nacionais da América do Sul

Semana passada postamos um panorama dos campeonatos nacionais da América do Sul. Hoje é a vez de vermos como andam os campeonatos da segunda divisão desses mesmos países:


Argentina - Primera B Nacional 2016-2017

São 23 times que se enfrentam em turno e returno com campeão e vice subindo após 44 rodadas. Faltando dez para terminar a Primera B Nacional a liderança pertence ao Argentinos Jrs com 68 pontos, sete a mais que o segundo colocado Guillermo Brown. O time que revelou Maradona dificilmente deixará de subir, já que são doze pontos a diferença para o terceiro Chacarita Jrs (56), que juntamente com Nueva Chicago (54), Ferro Carril Oeste (53) e Instituto (52) ainda sonham. 


Bolívia - Nacional B 2016-2017

No último final de semana tivemos a decisão da Nacional B com o Aurora ficando com o título após vencer por 1 a 0 o Destroyers. Com isso, o Aurora ascendeu a Primera División 2017-2018 enquanto que o vice disputa com o penúltimo da mesma uma repescagem para o acesso.


Brasil - Série B 2017

Assim como na primeira divisão, na Série B os vinte times também se enfrentam em turno e returno e após 38 rodadas os quatro primeiros garantem o acesso. Depois de cinco rodadas a liderança é do Paysandu com onze pontos, um a mais que o vice-líder Juventude. Guarani e Santa Cruz completam o G4 enquanto que o Internacional, bicampeão da Libertadores ocupa a quinta posição.


Chile - Primera B 2016-2017

O campeonato foi finalizado ainda em abril com o acesso do Curicó Unido, campeão com 57 pontos. Já o vice San Marcos de Arica enfrenta o campeão do Torneo de Transición Primera B 2017 a ser realizado no segundo semestre pela segunda vaga.


Colômbia - Primera B 2017

Assim como na divisão principal, a competição é dividida em dois torneios curtos (Apertura e Finalización) com os oito melhores classificando-se aos mata-matas de cada torneio curto. Os campeões decidem o título com o vencedor garantindo o acesso e o vice enfrentará o melhor colocado na classificação geral que não tenha vencido nenhum torneio curto pela segunda vaga. Real Santander e Boyacá Chicó decidem o Apertura B com a ida marcada para hoje e o jogo de volta no próximo domingo.


Equador - Série B 2017

As doze equipes se enfrentam em quatro turnos e ao final das 44 rodadas os dois primeiros colocados sobem para a Série A, a primeira divisão equatoriana. Foram jogadas dezesseis rodadas sendo que até a oitava o Olmedo era líder absoluto com sete vitórias, mas após quatro derrotas seguidas acabou ultrapassado pelo Técnico Universitário, este com 31 pontos. Olmedo (28) e Gualaceo (26) estão na cola.


Paraguai - División Intermediaria 2017

Nesse ano joga-se no Paraguai a centésima edição de um campeonato de segunda divisão, chamado desde o fim dos anos 90 de División Intermediaria. Com treze rodadas disputadas de um total de trinta o Deportivo Santaní continua firme na liderança desde o começo com 28 pontos, três a mais que o 3 de Febrero. Campeão e vice sobem para a elite no ano que vem.


Peru - Segunda División 2017

O torneio começou no fim de abril e depois de sete rodadas o líder é o tradicional Sport Boys (16 pontos) com o Universidad Cesar Vallejo na segunda colocação com dois pontos atrás. Campeão da Sul-Americana em 2003, o Cienciano é apenas o oitavo colocado.


Uruguai - Segunda División 2017

São quinze times que se enfrentam em turno e returno brigando por três vagas: campeão e vice subindo para a divisão principal e a terceira vaga será decidida através de um play-off que reunirá os times que terminarem entre a terceira e décima colocação. E depois de seis rodadas Progreso e Central Español lideram o campeonato com onze pontos.


Venezuela - Segunda División 2017

São 24 times divididos em três grupos regionais de oito times cada, com os mesmos se confrontando dentro dos grupos e em quatro turnos, num total de 28 partidas cada time. Ao final dessa fase os quatro melhores avançam, formando dois grupos de seis times. Após turno e returno o campeão de cada hexagonal sobem para a divisão principal, além de decidirem o título da segundona. Depois de catorze rodadas (metade do torneio) a liderança do Grupo A pertence ao Lala FC (31 pontos); o Academia Puerto Cabello é líder do Grupo B (25) e no Grupo C o Ureña (30) é que está em primeiro.